30.6.22

Principais dificuldades das indústrias no Brasil em 2022


Abrir um negócio no Brasil não é nada fácil, e todo mundo que já tentou em algum momento sabe muito bem de toda a dor de cabeça que pode estar envolvida nisso. Tudo fica ainda mais complexo se o negócio que você quer abrir é do setor das indústrias, e essa complicação a mais tem vários motivos.


Primeiro, pelo fato de as indústrias serem negócios complexos, que precisam de mão de obra especializada, maquinário pesado, demandam muito investimento, tempo, espaço e não têm uma clientela comum como as empresas tradicionais. Não é como se alguém fosse passar na frente da sua indústria e fazer uma compra, da mesma forma que ocorre com muitas lojas.

 

O resultado dessa complicação toda é que muitas pessoas abandonaram o barco e desistiram de seus negócios, com mais de 30 mil indústrias fechando no país de 2013 para cá.

 

Isso só mostra o quanto esse negócio pode ser complexo, e não é para qualquer um. Apesar de ser uma parte fundamental da economia do nosso país e de fornecer emprego a milhões de brasileiros, ter uma indústria não é trabalho fácil. Por esse motivo hoje vamos ajudar você que está pensando em começar nessa área.

 

Apresentaremos aqui as maiores dificuldades que as indústrias vão ter que passar no Brasil no ano de 2022, já adiantando toda a dor de cabeça que você vai ter na hora de seguir nesse setor. 

 

O investimento inicial


Vamos falar especialmente com você, que vai abrir a sua indústria neste ano. Se você quiser dar o seu primeiro passo, o timing certamente não é o melhor. Não estamos dizendo para você abortar a sua missão, mas já adiantamos que você vai sofrer mais do que as pessoas sofreram antes da pandemia, por exemplo.

 

Estamos passando por um dos piores momentos econômicos do nosso país, com inflação extremamente alta, e com algumas coisas especificamente muito caras, coisas essas que podem influenciar diretamente no valor que você vai ter que investir.

 

Se você abrir uma indústria que trabalha com transportes, por exemplo, o preço de um veículo e da gasolina já vai automaticamente inflacionar muito o seu investimento. Isso faz com que as pessoas pensem duas vezes antes de dar esse primeiro passo, e deixa muito claro que o desafio de quem vai começar agora em comparação com quem começou há 5 anos, vai ser bem maior.

 

Vale lembrar ainda que existem os gastos com segurança que toda indústria é obrigada a ter, desde cuidados com os equipamentos que requer manutenção, emissão de certificado de calibração e tudo mais, até a segurança do trabalho típico que cuida do bem-estar do funcionário.


Esse também é um investimento inicial que deve ser levado em consideração e que vai gerar gastos logo de cara.

 

A falta de insumos

 

Agora vamos falar de um mal que todas as indústrias estão sofrendo. Você já deve ter ouvido falar disso em algum momento, já que esse tipo de notícia está praticamente tomando os noticiários sempre que uma empresa ameaça fechar as portas.


A falta de insumos tem sido a maior dor de cabeça dos últimos anos para quem trabalha no ramo da indústria. E para quem não sabe, insumos são todos os itens fundamentais para a produção de alguma coisa, praticamente a sua matéria-prima.

 

Muitas vezes, esses insumos são importados, e isso por si só já cria uma dor de cabeça bem grande, principalmente porque estamos vivendo momentos de conflitos internacionais e até de sentimento de parceiros, e tudo acaba pesando no preço e também na burocracia de se importar insumos. 

 

Infelizmente esse é um problema que não está dando muitos sinais de que está prestes a melhorar, com altos conflitos internacionais seguindo. Tudo indica que pelo resto do ano a falta de insumos vai continuar assombrando boa parte da indústria brasileira, e vamos ter que continuar nos virando da forma que for possível.

 

A produtividade


Um problema que nasce diretamente da falta de insumos, é o da produtividade. É claro que tudo o que vivemos durante a pandemia da Covid 19 também teve sua responsabilidade, mas agora, com isso e o problema anterior somados, o que temos é uma bola de neve.


Não existem insumos suficientes para uma alta produtividade. Ao mesmo tempo, não se sabe se existe uma demanda grande por essa produtividade por conta da retomada financeira em meio a uma crise.


Isso compromete diretamente a produtividade das indústrias, e se as indústrias produzem menos, a economia gira menos. Algumas podem acabar fechando pela falta de produtividade, o que vai gerar desemprego e uma bola de neve de coisas ruins para nossa economia.


Isso mostra que 2022 vai ser um ano complexo para as indústrias, e que elas vão ter que lutar para poder passar por esse momento sem que alguma acabe se comprometendo seriamente.


GeraLinks - Agregador de links