Blog Diferente Para Ser Diferente
Seja Uma Pessoa Melhor, Diferente Você já é ! - Junte-se ao Grupo de Amigos do Seja Hoje Diferente - Bem Vindo (a).

De acordo com estatísticas da Previdência Social, o setor da construção civil ocupa a segunda posição entre os que registram mais acidentes de trabalho no Brasil. Isso acontece porque um canteiro de obras é um ambiente que oferece uma série de riscos que podem prejudicar a saúde e a integridade física dos colaboradores, tornando os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) indispensáveis para quem atua nesses locais.

Os EPIs considerados necessários para os trabalhadores de uma obra civil são usados com o intuito de prevenir acidentes de trabalho ou minimizar suas consequências, caso venham a ocorrer. Esses dispositivos de proteção devem ser usados não apenas em grandes projetos de engenharia, mas também em pequenas reformas, manutenções prediais e qualquer situação que ofereça algum tipo de risco ao profissional.


Quais são os principais riscos da construção civil?

A gestão de riscos nas obras da construção civil é um processo que visa reduzir ou erradicar as situações que podem oferecer algum tipo de risco ao trabalhador. Para que isso seja possível, é necessário adotar medidas de segurança capazes de minimizar os riscos mais comuns, além de cumprir todas as regras determinadas pelas Normas Regulamentadoras vigentes, conhecidas pela sigla NR.

O primeiro passo para uma gestão de riscos eficiente consiste em identificar e conhecer os perigos existentes no local de trabalho. No que diz respeito especificamente ao setor da construção civil, os principais riscos a que o colaborador está exposto são:

Quedas de nível

Muitas das atividades desempenhadas em uma obra exigem que o profissional atue a uma distância maior do que 2 metros do solo, caracterizando trabalho em altura. Para evitar acidentes envolvendo quedas, seja em andaimes ou cadeiras suspensas, é fundamental que o trabalhador esteja paramentado com Equipamentos de Proteção Individual próprios para trabalho em altura, além de receber treinamento específico para este tipo de atividade laboral.

Choques elétricos

Em geral, a maioria dos projetos de construção civil envolve trabalhos com eletricidade. Durante a execução de serviços com instalações elétricas, o profissional está sujeito a sofrer choques elétricos de alta tensão — um tipo de acidente que pode trazer consequências graves e, dependendo do caso, ser fatal.

Queda de materiais

Um canteiro de obras geralmente tem elevadores de carga, andaimes, guindastes e diversos outros dispositivos que colocam tanto os trabalhadores como suas ferramentas e materiais em níveis elevados. Caso um desses acessórios caia de uma altura elevada, ele pode causar um alto impacto que pode levar a acidentes sérios.

Danos auditivos

Marretas, esmerilhadeiras, serras de corte, guindastes, furadeiras e diversos maquinários e ferramentas são fonte de ruído excessivo em uma obra. Muitas vezes, esses dispositivos são usados ao longo de toda a jornada de trabalho do profissional, podendo causar danos auditivos e até mesmo surdez associada a exposição a ruídos.

Acidentes com máquinas e equipamentos

Além dos citados ruídos excessivos, a operação de máquinas e equipamentos pode ocasionar acidentes e fatalidades — especialmente quando o profissional manuseia os dispositivos de maneira incorreta ou irresponsável. Neste caso, além do uso de Equipamentos de Proteção Individual e treinamento adequado do trabalhador, é fundamental que as máquinas sejam submetidas a manutenções periódicas.

Dermatoses e problemas respiratórios

Outro risco a que os trabalhadores da construção civil estão expostos é o contato com produtos químicos que podem causar alergias e problemas de pele. Cimento, argamassas, solventes e ácidos são algumas substâncias frequentemente encontradas em obras e que podem prejudicar a pele e o sistema respiratório do profissional.

Segurança na construção: EPIs para uma obra civil

Após ter identificado os riscos existentes na obra, é necessário adotar medidas para neutralizá-los ou minimizá-los. Um dos principais cuidados preventivos diz respeito a oferecer treinamento para que os profissionais entendam os perigos de seu trabalho e saibam como agir de maneira responsável, de modo a evitar acidentes e preservar sua segurança.

Além disso, é fundamental fazer uma correta sinalização de risco nos ambientes, informando os agentes perigosos presentes no local. A chamada sinalização de segurança é um importante Equipamento de Proteção Coletiva (EPC), que ajuda a informar a todos sobre os locais que demandam mais atenção e apontando os riscos existentes.

Para aquelas situações em que não é possível neutralizar os riscos por meio de mudanças no ambiente, treinamento e uso de EPCs, o uso de Equipamentos de Proteção Individual é obrigatório. Na construção civil, são diversos os riscos que demandam a utilização dos EPIs para que o trabalho seja executado de maneira segura e com o menor risco possível de acidentes.

Os EPIs considerados obrigatórios em um canteiro de obras dependem diretamente dos riscos existentes no local e das características do trabalho realizado pelo colaborador em questão. Isso significa, por exemplo, que um profissional que atua em altura certamentevai precisar de dispositivos de segurança diferentes daquele funcionário que lida com eletricidade ou de um indivíduo que opera uma máquina de grande porte.

Quais são os principais EPIs da construção civil?

Embora isso varie de uma atividade para outra, é possível listar como principais EPIs da construção civil os seguintes dispositivos:

·         Capacete de proteção;

·         Óculos de segurança;

·         Protetores auriculares;

·         Máscara para poeira e proteção contra produtos químicos;

·         Calçado de segurança;

·         Cintos de segurança e demais dispositivos para trabalho em altura;

·         Luvas de proteção.

Quem deve fornecer os EPIs?

De acordo com a Norma Regulamentadora de número 6, que determina as regras para uso dos Equipamentos de Proteção Individual no Brasil, o fornecimento dos EPIs é uma obrigação das empresas contratantes. Os dispositivos devem ser disponibilizados gratuitamente ao trabalhador e, além de estar em perfeito estado de funcionamento, eles devem ser adequados à sua atividade laboral.

O profissional também deve receber treinamento para que saiba como usar o EPI corretamente e se conscientize a respeito da importância de adotar medidas de segurança do trabalho. O trabalhador, por sua vez, tem o dever de utilizar os equipamentos com responsabilidade e apenas para a finalidade a que ele se destina, zelando também pela conservação e higienização do dispositivo.

Procure um fornecedor de confiança para adquirir os Equipamentos de Proteção Individual necessários para sua obra.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Veja abaixo mais um artigo do Seja Hoje Diferente!