Blog Diferente Para Ser Diferente
Seja Uma Pessoa Melhor, Diferente Você já é ! - Junte-se ao Grupo de Amigos do Seja Hoje Diferente - Bem Vindo (a).

Fortes e Unidos Somos Melhores!
Seja Hoje Diferente:


Os materiais existentes nos tecidos impactam diretamente o meio ambiente

Na hora de comprar suas roupas, não basta apenas escolher a estampa e o modelo da moda, mas sim, verificar se as peças escolhidas são de marcas ecofriendly e como foi seu processo de produção, tingimento e lavagem, até chegar no estágio de decomposição, quando for descartada no meio ambiente. 

O setor de vestuário de todo o mundo produz muito lixo, devido à tendência da fast fashion, ou seja, da moda rápida, que são roupas que possuem um tempo de vida muito menor, sendo consideradas inutilizáveis em um curto período.

Isso faz com que seja extremamente necessário ficar atento ao tipo de tecido que é utilizado na fabricação das roupas, com o propósito de amenizar os impactos que essa indústria causa à natureza. 

Pensando nisso, você pode começar a prestar atenção nos componentes que dão origem e beleza às suas peças de roupa e optar por produtos de melhor qualidade, pois você estará colaborando com o consumo consciente.

Ajuda a expandir o consumo consciente 

Com a atual situação dos recursos naturais do planeta Terra chegando ao nível de esgotamento em pouco tempo, para que possamos continuar suprindo nossas necessidades básicas, é preciso repensar atitudes que afetam significativamente o meio ambiente.

São tantos resíduos produzidos, com o setor da moda como um dos principais poluentes, que, logo mais, não será possível controlar a grande quantidade de poluentes químicos lançados no planeta. 

Por isso, é crucial saber consumir de forma consciente, tanto em quantidade quanto em qualidade, verificando sempre a origem dos tecidos ou optando por marcas ecofriendly, ou seja, marcas que utilizam na fabricação de seus produtos materiais pouco tóxicos à natureza.

Acelera o processo de decomposição

Optar por consumir peças com tecidos naturais, como algodão e linho, é uma boa maneira de colaborar, pois eles se decompõem rapidamente quando descartados na terra. 

Outra dica é averiguar o tipo de tingimento feito na peça, que pode conter produtos químicos altamente prejudiciais ao meio ambiente. Por ser uma reação forte, os elementos utilizados no tingimento das peças tendem a fazer mal tanto para o ser humano quanto para o meio ambiente.

Pensando nisso, escolher peças com tecidos bons e duradouros, menos roupas serão descartadas e, consequentemente, impactarão menos a natureza. Saber avaliar e reutilizar é uma forma de colaborar com o planeta. 

Determina qual será o descarte mais eficiente da roupa

Se você acha que roupa, quando jogada fora, deve ser descartada em qualquer lugar, você está muito enganado!

Assim como plásticos, metais, papéis, vidros e orgânicos, as roupas também possuem um lugar específico para serem descartadas, como centros de reciclagem, outra opção é devolver diretamente ao fabricante, para que ele descarte corretamente a peça utilizada. 

Os tecidos com base em algodão têm uma decomposição mais fácil, devido aos seus componentes naturais. Já os sintéticos são os mais difíceis, pois demoram muito para se decompor e ainda agridem consideravelmente o ambiente, pelo fato de possuírem componentes tóxicos que poluem os oceanos.

Não ache que é besteira e que não faz diferença descartar na rua ou no lixo, pois se cada um fizesse a sua parte, todas as vestimentas teriam um espaço adequado para serem depositadas depois de muito velhas. 

Depois desses conselhos, está na hora de rever os seus conceitos e começar a levar a vida de uma forma mais sustentável, pensando nas futuras gerações. 

Ao se deparar com uma peça feita de um tecido diferente, pesquise seus elementos e a marca que a criou antes de comprá-la, caso seus componentes não sejam prejudiciais e você estiver realmente precisando da roupa, compre-a! Caso contrário, repense e se pergunte: “Eu realmente preciso disso?”
Postagem Anterior Próxima Postagem

Veja abaixo mais um artigo do Seja Hoje Diferente!