SHD: SEJA HOJE DIFERENTE - Coaching Pessoal, Inteligência Emocional, Crescimento Pessoal, Família, Espiritualidade, Ufologia, Mistério, Nostalgia, Como fazer, O que é, Para que Serve, Desenhos para colorir, Curta-Metragem, Curiosidades, Orações, Pets, Saúde e Bem-Estar, Televisão, Séries, Desenhos, Música, Livros e muito mais.

24.4.19

O Dia do Trabalho ou Dia do Trabalhador


O Dia do Trabalho ou Dia do Trabalhador é uma destas datas, sendo comemorado no dia 1º de maio, no Brasil e em vários outros países ao redor do mundo.

A data comemorativa é um feriado usado para celebrar as conquistas dos trabalhadores ao longo da história, e é um dia muito importante para se refletir sobre a luta das classes trabalhadoras por melhores condições de trabalho e de vida, em cada uma de todas as profissões existentes, buscando melhorias em cada uma delas, todas muito importantes para as nossas vidas e para o bom funcionamento da comunidade em geral.

Como e por que surgiu a data?
A história do Dia do Trabalho tem início no ano de 1886, na cidade de Chicago, nos Estados Unidos. No dia 1º de maio desse ano, milhares de trabalhadores foram às ruas protestar contra as más condições de trabalho, como a enorme carga horária (13 horas ao dia) que tinham que cumprir. Entre as reivindicações, os trabalhadores pediam a redução dessa jornada de trabalho. Nesse mesmo dia, ocorreu uma enorme greve geral dos trabalhadores em todos os Estados Unidos.

Dois dias após essa greve geral, houve um conflito entre policiais e trabalhadores, com a morte de alguns manifestantes e tantos outros feridos.

Os protestos realizados pelos trabalhadores no dia 4 de maio de 1886 ficaram conhecidos como a Revolta de Haymarket.

Para homenagear aqueles que morreram nos conflitos, a central sindical chamada “Segunda Internacional Socialista”, ocorrida em Paris em 20 de junho de 1889, criou o Dia Mundial do Trabalho, que seria comemorado no dia 1º de maio de cada ano.

Em 23 de abril de 1919, o governo francês oficializou a carga horária de 8 horas diárias e proclamou o dia 1º de maio como feriado nacional.

No Brasil, a data tornou-se oficial a partir de setembro de 1925, quando o então presidente Artur Bernardes criou um decreto específico para o dia.

Outras importantes realizações
O 1º de maio também passou a ser o dia em que são anunciadas medidas relacionadas ao trabalho e ao trabalhador.

Confira outras importantes realizações que foram feitas em 1º de maio:

– 1º de maio de 1940: Nesta data, o então presidente Getúlio Vargas estabeleceu o salário mínimo, que deveria fornecer as necessidades básicas de uma família, como moradia, alimentação, saúde, vestuário, educação e lazer;

– 1º de maio de 1941: A Justiça do Trabalho foi criada nessa data, com o objetivo de resolver questões judiciais relacionadas ao trabalho e aos direitos dos trabalhadores.

Fonte: Estudo Kids

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

23.4.19

LGPD: Como funciona a lei de proteção de dados brasileira


Entenda o que é essa lei tão comentada e como ela pode lhe beneficiar

O dia 14 de agosto de 2018 foi um grande marco para o Brasil no que tange à proteção de dados, já que foi sancionada a LGPD, lei que visa proteger os dados de usuários e fazer com que eles tenham controle sobre o que é compartilhado.

O assunto vem sendo muito comentado na mídia, já que corresponde a uma nova era que o mundo vive, mas você sabe exatamente como ela funciona e em que influencia na sua vida?

Caso não saiba a resposta para tais perguntas, chegou a hora de descobrir, e mesmo que conheça o assunto, é importante reforçá-lo. Assim, além de eliminar suas dúvidas, você saberá como essa nova lei pode lhe ajudar.

O que é a LGPD?

Oficialmente chamada de Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais e abreviada como LGPDP ou apenas LGPD, é a lei que aborda o tratamento de dados pessoais na internet e também fora dela.

Antes de sua sanção, era complicado tratar legalmente alguma questão que envolvesse a coleta de dados e seu uso, já que não havia uma lei que abordasse o assunto da maneira que ele merece, embora esta já estivesse em discussão há 8 anos.

Em 2010, o Ministério da Justiça passou a considerar o assunto e lançou o esboço de um projeto de lei. Então, em 2013, devido ao caso dos dados de espionagem trazidos à tona por Edward Snowden, foi aprovado o Marco Civil da Internet, lei responsável pela regulação do uso da internet no país.

Entre outros casos de vazamento de dados, em 2018 veio outra grande polêmica, do Facebook com a empresa de marketing político Cambridge Analyitica, que pode ter coletado, sem a devida autorização, dados de até 87 milhões de usuários da rede social para o oferecimento de propagandas durante a campanha presidencial dos Estados Unidos.

Esse último escândalo chamou a atenção de todo o mundo para a importância da proteção dos dados, e o Brasil ainda não tinha uma lei completa para o assunto. Então, os processos para sua sanção foram retomados em caráter de urgência, o que foi concluído em 14 de agosto de 2018, resultando na Lei nº 13.709/2018.

Quais são os princípios da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais?

Regular o tratamento de dados pessoais, tanto em meios digitais quanto fora deles, por pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, o que compreende desde companhias particulares até órgãos governamentais.

A partir do momento que a lei estiver em vigor, ela terá como fundamento proteger a liberdade e privacidade de todos os usuários e permitir que sua personalidade se desenvolva de maneira natural.

Em outras palavras, ela fará com que os usuários tenham mais controle sobre seus dados e precisem autorizar expressamente sua coleta. As empresas ou órgãos que infringirem este direito estarão sujeitas a advertências ou multas que podem chegar a até 2% de seu faturamento, valor limitado a R$ 50 milhões.

Todas as empresas estão sujeitas a passar por tais penalidades, a menos em casos excepcionais, como a coleta de dados pessoais para fins jornalísticos, acadêmicos e artísticos, assim como aqueles relacionados à defesa nacional, segurança pública, políticas governamentais e proteção da vida, situações que devem ser tratadas de acordo com as devidas legislações.

Assim que a LGPDP foi sancionada, ela entraria em vigor depois de 18 meses da publicação, mas modificações constantes no Artigo 65, editado pela MP nº 869, fizeram com que algumas partes da lei passassem a valer no dia 28 de dezembro de 2018, enquanto que a lei vigorará por completo em agosto de 2020.

O que são dados pessoais?

Também conhecidos como dados sensíveis, são todos aqueles que servem para a identificação de cada pessoa, como nome, sobrenome, RG, CPF e CNH, além de sexualidade, raça, religião, condições de saúde e preferências políticas, entre outros.

Esses são dados que costumam ser coletados por empresas dos mais variados portes e segmentos, já que as ajuda a ter uma melhor segmentação do seu público e, assim, saber como devem proceder para que as iniciativas de marketing tenham um melhor retorno, entre várias outras aplicações.

Eles não poderão ser coletados sem a devida autorização nem no mundo virtual (sites, aplicativos, redes sociais, apps de mensagens) e nem fisicamente (por empresas, associações e entidades ou mesmo por pessoas físicas) sem os devidos esclarecimentos e a autorização dos usuários.

Qual será a mudança para as empresas e pessoas interessadas em coletar dados?

Que isso deverá ser comunicado e expressamente autorizado pelos usuários, que assim terão consentimento de que seus dados podem estar sendo coletados, saberão quais são eles e qual é a finalidade, para que nada ocorra de maneira escondida ou duvidosa.

Outro ponto importante é que o método de tratamento de dados também terá que ser explicado, assim como o tempo em que eles ficarão armazenados e com quem serão compartilhados.

O maior controle para o usuário vem da expressa autorização que lhe será solicitada, o que nos sites deve ocorrer através de botões que informam o consentimento ou a restrição à coleta. Caso o usuário não queira compartilhar seus dados, ele terá total direito de proceder desta forma.

Cada pessoa ou empresa que não agir assim estará sujeita a receber advertências e multas pesadas, de acordo com o que está disposto na lei. A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), vinculada ao Ministério da Justiça, será responsável pela fiscalização.

O intuito é de que essa lei traga o controle que os usuários merecem a respeito de seus dados, os quais poderiam estar sendo coletados mesmo sem sua autorização expressa e utilizados para diversos fins até então.

A entrada em vigor da lei em seu inteiro teor ocorrerá em agosto de 2020 justamente para que as empresas (e pessoas) tenham tempo hábil para saber como deverão se portar e, assim, ajustar seus processos de acordo com o que for necessário.

Hoje em dia, sabe-se que os dados possuem muito valor, e uma das provas foi o escândalo da Cambridge Analytica com o Facebook, o que pode ter interferido na maneira com a qual a publicidade foi divulgada com o período eleitoral e, por consequência, em seu resultado.

Como tudo o que é novidade, a LGPDP pode ainda não ser totalmente compreendida pelos usuários e empresas, assim como acontece com a internet das coisas, já aconteceu com a consultoria em telecom e ainda deve se suceder com outros assuntos. Porém, o fato é que ter uma regulamentação para os dados é benéfico e justo para todas as partes envolvidas.

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

22.4.19

Foi Preso pelo FBI acusado de barrar imigrantes na fronteira dos EUA com México

Imagem divulgação

O FBI, a polícia federal americana, anunciou neste sábado a prisão de um homem acusado de barrar imigrantes na fronteira dos EUA com México. Identificado como Larry Hopkins, de 69 anos, ele integraria um grupo armado que tem perseguido pessoas que cruzam divisa ilegalmente no Novo México.  

Também conhecido como Johnny Horton, Hopkins foi preso em Sunland Park, Novo México , após denúncia de que estava em posse de armas e munição ilegais. Ele se apresentou aos agentes como comandante dos Patriotas Constitucionais Unidos (UCP, na sigla em inglês), grupo voluntário paramilitar que atua na região desde fevereiro. 

O UCP tem publicado vídeos na internet nos quais seus integrantes aparecem detendo imigrantes, na maioria família centro-americanas com crianças procurando asilo nos EUA , até a chegada da polícia de fronteira americana.

O grupo tem sido alvo de reclamações da União Americana para as Liberdades Civis, organização de defesa dos direitos humanos, e atraiu a atenção da mídia depois de exibir vídeo no último dia 16 de abril em que cerca de 300 imigrantes se rendem à UCP em seu acampamento na região da fronteira com o México.

A governadora do Novo México, Michelle Lujan Grisham, disse na sexta-feira que os cidadãos não têm autoridade para deter ou prender ninguém e que a polícia e autoridades judiciárias esdtão investigando as atividades da UCP.

Procurador-geral do Novo México, Hector Balderas descreve Hopkins como “um contraventor perigoso que não deveria ficar carregando armas por perto de crianças e famílias”.
"A prisão de hoje (sábado) pelo FBI indica claramente que a aplicação da lei deve ficar nas mãos de oficiais policiais treinados, e não vigilantes armados", acrescenta.

Natural de Flora Vista, Novo México , Hopkins deverá ser apresentado em audiência no tribunal do distrito de Las Cruces, no mesmo estado, na manhã desta segunda no horário local, informou o FBI.

Fonte: Último Segundo IG
Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

Saiba como usar vestidos no inverno


Você está em busca de modelos de vestido para a próxima estação, mas ainda está em dúvida sobre o tipo de peça na qual deve investir? Fique tranquila! Neste artigo, falaremos um pouco mais sobre as opções inteligentes de vestidos para o inverno. Tudo para que você fique estilosa, mas bem aquecida. Confira!

Possibilidades de looks para o inverno
Abaixo, fizemos uma lista de possíveis combinações para a época mais fria do ano.

Vestido com sobretudo (aberto ou fechado), com sapatos fechados e meia calça à escolha

O trench coat é peça fundamental de qualquer armário. A depender do tecido escolhido, pode criar um visual sensual e elegante, digno de reuniões importantes, mas que também pode ser usado em outros eventos.

A maior dica aqui é: faça um balanço entre o vestido e o sobretudo. Se a peça interior é mais decotada, opte por um sobretudo neutro, que dê ênfase ao colo. 

Se o vestido é mais modesto, você pode dar mais destaque ao casaco, que se torna a parte mais importante da produção.

Em qualquer situação, uma coisa é certa: invista em acessórios em vinil ou couro fake, porque são a cara do inverno, e dão um ar mais moderno ao resto do look.

Vestidos curtos, de mangas longas, com botas de cano curto e meia calça escura (ou da cor da sua pele)
Para os dias mais amenos do inverno, vale apostar em vestidos curtos, de materiais mais quentinhos. A lã é uma boa pedida, assim como a malha (desde que seja um pouco mais grossa).

Para não errar, vale levar um cardigan para os eventos noturnos. Caso o tempo esteja instável, é uma boa hora para colocar o trench coat no braço!

Visual rocker com xadrez e couro fake
Para programas mais descolados, festas não tão formais e passeios em locais fechados, eis uma excelente possibilidade.

O vestido xadrez é, ao mesmo tempo, moderno e sem erros. Para quem não tem um vestido, vale ousar com uma camisa extra larga, que pode funcionar bem como vestido. Se ficar curta demais, um shortinho preto por baixo resolve o problema!

No topo, casaco de couro fake rocker, com aplicação de tachinhas (caso seja do seu gosto, claro) ou patches. Se estiver especialmente frio, você pode complementar o look com cachecol preto e brincos charmosos, mas não tão grandes.

Nos pés, fica a seu critério: você pode utilizar um scarpin preto, por exemplo. Se desejar algo mais confortável, pode investir em um coturno bonito, com aplicações de vinil. Para as mais fashionistas, aposte na bota over the knee!

Vestido curto, de manga longa, com meia calça transparente e botas altas
Combinação para as mulheres que gostam da ideia de acrescentar mais personalidade às produções.

Neste tipo de visual, vale apostar tanto em botas de cano alto quanto em botas over the knee - ou seja, botas que alcançam as coxas. Este tipo de calçado, aliás, tem estado em alta já há bastante tempo. Tudo indica que seguirá a ser tendência neste e nos próximos invernos.

Sobreposições fazem sentido!
Tem um vestido mais larguinho que você ama, mas que não funciona para os dias mais frios? Turbine-o com uma peça de manga comprida - por baixo, claro.

A sobreposição é uma tendência que tem sido muito utilizada. Assim sendo, não tenha medo de fazer testes: utilize meias até o joelho sobre a meia-calça, coloque um sobretudo por cima de outra sobreposição... A sua imaginação é que escolhe.

Vestido plissado 
Vai para algum lugar mais refinado? Quer sair para comer e escolheu um restaurante mais caprichado?

Vá de plissado! Este tipo de efeito é conhecido por seu romantismo, mas também por sua classe e elegância. Para ficar aquecida, escolha modelos de tecidos mais grossos.

Vestido preto, de malha, bem básico, com quase tudo o que você quiser
Não poderia faltar na nossa lista o item preferido de quem gosta de moda, não é verdade?

O vestido preto é universal. Se você quiser ir para um lugar mais chique, pode apostar em meia preta, sapatos de salto alto e um belo casaco ou estola de pele falsa. Brincos grandes e maquiagem pesada funcionam se você for para uma festa ou evento noturno.

Se você quer ir ao shopping, o vestido preto vai bem com bota de cano curto ou até mesmo tênis. Tudo depende do seu estilo pessoal (e do quanto você gosta de quebrar regras, claro).

No mais, uma coisa é certa: com um pouco de criatividade e alguns acessórios diferentes, é possível criar dezenas de looks diferentes.

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

21.4.19

Educação financeira: por que é preciso ensinar as crianças a cuidar do dinheiro?

Imagem Divulgação

A educação financeira é um dos pontos primordiais para se conquistar a independência. Falar sobre dinheiro, estudar sobre economia — principalmente doméstica — e entender como o planejamento financeiro pode ser usado a seu favor são passos importantes na vida de qualquer um.

No entanto, quando se tem uma família, dinheiro pode ser um assunto ainda mais delicado;pois é preciso ponderar as necessidades, desejos e objetivos de todos antes de qualquer tomada de decisão, para acertar onde e como usar o orçamento da melhor forma.

Mas o que já pode ser mais difícil entre um casal, é ainda mais confuso com crianças. Dependendo da idade, elas ainda não tem nenhuma base de conhecimento financeiro e, por isso, algumas coisas são mais complexas de serem justificadas.

Ainda assim, mesmo mais novas, é muito válido ensinar, aos poucos, os principais conceitos sobre finanças para trazer uma nova perspectiva aos pequenos sobre gastos, necessidades e objetivos de vida — atuais e futuros.

A importância da educação financeira para crianças
É bastante perceptível que as crianças estão cada vez mais atentas a tudo: elas podem acompanhar mais facilmente tecnologias e outras diversas mudanças culturais e comportamentais, por estarem expostas a elas desde o nascimento.

Assim, é natural que tenham vontades, queiram algo ou desejem consumir determinado produto ou serviço, isso porque todas essas novidades estão ao alcance delas, em propagandas, conversas corriqueiras ou por meio de amigos na escola, por exemplo.

Desse modo, é papel dos pais incentivarem os filhos não a negar o consumo, mas a discernirem o que podem ou não fazer a partir da noção do valor que o dinheiro tem e da premissa de que ele não é infinito.

Com isso, é possível que a criança aprenda melhor a lidar com gastos e dívidas mais próxima da vida real. Lembre-se de que não é necessário compartilhar esse assunto com o mesmo grau de profundidade e complexidade com que ele é enfrentado na vida adulta.

Para essa idade, basta que eles saibam de onde o dinheiro vem e onde ele é gasto normalmente na família. Uma boa dica é levar os filhos às compras do supermercado e mostrar quais produtos são essenciais e o que é supérfluo.

A partir daí, os pequenos criam a ideia de responsabilidade financeira em casa, ou seja, eles reconhecem o esforço que é feito para que determinadas coisas cheguem em casa — como água, luz, alimentos, entre outros — e quais são os benefícios de priorizar alguns gastos.

Qual é a melhor forma de ensinar as crianças sobre educação financeira?
Como todo ensinamento para crianças, a melhor forma de fazer com que elas entendem é fazendo com que se divirtam com isso. Por isso, as brincadeiras e o aprendizado lúdico são os melhores caminhos!

No entanto, logo de início, é importante salientar que é fundamental ter tempo, dedicação e, claro, paciência. A educação financeira, no geral, é um tema que assusta adultos, é preciso então trabalhar dobrado para que as crianças não associem as finanças a algo maçante e complicado.

O uso da mesada é uma das técnicas mais eficientes de controle do dinheiro para os filhos. Com ela, as crianças adquirem a consciência do gasto e sentem os impactos no próprio bolso; como resultado, desde pequenas, elas podem priorizar seus objetivos, como economizar para comprar um brinquedo.

Outro método assertivo é o incentivo a poupança e outros investimentos inteligentes. Claro, a noção de mercado financeiro, por ser um assunto mais complexo, deve ser passada conforme crescem, mas o objetivo central desse estímulo é que a criança aprenda a importância da economia.

Aqui, vale o famoso cofrinho e até uma conta poupança num banco: o necessário é que eles compreendam todos os conceitos básicos relacionados a finanças. Por fim, e talvez o mais impactante, é que os filhos tenham um exemplo a ser seguido dentro de casa. Na prática, quando os pais poupam, as crianças fazem o mesmo.

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

Colorir Páscoa


Lindos desenhos tema Páscoa para imprimir e pintar confira
Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

Domingo é dia de desenhos para imprimir e pintar aqui no SHD: Seja Hoje Diferente.

E neste domingo especial de Páscoa escolhemos estes lindos desenhos para vocês!


Confira!






Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!
#sejahojediferente

Domingo de Páscoa: A Páscoa do Senhor


A Igreja Católica Apostólica Romana celebra todos os anos a Grandiosa Festa da Páscoa, que é considerada a mais importante de todas as Festas em seu calendário litúrgico. Temos na Igreja dois ciclos litúrgicos que nos orientam na caminhada de fé. Os ciclos são os do Natal e Páscoa. Este é celebrado durante os Tempos Litúrgicos da Quaresma e da Páscoa, Aquele primeiro, por sua vez, tem início no período do tempo do Advento e  percorre também o Tempo do Natal. Estamos vivendo neste momento, o Ciclo Pascal, que celebra de modo particular, o itinerário da vida de Jesus nos aspectos de sua Paixão, Morte (quaresma) e Ressurreição (Páscoa). Pela Ressurreição, a Igreja celebra com muito júbilo a Vitória de Jesus Cristo sobre o pecado, que se fez presente em seu corpo, por meio da simbologia da pesada cruz no caminho do calvário, onde Ele, pela condenação e maldade dos algozes, experimentou a sua Paixão e Morte.

A Páscoa traz para nós uma grande oportunidade de vivermos a nossa história no linear dos passos de Jesus. Quando passamos pela experiência dos exercícios quaresmais, assumimos em nossas vidas, o compromisso da mudança e da conversão para alcançarmos a festa pascal com o coração mais abrandado. Agora é tempo de luz e não de trevas. 

O nome Páscoa quer dizer passagem e vem do hebraico (pessach). Para o povo hebreu, páscoa significava o fim da Escravidão e o início da Libertação, marcada pela travessia do Mar Vermelho, que se abrira dando passagem para povo de Deus que estava sob a orientação de Moisés caminhando pelo deserto a fora, em busca da chamada Terra Prometida. De igual modo para nós, a páscoa é sempre sinal de passagem de uma vida antiga ou velha, mergulhada na experiência das trevas que nos levam ao pecado, para uma realidade nova e restaurada, que nos convida a viver à luz do Cristo que ressuscitou e está no meio de nós.

A páscoa foi celebrada na noite do Sábado Santo, na celebração da Vigília Pascal, expressão maior desta solenidade. A festa da Páscoa não é celebrada em apenas um dia, ela é duradoura em nossas vidas. Nos Atos litúrgicos da Igreja, a páscoa possui um tempo próprio de celebração chamado Tempo Pascal. Por tempo Pascal no sentido estrito, entende-se o que vai da quinta-feira santa, início do Tríduo Pascal, até no domingo de Pentecostes, festa do Espírito Santo. Na celebração da Vigília Pascal abençoa-se o Fogo Novo e se acende o Círio, que permanecerá aceso durante todo este tempo em nossas igrejas, como expressão maior da Luz de Cristo, que ilumina as nossas vidas.

Portanto, celebrar a Páscoa de Jesus Cristo, é proclamar a Boa Nova da Salvação. O sepulcro está vazio, Ele não está lá, Ressuscitou. Abramos o coração para que nele Jesus possa entrar e fazer a sua morada em nossas vidas, nos levando sempre a observância e a prática de suas palavras e ações.

Páscoa (do hebraico Pessach) significa passagem. É uma grande festa cristã para nós, é a maior e a mais importante festa. Reunimo-nos como povo de Deus para celebrarmos a Ressurreição de Jesus Cristo, Sua vitória sobre a morte e Sua passagem transformadora em nossa vida.

O Tempo Pascal compreende cinquenta dias a partir do domingo da Ressurreição até o domingo de Pentecostes, vividos e celebrados com grande júbilo, como se fosse um só e único dia festivo, como um grande domingo. A Páscoa é o centro do Ano Litúrgico e de toda a vida da Igreja. Celebrá-la é celebrar a obra da redenção humana e da glorificação de Deus que Cristo realizou quando, morrendo, destruiu a morte; e ressuscitando, renovou a nossa vida.

Foi com a intenção de celebrar a Páscoa de Cristo que, desde os primórdios do Cristianismo, os cristãos foram organizando esta bela festa. Mas a partir de muitas propagandas midiáticas e de muitos outros costumes da nossa sociedade, vemos, sem dúvidas, que essa bela intenção foi se perdendo. Para muitos a Páscoa virou sinônimo de um “feriadão” ao lado de muitos outros feriadões, com o único objetivo de quebrar a monotonia da vida; com intenções e modos que não expressam os reais valores e sentidos da grande festa que é a Páscoa.

Em muitas casas, a Páscoa é vivida de forma paganizada e estragada pelas bebidas e orgias desse mundo, sem um mínimo de senso religioso ou moral; ou como um mero folclore, um mero tempo para viajar, comer chocolates e descansar de suas fadigas. Assim, um tempo que nasceu para construir laços familiares e renovar a nossa sociedade com valores perenes, acaba não atingindo o seu objetivo.

As confraternizações, os alimentos específicos e muitos outros costumes são importantes e nos ajudam a celebrar a Páscoa, mas não podem nos desviar do seu principal e essencial sentido. Hoje, temos uma geração que não entende nada do verdadeiro sentido da Páscoa, mas devemos celebrá-la bem – nós que não nos fechamos às suas origens e sabemos que ela é mais do que um “feriadão”; é uma “grande semana” na qual vivenciamos os mistérios da vida de Cristo e os mistérios da nossa própria vida.

Todos nós cristãos devemos, hoje, nos comprometer em nos mantermos fiéis às nossas origens e celebrarmos o sentido original, belo e profundo da nossa maravilhosa festa, que é a celebração da Ressurreição do Senhor. Que nossas boas obras e nossas vozes, em cada canto das nossas cidades, possam levar a alegria do Ressuscitado; sobretudo aos pobres, doentes, distanciados e a todas as pessoas, pois são amadas pelo Pai.

Irradiemos ao nosso redor a esperança e a certeza da presença de Cristo Ressuscitado. Que se encha nosso olhar de luz, como os das mulheres que viram o sepulcro vazio e o Filho de Deus ressuscitado (Mt 28). Que possamos também nós, numa só fé, exclamar como elas “o Senhor Ressuscitou, aleluia”.

Fonte: Catequisar & Formação Canção Nova
Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

20.4.19

Saiba quais são as refeições ideais para o seu pássaro

Imagem divulgação

Os pássaros, apesar de não serem domésticos, têm sido cada vez mais incorporados ao ambiente domiciliar. É muito frequente vermos passarinhos sendo criados em casas, apartamentos e nos famosos viveiros. 

O que era mais comum no interior do Brasil, tem se tornado cada vez mais popular também nas grandes capitais.

Carinhosos, divertidos e espertos, os pássaros ocupam menos espaço que os cachorros, por exemplo, e são boas opções para quem tem um perímetro mais reduzido mas mesmo assim não quer abrir mão de ter um animal de estimação.

Como todo bichinho, as aves requerem atenção. E cuidar de pássaros nem sempre é fácil. Um dos cuidados mais importantes é quanto à alimentação. Muita gente acha que o pássaro pode comer só semente ou só vegetais, mas não é bem assim.  

Nós levantamos algumas dicas para você não errar na hora de alimentar o seu pássaro.

Problemas na dieta
Antigamente, era muito comum os criadores só darem sementes, alguns vegetais e frutas para as aves. Não é de todo errado já que são estes os alimentos que as aves, geralmente, encontram na natureza. 

Há, no entanto, dois problemas neste tipo de dieta. Um dos mais graves é a falta de variedade que pode gerar algumas deficiências nutricionais. 

O outro é o excesso de alguns alimentos, como, por exemplo, as sementes. Pássaros gostam muito desse tipo de comida. As sementes são muito saborosas para eles. Só que, além de serem bastante calóricas, têm um baixo valor nutricional.

Restringir a alimentação a este tipo de semente, portanto, pode ser problemático já que os pássaros ficam em gaiolas e não podem voar livremente, ou seja, não conseguem queimar as calorias e podem acabar desenvolvendo obesidade. 

Equilíbrio nutricional
A grande dica é propiciar o equilíbrio nutricional, ou seja, variar a alimentação, com os mais diversos tipos de alimento. É muito importante também estar atento às quantidades, para que não haja excesso nem falta de nenhum nutriente.

O que dar
A alimentação que deve ser oferecida para os pássaros pode variar bastante, pois cada espécie tem necessidades nutricionais específicas. Há pássaros que têm maior restrição nutricional e comem preferencialmente vegetais, como é o caso, por exemplo, dos papagaios. 

Por isso, é altamente recomendado sempre consultar um médico veterinário ou um criador especialista para definir a dieta. Porém, uma orientação geral é aliar alimentos naturais a rações.

Ração 
O mercado apresenta uma grande diversidade de rações destinadas aos pássaros. A vantagem é que foram pensadas para atender às necessidades específicas de cada pássaro.  

Ou seja, os donos dos pássaros podem dispensar, inclusive, a suplementação nutricional, já que todos os nutrientes necessários estão presentes nas rações. 

Tipos
Cada espécie precisa mais de um tipo de nutriente. A ração para os canários, por exemplo, tem grandes concentrações de vitamina do complexo B. Os sabiás, em contrapartida, precisam mais de proteínas. Não é o mesmo caso das calopsitas e periquitos, que precisam de uma grande ingestão de iodo, para que a  papada não cresça tanto. 

A indústria já tem desenvolvido inclusive rações vegetarianas para as aves. Algumas delas vêm com alguns pedaços de fruta junto aos outros nutrientes processados.

Como escolher
A escolha da ração vai variar de acordo com a espécie do seu pássaro. Para escolher a ração mais adequada, converse com um médico veterinário ou um criador da espécie. Eles vão indicar qual o melhor tipo e a quantidade mais adequada por dia. 

Sementes
Como dissemos, as rações são projetadas para suprirem todas as necessidades nutricionais dos bichos. Mesmo assim, não é necessário dispensar totalmente as  sementes. 

Inclusive, as aves gostam de brincar com elas. Os pássaros costumam se divertir ao tentar abrir as sementes, então, além de diversificar a alimentação, elas ajudam a entreter os bichos.

Cada espécie gosta mais de um tipo de semente. Os papagaios, por exemplo, preferem as sementes de girassol e abóbora, além de grão de bico, amendoim e castanha do pará. Já as calopsitas gostam de painço, alpiste, arroz com casca e aveia, por exemplo. 

Frutas e verduras
Frutas e verduras também fazem parte de uma dieta equilibrada. Mas um cuidado especial e necessário é quanto à higienização. Procure sempre lavá-los para evitar os riscos de contaminação alimentar. Há muitos vermes nas cascas das frutas, por exemplo, e é preciso estar atento a isso. 

Mamão, maçã, laranja e banana são algumas das frutas mais comuns para dar às aves. Repolho, alface e folhas em geral também são ótimas escolhas.

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

Sábado Santo ou Sábado de aleluia


NO SÁBADO SANTO honra-se a sepultura de Jesus Cristo e sua descida à mansão dos mortos; depois do sinal do Glória, começa-se a honrar sua gloriosa Ressurreição.

A noite do Sábado Santo, denominada também Vigília Pascal, é especialíssima e solene. A Vigília Pascal era antigamente celebrada à meia-noite, depois mudada, infelizmente, por questões práticas(?). Ela não pode, entretanto,  começar antes do início da noite, e deve terminar antes da aurora do domingo. – É considerada "a mãe de todas as santas vigílias", pois nesta a Igreja mantém-se de vigia à espera da Ressurreição do Senhor, a consumação de toda a nossa fé, e celebra-a com os Sacramentos da Iniciação cristã.

Esta noite é "uma vigília em honra do Senhor" (Ex 12,42). Assim ouvindo a advertência de Nosso Senhor no Evangelho (Lc 12, 35), aguardamos o retorno do Cristo, tendo nas mãos velas acesas, para que ao voltar nos encontre vigilantes e nos faça sentar à sua Mesa.

A vigília desta noite é dividida do seguinte modo:

1) A Celebração da Luz;

2) A meditação sobre as maravilhas que Deus realizou desde o início pelo seu povo, que confiou em sua Palavra e em sua Promessa;

3) O nascimento espiritual de novos filhos de Deus através do Sacramento do Batismo;

4) E por fim a tão esperada Comunhão Pascal, na qual rendemos ação de graças à Nosso Senhor por sua Gloriosa Ressurreição, na esperança de que possamos também nós ressurgir como Ele para a vida eterna.

Benção do Lume Novo

As luzes da igreja estão todas apagadas. Do lado de fora está um fogareiro preparado pelo sacristão antes do início das funções, com a faísca tirada de uma pedra. Então o celebrante abençoa o fogo e o turiferário recolhe algumas brasas bentas e as coloca no turíbulo. A pedra representa Cristo, "a pedra angular" que, sob os golpes da cruz, jorrou sobre nós o Espírito Santo.

O fogo novo, representativo da Ressurreição de Nosso Senhor, luz Divina apagada por três dias, que há de aparecer ao pé do túmulo de Cristo, que se imagina exterior ao recinto da igreja, e resplandecerá no Dia da Ressurreição. Deve ser novo este fogo, porque Nosso Senhor, simbolizado por ele, acaba de sair do túmulo.

Essa cerimônia era já conhecida nos primeiros séculos da cristandade. Tem sua origem no costume romano de iluminar a noite com muitas lâmpadas. Essas lâmpadas passam a ser símbolo do Senhor Ressuscitado, que surge de dentro da noite da morte.


A procissão com o Círio Pascal

Após a cerimônia de preparação do Círio Pascal, é ele solenemente introduzido no templo por um diácono que, por três vezes, ao longo do cortejo pela nave central, canta elevando sucessivamente o tom: "Eis a luz de Cristo" (Lumen Christi). O coro responde: "Graças a Deus" (Deo Gratias). Em cada parada vão se acendendo aos poucos as velas: na primeira vez é acesa a vela do celebrante; na segunda parada, feita no meio do corredor central, são acesas as velas dos clérigos; na terceira vez, por fim, se acendem as velas dos assistentes, que comunicam as chamas do Círio bento até toda a igreja estar iluminada.

As velas são acesas no Círio Pascal, pois nossa luz vem de Cristo. O diácono, que vem vindo, é, portanto, mensageiro e arauto da boa nova: anuncia ao povo a Ressurreição de Cristo, como outrora o Anjo às santas mulheres.

As palavras Lumen Christi significam que Jesus Cristo é a única Luz do mundo.

A procissão, que se forma atrás do Círio Pascal é repleta de símbolos. É alusão às palavras de Nosso Senhor: "Eu Sou a Luz do mundo. Quem me segue não anda nas trevas, mas terá a Luz da Vida" (Jo 8,12; Jo 9,5; 12,46). O Círio, conduzido à frente, recorda a coluna de fogo pela qual Deus precedia na escuridão da noite ao povo de Israel ao sair da escravidão do Egito e lhe mostrava o caminho (Ex 13, 21). – O cristão é aquele que, para iluminar, se deixa consumir na Luz maior, e que em sua luz acende outras, dando sua própria vida, como ensinou e fez Nosso Senhor Jesus Cristo (Jo 15,13).

O Precônio Pascal

Ao término da procissão, na qual se introduz o Círio no Templo, é ele colocado em local apropriado. Com a vela acesa na mão, renovamos nossa fé, proclamando Jesus Cristo, Luz do mundo que ressurgiu das trevas para iluminar nosso caminho. E lembramos que por vocação todo cristão é chamado a ser também luz, como Ele mesmo nos diz: "Vós sois a luz do mundo. Que, portanto, brilhe vossa luz diante dos homens, para que as pessoas vejam vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai, que está nos Céus!" (Mt 5,14.16).

O diácono, após incensar o Círio e o Livro, canta o Precônio Pascal, do latim Praeconium Pascale, que significa Anunciação da Páscoa (vídeo acima), em que se exaltam os benefícios da Redenção e que é um belo poema, a partir da vela, sobre o trabalho das abelhas e o material para a sua confecção, o significado da luz ao longo da história de Israel e, de modo especial, sobre Jesus, a Luz do mundo. As magníficas palavras deste hino são atribuídas a Santo Ambrósio e a Santo Agostinho. É esse canto o antigo Lucernário da Vigília Pascal. O nome Lucernário foi dado às orações que se diziam na reunião litúrgica ao acenderem-se as luzes ao anoitecer (veja letra e tradução aqui).

Arderá daí em diante o Círio Pascal, em todas as funções, durante quarenta dias, recordando a permanência na Terra de Cristo ressuscitado. Retirar-se-á no dia da Ascensão, isto é, no momento em que Jesus Cristo ressuscitado sobe ao Céu.


Leitura das Profecias

Nos primórdios da Igreja, nesta hora, aproximavam-se os catecúmenos para receberem o Batismo. A fim de ocupar a atenção dos fiéis e para a maior instrução dos catecúmenos, liam-se na tribuna passagens da Sagrada Escritura apropriados ao ato. Eram as Doze Profecias, como resumo histórico da Religião: criação, dilúvio, libertação dos israelitas, oráculos messiânicos.

Atualmente são feitas apenas nove leituras, sete do Antigo Testamento e duas do Novo. Para cada leitura, há uma oração, com cântico ou salmo responsorial. Após a sétima leitura, são acessas as velas do Altar a partir do Círio Pascal e o sacerdote entoa o canto do Gloria in Excelsis, com acompanhamento de instrumentos musicais e de sinos, que ficaram calados durante todo o Tríduo sagrado. A Igreja, portanto, entra inteira na alegria pascal. Logo em seguida é feita a primeira leitura do Novo Testamento (Rm 6,3-11), que é sobre o Batismo.

Após o término das leituras, o sacerdote entoa o canto solene do "Aleluia", quebrando o clima de tristeza e contrição que acompanhava todo o tempo da Quaresma. Esse canto solene, repetido gradativamente três vezes em tom cada vez mais alto, representa a saída de Cristo da sepultura e expressa o crescente júbilo pela Vitória do Salvador. Por fim, proclama-se um trecho do Evangelho sobre a Ressurreição de Jesus, levando-se em consideração o ciclo anual A, B e C.


Benção da pia batismal

Terminada a leitura das Profecias, vai o Clero para a pia batismal. Na frente do cortejo, a Cruz e o Círio Pascal, símbolos de Cristo que deve alumiar a nossa peregrinação terrena, como em outras eras a nuvem luminosa norteava o rumo dos israelitas no deserto.

O celebrante abençoa a água num magnífico prefácio em que são lembradas as maravilhas que Deus quis operar por meio da água; depois, com a mão divide em quatro partes a água já purificada, e derrama algumas gotas nos quatro pontos cardeais. Enfim, nessa pia batismal, mergulha por três vezes o Círio Pascal, simbolizando o poder regenerador que Jesus Ressuscitado dá a essa água e, também, nossa participação em seu Mistério Pascal, no qual morremos ao pecado e ressuscitamos para a vida da Graça. E ainda deita nela um pouco do óleo dos catecúmenos e do santo Crisma. Essa água será usada nos batizados ao longo do ano e na aspersão do povo.

Quando não há Batismo-Confirmação, sempre se benze a água, que é levada solenemente até a pia batismal.

Antigamente, após os ritos preparatórias, era administrado o Batismo solene aos catecúmenos (os que se iniciavam na fé cristã) que, durante três anos, viviam um processo intenso de preparação para ingressar na Igreja, com um rigor maior na Quaresma e na Semana Santa. Findos os ritos preparatórios, os catecúmenos, jubilosos, eram levados ao lugar onde haveriam de receber o Batismo. A aspersão dos fiéis que hoje em dia o celebrante faz, avançando através da igreja, com a água acabada de benzer, recorda esta antiga cerimônia .

Depois da benção da pia batismal, volta o préstito ao coro, cantando a Ladainha de Todos os Santos, recordando os que viveram com fidelidade a Graça Batismal. Chegados ao pé do Altar, o celebrante e seus ministros prostram-se para meditar ainda na Morte e Sepultura de Nosso Senhor.

O final do Sábado Santo, com seus três aspectos do mesmo e único Mistério Pascal: Morte, Sepultamento e Ressurreição de Jesus, está no ápice do Tríduo Pascal. Primeiro está a Morte na Sexta-feira; depois Jesus no túmulo, no Sábado; e, em seguida, a Ressurreição, no Domingo, iniciada, porém, na noite de Sábado, por isso dito "Sábado de Aleluia", na Vigília Pascal.

A Missa do Sábado Santo é a primeira das duas cantadas na Páscoa. Esta Celebração ostenta o caráter de extremo júbilo e magnificência, em forte contraste com a mágoa intensa da Sexta-feira Santa. Vemos agora os Altares e os dignatários paramentados, em grande gala. Reboam as notas alegres do Gloria in Excelsis, unidas ao eco dos sinos festivos! O Aleluia, não mais ouvido desde o início da Quaresma, ressurge após a Epístola. – Essa é, na realidade a Missa da madrugada da Páscoa. É a celebração, por assim dizer, da Aurora da Ressurreição.

Fonte: Ofiel Católico
Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

SHD: SEJA HOJE DIFERENTE - Coaching Pessoal, Inteligência Emocional, Crescimento Pessoal, Família, Espiritualidade, Ufologia, Mistério, Nostalgia, Como fazer, O que é, Para que Serve, Desenhos para colorir, Curta-Metragem, Curiosidades, Orações, Pets, Saúde e Bem-Estar, Televisão, Séries, Desenhos, Música, Livros e muito mais.