Era Glacial ou Período Glacial

A chamada Era do Gelo (também conhecida como Era Glacial ou Período Glacial) corresponde ao período geológico de longa duração caracterizados por uma queda brusca na temperatura na superfície e atmosfera terrestre. A mudança de temperatura fez com que o calor não fosse suficiente para que as camadas de gelo formadas durante o inverno pudessem derreter.

A Terra já passou por cinco desses períodos durante o último bilhão de anos, o último e mais conhecido aconteceu durante a última parte do Pleistoceno, e ocorreu há mais de 20 mil anos.


Causas e efeitos do Período Glacial

Apesar de não ser clara a razão para que ocorra uma Era Glacial, os cientistas apontam algumas possibilidades. Certos fatores, quando combinados, podem ser cruciais na mudança de temperatura. Como, por exemplo, a movimentação das placas tectônicas, a composição da atmosfera e as variações de atividade do Sol e dos vulcões.

Atualmente, a teoria mais aceita é do engenheiro e geofísico sérvio Milutin Milankovitch. Ele explica que mudanças climáticas são geradas a partir de alterações da órbita terrestre em torno do Sol. Ou seja, a rota deixa de ser circular e passa a ser elíptica. Além disso, uma mudança na inclinação do eixo do planeta pode gerar variações. Dessa forma, menos luz atingiria o hemisfério norte no verão, fazendo com que a calota derreta mais lentamente.

Esse é um dos períodos paleoclimáticos mais bem estudado, pois ele oferece a oportunidade de entender como o sistema climático responde às mudanças nas concentrações de gases de efeito estufa e na criosfera.

Mas o quão frio foi o último período glacial?
Um grupo de pesquisadores liderado pela professora Jessica Tierney, da Universidade do Arizona, se propôs a responder essa questão a partir de modelos computacionais que traduziram dados provenientes de fósseis de plâncton para temperaturas equivalentes da superfície do mar. A partir das análises feitas, eles descobriram que a temperatura média da Terra no Último Período Glacial era de 7.8°C. Para efeitos de comparação, a temperatura média da Terra no último século (século 20) era de 14°C.


Talvez um dos pontos mais importantes da história da Era Glacial.
A redução do nível dos oceanos possibilitou o aparecimento de pontes terrestres entre um continente e outro e entre ilhas ao seu redor. Isso permitiu a migração de homens e dos animais e o povoamento de toda a Terra.

Animais da Era do Gelo

Nem todos animais conseguiram sobreviver ao resfriamento das temperaturas terrestres. Aqueles que resistiram são os maiores e com maior quantidade de pelos. Além disso, como esse período durou por anos, boa parte da fauna e flora não resistiu às temperaturas baixas e ausência do sol.

Sendo assim, animais que tinham grandes camadas de gordura, pelos e considerados de grande porte são aqueles com maior capacidade de adaptação. A fauna da era do gelo também era composta por aves que obtiveram sucesso em migrar para locais com temperaturas menos baixas.



Rinoceronte Lanudo era um desses gigantes que viveu nas regiões glaciais da Era do Gelo. O mamífero possuía um avantajado casaco de pelo, atingindo cerca de 8 m de comprimento e 2 m de altura, pesando de 2 a 3 toneladas.

Recentemente um carcaça muito bem conservada de Rinoceronte Lanoso foi encontrada por um morador nas margens de um rio no leste da Sibéria. 

Talvez o animal mais estudado e documentado dessa época, os Mamutes eram mamíferos gigantescos. Um exemplo é o Mamute do rio Songhua, que podia alcançar entre 4,70 até 5,00 metros de altura e pesar entre 15 e 20 toneladas, tendo sido a maior espécie de mamute. Estes animais apresentavam tromba e presas de marfim encurvadas, que podiam atingir cinco metros de comprimento, seu corpo era coberto por um pelo grosso e pesado.

Os mamute extinguiram-se há apenas 5.600 anos e foram muito comuns no Paleolítico, onde foram uma fonte importante de alimentação do homem da pré-história

Presa de um Mamute de 12.000 anos, encontrado na Sibéria.
Preguiça Gigante habitava nas Américas do Sul e do Norte. Era do tamanho de um elefante de porte médio e comia folhas como tal, em enormes quantidades. Apesar de enormes, eram criaturas pacíficas, no entanto, podiam se defender muito bem de predadores no combate corpo a corpo, pois eram muito fortes e uma patada de uma Preguiça Gigante deveria fazer um bom estrago no adversário.

Em abril de 2019, foram encontrados fósseis de uma espécie única de preguiça-gigante, que viveu no Brasil há cerca de 20 mil anos. Nomeado de Glossotherium phoenesis, o animal teria habitado São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Bahia, Pernambuco e Paraíba

Mais robusto do que qualquer felino moderno, o Esmilodonte (conhecido popularmente como Tigre dentes de sabre), era um dos maiores predadores da era glacial. Possuía membros longos, cauda curta, e eram excepcionalmente grande, podendo variar de 250 até 500 quilos. Mas o que o tornava famoso e temido eram seus longos caninos de até 28 cm.

A extinção do tigre dentes de sabre pode ter ocorrido por causa do desaparecimento dos grandes mamíferos herbívoros no final do Pleistoceno, substituídos por animais menores e mais ágeis.



Cervo Gigante (Megaloceros) é mais um grande herbívoro habitava a terra durante a era glacial. Seu tamanho variava muito de acordo com a espécie, as maiores chegava a 2 m na cernelha e 600 kg. Seus chifres, que alcançavam até 3,5 m de ponta a ponta, pesavam cerca de 40 kg. O extinto cervo viveu em toda a Eurásia e serviam de alimento para os primeiros humanos.

Homo-Sapiens

O ancestral do ser humano, chamado de Cro-Magnon, viveu na última Era do Gelo e conviveu com animais hoje extintos, como os mamutes, os cervos gigantes e os leões-das-cavernas. É dito que algumas espécies de plantas e animais só sobreviveram graças a ação do nosso ancestral.

Ao contrário das outras espécies de animais, os humanos ancestrais não eram nem grandes nem peludos o suficiente para o isolamento natural do frio, mas eram capazes de usar sua criatividade para lidar com alguns dos climas mais severos. Eles construíam abrigos quentes de ossos de mamute e usavam peles de animais para proteção contra o frio.



A próxima Era do Gelo

A maioria de nós está familiarizada apenas com as recentes eras glaciais dos últimos 100 mil anos, mas grandes eras do gelo vêm devastando o planeta há bilhões de anos. Sempre que houve longos períodos de baixa atividade solar e quedas contínuas nos níveis globais de carbono, houve quedas inevitáveis ​​de temperatura em todo o mundo, levando a mais uma era do gelo.

A perspectiva de quando a próxima era do gelo pode nos atingir é intrigante e arrepiante. O atual nível de aquecimento global pode ter adiado uma possível nova era do gelo, mas, segundo os cientistas, existe a possibilidade de que uma pequena era do gelo ocorra por volta de 2030.

Qual é a sua opinião sobre este artigo?

Caro leitor, sua opinião é essencial para nós! Compartilhe seus pensamentos nos comentários sobre esta publicação. Garantimos manter o Seja Hoje Diferente sempre atualizado e funcional. Se notar algum link quebrado ou problema com áudio e vídeo, por favor, avise-nos nos comentários. Agradecemos sua colaboração, seu apoio é a bússola que nos orienta na entrega de conteúdo relevante. Obrigado por fazer parte desta comunidade engajada!

Postagem Anterior Próxima Postagem

Shopee