O Twitter relançou sua controversa assinatura Twitter Blue, incluindo marcas de verificação pagas, no mesmo dia em que o CEO Elon Musk dissolveu o Conselho de Confiança e Segurança da plataforma.


Isso marca mais um dia do tumulto que persegue a empresa desde que Musk a comprou em outubro deste ano.

Aqui está o que aconteceu e o que isso significa para os usuários do Twitter. 

O que está acontecendo com o Twitter Azul?

O Twitter Blue é o serviço de assinatura da plataforma. 

Anteriormente, a marca de seleção azul ao lado do nome do usuário era reservada apenas para contas verificadas de políticos, personalidades famosas, jornalistas e outras figuras públicas.

Agora, por US$ 8 (US$ 11,82) por mês, qualquer pessoa pode ter o visto azul em seu perfil.

O Twitter Blue foi lançado inicialmente em novembro, antes de ser pausado depois que contas falsas "verificadas" inundaram a plataforma. Foi programado para ser lançado novamente em 29 de novembro, mas foi adiado.

No modelo mais recente, marcas de seleção cinza e dourada também foram introduzidas – cinza para governos e ouro para empresas. 

O que o Twitter Blue significa para os usuários?

A plataforma social afirma que os usuários se beneficiarão de mais do que apenas a marca de seleção azul ao lado do nome de usuário.

Os assinantes recebem 50% menos anúncios, podem postar vídeos mais longos e suas respostas, menções e pesquisas serão priorizadas, "ajudando a combater golpes e spam".

Eles também poderão editar tweets e usar tokens não fungíveis (NFTs) como foto de perfil.

No entanto, há uma pequena reviravolta para os usuários do Apple iOS, pois eles devem pagar US$ 11,00. 

O Twitter não explicou por que os usuários da Apple estão sendo cobrados mais do que outros, mas houve relatos da mídia de que a empresa estava procurando maneiras de compensar as taxas cobradas na App Store.

Em uma série de tweets no mês passado, Musk listou várias queixas com a Apple, incluindo a taxa de 30% que a fabricante do iPhone cobra dos desenvolvedores de software para compras no aplicativo.

Por que o Twitter está introduzindo um modelo de assinatura?
Musk já havia afirmado que a empresa precisava complementar sua receita com anúncios, depois que os anunciantes - a principal fonte de receita do Twitter - fugiram da plataforma devido a preocupações com a segurança da marca.

O Wall Street Journal informou no início de novembro que, entre outras, Pfizer, Audi, Volkswagen e Mondelez International – fabricante do Oreos – haviam pausado temporariamente sua publicidade no Twitter. 

Alguns anunciantes expressaram preocupação com a redução da moderação de conteúdo por parte de Musk.

Mais notavelmente, Musk disse que a Apple ameaçou bloquear o Twitter de sua loja de aplicativos e parou de anunciar na plataforma, depois que ele twittou uma série de queixas contra a empresa.

No entanto, após uma reunião subsequente com o executivo-chefe da Apple, Tim Cook, ele twittou que o mal-entendido sobre o Twitter ser removido da loja de aplicativos da Apple foi resolvido.

O que era o Conselho de Segurança e Confiança do Twitter?

Pouco depois do relançamento do Twitter Blue, veio à tona que o Conselho de Segurança e Confiança da plataforma social havia sido dissolvido.

O conselho – formado por cerca de 100 organizações independentes, civis, de direitos humanos e outras – trabalhou como um grupo consultivo projetado para ajudar a lidar com discurso de ódio, exploração infantil, suicídio, automutilação e outros problemas na plataforma.

A empresa de mídia social informou ao conselho que havia sido dissolvida pouco antes do horário de início de sua próxima reunião agendada.

O grupo de voluntários forneceu experiência e orientação sobre como a plataforma social poderia combater melhor o ódio, o assédio e outros danos, mas não tinha autoridade para tomar decisões e não analisava disputas de conteúdo específicas.

A dissolução aconteceu pouco depois de três membros do conselho anunciarem que estavam renunciando, afirmando: "Ao contrário das afirmações de Elon Musk, a segurança e o bem-estar dos usuários do Twitter estão em declínio". 

O que o fim do Trust and Safety Council significa para a moderação do Twitter?
Musk havia dito anteriormente que formaria um novo "conselho de moderação de conteúdo" para ajudar a tomar decisões importantes, mas depois mudou de ideia.

A ex-funcionária do Twitter Patricia Cartes, cujo trabalho era formar o conselho em 2016, disse que sua dissolução "significa que não há mais freios e contrapesos". 

Cartes disse que a empresa procurou trazer uma visão global para o conselho, com especialistas de todo o mundo que poderiam transmitir preocupações sobre como as novas políticas ou produtos do Twitter podem afetar suas comunidades.

Ela comparou isso com a prática atual de Musk de pesquisar seus seguidores no Twitter antes de fazer uma mudança de política que afeta como o conteúdo é moderado.

"Ele realmente não se importa muito com o que os especialistas pensam", disse Cartes.

Musk logo revidou, ampliando as críticas ao conselho e à liderança anterior do Twitter por supostamente não fazer o suficiente para impedir a exploração sexual infantil na plataforma.

"É um crime que eles se recusaram a agir contra a exploração infantil por anos!" Musk twittou.

Um número crescente de ataques levou alguns membros remanescentes a enviar um e-mail ao Twitter na manhã de segunda-feira exigindo que a empresa parasse de deturpar o papel do conselho.

Essas falsas acusações dos líderes do Twitter estavam "colocando em perigo os atuais e antigos membros do Conselho", dizia o e-mail.

O Trust and Safety Council, de fato, tinha como um de seus grupos consultivos um que se concentrava na exploração infantil.
Postagem Anterior Próxima Postagem
Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!


Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!

Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.