Blog Diferente Para Ser Diferente
Seja Uma Pessoa Melhor, Diferente Você já é ! - Junte-se ao Grupo de Amigos do Seja Hoje Diferente - Bem Vindo (a).

As promoções conquistaram as pessoas em todo o mundo. Entretanto, alguns países adaptaram a tradição para a própria cultura, tornando o período ainda mais vantajoso. Entenda aqui.

A Black Friday tornou-se um evento aguardado em diversos países do mundo. A quarta sexta-feira do mês de novembro é o momento em que o consumidor encontra os menores preços, por causa das promoções em diversos setores do comércio.

A tradição teve início nos Estados Unidos, porque os lojistas passaram a diminuir os preços na sexta-feira após a comemoração do feriado de Ação de Graças. Com as liquidações da data, os comerciantes conseguiam recuperar o faturamento dos meses em que ficaram no vermelho.

Os descontos eram tão atrativos que mexicanos e canadenses cruzavam as fronteiras para fazer as compras. Para evitar a fuga de seus consumidores, esses países também começaram a fazer a sua própria Black Friday, e a ideia se espalhou ao redor do mundo.

Até hoje, a Black Friday é conhecida como o início das compras de fim de ano. No Brasil, o e-commerce foi responsável por alavancar esse movimento, e as ofertas on-line são as mais vantajosas para o consumidor brasileiro.

A seguir, separamos uma lista com alguns países em que a Black Friday é um verdadeiro sucesso. Confira.


Estados Unidos

A tradição nasceu em solo estadunidense, e o país se destaca como um dos líderes de vendas. Imagens com milhares de americanos aglomerados em frente às lojas são conhecidas no mundo inteiro. Afinal, os descontos são altos, e o consumidor quer aproveitar a oportunidade.

Apesar disso, os hábitos estão mudando. Em 2019, o destaque ficou para as vendas on-line, que apresentaram crescimento de 19,6%, atingindo a marca de 7,6 bilhões de dólares, segundo a Adobe Analytics.

China

Na China, o Single’s Day (Dia dos Solteiros) também é conhecido como Black Friday chinesa no Ocidente. A data é comemorada no dia 11 de novembro e teve início na Universidade de Nanquim, em 1993. O objetivo era dar a oportunidade para os homens encontrarem um par romântico, com eventos como o encontro às cegas.

Com isso, os comerciantes enxergaram uma oportunidade de negócio. Hoje em dia, as vendas eletrônicas do período são as mais expressivas, e o lucro é maior que o da Black Friday dos países ocidentais, incluindo os Estados Unidos. Em 2018, a data movimentou mais de 30 bilhões de dólares.

México

O México trouxe a Black Friday para o país, mas fez algumas alterações. Em 2011, o governo criou uma parceria com o setor comercial local e lançou o El Buen Fin (O Bom Fim de Semana). A data acontece no final de novembro e coincide com o final de semana do Dia da Revolução.

O evento tem sido um sucesso, e as lojas se assemelham às imagens americanas: lotadas de consumidores que buscam comprar freneticamente. Em geral, as vendas aumentaram 15% em relação ao ano anterior desde o início do El Buen Fin. Em 2019, elas superaram 6 bilhões de dólares.

Reino Unido

No Reino Unido, a tradição de compras é conhecida como Boxing Day, que acontece no dia 26 de dezembro, após o Natal. Na data, os comerciantes oferecem grandes descontos, como uma queima de estoque dos itens que não foram vendidos no final do ano.

Entretanto, isso não impediu que os países do Reino Unido aproveitassem a Black Friday em novembro. Ou seja, a data também passou a ser adotada nesses territórios, mas o consumidor prefere comprar on-line e deixar para lotar as lojas no Boxing Day.

Brasil

Nos últimos anos, a Black Friday vem crescendo em solo brasileiro, e os cidadãos aguardam a data para fazer diversas compras. Algumas iniciativas foram criadas, como a Black November, que tentou antecipar as vendas para o mês de novembro, e a Black Week, que promove descontos durante toda a semana.

Em 2019, o grande sucesso foi o varejo on-line, que promoveu as melhores promoções e conquistou o público. Além disso, vale lembrar que não é feriado na Black Friday, portanto, as pessoas trabalham, dificultando as compras presenciais. As vendas ultrapassaram três bilhões de reais, sendo um recorde para o mercado varejista.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Veja abaixo mais um artigo do Seja Hoje Diferente!