Prática foi regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) em 2022 e leva startups de health pet a ampliarem gama de serviços

Com 139,3 milhões de animais de estimação, o Brasil é o terceiro país do mundo em número de pets, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Produtos Para Animais de Estimação (Abinpet). Destes, pouco mais de 56% são cães e gatos, que são considerados como membros familiares, as famosas famílias multiespécies.

Nesse contexto, os tutores se veem cada vez mais preocupados com o bem-estar dos pets e a telemedicina veterinária, que se popularizou durante a crise sanitária da Covid-19, desponta como aliada no cuidado à saúde dos animais de estimação. A prática foi regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) neste ano, por meio da Resolução nº 1.465/2022, e engloba seis modalidades: teleconsulta, telemonitoramento, teletriagem, teleorientação, teleinterconsulta e telediagnóstico.

A teleconsulta cabe para os casos em que profissional e paciente não estejam próximos geograficamente e exige Relação Prévia Veterinária-Animal-Responsável (RPVAR), relação escrita e formal estabelecida entre veterinário e o responsável pelo paciente, comprovada por meio de prontuário. Já o telemonitoramento busca acompanhar o animal à distância, quando já houve atendimento presencial, durante a recuperação de procedimentos clínicos ou cirúrgicos ou se o pet estiver passando por tratamento de doença crônica.

A teletriagem, por sua vez, tem como objetivo identificar e classificar eventual necessidade de uma teleconsulta ou até mesmo do atendimento presencial, enquanto a teleorientação é voltada a sanar dúvidas e orientar os tutores, podendo virar uma teletriagem. Já a teleinterconsulta ocorre exclusivamente entre médicos veterinários, para troca de informações, assim como o telediagnóstico, que consiste na transmissão de dados e imagens para serem interpretadas à distância pelos especialistas.

Facilidade e alívio para os tutores – Para Otto Marques, CEO e fundador do Meu Pet Club — startup de health pet que oferta planos de saúde para cães e gatos, — a regulamentação da telemedicina veterinária está em compasso com a nova configuração de sociedade que emergiu no pós-pandemia, no sentido de que a tecnologia é uma grande aliada para facilitar o dia a dia em diversas áreas.

“Assim como a telemedicina representou um avanço para a saúde humana, a telemedicina veterinária traz inúmeros benefícios para a saúde dos pets. Certamente, da mesma maneira que ocorreu com os médicos, os veterinários deverão passar por capacitações e treinamentos para estarem preparados para o teleatendimento, agindo com empatia, ética e oferecendo um serviço com tanta qualidade quanto o presencial. No geral, estamos felizes com essa regulamentação, até porque vai muito ao encontro daquilo que acreditamos: animais são parte da família e merecem todas as formas de cuidado”, pontua Marques.

O Meu Pet Club oferta o serviço de teleconsulta no plano De Boa, disponível para pets de todas as idades. Além de telemedicina, ele também cobre consultas de urgência e emergência, atendimento ambulatorial, assistência funeral, exames laboratoriais, de imagem e vacinas. Todas as opções de planos do Meu Pet Club podem ser consultadas no site oficial.

Veja também:

6 especialidades veterinárias que você não sabe que existem

Postagem Anterior Próxima Postagem
Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!


Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!

Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.