8.12.18

Você sabia que é perigoso deixar seu pet brincando na piscina? Entenda


Brincar na piscina pode ser uma atividade divertida para o pet, mas que requer cuidados com cachorro. Por isso, é importante entender quais os riscos que o animal pode sofrer com essa atividade. Confira!

Quais os riscos do pet ao brincar na piscina
É muito comum as crianças incluírem os pets nas brincadeiras dentro da piscina. No entanto, isso pode representar um risco para a saúde do bichinho e dos outros banhistas.

Isso acontece, principalmente, porque não é todo cão que tem a capacidade natural de nadar. Além disso, se a vacina não estiver em dia ou se o animal tiver alguma doença, isso pode ser transmitido para outras pessoas.

Confira quais os principais riscos do pet brincar na piscina:

Se afogar

Apesar de gostar de água, nem todo cachorro sabe nadar. Raças como Pug e Boxer que têm a cabeça achatada, não conseguem pôr a cabeça para fora da piscina para nadar.
Além do mais, o cão não sabe identificar a entrada e saída da piscina. Nesses casos, se o dono não estiver próximo acompanhando, o animal pode acabar se afogando.

Ter uma parada cardiorrespiratória

Crianças quando estão brincando na piscina, acabam empurrando uns aos outros e querem fazer a mesma brincadeira com o cão. Entretanto, o susto e o medo podem provocar paradas cardiorrespiratórias no pet.

Se a beirada da piscina for escorregadia, se não há proteção ao redor dela e não tiver o devido cuidado com o seu pet, o risco dele se afogar e ter uma parada cardiorrespiratória é enorme.

Transmitir doenças

Na piscina o pet tem a oportunidade de está mais em contato com as crianças. Por isso, se o cão estiver com alguma ferida ou esteja apresentando pulgas e sarnas, pode transmitir alguma doença.

Além da transmissão de doença, o animal doente pode contaminar a água da piscina, sendo necessário fazer uma limpeza mais profunda. Portanto, o risco não é somente para o bichinho, mas para todos os moradores da casa.

Acumular água nas orelhas e ouvidos

Algumas áreas do corpo do cachorro são muito sensíveis, como é o caso das orelhas e ouvidos, que precisam de mais atenção do seu dono. Nesse caso, a água da piscina pode fazer o cão sofrer com otite.

Quando o pet está na piscina é difícil controlar sua excitação com o momento. Portanto, se o cão tiver uma orelha grande, fatalmente a água da piscina vai adentrar e se o dono não secá-lo corretamente, o bichinho pode acabar desenvolvendo doenças.


Quais as melhores brincadeiras para o pet


Para gastar a energia diária, o cachorro precisa fazer alguma atividade regularmente. Mas existem alternativas, além da piscina. Saiba quais as brincadeiras que são mais saudáveis para o seu pet.

Esconder brinquedos

A brincadeira de esconder objetos é uma ótima oportunidade de estimular alguns instintos do seu cachorro. Ademais, a recreação faz com que o cão se torne mais obediente ao seu dono.

Atirar a bola

Uma boa opção para o cão se exercitar é fazer a brincadeira de atirar a bola. Esse tipo de brincadeira estimula seu pet a correr muito para gastar energia, além de proporcionar diversão para ele.

Pula-Pula

Apesar de ser uma atividade simples, a brincadeira de pula-pula é um ótimo exercício para o seu pet. Portanto, mantenha um objeto a certa altura e veja se o pet consegue alcançá-lo, ganhando assim uma recompensa pelo seu esforço.

Quais os principais cuidados com cachorro na piscina

O animal precisa está vacinado e com a vermifugação em dia;
O cachorro deve está acompanhado do dono;
O bichinho não deve ser jogado na água;
Após a piscina, o pet precisa tomar um bom banho para remover o cloro;
Não deixe o bichinho por muito tempo dentro da piscina.

Os cuidados com cachorro na hora de brincar na piscina deve ser prioridade de seu dono, já que a brincadeira realmente é perigosa para o pet. Portanto, é fundamental entender quais os riscos dessa atividade para o seu animal.

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário