14.3.22

Saiba como sacar valores esquecidos pelo sistema do Governo


Vamos começar este artigo explicando que o Sistema de valores a receber é a nova plataforma que o BC (Banco Central) lançou para que os brasileiros verifiquem quantias "esquecidas'' em bancos e instituições financeiras.

Ademais, é importante reforçar que ninguém é autorizado a entrar em contato com os cidadãos em nome do BC, portanto é recomendado que nunca clique em links de sites suspeitos recebidos por SMS e e-mails.


Inclusive, esse cuidado é válido em diversas situações. Lembre-se, você deve agir como um controlador de acesso sobre as informações que chegam até você, bem como sobre o que você abre ou deixa de abrir.


Pois bem, as consultas são permitidas de forma gratuita e são disponibilizadas com os valores a receber com data e períodos para solicitar o resgate do saldo existente na conta em questão. 


Essas datas são agendadas, porém, ainda que não haja essa consulta ou solicitação de resgate do saldo, o valor continua guardado à espera. 


A mídia digital facilitou esse processo, evitando que haja muita desinformação entre os bancos contribuintes ou mesmo os sistemas.


Logo, isso também minimizou os procedimentos que possam afetar o meio ambiente com soluções ambientais mais imagináveis, visto que evita aglomeração de pessoas, geração de contratos em papéis, e senhas comuns em instituições financeiras.


Pois bem, falando sobre os valores, é importante reforçar que mais de 2,5 bilhões de reais estão a serem devolvidos para mais de 24 milhões de pessoas, tanto físicas quanto proprietários de empresas de sistemas


Inclusive, essa plataforma agrega dados diferentes e casos possíveis de recebimento. 


Em caso de consulta, exigirá uma conta no portal do Governo Federal, e quem já está ciente que possui dinheiro a resgatar, deve atualizar seu cadastro e solicitar a transferência a partir do dia sete de março, via PIX, TED ou  DOC, em até doze dias úteis.

Como consultar esse direito?

Tendo em vista a forma correta de acesso a este direito, sem entrar em conflitos, ou se submeter a golpes de todo tipo, os meios para conseguir a consulta aos valores a receber através do Banco Central é primeiramente através do site oficial: valoresareceber.bcb.gov.br.


Não são enviados links posteriormente ao cadastro, nem contatos referente a valores, confirmação de dados pessoais, nem mesmo em nome do BC ou do Sistema de Valores a Receber.


Inclusive, caso receba e caia na fraude, é recorrente e disponibilizado um advogado direito do consumidor.


Logo, a única forma de verificar as quantias é acessando o sistema do BC online, caso não seja feito de forma ativa, não haverá nenhum tipo de comunicação sobre os valores cobrados.


Qualquer solicitação suspeita por meio de SMS, e-mail, Whatsapp ou Telegram, para confirmar ou ter acesso a valores, é golpe. 


Apenas depois de acessar o sistema e caso haja a necessidade de pedir o resgate sem indicar uma chave Pix, assim a instituição financeira escolhida entrará em contato para efetuar esse procedimento de transferência.

Cuidados e segurança com a conta

Conforme o Banco Central anunciou esse novo sistema no serviço de contabilidade, que abre a possibilidade do recebimento e recuperação de valores, muitos brasileiros passaram a ser alvos para golpes.


Essa possibilidade financeira de grande visibilidade dá abertura para novas formas de golpe e roubos através dos dados pessoais que não devem ser passados em hipótese alguma.


Sabendo que nenhuma pessoa, entidade ou autoridade tem acesso a contatos dos clientes, não serão enviados links ou informações de conclusões feitas através de cadastros.


Ademais, tenha atenção também com sites falsos, inclusive, empresas de sistema estarão trabalhando para que não haja nenhuma complicação aos usuários.


Aos que não possuem dinheiro, poderão fazer uma nova consulta em maio, na segunda fase de liberações. Na primeira etapa, está liberado o direito de averiguar os valores de:


  • Conta corrente ou poupança encerrada com saldo disponível;
  • Recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados;
  • Parcelas, operações de créditos, cobrados indevidamente;
  • Tarifas cobradas indevidamente; 
  • Cotas de capital ou rateio de sobras líquidas.

Inclusive, pensando em facilitar ainda mais o entendimento, bem como aumentar a segurança, vejo como se proteger de possíveis golpes ou fraudes.

Veja como funciona o passo a passo

O primeiro passo para a solicitação do resgate é ter o acesso ao Gov.br, esta plataforma do Governo Federal centraliza todas as informações e centenas de serviços de informatica.


Logo em seguida o usuário terá que informar a chave Pix de sua instituição bancária de uso frequente.


Exigindo o nível de segurança da conta é possível alterar acessando dentro da conta em “Privacidade” e depois “Gerenciar lista de selos de confiabilidade”, e por fim autorizar o uso de dados pessoais.


Assim que aparecer a opção “adquirir novas confiabilidades do gov.br”, é só concluir como sendo avaliação patrimonial e seguir adiante com o cadastro. Inclusive, quem já tem a biometria cadastrada no Denatran, o próprio sistema faz o preenchimento.


Na possibilidade de haver dinheiro para receber, após o cadastro gratuito ter sido feito, precisa que seja bronze, prata ou ouro, informando o CPF, selecionando os Termos de uso, autenticação de não ser um robô e continuar.


Em “selos de confiabilidade”, clique em “Cadastro via internet Banking [ nome do banco ]" para assim seguir os passos do banco para acessar a conta e validar por meio do acesso dessa mesma conta bancária.


Isso varia conforme o nível de segurança, em caso de nível prata é permitido o acesso único com login, totalmente digitalizados garantindo o completo acesso ao site, com alta segurança, tendo apenas a comparação da foto tirada para o aplicativo no primeiro momento de acesso com a Carteira Nacional de Habilitação.


Caso o nível seja ouro, é de outra maneira. Essa é uma opção para quem tem biometria registrada nas bases do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), e assim que o saldo estiver disponível para o resgate é necessário a transferência na data estimada.


Dia definido pelo BC, é necessário logar no SVR com a conta antes feita no site do GF (Governo Federal) prata ou ouro. Depois do acesso ao sistema e informado sobre o valor, solicitar a transferência. É importante saber que o banco não pedirá senhas.


Após ativar o nível prata através dos dados pessoais de quem possui contas (ativas) em um dos seis bancos vinculados ao portal Gov.br: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, BRB, Banrisul, Sicoob e Santander.

Não cair em golpes do SVR

Esta ferramenta (SVR) Sistema de Valores a Receber conta com um total de R$ 8 bilhões confirmados, que poderão ser resgatados, havendo também uma segunda fase para esses valores esquecidos. 


O que se sabe é que a maioria do dinheiro esquecido é de pessoas físicas e não das empresas.


Inclusive, um serviço de calibração potente programado para cibersegurança acabou identificando ao menos 25 sites utilizando essa ferramenta (SVR) para se beneficiarem, feitos exatamente para golpes financeiros. 


Eles tentam se passar pelo sistema apenas para a coleta de dados com CPF e as chaves Pix, para fazer esse acesso em que os dados e os valores são inteiramente responsabilidade das mesmas instituições financeiras.


Para alguns este saldo pode ser um valor baixo, mas ainda assim o BC indica sacar o dinheiro de maneira simples e por esse novo meio.


Caso a instituição não tenha aderido aos termos específicos do Banco Central, será necessário obter a informação com os dados de contato diretamente no sistema, com o meio de pagamento ou transferência.


Se a data não for respeitada, será preciso analisar a data de repescagem definida pelo Banco Central, e assim ter acesso a novas datas e novos horários para o recebimento dos valores acrescentados a cada conta eleita.

Datas e prazos para a liberação

As datas e os prazos estimados para cada liberação do dinheiro é de acordo com o ano de  nascimento de quem será beneficiado ou da empresa que foi criada, no caso a PJ (Pessoa Jurídica), seguindo o calendário do Banco Central e as datas de repescagem.


A partir de 14 de fevereiro de 2022 foi liberado para consultas referentes a algum valor, logo em caso positivo é necessário seguir as datas referentes e respectivas para cada pessoa. 


Com isso, essas solicitações de transferências poderão ser agendadas a partir do dia 07 de março deste ano ainda, na data devida informada pelo sistema, essas datas estão disponibilizadas abaixo:


  • Antes de 1968: 7 a 11 de março de 2022;
  • Entre 1968 e 1983: 14 a 18 de março de 2022;
  • Após 1983: 21 a 25 de março de 2022;
  • Antes de 1968: repescagem em 12 de março de 2022;
  • Entre 1968 e 1983: repescagem 19 de março de 2022;
  • Após 1983: repescagem em 26 de março de 2022.

A repescagem funcionará durante todo o dia, das 4h às 24h, sem que haja um prazo limitante para ser efetuado esse saque.


Sendo assim, ao perder a chance de repescagem, a pessoa poderá solicitar o resgate desse saldo a partir de 28 de março de 2022, independentemente da data de nascimento ou da criação da empresa. 


A origem desse dinheiro se deu porque foi deixado para trás decorrente das contas-correntes ou poupanças encerradas com saldo disponível, recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados.


Caso não haja nenhuma busca após todas essas datas fornecidas, não será afetado o fato do dinheiro estar preso no banco e nem o direito que se tem sobre receber esse recurso, ou seja, eles continuam guardados pelas instituições financeiras.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

GeraLinks - Agregador de links