O deputado federal Eduardo Bismarck (PDT-CE) apresentou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) uma Indicação (94/23) para que os medicamentos cuja composição contenha substâncias análogas ao Glucagon 1 humano (GLP-1), tais como Semaglutida, Liraglutida e Dulaglutida passem a ser dispensadas somente mediante apresentação de receituário especial tipo C1.
 
De acordo com o parlamentar, as medicações classificadas como análogos da GLP1, em especial a Semaglutida, estão sendo comercializadas livremente no Brasil, sem exigência de prescrição médica, fato agravado após divulgação sobre sua eficácia no tratamento contra a obesidade. “Com falta de controle de uso, as pessoas estão cada vez mais se expondo aos riscos da automedicação. Há também um outro grande problema: quem realmente precisa, não está encontrando no mercado”.
 
“O que está acontecendo é muito grave. Não sabemos a consequência de quem está usando indiscriminadamente e fazendo faltar para os pacientes que estão precisando para o tratamento da diabetes. Apesar das evidências científicas de que os análogos do GLP1 são medicamentos seguros e eficazes, existem contraindicações. Além disso, a perda de peso sem acompanhamento médico e/ou nutricional pode levar ao risco de desnutrição protéico-calórica, flacidez cutânea, dentre outras complicações”, pontua Eduardo.
Postagem Anterior Próxima Postagem

Compartilhe nas redes sociais e apoie ou retribua

Todos os nossos artigos são exclusivos é proibida a reprodução total ou parcial dos mesmos sem a indicação da fonte SHD: Sejahojediferente.com