Este caso com o sequestro de três crianças na Argentina em 1997 foi pouco investigado mesmo naquela época, e agora nem mesmo os ufólogos se lembram disso.

Aconteceu na periferia da cidade de Concórdia, na província de Entre Rios. Três irmãos de uma família pobre foram abduzidos por um OVNI na frente de sua mãe e apenas três dias depois foram devolvidos.

Os pais dos meninos desaparecidos recorreram à polícia, mas não levaram a sério suas palavras, pois depois não levaram a sério o testemunho dos próprios meninos após seu retorno. Ou levaram tudo muito a sério e tentaram evitar mais publicidade. De uma forma ou de outra, este caso praticamente não foi investigado.

No entanto, houve quem acreditasse nas histórias das crianças. Um deles, o investigador Rodrigo Ortiz, disse:

“Os adolescentes mentem facilmente, assim como os adultos, mas crianças tão jovens não podem mentir com tanta confiança. Acho que eles realmente tinham certeza de que passaram todos esses três dias a bordo de uma nave espacial, viajando e vendo várias maravilhas do universo, e essa nave era controlada por seres do espaço sideral.”

Os pais dos meninos, Emilio e Carmen Molero, contataram outro investigador, Armando Azparen, após o ocorrido, e ele conversou pessoalmente com os três irmãos: André, 9, Jorge, 8, e Carlos, 7. Azparen conseguiu muitos detalhes sobre esta história das crianças e seus pais.

Naquele dia, os três meninos estavam brincando perto de casa. A mãe dos irmãos estava na varanda e conseguiu ouvir os gritos altos e inusitados dos filhos.

Ao sair correndo de casa, viu um enorme disco dourado com cerca de 25 metros de diâmetro, que estava próximo com um grupo de meninos.

Carmen começou a gritar de medo e chamar o marido, mas ele não teve tempo de correr e ela mesma não teve tempo de fazer nada.

A nave alienígena de repente lançou um grande raio, que capturou os três irmãos e os carregou para dentro. Pelo que a mãe dos meninos viu, começou uma forte histeria, e o marido, Emilio, que saiu correndo, conseguiu perceber o disco de ouro voando e também ficou muito assustado.

Ao retornar, os meninos disseram que não sabiam quanto tempo havia se passado desde o desaparecimento, pois não estava claro nem de dia nem de noite lá dentro. A história deles parecia muito incrível:

“Um enorme navio dourado nos ergueu no ar e era controlado pelo próprio Deus (os meninos pensavam assim). Ele usava roupas douradas e tinha longos cabelos prateados e brilhantes. Ele foi muito gentil conosco e disse que seu nome era Lalar.

“Ele nos levou pelo céu e nos mostrou a lua e outros planetas. Quando estávamos com fome, ele nos dava um pão branco incomum, mas muito saboroso, que nos fazia sentir bem. No começo, estávamos todos com um pouco de medo, mas estava tudo bem.”

Os meninos contaram ainda que durante toda a viagem, Lalar foi muito gentil e carinhoso com eles, e havia outros como ele dentro do navio. Também em vestes douradas, embora não tão brilhantes. Antes de trazer os meninos de volta, Lalar “arranhou nossos rostos com um bastão branco e depois colocou algumas agulhas em nossas costas. Mas não nos machucamos.”

O menor dos irmãos, Carlos, disse:

“Havia muitas luzes brilhantes lá dentro e elas ligavam e desligavam. Lalar tinha uma cabeça grande e olhos amarelos muito grandes. Havia muitos como ele e todos eram nossos amigos.”

Emilio e Carmen disseram que as crianças voltaram para eles completamente ilesas. Era terça-feira à noite e mais cedo a polícia já havia começado a procurar os meninos pela casa e nos bairros vizinhos.

“Naquela noite, estávamos na sala de estar quando uma luz brilhante de repente brilhou do lado de fora. Corremos para fora de casa e vimos o mesmo navio, e nossos filhos estavam descendo dele. Liguei imediatamente para a polícia e disse que os meninos realmente haviam retornado”, disse a mãe.

No dia seguinte, os pais levaram os filhos ao médico, que confirmou que os meninos haviam sido submetidos a estranhos exames médicos. Raios-X foram tirados e uma agulha era visível na parte de trás de cada um.

As autoridades então afirmaram sucintamente que o caso agora está sendo investigado em detalhes e, quando souberem mais, divulgarão as informações.

Mas claro, nenhuma informação adicional foi divulgada, nem breve nem detalhada. Todos tentaram esquecer tudo o mais rápido possível, como se nada tivesse acontecido.

Muitos anos depois, em 2010, pesquisadores entusiasmados tentaram reabrir a investigação desse caso. Mas de repente eles não conseguiram encontrar nenhum dos membros da família Molero. Foi relatado que os pais com seus três filhos se mudaram para outro lugar logo após o incidente e seus vestígios desapareceram.

Foi sugerido que suas identidades foram alteradas pelas autoridades para evitar publicidade na imprensa. O mistério deste incidente permaneceu sem solução.

Qual é a sua opinião sobre este artigo?

Caro leitor, sua opinião é essencial para nós! Compartilhe seus pensamentos nos comentários sobre esta publicação. Garantimos manter o Seja Hoje Diferente sempre atualizado e funcional. Se notar algum link quebrado ou problema com áudio e vídeo, por favor, avise-nos nos comentários. Agradecemos sua colaboração, seu apoio é a bússola que nos orienta na entrega de conteúdo relevante. Obrigado por fazer parte desta comunidade engajada!

Postagem Anterior Próxima Postagem

Shopee