Autor carioca Tiago Albino Moreira comenta processo criativo e lições de inspiração presentes na ficção "Deuses entre nós"

O autor da ficção Deuses entre nós revelou que, ao procurar a ajuda de alguns amigos para compor o enredo de seu primeiro livro, as coisas não saíram como ele esperava. Os parceiros não apoiaram o novo projeto, e ele teve que seguir sozinho a ideia de escrever um livro. Segundo Tiago, a rejeição serviu como um ponta pé para conseguir alcançar o sonho.

Em entrevista, ele conta como foi o processo de escrita da obra e o que fez para transformar a reação negativa dos amigos em um aspecto positivo para o próprio crescimento. Confira:

1. Tiago, como surgiu a ideia de escrever “Deuses entre nós”? Primeiro, você se reuniu com alguns colegas para falar sobre literatura, mas seguiu o projeto sozinho. Você pode falar um pouco mais sobre esse processo?

Tiago Moreira: Eu sempre carreguei comigo a ideia “Deuses Entre Nós”, desde a minha infância. Isso ocorreu devido ao contato com inúmeros filmes, animes, desenhos e séries que sempre tive. Quando me reuni com meus amigos, foi justamente para desenvolver essa ideia, ou seja, colocá-la em prática. Porém, não obtive ajuda e essa foi a primeira lição que aprendi enquanto escrevia: se você deseja realizar algo, não espere pelos outros. O processo de produção foi incrível, uma experiência sensacional. A alegria de poder criar algo, dar vida aos personagens, é indescritível.

2. Para criar o mundo fictício, você mistura referências bíblicas com mitologias grega, nórdica, entre outras. De que forma você conectou esses mitos e crenças para a construção de um universo conciso?

T.M.: Apesar do conceito da história se resumir na luta entre o bem e o mal, a ideia é totalmente original e única. Para desenvolvê-la, eu adicionei os personagens das mitologias alterando somente as suas origens. As referências bíblicas são pouquíssimas, como por exemplo o Deus Maior. A influência que mais aparece são os nomes bíblicos.

3. O livro apresenta Sete, um protagonista simples que é encarregado de levar o mundo para o caminho da luz. O que os leitores têm a aprender com a trajetória do herói?

T.M.: Dificuldades sempre vão existir pelo caminho, no entanto, não devemos ficar olhando para elas, devemos vencer nossos desafios acreditando que a realização do sonho é possível. Aprendemos com Sete a não desistir dos nossos sonhos e que para realizá-los só depende de nós mesmos.

4. Você transmite características importantes para a juventude atual, como a resiliência, a cooperatividade, a superação, a determinação... Na sua opinião, como personagens fictícios podem se tornar referência para o dia a dia das pessoas?

T.M.: Os personagens nos mostram que muitos de nós se sentem incapazes de grandes coisas. Eles relatam o que as pessoas passam no seu dia a dia, como solidão, ansiedade, frustação e outros problemas. Porém, todas essas dores podem ser superadas de alguma forma, existe sempre uma solução, uma esperança para cada um de nós. Nem tudo está perdido.

5. Você utilizou de referências da cultura pop para produzir a obra. Pode falar um pouco sobre suas inspirações?

T.M.: Nossa! São inúmeras, mas o que posso adiantar é a questão de você lutar por algo que acredita, proteger quem você ama e influenciar os outros ao caminho certo.

Sobre o autor: Bacharel em Teologia, Tiago Albino Moreira nasceu em Mesquita, na região metropolitana do Rio de Janeiro. No momento, mora na cidade de Nova Iguaçu. Trabalha como estoquista, mas sempre foi influenciado por referências culturais que o levaram a enveredar pela literatura. Fã de cultura geek e pop, estreia no meio literário com a obra de fantasia “Deuses Entre Nós”, que tem como inspiração séries e livros do mesmo gênero.

Para saber mais do livro “Deuses entre nós”, clique aqui!

Postagem Anterior Próxima Postagem
Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!


Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!

Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.