Quem faz um plano de previdência privada tem o objetivo de guardar dinheiro para a aposentadoria e garantir um futuro com menos preocupações. Na prática, a previdência privada se trata de uma previdência contratada por vontade e conta própria pelas pessoas.

Ela é complementar à previdência oferecida pelo Governo Federal por meio do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), ou seja, é uma previdência extra.

A previdência privada é controlada pela Susep (Superintendência de Seguros Privados) sendo oferecida por diferentes instituições financeiras.

O funcionamento é o mesmo de uma aplicação financeira. No momento da contratação a pessoa decide o quanto deseja aplicar por mês ou por ano, por quanto tempo e após quantos anos deseja fazer o resgate. 

Essas aplicações têm seu próprio rendimento e variam de acordo com o plano escolhido, podendo ser contratado até mesmo pelo funcionário de uma empresa de interfone.

Neste artigo você vai aprender mais sobre previdência privada e ver as possibilidades que se estendem para as crianças.

O que é previdência privada?

Como pontuamos, trata-se de uma aplicação financeira em que se escolhe o quanto aplicar por mês ou ano, por quanto tempo e o prazo para resgate. 

Existem no mercado dois tipos de previdência privada: PGBL e VGBL. Suas diferenças serão discutidas adiante, mas a principal delas é em relação à tributação e a deduções no Imposto de Renda.

Em um plano de previdência privada varia a forma como ele é tributado, podendo ser PGBL ou VGBL. 

Dessa forma, quem contrata pode escolher entre o regime de tributação regressivo ou progressivo.

Para escolher o melhor plano de previdência privada para você é preciso avaliar sua vida financeira e tributária, para não sair em desvantagem por conta da tributação.

Um empreendedor do segmento de desinsetização e desratização pode investir de forma segura em um plano de previdência privada.

Dicas para planejar sua previdência privada

Pontuamos a seguir algumas questões que você precisa saber antes de começar a planejar sua previdência privada.

1 - Como funcionam os planos de previdência privada?

Em um plano de previdência privada, uma pessoa pode escolher contribuir com mil reais por ano, e receber um valor proporcional no futuro como aposentadoria.

Também é possível resgatar o valor investido em um plano de previdência antes da data estipulada para o resgate, desistindo do plano.

Nesses planos é possível escolher entre sacar o montante de uma só vez ou transformá-lo em renda mensal no futuro, quando começar a recebê-lo.

As empresas de terceirização de folha de pagamento e demais segmentos podem oferecer planos de previdência privada para seus funcionários.

E as pessoas podem contratar por conta própria um plano de previdência privada em bancos ou corretoras.

2 - O que é PGBL e VGBL?

PGBL é a sigla para Plano Gerador de Benefício Livre enquanto VGBL significa Vida Gerador de Benefício Livre. Tratam-se dos planos de aposentadoria privada disponíveis no mercado.

O PGBL é um plano de previdência privada que tem como principal característica e vantagem a dedução do Imposto de Renda. Isso quer dizer que quem possui um PGBL pode deduzir até 12% de sua renda tributável que inclui:

  • Salário;

  • Horas extras;

  • Férias;

  • Direitos autorais;

  • Valores recebidos do INSS;

  • Aluguéis;

  • Rendimento de investimentos;

  • Benefícios;

  • Pensões;

  • Entre outras fontes de renda.

Outra característica importante do PGBL é a forma como a aplicação é tributada pelo IR: o imposto incide sobre o valor total da aplicação menos o valor investido mais os rendimentos do período.

Essa forma de tributação pode ser interessante para o colaborador de uma empresa de ppra valor. O VGBL, por outro lado, é o plano de previdência privada mais vendido no Brasil atualmente, sendo o mais comum entre as pessoas que possuem um.

A grande vantagem aqui é que os impostos incidem somente sobre os rendimentos da aplicação, e não sobre o total dela. No entanto, ele não garante nenhuma dedução no Imposto de Renda.

3 - Tributação progressiva ou regressiva?

Você também precisa escolher a forma com que o plano de previdência será tributado no momento do resgate, ou seja, escolher um regime de tributação do Imposto de Renda que pode ser regressivo ou progressivo.

No modelo progressivo as alíquotas do IR vão de 0% a 27,5%, dependendo do valor resgatado.

Nesse caso, o Imposto de Renda incide da mesma forma que incide sobre os assalariados: a alíquota varia de acordo com o quanto a pessoa recebe de aposentadoria privada.

Outro detalhe é que quando é feito o resgate do saldo da previdência privada, é recolhido 15% de Imposto de Renda na fonte, mas ele pode ser compensado na declaração.

Para saber se esta é a melhor escolha para você que trabalha com monitoramento de frota via gps, vamos ver a tributação regressiva agora.

Na tributação regressiva, as alíquotas do Imposto de Renda diminuem ao longo do tempo: elas começam em 35% para as contribuições feitas em até 2 anos e caem, a cada 2 anos, 5 pontos percentuais.

De forma sintética e resumida, podemos concluir que esse regime de tributação é mais vantajoso para quem investe em um plano de previdência privada por um prazo mais longo.

4 - Previdência privada para menores de idade

Se você está estranhando o tema da previdência privada para menores de idade, fique sabendo que não deveria.

Afinal de contas, antes de seu filho chegar ao mundo você certamente se preocupou com enxoval, decoração do quarto, brinquedos, entre outros detalhes.

Depois do nascimento, é hora de se preocupar com a saúde e a educação do bebê, mas e em relação ao seu futuro? Você tem um plano financeiro?

São muitas as questões como o estado da economia quando seu filho estiver adulto, se nessa fase de sua vida ainda vai existir aposentadoria, entre tantos outros questionamentos.

Outro detalhe que precisa ser considerado é o fato de que comprar um imóvel era relativamente simples na época de nossos pais e hoje essa façanha se tornou um privilégio de poucos diante dos altos custos do mercado imobiliário. E no futuro na vez de seu filho?

Todas essas são questões que o empresário de uma empresa de relógio de ponto digital para pequenas empresas deve se perguntar.

E a resposta para esse dilema pode ser dado ainda no momento em que seu filho é uma criança, com uma decisão familiar inteligente e de longo prazo: uma previdência privada infantil.

Você deve estar se perguntando qual é a idade mínima para ter um plano de previdência privada e fique sabendo que não há idade mínima.

Para realizar esse tipo de investimento basta ter um CPF válido e realizar os aportes de acordo com a instituição financeira escolhida.

Existem duas formas de incluir um menor de idade em um plano de previdência privada. Uma forma é incluir o filho como beneficiário dos pais que devem ser listados como titulares. 

No caso de alguma fatalidade atingir os responsáveis, seu herdeiro recebe o dinheiro aplicado. Outra opção é colocar o próprio menor de idade como titular do plano de previdência, dando a ele acessos a uma fonte de renda em determinado momento da vida.

Uma pessoa que trabalha em uma estação elevatória de esgoto residencial, certamente está se perguntando se realmente existe previdência privada para menores. E fique sabendo que não apenas existe, como vem se tornando um produto cada vez mais procurado no mercado.

Em 2017, apenas nos 6 primeiros meses, os planos individuais para menores registraram uma participação de 1,69% do total de planos de previdência privada. E esse percentual cresce exponencialmente desde o início da década.

De acordo com dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), os planos de previdência para menores receberam um aporte de R$921,45 milhões no período.

O motivo dessa movimentação milionária de recursos é muito simples: certamente o melhor presente que você pode dar ao seu filho é um futuro tranquilo.

Então por que não investir um pouco todos os meses e ajudar a construir um futuro de sucesso para quem você mais ama? Existem planos a partir de R$30.

É desse ponto de vista que se originou a atual busca dos pais que trabalham com empilhadeira a venda por planos de previdência privada para crianças.

5 -  Quando começar a investir?

Da mesma forma que não temos uma idade mínima para dar início a um plano de previdência privada, também não há limite máximo de idade para começar a planejar a aposentadoria, mas quanto mais cedo, mais vantagens você terá.

Em uma situação na qual os aportes são feitos desde cedo, é possível ampliar o montante acumulado, garantindo uma renda melhor durante a aposentadoria.

Outro fator relevante é que com mais tempo à sua disposição, os juros compostos passam a trabalhar a seu favor, ampliando a rentabilidade.

Com planos começados com maior antecedência, pais e filhos podem se planejar melhor, de forma que é possível decidir com mais calma até que idade os aportes serão feitos pelos responsáveis e quando o jovem irá assumir essa responsabilidade.

Considerações finais

Com as dicas que você viu neste artigo, tem um bom embasamento para  planejar uma previdência privada para crianças.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Postagem Anterior Próxima Postagem


Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.