23.1.19

Está com o nome sujo? Veja como conseguir um refinanciamento


A maioria dos consumidores possuem dúvidas, se existe uma possibilidade de conseguir um refinanciamento de veículos com restrição no nome. já que isto impede que a aprovação do financiamento seja possível. Entretanto, o nome sujo não atrapalha a transação.

Para entender como isso é possível, entre outras questões, acompanhe o artigo a seguir e acabe com suas dúvidas.


O que é "nome sujo"?


Estar com o nome sujo significa que o usuário está cadastrado nos órgãos de proteção ao crédito. Portanto, o cidadão pode ter o seu nome no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), o CCF (Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos) e a Serasa Experian pela falta de pagamento.

Ou seja, quando o indivíduo deixa de pagar uma dúvida, depois de 15 dias de vencimento da mesma o credor pode acionar o Cartório de Protesto. Neste é feito um contato através da justiça.

O credor também pode colocar o seu nome no cadastro de devedores dos órgãos de proteção. Assim, ocorre uma análise de crédito para os lojistas, enquanto o Serasa efetua a análise de crédito para os bancos e até as instituições financeiras.

Todo o cadastro é realizado através do CPF, logo o usuário é notificado por meio de aviso prévio. Depois de receber a notificação,  é necessário ir até o estabelecimento que inseriu o seu nome para que seja possível quitar a dívida.


Como limpar o nome?

Diversos brasileiros estão com dívida em atraso. Mesmo que o refinanciamento de veículos seja possível com nome sujo, alguns cidadãos procuram alternativas para acabar com a negativação do CPF. 

A melhor forma de limpar o nome e ficar livre das dívidas é consultar a empresa para uma possível negociação. 

Toda empresa tem interesse que o usuário efetue o pagamento no valor corrigido, portanto, é comum que a mesma faça uma proposta de renegociação.

Portanto, a forma mais indicada para pagar a dívida é negociar com o credor ou empresa, a fim de obter algum desconto. Logo,  ao ter o contato, verifique os valores acordados e veja qual a melhor opção de negociação.

Ao final efetue o pagamento assim a empresa vai dar baixa na dívida e o seu nome vai ficar limpo. Além disso, as empresas precisam remover a dívida do seu CPF e deixar o seu nome limpo cinco dias úteis após o pagamento, lembrando que é preciso receber um recibo que o valor foi quitado.


Posso fazer o refinanciamento de veículos com nome negativado?

Com o conhecimento sobre como limpar o nome entramos na questão do refinanciamento com o nome sujo. Como citamos brevemente é possível efetuar esta ação mesmo com a restrição no nome
.
Ao efetuar o refinanciamento significa que o proprietário do automóvel irá oferecer o carro como garantia ao banco para conseguir um empréstimo. No entanto, para que isto seja possível é necessário que o contribuinte possua um veículo quitado e é preciso ter conhecimento que na negociação haverão taxas de juros. 

No entanto, isto é apresentado para que o risco de crédito compense o credor sobre o refinanciamento. É válido lembrar, o refinanciamento de veículos só pode ser feito se o automóvel estiver no nome do cliente que irá realizar o empréstimo.  

Normalmente são exigidos alguns documentos e cópias como RG, CPF, certidão de nascimento, comprovante de renda e residência. Para o veículos os documentos pedidos são Certificado de Registro do Veículo (CRV) e a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Logo ao dar entrada ao processo o refinanciamento é uma forma de ajudar a limpar o seu nome e também funciona como empréstimo. Ainda as taxas são variadas, pois o seu veículo foi dado como garantia. Portanto, procure um credor confiável para iniciar o refinanciamento e ficar livre das restrições, pagar suas dívidas e manter sua vida financeira organizada.

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

Como a análise de cores vai ajudar você a escolher o look ideal!

Imagem divulgação

Quem nunca ficou na dúvida sobre qual look escolher na hora de comprar roupas femininas? Pois bem, saiba que isso é totalmente normal, já que muitas pessoas desconhecem a análise de cores.

Pensando nisso, preparamos esse post para você entender como funciona esse método e como ela pode auxiliar na hora de escolher como ir a determinado lugar. Confira todas as informações e se torne uma expert no assunto!


O que é análise de cores?


A análise de cores é um método que ajuda a identificar quais as cores e tonalidades que mais combinam com a personalidade das pessoas ou que ajudam a melhorar a aparência.

Por meio dessa técnica, você tem a oportunidade de escolher cores que rejuvenescem e iluminam o rosto. Além disso, também  pode saber quais os tons que acentuam manchas, rugas e olheiras para evitá-los.

Isso acontece, pois as cores reagem de forma diferente em cada pessoa. Portanto, a temperatura, profundidade e intensidade diferentes tonalidades  podem direcionar o seu estado de espírito.


Por que é importante fazer uma análise de cores?


Quem não gostaria de ter a possibilidade de encontrar as melhores cores e tonalidades que combinam com o seu tom de pele, cabelo, cor dos olhos e personalidade? Com a análise de cores, isso pode a dessa forma, fica mais fácil escolher as peças que devem compor o guarda-roupa mais harmonizado e em sintonia. Além disso, com o método é possível perceber quando uma cor ou tom não fica bem em você.


Como é feita a análise de cores?

Para fazer uma análise de cores é preciso usar o círculo cromático que possui 12 cores, sendo três primárias, três secundárias e seis terciárias. Na hora de fazer as combinações é fundamental basear-se no disco ou círculo cromático.

Dentro das combinações de cores é possível criar vários tipos de looks que devem valorizar ou realçar seus pontos positivos, ou então esconder as imperfeições ou algum ponto que você não quer que apareça. Confira os looks.

1. Looks monocromáticos
No look monocromático é escolhida apenas uma cor para compor o visual. Por isso, é importante selecionar alguns acessórios para fazer uma linda combinação. Esse tipo de look alonga e afina a silhueta, além de ser muito elegante.

2. Looks tom sobre tom
Nesse tipo de visual, você precisa combinar dois ou mais tons da mesma cor, ou seja, as cores devem pertencer à mesma família dentro do círculo cromático. O resultado é o mesmo do look cromático.

3. Combinação de cores análogas
As cores análogas são as cores vizinhas dentro do círculo cromático. A combinação desses tons resulta em um visual alinhado e chic, garantindo ao mesmo tempo mais alegria e jovialidade para as pessoas.

4. Coordenação Tríade
Na coordenação tríade são escolhidas três cores muito próximas dentro do círculo cromático. O objetivo é compor um visual mais ousado e casual, perfeito para quem deseja passar uma imagem mais informal e criativa.

5. Cores complementares
Nas cores complementares há a perfeita combinação de cores que estão opostas dentro do círculo cromático e que tenham ou não o mesmo tom. Como são cores contrastantes, o resultado acaba sendo um visual totalmente moderno e casual.

Quais os pontos positivos de utilizar a análise de cores


  • Na análise de cores você escolhe tons que iluminam seu rosto, suavizam a textura da sua pele e valorizam seus traços;


  • Você descobre que é possível usar cores que estão fora da cartela no momento de fazer a maquiagem ou usar algum acessório;


  • A análise de cores permite salientar os pontos positivos do corpo e esconder as partes que a pessoa não gosta;


  • É possível criar uma ilusão de ótica como aumentar o busto ou alongar a silhueta;


  • Auxilia a disfarçar algumas imperfeições como olheiras, rugas e linhas de expressão;


  • É possível escolher as peças certas que devem combinar com o restante do seu guarda-roupa,


  • O método ajuda a identificar as melhores cores e tons para cada pessoa, mas é preciso ficar ciente de que não existe uma cor “certa” para cada indivíduo.


Na hora de comprar roupas femininas é importante entender como funciona a análise de cores para escolher o look certo para cada personalidade. Portanto, siga as dicas que compartilhamos e dê um show de estilo! 

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

Por que os labradores são tão queridos? Saiba mais sobre essa raça que conquistou nossos corações

Imagem divulgação

Para os amantes de cachorro, não existe a distinção entre uma raça e outra. Mas existem determinadas raças que amolecem o coração de qualquer um. O labrador é uma delas!

Esses cães tiveram origem no Canadá, na cidade de Terra Nova. Porém, na época o surgimento da raça, os impostos para a sua criação eram tão altos que ela acabou desaparecendo do país. É suposto que o nome venha da cidade chamada Labrador, também no Canadá. Mas, na verdade, a nomenclatura da raça vem do espanhol e significa caçador.

Mas, felizmente, um lorde inglês conhecido como Conde Malmsbury, importou diversos labradores para a Inglaterra. Isso aconteceu no começo do século  XIX e definiu toda a linhagem desde então.

Com o passar dos anos, eles foram se misturando com outras raças, porém suas características foram dominantes. Isso criou a raça que conhecemos hoje e também influenciou no comportamento e  personalidade do labrador.

O que saber sobre ter um labrador como companheiro


  • O labrador tem um instinto de caçador nato. Como eles eram usados até mesmo para auxiliar pescadores, eles desenvolveram uma certa destreza com a caça, tornando-os ótimos cães para policiais, por exemplo;

  • É uma raça com um faro além do comum. São capazes de farejar embaixo de escombros de uma tragédia;

  • São amantes de água. Sempre que avistarem uma brincadeira que envolva mangueira ou piscina,  entrarão no meio para brincar;

  • Labradores tem um temperamento ótimo. Conseguem ser sociáveis com outros tipos de cães sem serem violentos. E também é a melhor raça para se ter com uma criança em casa;

  • São perfeitos para auxiliar deficientes visuais, pois conseguem ser treinados com mais facilidade;

  • Ser treinado pode ajudar o Labrador a não ser tão espaçoso como é de seu instinto e também a ter a disciplina e não se tornar tão destruidor;

  • O labrador é a 9ª raça mais popular no Brasil;

  • É uma raça que precisa de exercício constante para não ter sobrepeso e afetar sua saúde;

  • Eles latem somente quando necessário, ou seja, para se comunicar. Quando um cão dessa raça latir, ele provavelmente encontrou algo ou sentiu algum perigo;

  • É uma raça que pode se tornar um pouco destruidora se deixado muito sozinho. Eles se entediam muito rápido e precisam gastar sua energia de alguma forma. Assim, seus móveis podem sofrer alguns danos nos primeiros meses,

  • Os preços para ter um amigo labrador variam entre R$400 e R$2.000. Isso devido a sua popularidade no país.

Características importantes dos labradores


O labrador pode ser encontrado nas cores preta, amarelo e chocolate. Dentro de cada uma delas, com exceção do preto, as tonalidades podem variar. O amarelo pode chegar até um alaranjado como uma raposa.

A expectativa de vida da raça é de 13 anos na idade humana, isso em condições saudáveis. 
Os labradores requerem alguns cuidados especiais com a saúde. Principalmente no quadril nos cotovelos e nos olhos. Mas nada fora do comum.

A mais comum nos joelhos e quadris é a displasia, doença que danifica a circulação nessas áreas. Porém se não cuidada pode deixar o labrador perto de uma artrite.

Cuidados na dieta do seu companheiro também são de extrema importância. Por ser uma raça que pode desenvolver sobrepeso com facilidade, além de exercícios diários é preciso ter uma alimentação equilibrada.

Pequenas rotinas de higiene como escovação do pelo, limpeza das orelhas e aparo das unhas evitam que seu cãozinho corra riscos de desenvolver algo.

E mesmo assim, o banho propriamente dito pode ser dado a cada dois meses. Isso se o seu amiguinho não encontrar uma forma de se sujar muito dentro desse intervalo. E ele provavelmente vai.

Apesar de requerer uma atenção diferenciada, os labradores irão retribuir essa atenção para os tutores. A personalidade do labrador é dócil e protetora, fazendo dele o companheiro perfeito para se ter por perto.  

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

22.1.19

Veja os melhores investimentos para iniciantes e comece o ano aplicando seu dinheiro


Independentemente do tamanho, todo mundo tem um objetivo; seja uma viagem, uma casa, ou mesmo um novo negócio, é preciso ter muita dedicação, trabalho e, claro, dinheiro. Mas não é fácil ganhar o primeiro milhão, não é? Então, como é possível estar próximo de realizar um sonho sem condições financeiras favoráveis?

Junto a isso, o salário também não colabora: com todos os gastos, entre despesas, alimentação e lazer, é muito difícil juntar uma quantia suficiente para concretizar as metas. Por isso, é necessária uma forma de multiplicar o patrimônio, e nada melhor do que o investimento.

Existem os mais variados sonhos, mas investir, por mais complexo que possa parecer, é o caminho mais assertivo para que eles se tornem realidade. No entanto, ainda gira em torno dele certo receio e até preconceito, por estar associado a estratégias complexas e prejuízo. Mas, muito pelo contrário, aplicações financeiras podem ser bastante seguras e trazer retornos consideráveis.

Para isso, o mais importante é estar sempre atento ao cenário político-econômico e estudar. Principalmente para investidores de primeira viagem, é bastante comum confundir-se com tantas siglas e regras, por esse motivo é essencial tentar compreender os pontos básicos do mercado financeiro e dar um passo de cada vez.

Então, não vale a pena mergulhar de cabeça no investimento em ações, por exemplo, por serem bastante voláteis e com grande risco de mercado — ou seja, risco de perder dinheiro na compra e venda de ativos —, o ideal a fazer é sempre buscar opções menos complexas, voltadas para investidores iniciantes. Com isso, fica mais fácil aliar bons retornos com segurança.


Quais são os melhores investimentos para iniciantes?


Dentre as opções disponíveis no mercado financeiro, existem algumas que foram pensadas especificamente para pequenos investidores ou mesmo para quem não possui muita experiência em aplicações. De maneira geral, os melhores investimentos são os de renda fixa, por serem calculados de forma mais fácil do que a renda variável.

Isso ocorre porque a renda fixa tem base em uma porcentagem prefixada (por exemplo, determinado título renderá 11% ao ano), ou está atrelado a um índice de referência (por exemplo, um título com rendimento de 110% do CDI). Na prática, faz com que seja possível ter noção parcial ou total da rentabilidade da aplicação no momento de adquiri-la.

Claro, entre os investidores menos experientes, podem ser encontrados perfis mais conservadores ou mais arrojados, isto é, que estão mais ou menos avessos a riscos. Por esse motivo, nem sempre a renda fixa é a aplicação mais indicada; ainda assim, é preciso sempre ponderar o nível de experiência e compreender que é possível escolher opções mais agressivas sem, necessariamente, optar pelas mais complexas.

Para os mais diferentes estilos de investimento, existem aquelas aplicações-chave que aliam segurança, rendimento e ainda trazem mais prática a quem ainda está só começando. Dentre elas, uma boa dica é escolher algumas opções, de diferentes origens, para diversificar os investimentos.


Fundos de investimentos

Talvez seja a alternativa mais versátil e, portanto, mais indicada para iniciantes, os fundos de investimentos são aplicações que nascem da união de diferentes investidores, cujos patrimônios são administrados por um gestor. Como resultado, além de se ter, na prática, uma quantidade maior de recurso financeiro — e mais oportunidades de investimento —, ainda é possível ter o respaldo de um especialista.

A versatilidade é uma característica intrínseca aos fundos, pois eles nada mais são do que aplicações que investem em outros ativos do mercado. Então, é possível encontrar fundos que investem em ações, em renda fixa, ou em multimercados; assim, são indicados para todas as estratégias e perfis.

Letras de Crédito - Imobiliário (LCI) e do Agronegócio (LCA)
Títulos públicos de renda fixa, as Letras de Crédito funcionam como um empréstimo a instituições financeiras, a fim de que elas arrecadem recursos para investir em setores específicos da economia (imobiliário e do agronegócio, como os nomes indicam). Em troca, ao fim desse prazo, a instituição retorna o valor acrescido de juros, o que caracteriza a rentabilidade do investimento.

As Letras de Crédito são um exemplo de títulos de renda fixa que estão atrelados a um índice, o CDI, fazendo com que possuam bons retornos, acima da inflação, aliado à segurança. Além disso, não incidem sobre elas o Imposto de Renda, comumente cobrado em outras aplicações.

Tesouro Direto
Uma das opções mais populares entre os brasileiros, o Tesouro Direto foi pensado para pequenos investidores. Com aplicação mínima de apenas R$30, já é possível adquirir um título do Tesouro Nacional. As vantagens só aumentam por se tratar de um dia investimentos mais seguros do país.

Isso ocorre porque ele está associado diretamente a uma entidade pública. Assim como as Letras de Crédito, o Tesouro funciona como um empréstimo, mas para o Governo; no vencimento da aplicação, é ele quem deverá reembolsar o valor investido mais os juros. Na prática, o risco de crédito (ou calote) é quase inexistente, pois é preciso que o país quebre para ele não cumprir com suas obrigações financeiras.

É possível notar que todas as aplicações comentadas são viáveis para iniciantes. Não possuem complexidade estratégica e são formas de se entender o funcionamento do mercado financeiro de maneira mais simples. Lembre-se de que o mais importante é começar a investir! Por isso, avalie as opções e monte a carteira ideal para realizar seus sonhos.

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

Saiba mais sobre alguns dos principais ramos da odontologia


Certamente você já ouviu sobre a importância de escovar os dentes todos os dias e visitar um dentista regularmente, não é mesmo? Além dos cuidados do dia a dia, a Odontologia proporciona diversos outros tratamentos e soluções para a saúde bucal.

Atualmente, os dentes estão se tornando verdadeiros protagonistas na estética de muitos brasileiros. Prova disso é que procedimentos como as lentes de contato dental, o clareamento e a bichectomia estão sendo cada vez mais procurados.

Mas será que você sabe, por exemplo, o que é ortodontia e periodontia? Essas são apenas algumas áreas do grande mundo da Odontologia, que compreende por exemplo, dentistas especializados na saúde de crianças, especialistas em Estética Orofacial ou cirurgiões bucomaxilofaciais responsáveis por intervenções complexas e detalhadas.

Por isso, separamos em itens os principais ramos da Odontologia e explicamos um pouco sobre cada um deles, lembrando de suas funções e dos principais tratamentos oferecidos por cada especialidade.

1. Clínica geral
O clínico geral é o responsável por oferecer cuidados mais generalistas. Ou seja, esse é o especialista que você deve consultar de 6 em 6 meses e que pode lhe direcionar para profissionais especializados em tratamentos específicos, quando necessário.

O que faz um clínico geral?
Esse é o dentista ideal para você visitar quando sentir qualquer incômodo ou dor de dente. O clínico é o responsável por procedimentos como o tratamento de cáries, a limpeza bucal, a aplicação de flúor, a restauração e a extração de dentes. 

Além disso, estão dentro das competências de um clínico a análise de radiografias, o cuidado da língua, das gengivas, lábios e bochechas. Ou seja, ele vai lhe ajudar a deixar sua cavidade bucal saudável e mantê-lo afastado de doenças.

2. Dentística estética
Essa área se popularizou nos últimos anos e está muito relacionada com a vaidade dos pacientes. Esse é o profissional que deve ser procurado para interessados em realizar procedimentos estéticos, capazes de aumentar a autoestima e até mesmo a qualidade de vida.

O que faz um dentista estético?
O especialista nessa área é um dos profissionais mais procurados da Odontologia na atualidade. Ele é capacitado para realizar procedimentos como o clareamento, a colocação de lentes de contato dental e restaurações.

A função desse especialista, além de proporcionar os melhores resultados, é indicar o tratamento odontológico adequado para cada paciente e também garantir que nenhuma técnica possa prejudicá-lo.

3. Ortodontia
O ortodontista é um velho conhecido de muitas pessoas. Esse é o profissional responsável por corrigir a posição dos dentes de um paciente e solucionar problemas com o crescimento e desenvolvimento de sua arcada dentária.

O que faz um ortodontista?
Nos pacientes que querem corrigir o posicionamento dos dentes, o ortodontista é o profissional que deve indicar e instalar o melhor tipo de aparelho dentário para cada caso.

Além disso, ele também deve realizar o acompanhamento dos resultados, trocar o aparelho fixo pelo móvel (ao final do tratamento) — quando necessário — e finalizar o tratamento retirando a peça e melhorando a qualidade de vida do paciente.

4. Odontopediatria
A Odontopediatria é a área responsável por realizar o acompanhamento da saúde bucal em bebês, crianças e adolescentes. Isso significa que o Odontopediatra é uma espécie de clínico geral para os pacientes mais jovens.

O que faz um Odontopediatra?
Além de lidar com problemas gerais acerca da saúde bucal de uma criança, o Odontopediatra também deve ensinar a ela (e aos seus responsáveis) como escovar os dentes, como mastigar da melhor forma e garantir que a fala do pequeno se desenvolva da melhor forma, além de ser responsável pelo diagnóstico precoce de um possível mau posicionamento dentário e dos maxilares. 

5. Periodontia
A Periodontia é o segmento da Odontologia responsável por cuidar do bem-estar da gengiva e também dos ossos responsáveis pela sustentação dos dentes. Essa área é a responsável por tratar problemas como a periodontite e a gengivite.

O que faz um periodontista?
O periodontista é o responsável por tratar, seja por meio de raspagens, cirurgias ou outros procedimentos, as condições citadas acima. 

Todas as áreas funcionam juntas e devem se equilibrar para que o paciente receba o melhor e mais vantajoso atendimento possível. Vale ressaltar também a importância de visitar profissionais capacitados e experientes que realmente possam atender às expectativas dos interessados.

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

Aprenda de Forma Fácil as Regras de Nomenclatura dos Sais

As matérias exatas sempre são uma grande preocupação na hora de prestar vestibular. Muitas pessoas procuram ajuda para entender um pouco mais sobre elas, sendo uma das alternativas o cursinho on-line. Mas se a sua dúvida for em química, sobre a nomenclatura dos sais, nós vamos ajudar você!

Os sais são compostos iônicos formados entre um íon positivo de uma base e um íon negativo de um ácido. Eles se formam quando o ácido e a base reagem e se neutralizam. Muitos sais são comumente encontrados e usados ​​em casa. Conheça as regras de nomenclatura dos sais!
Todos os sais são compostos iônicos, mas nem eles são sais. São considerados, apenas as composições que podem ser formadas a partir de uma reação de neutralização ácido-base.

Nomenclatura dos Sais (Compostos Iônicos)

Em resumo, os sais são compostos iônicos que, quando dissolvidos em água, se quebram completamente em íons.
Além disso, os sais são nomeados simplesmente dando os nomes dos íons positivos e negativos.
Então lembre-se que na fórmula de um sal (M a X b ):
        a fórmula (sem carga) do cátion é escrita primeiro
        a fórmula (sem carga) do ânion é escrita por último
A fórmula do sal (M a X b ) é composta de dois íons:
        cátions (M)
        ânions (X)
A fórmula do sal (M a X b ) nos diz o número de íons presentes:
        número de cátions (M) = a
        número de ânions (X) = b
Dessa forma, lembre-se também que:
        Se acaso houver apenas 1 cátion presente a fórmula seria MX b
        Se apenas 1 ânion estiver presente a fórmula seria M a X
        Se acaso houver apenas 1 cátion e 1 ânion presente a fórmula seria MX
        Se mais de um cátion  estiver presente na fórmula do sal, então a fórmula do cátion poliatômico é incluída entre parênteses (M): (M) (a) X b
        Se mais de um ânion poliatômico estiver presente na fórmula, então a fórmula do ânion poliatômico estará entre parênteses (X): M (a) (X) b
        Se a fórmula do sal é composta de mais de um cátion e mais de um ânion, então a fórmula seria (M) a (X) b
        Um sal não tem carga total, isto significa que a carga positiva total de todos os cátions presentes na fórmula do sal é exatamente balanceada pela carga negativa total devida a todos os ânions presentes na fórmula do sal.
Podemos usar essas informações na fórmula de um sal (M a X b ) para nos ajudar a nomear esse sal, conforme mostrado nas etapas abaixo:

Etapa 1: Quebre a fórmula do sal em duas partes:

cátion (primeira parte da fórmula)
anion (última parte da fórmula)

NaCl
Na | Cl
NH 4 F
NH 4 | F
MgCO 3
Mg | CO 3
Fe 2 (HPO 4 ) 3
Fe 2 | (HPO 4 ) 3

Etapa 2: Determine os íons

Determine os íons e suas cargas em cada metade. Certamente esta será a parte complicada na nomenclatura dos sais. Então aqui estão 7 regras úteis:


        Regra 1: Metais do Grupo 1 (Li - Fr) são todos 1+
        Regra 2: Metais do Grupo 2 (Be - Ra) são todos 2+
        Regra 3: Alumínio é 3+; O amônio é 1+
        Regra 4: Todos os outros metais requerem um numeral romano
        Regra 5: Grupo 7 de não-metais (F-I) são todos 1–
        Regra 6: Grupo 6 (O-Te) são geralmente 2–
        Regra 7: A carga geral deve ser 0
Por exemplo:
NaCl
Na | Cl
Na + | Cl -
NH 4 F
NH 4 | F
NH + | F -
MgCO 3
Mg | CO 3
Mg 2+ | CO 2–
Fe 2 (HPO 4 ) 3
Fe 2 | (HPO 4 ) 3
Fe 3+ | HPO 2–

Etapa 3: Nomeie os íons

Então nomeie esses íons:
NaCl
Na + | Cl -
cloreto de sódio
NH 4 F
NH + | F -
fluoreto de amônio
MgCO 3
Mg 2+ | CO 2–
carbonato de magnésio
Fe 2 (HPO 4 ) 3
Fe 3+ | HPO 2–
hidrogenofosfato de ferro (III)

Esses íons, a propósito, são chamados de espécies principais em solução para o sal. Descobrir as espécies principais em solução apenas dessa maneira chega a ser REALMENTE importante quando se estuda o equilíbrio.

Dicas para úteis para nomenclatura dos sais

Mais algumas dicas podem ser úteis:
  Primordialmente não há como memorizar nomes de elementos. Apenas faça.

  Surpreendentemente, a regra 7 é muito mais valiosa do que a maioria dos iniciantes percebe.

  A maioria dos cátions e ânions pode se combinar para formar compostos neutros (tipicamente sólidos sob condições normais) que são geralmente referidos como sais.

  A carga líquida de um composto iônico deve ser zero. Portanto, o número de cátions e ânions em um composto iônico deve ser balanceado para formar uma molécula eletricamente neutra.

 Se acaso um elemento metálico tiver cátions de cargas diferentes, o cátion utilizado deverá ser indicado pelo sufixo  ou por algarismos romanos entre parênteses após o seu nome por escrito
Em resumo, memorize os nomes e símbolos de elementos mais comuns, memorize as sete regras, tenha uma tabela periódica à mão, aprenda muitos nomes e fórmulas e pratique!


VOCÊ CONSEGUE!
Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

21.1.19

Pais se organizam para gastar menos com material escolar

Imagem Divulgação

Grupos de WhatsApp e feiras de troca ajudam mães, pais e responsáveis a economizar na compra do material escolar. Com itens cada vez mais caros, famílias recorrem a ajuda de outros pais para completar a lista.

A comerciante Kátia Rodrigues, 53 anos, criou quatro grupos no WhatsApp, dois para compra e venda de livros, um para uniformes escolares e um para compra de materiais de papelaria.

A poucos dias para o início das aulas, ela finaliza as compras: “Estou indo agora na papelaria, onde conseguimos desconto, e depois vou à casa de uma mãe, para buscar o uniforme que comprei”, disse.

Com três filhos, Guilherme, 22 anos, Giovanna, 15 anos e Felipe, 14 anos, Kátia faz um malabarismo anual para economizar no material escolar. Hoje Felipe já está na faculdade, mas as reuniões com outros pais começaram quando mais velho ainda estava na escola.

Além dos grupos no WhatsApp, ela já organizou duas feiras de troca em Brasília. “As pessoas levavam cangas e colocavam os materiais ali”.

Neste ano, ela reuniu um grupo de pais e conquistou para o coletivo um desconto de 6% em uma das papelarias da cidade. “Essa organização gera uma economia para os pais. Além disso, tem a questão do impacto ecológico. Os livros e as roupas são adequadamente reutilizados. Para o meio ambiente é ótimo”, afirmou.

Economia
A engenheira Nandeir Viana, 49 anos, também é uma das integrantes de grupos de trocas no WhatsApp. Este ano, ela arrecadou R$ 675 com livros usados pelas filhas em anos anteriores. Dinheiro que ajudou a pagar os quase R$ 5 mil que gastou com os livros didáticos das duas filhas, Aline, 11 anos, e Amanda, 14 anos, para este ano.

Nadeir conta que doou, vendeu e trocou livros em grupos e feiras. “Tem livro que comecei vendendo por R$ 60, depois passou para R$ 50. Agora já estou aceitando R$ 10. Vendi muito livro paradidático no troca-troca. O preço padrão nos grupos é de R$ 20, mas a gente faz descontos, vende três por R$ 50”, explicou.

“É interessante porque está todo mundo nessa situação. A gente vende barato para comprar barato na ideia de que a mercadoria se propague. Não faz sentido ficar com livro em casa quando ele já foi usado. Passa para outra pessoa”, afirmou.

Reajustes
De acordo com a Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (Abfiae), em geral, o material escolar está 8% mais caro que no ano passado. Esse aumento é puxado principalmente por artigos importados como mochilas e estojos, que estão, em média, 10% mais caros. Cadernos e outros produtos de papel, aumentaram entre 6% e 8%.

Segundo o presidente da Abfiae, Sidnei Bergamaschi, os aumentos se deram principalmente pela variação do dólar e pela alta no preço da matéria-prima do papel.

“Uma dica importante é estar atento à qualidade do material. Muitos produtos, muitas categorias possuem certificação obrigatória do Inmetro [Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia]. O material tem que durar todo o ano. No início do ano, um produto pode parecer mais caro que outro, mas vai durar o ano inteiro, sem precisar comprar um novo”, opinou.

Direito do Consumidor

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) preparou uma lista de dez dicas para economizar na volta às aulas.

Segundo o Idec, os responsáveis devem avaliar a lista de materiais escolares com cuidado. Muitos itens utilizados em anos anteriores, como estojo, régua, tesoura, mochila, podem ser reaproveitados. Além disso, por lei, as escolas não podem solicitar produtos de uso coletivo, como os de higiene, limpeza, copos e talheres descartáveis, grandes quantidades de papel, grampos, pastas classificadoras, entre outros exemplos.

“O custo de material de uso coletivo deve ser considerado no cálculo do valor das anuidades escolares e não pode ser repassado aos alunos nas listas de materiais, porque já compõe o preço da mensalidade”, diz o Idec.  

O Idec recomenda também fazer pesquisa de preços em pelo menos três locais e evitar personagens infantis, pois esses itens são mais caros e, além disso, podem distrair a atenção da criança na aula.

Na hora de pagar, é importante exigir a nota fiscal com discriminação do produto adquirido: sua marca e preço individual e total. O preço praticado no cartão de crédito deve ser igual ao cobrado à vista.  

Edição: Kleber Sampaio fonte Agência Brasil

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

A China planeja construir uma casa na Lua utilizando uma impressora 3D

Imagem ilustração e divulgação

A China planeja construir uma casa na Lua utilizando uma impressora 3D

O anúncio foi feito durante entrevista coletiva.

Os porta-vozes da agência espacial chinesa também disseram que o país pretende lançar missão a Marte em 2020.

A Administração Nacional do Espaço da China (CNSA, na sigla em inglês) que, recentemente, pousou uma sonda no lado oculto da Lua, divulgou quais serão os próximos desafios para os astrônomos e engenheiros do país.



Primeiro eles querem usar a tecnologia de impressão 3D para construir uma base no nosso satélite natural.

“China, Estados Unidos, Rússia e Europa estão discutindo se construirão uma base de pesquisa ou uma estação de pesquisa na Lua”, disse Wu Yanhua, vice-diretor da CNSA.

Segundo ele, investigações para avaliar a viabilidade de instalações lunares construídas a partir de impressoras 3D já estão em andamento.

Enquanto os planos de estabelecer uma base lunar não saem do papel, outras missões estão sendo planejadas. Até o fim de 2019, a agência deve lançar a sonda Chang’e-5, para coletar amostras da superfície da Lua.

Depois, será a vez da Chang’e-6 explorar o Pólo Sul do satélite natural. Por fim, a Chang’e-7 estudará a superfície e a composição do solo e a Chang’e-8 focará em uma análise técnica de superfície.

De acordo com o porta-voz, a China ainda está decidindo se enviará astronautas à Lua nos próximos anos.

Os anúncios feitos por Wu Yanhua também incluem outros projetos ambiciosos.

A primeira missão chinesa a Marte deve acontecer até 2020 e a estação internacional do país, chamada Tiangong (Palácio Celeste, em tradução livre), deve começar a operar em 2022.

Com informações da Revista Galileu

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!