Final do ano é um momento onde o mercado é aquecido pelas compras frequentes a serem realizadas pelo público, tudo com o objetivo de apresentar os seus entes queridos ou até mesmo a si, afinal ninguém é de ferro. O problema são os gastos desnecessários.


A grande questão em cima disso é que muitos desses gastos só são percebidos quando chega a conta no mês seguinte, fazendo dos cartões de crédito tanto uma benção como uma maldição, tudo dependendo do momento da compra e do seu pagamento.


É por coisas assim que todos os anos as pessoas incluem em suas promessas do ano novo controlar melhor as suas finanças, tudo para evitar custos que não são tão necessários em sua vida, com sua atenção e dinheiro merecendo um destino mais adequado todos os dias.


A própria definição sobre o que é ou não desnecessário pode mudar de uma pessoa para outra, de acordo também com a sua renda mensal e como ela pode dar conta de arcar com todas as suas dívidas a serem realizadas por meio das compras físicas e também virtuais.


Enquanto alguns podem ver um detector de fumaça como um custo desnecessário, para outros se trata de um objeto de extrema importância, principalmente para quem gerencia um negócio, como um restaurante, de forma a evitar qualquer tipo de acidente neste local.


A própria diferenciação sobre o que é ou não relevante é resultado de uma mente bem planejada para os negócios, sabendo definir o que é importante para a sua vida daquilo que pode simplesmente ser deixado para um momento financeiramente mais adequado.


Não é comum para alguém realizar uma reforma meses antes de se mudar para outro país, com sua atenção devendo estar na compra de roupas para sua jornada e não em latas de tintas para uma casa que irá passar meses fechada, com sua nova tinta desbotando.


Por outro lado, caso exista o objetivo de vender esse imóvel em questão aí a situação é outra, onde o uso de um plano inclinado pode ser indicado para a realização de qualquer tipo de reforma que não será um custo, mas sim um investimento para garantir tal venda.


Saber a maneira correta de lidar com o seu dinheiro, garantindo assim com que sobre uma boa reserva para as suas compras no fim do ano, é resultado da aplicação de um sistema de educação financeira, sendo importante entender seu funcionamento para aplicá-lo.

O que compõe o conceito de educação financeira?

Assim como qualquer outro tipo de educação, a modalidade financeira está voltada ao estudo que garanta a melhor utilização dos recursos disponíveis, neste caso existindo uma claro controle em cima do uso do seu capital financeiro, permitindo até com que ele exista.


Ver todos os meses o seu salário desaparecendo na mesma medida em que entra, para pagar todas as suas contas, com destaque para o seu cartão de crédito, é um claro sinal de que essa pessoa precisa de ajuda para ter um melhor domínios sobre as suas finanças.


É justamente aí que entra o que chamamos de educação financeira, tratando-se de uma série de dicas que podem ajudar alguém a ter um melhor controle acerca do seu poder aquisitivo, o que pode envolver até mesmo o seu crescimento através de investimentos.


Enquanto para alguns esse assunto pode ser uma novidade para a nova geração se trata de um tema que é abordado até mesmo nas salas de aula, para que os jovens saibam como se organizar financeiramente assim que chegarem à vida adulta.


Antes mesmo disso, os pais podem ensinar seus filhos a terem um melhor controle sobre sua mesada, evitando gastar tudo com doces, sendo algo que não só irá acabar rapidamente com o seu dinheiro como ainda irá resultar em problemas como cáries.


Para quem gerencia um negócio, a educação financeira acaba tendo uma importância ainda maior, já que é por meio dela que o realizador de um evento pode distribuir seus recursos para arcar com todos os gastos, indo desde o buffet até a aplicação de placas de solo grampeado.


Inclusive, quanto maior for o tamanho do seu empreendimento, maiores se tornam suas responsabilidades financeiras, até porque esse controle de gastos pode afetar diretamente as pessoas ao seu redor, o que envolve desde funcionários aos seus familiares.


Para que você consiga comprar bons presentes para todos os parentes no final do ano, é essencial que você saiba como administrar bem o seu dinheiro durante o ano inteiro, para que o seu décimo terceiro não tenha que ser usado todo para arcar com suas dívidas feitas.


Essa é uma lição que você pode aprender para o ano seguinte, agora caso você leitor esteja em um momento próximo ao final do ano e está desesperado sobre como multiplicar seu dinheiro para dar conta de todos os presentes a serem dados, é preciso saber se virar.

5 formas de evitar gastos desnecessários

Para garantir que o conceito de educação financeira não tenha que esperar a virada de ano para ser aplicado, saiba que existem maneiras de garantir desde já um melhor controle sobre os seus recursos, sendo preciso apenas evitar alguns gastos dispensáveis.


É importante alertar que essas dicas são relevantes tanto para quem gerencia um negócio, como uma empresa de portaria, e pensa em presentear seus colaboradores, como também para que um indivíduo que busca apenas virar o ano com dinheiro no bolso.


Para que ambos os perfis citados saiam satisfeitos é importante dar atenção a cinco dicas em especial, sendo elas:

1 - Planejar com antecedência suas compras

É difícil encontrar alguém que simplesmente vai ao mercado sem estar acompanhado da sua lista de compras, composta por tudo o que é mais necessário para sua despensa. Após pegar esses itens essenciais é que esse cliente pode pegar itens mais supérfluos.


Na verdade, essa lista se mostra ainda mais importante no período de fim de ano, já que os mercados costumam ficar ainda mais cheios e o mesmo deve ser dito em relação às suas compras gerais, o que inclui dívidas a serem pagas e presentes a serem dados.


Baseado nisso é importante separar o dinheiro necessário para o conserto de aquecedor a gás, para após isso, de acordo com o montante restante ser possível realizar todas as suas compras desejáveis para o fim de ano, tudo sendo devidamente sinalizado antes.

2 - Pesquisar todas as opções de preço

Sabendo exatamente o que vai comprar, o próximo passo é realizar uma grande pesquisa no mercado, de forma a encontrar itens que possam estar por um preço melhor em uma loja, assim como marcas alternativas que podem ser mais simpáticas ao seu bolso.


Nesse sentido é importante não ter medo de verificar sempre a disponibilidade de um produto, assim como o seu preço, para que depois não seja necessário recorrer a um leitor RFID para resgatar informações deste produto para realizar uma possível troca.


A internet se mostra bastante positiva nesse sentido, já que ela permite a realização de pesquisas constantes sobre o preço de um produto, evitando até mesmo que esse consumidor compre algo com valor elevado no momento, graças às festas de fim de ano.

3 - Exercitar sua criatividade

Na escola sempre éramos incentivados a construir nossos próprios presentes para pais e mães, com esses itens criativos tendo um apelo emocional muito maior do que qualquer compra a ser feita de um artigo de luxo. O problema está em deixar isso na infância.


Além dessa questão emotiva, existe também a economia que pode ser conquistada a produzir os seus próprios presentes. Caso você já se encontre em uma crise por falta de criatividade saiba que opções não faltam, entre elas:


  • Camisas personalizadas;

  • Itens de decoração;

  • Álbum de fotografias com a pessoa;

  • Prato especial de alimento.


Sim, o preparo de uma sobremesa surpresa pode ter um impacto maior do que a compra de uma meia genérica e cara.

4 - Estabelecer uma meta

Da mesma forma em que um laudo de ruídos analisa se uma obra está obedecendo os limites de som permitido dentro de uma área urbana, o mesmo tipo de controle deve ser aplicado quando pensamos nas compras a serem feitas no fim ano.


O positivo das novas tecnologias é que se torna mais fácil colocar um limite em seu cartão. Para quem é mais analógico, tirar a quantidade exata no banco pode ser uma forma de facilitar esse controle dos seus recursos.

5 - Evitar os juros das parcelas

Por fim é importante destacar o uso adequado do seu cartão de crédito, para assim evitar um parcelamento a longo prazo que além de criar uma dívida até o ano seguinte ainda pode chegar a um valor muito maior, tudo graças aos juros a serem aplicados.


Com tudo isso em mente é possível garantir com que o seu dinheiro seja o suficiente para comprar um terrometro para sua empresa, presentes para os seus parentes e até mesmo uma nova roupa de festas para você, tudo graças a adequado controle de gastos.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Compartilhe nas redes sociais e apoie ou retribua

Todos os nossos artigos são exclusivos é proibida a reprodução total ou parcial dos mesmos sem a indicação da fonte SHD: Sejahojediferente.com