A primavera é considerada a estação mais bonita do ano e indica renascimento e vida, pelo desabrochar de flores após o inverno, que possui uma paleta de cores mais fria e cinza, pelos aspectos do clima.

Neste artigo você vai compreender quais as principais características da primavera, quais os fatores que fazem a primavera acontecer, curiosidades sobre e o impacto do aquecimento global. Acompanhe!

Características da primavera

Essa estação é considerada de transição entre inverno e verão, que fornece as duas temperaturas (quentes e frias) mais extremas do ano. Sendo assim, a primavera traz consigo mais temperaturas amenas.

Quanto à vegetação, no Brasil, tem-se um renascimento da vegetação que foi grandemente afetada pelo inverno. Após o inverno seco, a primavera traz chuvas amenas que indicam a transição para o verão.

O período de chuvas pode ocorrer mais ao fim da tarde e início de noite, mas não com tanta intensidade. À medida que se aproxima do verão, as chuvas ocorrem com mais frequência e mais intensidade quanto ao volume, mas sendo passageiras.

Aos agricultores que têm como fonte de renda as plantações, pode ser interessante a contratação de empresa de consultoria ambiental para orientar quanto à proteção das plantas para suporte durante o inverno e transição na primavera.

Quando começa e termina?

No Brasil, essa estação tem início em meados de setembro, entre os dias 22 a 23 e tem seu fim em meados de dezembro, também entre os dias 22 e 23.

Já no hemisfério norte, enquanto ocorre a primavera no hemisfério sul, passa pelo outono, o que inverte as datas. Lá a primavera acontece entre março, dias 20 e 21, e junho, entre os dias 22 e 23.

Mas afinal, o que é a primavera?

Assim como as demais estações, a primavera é resultado de um posicionamento do planeta Terra e variações de seu eixo em relação ao sol.

A terra faz o movimento de translação, que é o giro de si ao redor do sol, e de rotação, que seria o giro em seu próprio eixo. A translação e rotação são os movimentos que afetarão o posicionamento da terra em relação ao sol e determinarão a estação.

Neste sentido é importante a calibração de termometro após a transição entre as estações, para que a mensuração seja a mais assertiva possível sobre a real temperatura dos ambientes.

Contudo, a primavera é mais notável em regiões distantes à linha do Equador, isso porque a incidência de luz solar nessa região se mantém estável durante o ano todo, mesmo com a alteração da inclinação da terra.

Sendo assim, em território nacional, a região Sul é a única que experimenta realmente a primavera em todos os seus aspectos. Isso porque está localizada abaixo do Trópico de Capricórnio, tendo um clima tradicionalmente.

Equinócios e suas implicações no clima

Dentro da geografia, tem-se 2 tipos de disposição da terra, equinócio e solstício. Os solstícios, que dizem respeito às estações de verão e inverno, são resultado da maior incidência de luz solar em um dos hemisférios pela inclinação da terra.

Sendo assim, enquanto um hemisfério recebe mais sol (verão) o oposto que está mais afastado da incidência solar (inverno) tem dias mais frios. Nesses momentos, o transmissor de temperatura, que mede a temperatura de ambientes, pode indicar extremos.

Todavia, existe uma posição que a terra assume duas vezes por ano em que a incidência de luz solar é distribuída de modo igual, praticamente, entre os dois hemisférios, que se chama equinócio.

Nessas ocasiões os raios solares incidem diretamente sobre a linha do Equador, que divide o planeta em hemisfério norte e sul, e distribuem igualmente a luz solar, aquecendo de modo semelhante.

A Terra possui um centro magnético e sua inclinação pode ser detectada por meio do uso de sensor indutivo.

O equinócio que ocorre em março, entre os dias 20 e 21, marca o início da primavera no hemisfério norte, e do outono no sul. Por sua vez, o equinócio de setembro marca o inverso e ocorre entre os dias 22 e 23 de setembro.

Durante o solstício de inverno, especialmente na região do hemisfério norte, tem-se um escurecimento precoce diário, o que faz as empresas necessitarem de acionamento mais cedo das luminárias industriais.

Na primavera, tal condição não é visualizada e os dias são mais longos, com grande claridade. No verão a exposição de luz solar aumenta ainda mais, estendendo os dias.

7 curiosidades sobre a primavera

Agora que você já sabe quais as principais características, vamos te apresentar as 7 principais curiosidades sobre essa estação tão bonita. Quer saber mais? Então siga com a sua leitura!

1. Flor de cerejeira

Para os japoneses, a abertura da flor de cerejeira, flor nacional do Japão, em março ou abril sinaliza o início da primavera. É assim que eles ditam as datas da primavera no país.

2. Primeiras flores a surgirem

As primeiras flores da primavera são tipicamente íris, lírios, tulipas, narcisos e dentes-de-leão.

3. Ano novo chinês

Na China, a chegada da primavera no hemisfério norte coincide com as comemorações do Ano Novo Chinês. O feriado cai no primeiro dia do primeiro mês lunar, em janeiro ou fevereiro. 

4. Febre da primavera

Algumas pessoas desenvolvem sintomas psicológicos e fisiológicos associados à chegada da primavera, incluindo inquietação, devaneios e aumento do apetite sexual, o que é chamado de febre da primavera, pelos cientistas.

5. Pássaros aprendem a cantar

Os passarinhos aprendem a cantar durante a primavera. Apesar de nascerem com a habilidade de cantar, eles devem aprender canções específicas de sua espécie, o que ocorre dentro de dois meses após o nascimento. 

6. Horário de verão

O horário de verão é adotado em alguns países durante a primavera, como forma de economizar energia. Ele consiste no adiantamento dos relógios em uma hora para maior aproveitamento da luz solar que é mais extensa nessa estação e no verão.

7. Época de procriação

Para a maioria dos animais que vivem em regiões com média latitude, a primavera é a época em que seus recém-nascidos têm a melhor chance de sobrevivência devido ao clima ameno e à abundância de alimentos. Por isso, os animais procriam no período.

Aquecimento global e modificações nas características da primavera

Com o maior uso de veículos e aumento da produção industrial, o meio ambiente é afetado e pode implicar em consequências, inclusive na primavera, como resultado de um acontecimento chamado de aquecimento global.

O aquecimento global consiste no aumento da temperatura média da terra em alguns graus Celsius em decorrência da maior emissão de gases do efeito estufa.

O efeito estufa, por sua vez, é um mecanismo da terra para manter alguns raios solares refletindo mais próximo à superfície do planeta, a fim de manter o aquecimento médio que permite a existência de vida.

Basicamente, o efeito estufa funciona como elementos de fixação que prendem o calor do sol na terra em quantidades suficientes para manutenção da vida.

Os gases do efeito estufa contribuem para manter ainda maior número de raios solares na superfície, gerando um desequilíbrio entre o que é necessário e o que é excesso de calor. São considerados gases do efeito estufa:

  • Dióxido de carbono;
  • Metano;
  • Óxido nitroso;
  • Hexafluoreto de enxofre;
  • CFC (clorofluorcarboneto) – nos sprays;
  • PFC (perfluorcarbonetos) – nos sprays.

Esse excesso é o que faz aumentar a temperatura média da terra e impacta diretamente nas estações e ecossistemas, prejudicando o meio ambiente de modo geral. O desmatamento das florestas também contribui para essa condição, agravando ainda mais o quadro.

A emissão de gases poluentes pode ocorrer por 5 principais meios:

  • Acionamento de termoelétricas;
  • Caldeiras de indústrias;
  • Queima de combustíveis fósseis;
  • Pecuária (criação de gado que emite metano).

Segundo o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) a tendência é que a terra tenha um aumento de 1,5ºC na temperatura global dentro dos próximos 20 anos. Isso já tem impactado na redução da primavera, de 124 para 115 dias.

O aquecimento global já está trazendo consequências no ambiente, inclusive na primavera. Andorinhas da América do Norte adiaram a postura de seus ovos em nove dias, pelo calor.

Espécies de borboletas e invertebrados tem migrado mais ao norte, nos Estados Unidos (EUA), para fugir do calor. O término da hibernação das marmotas, no Colorado (EUA), acaba 3 semanas antes ao que acontecia em 1970, também pelo calor.

O aumento da temperatura tem afetado a absorção de carbono pelas plantas, para executar o processo de fotossíntese, que é o mecanismo pelo qual a planta se alimenta. O carbono funciona como um transporte dedicado para que a planta tenha energia.

Essa falta de absorção tem impactado no desabrochar das flores e na vivacidade das plantas. Desta forma, as primaveras tendem a ser cada vez menores e menos coloridas pelo agravamento da temperatura. Assim, a estação pode se tornar menos colorida.

Toda essa situação gera uma condição de análise de risco para a sociedade, impactando nos mais diversos setores. O meio ambiente é o berço da vida e com o aquecimento pesando nesta conta, pode trazer sérias consequências a longo prazo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.
Postagem Anterior Próxima Postagem

Compartilhe nas redes sociais e apoie ou retribua

Todos os nossos artigos são exclusivos é proibida a reprodução total ou parcial dos mesmos sem a indicação da fonte SHD: Sejahojediferente.com