Perfeição inatingível

Fotos de ginástica, condicionamento físico e treino em academias postadas nas mídias sociais deveriam inspirar outras pessoas a se exercitar, mas, na verdade, essas fotos podem ter exatamente o efeito oposto.


Na busca da perfeição física, acaba surgindo uma necessidade narcisística de validação que, por definição, não pode ser saciada, porque não há perfeição física.


As consequências para quem não se dá conta disso podem ir de ideais corporais distorcidos até doenças mentais.


"A 'inspiração física' captura a essência do lado problemático das mídias sociais," resume o professor Aurélien Daudi, da Universidade de Malmo (Suécia).


Mídia da objetificação


Plataformas de mídia social baseadas em imagens e em vídeos curtos, como Instagram e TikTok, têm uma lógica inerente de objetificação, explica o pesquisador. Representar totalmente a si mesmo através de uma imagem é realmente impossível porque não é viável capturar tudo o que você é como pessoa através de uma imagem.


"Dentro dessa cultura, há um grande foco no corpo bem treinado, atraente e 'sexy'. Isso é muitas vezes o que a pessoa mostra de si mesma, levando a um casamento natural entre objetificação e sexualização," disse Daudi.


Assim, essas mídias convidam as pessoas a se entregarem ao seu próprio narcisismo.


A comparação social e o incentivo para viver de acordo com os ideais propagados por meio das fotos de outras pessoas gera estresse, assim como o ato de postar a si mesmo. Imagens que constantemente mostram versões idealizadas de si mesmo e dos outros, e que se chocam com a realidade, muitas vezes podem criar dissonância emocional.


Sentimentos frustrantes de inadequação são compensados com ainda mais narcisismo, levando à postagem de ainda mais imagens em busca de uma resposta maior. O resultado é um círculo vicioso do qual é difícil escapar.


"O narcisismo é frequentemente usado como uma palavra depreciativa, mas na psicanálise o termo também descreve uma força motriz, querer e desejar algo para si mesmo. Há motivos para tentar controlar esse narcisismo e, em contextos sociais, normalmente ele é mantido sob controle. No Instagram, no entanto, o narcisismo que existe em todos é alimentado e cultivado," detalhou o pesquisador.


Cultura do mostrar-se


Apesar disso, a imagem vendida através das redes sociais pode ser um motivador real para o exercício, seja um motivador saudável ou não, mas se a motivação for sempre externa - que alguém se exercite para agradar os outros e receber melhores avaliações em suas postagens - então mesmo este benefício traz consigo o risco de efeitos colaterais negativos.


Os pesquisadores também observaram que tanto homens quanto mulheres postam fotos dentro da cultura do "inspire-se em mim fisicamente" das mídias sociais.


No entanto, as mulheres têm sido tradicionalmente mais expostas ao olhar crítico da mídia, tornando o impacto negativo da exposição física potencialmente maior entre elas, de acordo com o estudo. O professsor Daudi ressalta que a exposição física nas mídias não mostra um retrato direto da cultura da academia ou do treinamento de força, representando antes uma cultura própria.


"Mais mulheres jovens do que homens publicam nas redes sociais no âmbito do fenômeno, enquanto a cultura do fisiculturismo tradicional ainda é bastante dominada por homens. As fotos nas redes sociais geralmente não são centradas especificamente no treinamento em si, mesmo que as legendas muitas vezes contenham referências claras para se exercitar. As fotos tendem a mostrar poses cuidadosamente escolhidas ou destacar partes do corpo selecionadas," disse ele.


Por trás de uma imagem publicada, geralmente há muito mais variações da imagem, e apenas a melhor e mais perfeita imagem é publicada. "Em outras palavras, o valor do sinal, o status que o corpo e a imagem exibem, é mais importante do que mostrar que realmente se tem benefício prático de um corpo forte e saudável," concluiu Daudi.


Informações Diário da Saúde


Café de Apoio ao Blog SHD: 
Precisamos de sua ajuda para manter esse blog vivo.
De pouco em pouco chegamos ao muito!
Nos ajude com um café através do pix 11 98363-7919
Postagem Anterior Próxima Postagem

Compartilhe nas redes sociais e apoie ou retribua

Todos os nossos artigos são exclusivos é proibida a reprodução total ou parcial dos mesmos sem a indicação da fonte SHD: Sejahojediferente.com