Desburocratização e democratização são elementos interessantes a serem explorados

Com as grandes mudanças que ocorreram a partir da pandemia do Covid-19, o cenário forçou os diversos nichos empresariais a adaptarem-se à nova realidade a fim de não ficarem obsoletos e continuarem competitivos no mercado. As sequelas do vírus no âmbito sócio-econômico resultaram no advento de novas necessidades para o consumidor que, aos bons olhos, foi uma oportunidade ideal das organizações investirem e reorganizarem suas estratégias no que diz respeito a novas soluções de mercado.

Alguns players do segmento imobiliário, principalmente fintechs e proptechs, compreenderam este cenário e alavancaram seus serviços por meio de diversas propostas que quebram os padrões tradicionais, promovendo soluções disruptivas que surgem para desburocratizar e democratizar os processos no âmbito do mercado imobiliário.

Creditú

O “home equity”, termo em inglês de “empréstimo com imóvel de garantia”, é conhecido como uma modalidade que permite à instituição financeira (incluindo fintechs) cobrar juros mais baixos e que possibilita o pagamento em um prazo maior e mais flexível – comparado com outras alternativas de financiamento. Enquanto a pessoa estiver pagando as parcelas do empréstimo, o imóvel fica colocado como garantia para a instituição financeira que emprestou o dinheiro

Segundo Armando Botelho, diretor comercial da Creditú, fintech de empréstimos imobiliários, uma das vantagens é a taxa de juros baixa - já que, uma vez que o imóvel é colocado como garantia na negociação, os juros são menores. “O interessante é que a pessoa pode usar esse crédito para qualquer finalidade, seja consolidar dívidas, começar um negócio, reformar um imóvel ou investir na educação”, comenta. “Outra característica importante é o prazo estendido de pagamento. A Creditú, em específico, vem com uma condição diferenciada do mercado:  taxas a partir de 0,76%/mês, mais correção do IPCA,prazo de pagamento de até 20 anos e uma promessa de fazer uma análise de crédito em menos de 48 horas. É a nossa maior vantagem no mercado”, finaliza o executivo. 

Rooftop

Rooftop é uma proptech que tem como missão conectar proprietários em situação de estresse financeiro e sem acesso a capital a negócios imobiliários singulares. A empresa possui duas linhas de negócio, o "InCasa" – programa destinado a converter o proprietário em inquilino do seu próprio imóvel, garantindo a possibilidade de conseguir se reorganizar financeiramente. A proptech também oferece um estoque de imóveis residenciais com preços abaixo do valor de mercado, com condições para apoiar cada vez mais pessoas na conquista de seus lares.

Verticale

Com cinco décadas de tradição, a Verticale foi pioneira na verticalização da região norte metropolitana de São Paulo. Com mais de 500 milhões no portfólio de projetos e, em plena ascensão, a empresa possui como meta a consolidação, em paralelo à entrada na capital paulista e agora anuncia sua primeira operação para investimento imobiliário via crowdfunding: o Ideale Morato.  A novidade se dará por meio de parceria com a Bloxs, hub de negócios que dá acesso ao mercado de capitais e conecta empresas e investidores para viabilização de projetos da economia real. O empreendimento será erguido na cidade de Francisco Morato, com 71 unidades, sendo 64 residenciais e 7 módulos comerciais no térreo.

crowdfunding imobiliário é um tipo de investimento em grupo, onde diversas pessoas financiam um empreendimento imobiliário e tornam-se credores da incorporadora ou construtora responsável. O Ideale Morato poderá ser comprado a preço de custo e rentabilizado como os grandes fundos de investimento. 

Postagem Anterior Próxima Postagem

Compartilhe nas redes sociais e apoie ou retribua

Todos os nossos artigos são exclusivos é proibida a reprodução total ou parcial dos mesmos sem a indicação da fonte SHD: Sejahojediferente.com