29.6.22

Saiba tudo sobre e-commerce


Você deseja potencializar o número de visitas que recebe em seu e-commerce e, assim, ter mais clientes? Este é o momento ideal para aproveitar o crescimento do mercado digital.

De acordo com um estudo realizado pela consultoria e empresa de dados Kantar, o consumo de mídia aumentou consideravelmente.

Segundo relatório divulgado pela Ebit Nielsen, no primeiro trimestre de 2021, o mercado superou o recorde do ano anterior com receita de 53,4 bilhões de reais.

Por isso, caso você queira estar entre esses percentuais positivos, continue lendo!

O que é e-commerce e para que serve?

E-commerce é a abreviação de comércio eletrônico, ou seja, toda transação comercial (compra e venda) realizada na Internet.

Hoje, quase quaisquer tipos de produtos, como alimentos, carros e imóveis, podem ser vendidos pela Internet. Com isso, muitas empresas tradicionais do varejo físico estão investindo em seu próprio e-commerce para fortalecer sua presença digital.

Caso você já tenha uma loja ou empresa física, é possível criar um e-commerce para potencializar os resultados.

Por exemplo, se você possui uma papelaria e deseja ter mais vendas em itens que estudantes de cursos ead gestão financeira utilizam — como pastas organizadoras e calculadoras — é possível abrir um e-commerce e vender para todo o país.

Tipos de comércio eletrônico

Agora que você já entendeu o que é e-commerce, é hora de conhecer mais sobre os principais modelos de e-commerce utilizados pelos varejistas. Eles são:

  • Empresa para Empresa;
  • Empresa para Consumidor;
  • Consumidor para Consumidor;
  • Direto ao Consumidor.

Preparamos os  tópicos detalhados para você ter um melhor compreendimento.

  1. B2B (Business to Business)

O B2B é um tipo de e-commerce relacionado ao comércio entre empresas. Na prática, essas marcas têm outras companhias como outros clientes ao invés de falar diretamente com o consumidor final.

Esse modelo geralmente inclui produtos como matérias-primas, autopeças e máquinas, mas também pode abranger outros tipos de mercadorias, desde que sejam para outras empresas.

As relações comerciais B2B possuem certas peculiaridades, como público-alvo limitado, maior volume de transações, processo de compra mais complexo e burocrático.

  1. B2C (Empresa para Consumidor)

O modelo B2C é o mais tradicional e corresponde a uma transação entre uma empresa e o consumidor final.

Portanto, os varejistas mais tradicionais adotam uma estratégia B2C que não exige intermediários para atender os clientes.

Algumas das características do B2C são, por exemplo, um público-alvo mais amplo, mais consumidores e preços médios de ingressos geralmente mais baixos. Esse modelo também permite que os varejistas lidem com várias categorias e vendam vários produtos.

  1. C2C (Consumidor para Consumidor)

Por sua vez, o comércio C2C é entre consumidores finais, que comercializam produtos entre eles. Esta é uma relação mais informal do que antes, pois pode acontecer por meio de redes sociais e fóruns de discussão.

Uma prática comum desse modelo é vender itens usados ​​na página para venda e troca de produtos, funcionando como um “brechó online”. Esse tipo de negócio tende a atingir um público amplo e tem um preço médio de ingresso mais baixo.

  1. D2C (Direto ao Consumidor)

O comércio atacadista é uma boa representação do modelo D2C entre fabricantes e consumidores finais. Por meio dele, os clientes podem comprar diretamente dos fornecedores e pagar um preço mais acessível.

As empresas de vendas podem ser outras companhias que não fabricantes, indústrias, franqueados, distribuidores.

Algumas das categorias que trabalham com esse tipo de relacionamento comercial são vestuário e calçados, têxteis, eletrodomésticos e automóveis.

Estratégias para ajudar a aumentar o seu negócio

Como você pode ver, investir no comércio digital não é mais uma opção que agrega vantagem competitiva ao seu negócio, mas cada vez mais é uma questão de sobrevivência da empresa.

Então, se você quer aproveitar as vendas digitais, fique atento:

  1. Pesquisa de mercado

A realização de uma boa pesquisa de mercado permite que os empreendedores identifiquem as maiores oportunidades e ameaças em seu nicho, observando os negócios concorrentes.

Para a pesquisa de mercado, as habilidades adquiridas na faculdade de vendas e marketing são extremamente valiosas.

Essas informações são fundamentais para ajudar você a entender seu público ideal e otimizar ações internas para aumentar as conversões de novos leads ou atrair potenciais compradores.

  1. Monitore o ciclo de compra

O ciclo de compra, também conhecido como jornada do cliente, é uma ferramenta poderosa para melhorar a experiência do consumidor.

Isso porque permite identificar todos os processos realizados por todos os interessados ​​em sua marca ou produto. Desde o primeiro contato com a empresa, até a finalização da compra.

Essa é uma ótima maneira de determinar o melhor momento para uma agência entrar em contato com clientes em potencial. 

  1. Melhore a experiência de compra

As compras online são tão atrativas para os consumidores devido aos inúmeros benefícios que este método de consumo oferece.

Por isso, investir na otimização para tornar a conexão com sua loja virtual mais agradável, fácil e intuitiva é fundamental para atrair clientes e melhorar suas finanças – tema que pode ser aprendido ao pesquisar por gestão financeira melhores faculdades.

Isso inclui a implementação de uma série de estratégias que visam aprimorar a apresentação do produto e da marca, oferecendo uma aparência mais agradável, maior acessibilidade e atendimento mais personalizado.

  1. Use as redes sociais

No Brasil, as pessoas passam em média 5 horas por dia navegando nas redes sociais. Essas plataformas rapidamente se tornaram um dos principais canais de entrega de informações para todos os cantos do país.

Dessa forma, utilizar esses meios de comunicação para divulgar seus produtos e marcas pode ser uma forma ideal de atingir um grupo de pessoas mais alinhadas e interessadas no que seu negócio oferece.

  1. Marketing de Conteúdo

A produção de conteúdo digital em blogs ou perfis de empresas nas redes sociais é uma medida que pode ser estudada até mesmo em um curso de gestão de pessoas online.

Ao produzir textos, infográficos, e-books, vídeos ou podcasts, as empresas conseguem construir um senso de autoridade no mercado, educar potenciais compradores sobre produtos e levá-los a investir em seus serviços.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog It Business Fórum, site voltado para a veiculação de conteúdos relevantes sobre negócios, startups e estratégias para pequenas, médias e grandes empresas.

GeraLinks - Agregador de links