Só em 2021, esse tipo de crime gerou um prejuízo de aproximadamente R$ 1,2 bilhão, de acordo com a Associação Nacional de Transportes de Cargas e Logística (NTC&Logística)

De acordo com os dados divulgados pela NielsenIQ|Ebit, em parceria com a Bexs Pay, o e-commerce chegou a marca de R$ 118,6 bilhões em vendas no país no primeiro semestre do ano passado, um aumento de 6% no comparativo com o mesmo período de 2021, quando o volume somou R$ 111,8 bilhões. Com o aumento nas compras online, as cargas se tornaram alvos dos criminosos nas estradas. 

Só em 2021, esse tipo de crime gerou um prejuízo de aproximadamente R$ 1,2 bilhão, de acordo com a Associação Nacional de Transportes de Cargas e Logística (NTC&Logística). O Sudeste é a região do Brasil que mais sofreu com o roubo de cargas, sendo que 82% dos incidentes aconteceram na região.

Diante dessa situação, muitas empresas decidiram procurar serviços capazes de garantir que suas cargas sejam entregues de forma segura para evitar possíveis prejuízos. Sendo assim, instituições que oferecem recursos e produtos que dificultam o roubo de mercadorias e aumentam a segurança na hora de realizar o transporte das cargas, acabaram registrando crescimento durante esse período, como é o caso da startup T4S Tecnologia. O plano de criar a empresa surgiu em 2016 com o início das operações em 2017.

Os empresários Enrico Rebuzzi e Luiz Henrique Nascimento sentiram na pele o que era sofrer com os prejuízos de roubo de cargas, pois antes de fundar a T4S, eles tinham uma empresa de logística em 2003, e passavam por essa situação direto. Com a experiência adquirida nós tempos em que ambos trabalhavam com logística, eles desenvolveram um sistema batizado de Bloqueador Independente.

“Como o fator tempo é a chave do sucesso para as quadrilhas, uma vez que precisam sair do local do crime em poucos minutos e em poder do veículo, O Bloqueador T4S dificulta essa rapidez ao criar uma série de dificuldades a quem tenta desativá-lo.” – explica Luiz Henrique Nascimento, diretor da T4S Tecnologia.

O risco para o bandido assim aumenta e, junto com ele, a tendência de abandono do veículo e motorista com a carga intacta. O bloqueador imobiliza o veículo na hora quando o ladrão tenta efetuar o roubo com um “jammer”, conhecido popularmente como “chupa-cabra”, aparelho que neutraliza o sinal de GPS/GPRS dos rastreadores.

A segunda situação de bloqueio automático é quando a quadrilha tenta violar os sistemas de rastreamento. Em outros casos como paradas ou desvios de rota não programados, as centrais de monitoramento poderão enviar comandos de bloqueio remotamente. A empresa já conseguiu evitar um prejuízo de R$2.300.000 de um caminhão em São Paulo que carregava uma carga de fertilizantes. Depois do painel do veículo ter sido violado, o veículo foi bloqueado automaticamente. Já a Blindagem Elétrica, no caso de tentativa de roubo da carga com rompimento ou perfuração do baú, um arco elétrico é formado repelindo instantaneamente os agressores com choques de alto impacto de 20 mil volts, porém não letais.

O produto é composto por painéis que revestem todas as faces internas da carroceria “baú” do caminhão, com a missão de proteger carga e veículo

O sistema não oferece qualquer risco aos trabalhadores e transeuntes. 

Sobre a T4S Tecnologia

Enrico Rebuzzi e Luiz Henrique Nascimento são fundadores do maior operador logístico de e-commerce no Brasil, a Direct Express/Directlog. Pela gestão de Rebuzzi e Nascimento, a Directlog se tornou líder de mercado e os executivos decidiram alçar novos voos ao investirem em conjunto com um terceiro sócio, Marcílio Machado, Consultor de TI e Engenheiro graduado pelo ITA, em um modelo de negócio ligado à tecnologia para o setor de transporte. Com uma visão empreendedora, transformaram uma das principais dificuldades do transporte de cargas em oportunidade de investimento, criando soluções para a melhoria da segurança. Assim nasceu a T4S Tecnologia, com a missão de inovar e contribuir de forma decisiva no combate aos prejuízos milionários dos roubos de carga no país.

Postagem Anterior Próxima Postagem


Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.