Ascensão das ferramentas apresenta grande potencial para mudar drasticamente a rotina de trabalho na área

As ferramentas de inteligência artificial deram um salto significativo em qualidade nos últimos anos. Avanços consideráveis foram alcançados em áreas como processamento de linguagem natural, reconhecimento e criação de imagens e aprendizado por reforço.

Uma das principais razões para esse avanço é o aumento da quantidade de dados disponíveis e do poder de processamento dos computadores. Com mais dados, as redes neurais artificiais que alimentam a maioria das ferramentas de IA apresentam muito mais eficiência e precisão. Além disso, o aumento do poder de processamento dos computadores permitiu a criação de redes neurais ainda mais profundas e complexas, que podem lidar com tarefas cada vez mais difíceis.

Assim, novas técnicas de IA, como o Aprendizado Profundo (Deep Learning), têm sido desenvolvidas e aprimoradas. Essas técnicas permitem que as redes neurais aprendam automaticamente recursos e características importantes a partir dos dados de entrada, em vez de precisar de intervenção humana para extrair manualmente esses recursos.

Em resumo, as ferramentas de IA têm melhorado rapidamente, graças a avanços significativos em hardware, software e algoritmos. E isso tem levado a uma série de novas aplicações em diversos setores, como saúde, finanças, manufatura e transporte.

A IA na comunicação

O ChatGPT é um dos principais exemplos de ferramenta de IA que pode ajudar os profissionais da comunicação em várias tarefas. Ele pode ser usado para gerar conteúdo escrito de forma rápida e eficiente, o que pode ser especialmente útil em tarefas repetitivas, como a criação de descrições de produtos ou a redação de respostas a perguntas frequentes.

Porém, profissionais da comunicação podem usar o ChatGPT para gerar o esqueleto de outros tipos de conteúdo, como posts para redes sociais e até mesmo artigos e, em seguida, adicionar sua própria criatividade e estilo de escrita para personalizar o texto para atender às suas necessidades.

O ChatGPT pode ainda ser usado para analisar dados e prever tendências. Por meio do aprendizado de máquina e da análise de dados, ele é capaz de ajudar os profissionais da comunicação a identificar padrões e tendências em grandes conjuntos de dados. Isso pode orientar estratégias de comunicação e auxiliar na tomada de decisões com base em dados concretos. Com essas informações, os profissionais da comunicação podem adaptar seus textos, campanhas e mensagens para melhor atender às necessidades do público e atingir seus objetivos de forma mais eficaz.

O profissional do futuro

Embora as IAs sejam ferramentas poderosas que podem ser usadas para gerar conteúdo, elas não são capazes de substituir a criatividade, a empatia e a intuição humana. A comunicação é uma atividade que requer não apenas conhecimento técnico, mas também habilidades que constituem características humanas que ferramentas tecnológicas não possuem.

O ChatGPT pode ajudar os profissionais de comunicação a executar algumas de suas tarefas de maneira mais eficiente, mas não pode substituí-los completamente. Além disso, a comunicação muitas vezes demanda um alto nível de inteligência emocional e conhecimento prático que as IAs não podem replicar, como no caso de adaptações estratégicas, gerenciamentos de crises e desenvolvimento do tom da comunicação de uma marca ou empresa, criando conexão emocional com o público.

Diante disso, o profissional de comunicação do futuro vai precisar contar com habilidades específicas para trabalhar em conjunto com as ferramentas de IA. Ele deve ser capaz de interpretar e analisar os dados gerados, medir o sucesso e adaptá-los da melhor maneira possível. As ferramentas de IA podem gerar conteúdo em massa, mas a capacidade e a criatividade humana jamais poderão ser substituídas.

O profissional de comunicação do futuro deve, portanto, ser capaz de se adaptar rapidamente às mudanças tecnológicas. As ferramentas de IA estão evoluindo com muita velocidade e é necessário estar sempre atualizado sobre as últimas tendências. Isso significa que o profissional de comunicação do futuro precisa, acima de tudo, estar disposto a experimentar as novas tecnologias e ferramentas e a trabalhar em conjunto com elas.

 Fernando Fischer é jornalista, sócio fundador e diretor de Conteúdo da Fischer Comunicação. Mas ele não escreveu este artigo. Foi o ChatGPT quem escreveu. Ele só fez as perguntas certas para a IA, revisou e editou o texto gerado.

Postagem Anterior Próxima Postagem


Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.