Na data, o CROSP destaca a importância dos profissionais da Odontologia no processo de prevenção e tratamento

O consumo de drogas e de álcool em excesso é considerado uma doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS), patologia que afeta também a saúde bucal dos indivíduos. No Brasil, o Ministério da Saúde instituiu o dia 20 de fevereiro como o Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo. Ainda de acordo com a OMS, as drogas ilícitas respondem por 0,8% dos problemas de saúde em todo o mundo, enquanto o cigarro e o álcool, juntos, são responsáveis por 8,1% desses problemas.

O consumo excessivo de drogas lícitas e ilícitas, além de afetar a vida familiar, provoca impactos de natureza social, econômica e reflete-se, sobretudo, nos diversos setores da saúde pública.

Com base nos atendimentos realizados pelo Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (CRATOD), ligado à Secretaria do Estado de Saúde, as doenças bucais mais recorrentes e diagnosticadas nos dependentes químicos são infecções como candidíase, causadas pela imunossupressão dos pacientes; lesões de cárie aguda, periodontite, abscessos periapicais e periodontais, queimaduras em mucosa e lábios, hiperqueratoses nicotínicas e cânceres.

No âmbito da Odontologia, o presidente do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP), Dr. Braz Antunes, destaca que os casos de câncer de boca estão, muitas vezes, associados ao consumo de álcool e tabaco. Sendo assim, o Cirurgião-Dentista exerce importante papel na detecção, tratamento e também na prevenção. “O combate às drogas e ao alcoolismo é um assunto extremamente importante, que a classe odontológica, principalmente as que são ligadas aos órgãos públicos, precisam atuar na prevenção e no combate”.

Crack

Já a Cirurgiã-Dentista e presidente da Comissão Temática de Políticas Públicas CROSP, Dra. Sandra Marques, explica os perigos do uso de crack para a saúde bucal. “O uso do cachimbo de crack, além de promover lesões nos lábios pela alta temperatura, também propaga esse calor aos dentes e mucosa gengival o que, em associação com as substâncias tóxicas liberadas pela substância (ácido clorídrico, ácido sulfúrico, cal, talco, coca e solventes), e abrasão por atrito, contribuem para um desgaste acentuado das faces oclusais dos dentes anteriores inferiores”. 

A importância da anamnese

A anamnese (processo de coleta de informações sobre sintomas, dores, preocupações e histórico do paciente durante consulta) sempre é um ponto importante nos atendimentos odontológicos. Por meio dela, segundo a Dra. Sandra, é possível identificar sinais de que o paciente faz uso de substâncias lícitas ou ilícitas.

Entre os principais indicativos de uso de tais substâncias, a especialista cita a euforia, que pode evoluir para uma disforia (mudança transitória do estado de ânimo); aumento das percepções sensoriais (sexuais, auditivas, táteis e visuais); diminuição do apetite; taquipnéia (ritmo respiratório acelerado) e taquicardia (ritmo cardíaco acelerado) entre outros.

Tratamentos Odontológicos

A recaída ao uso de drogas às vezes faz parte do processo de recuperação do paciente. Dra. Sandra explica que diante dessa situação, a abordagem a respeito do uso concomitante com outras drogas utilizadas na clínica deve ser bem esclarecida ao paciente, já que o organismo do usuário também tem alterações no processo de resposta imunológica (o que os torna mais suscetíveis às infecções) e cicatricial. Além disso, por serem usuários de drogas, eles possuem tolerância aos efeitos de anestésicos locais (derivados de opióides) por exemplo, o que dificulta alguns procedimentos que requerem analgesia. Existem ainda alterações vasculares e respiratórias.

Vale destacar que intervir de maneira séptica é importante. Contudo, é fundamental o olhar humanitário e uma abordagem acolhedora, receptiva e em nenhum momento incriminatória. “Cabe, sim, uma orientação adequada e séria a respeito das questões de saúde em geral”.

A especialista explica, ainda, que o Cirurgião-Dentista deve avaliar não só a parte clínica, mas também a psicossocial. Segundo ela, deve-se observar sinais e sintomas que os pacientes relatam, que podem estar associados ao transtorno, às fissuras e à síndrome de abstinência.

Dra. Sandra Marques deixa o alerta para novos hábitos prejudiciais que poderão entrar nas estatísticas. “Os Cirurgiões-Dentistas devem ficar atentos aos usuários das novas formas de entrega de nicotina como os cigarros eletrônicos, pois os estudos já demonstram alterações importantes da microbiota oral”.

Direito à assistência

Quanto à assistência, Dra. Sandra destaca que a estruturação dos serviços deve estar configurada em redes assistenciais, priorizando os dispositivos extras hospitalares de atenção psicossocial articulada à atenção primária, conforme as diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS). “Nossa missão no CRATOD, por exemplo, é fazer o acolhimento e o atendimento dos dependentes químicos. O tratamento odontológico realiza a reabilitação estética e funcional dos usuários, possibilitando sua reinserção social, uma vez que além do tratamento clínico,

instalamos as próteses dentárias, resgatando a dignidade e autoestima dos pacientes, garantindo, inclusive sua reinserção no mercado de trabalho”.

Ações preventivas

Para o membro da Câmara Técnica de Saúde Coletiva do CROSP, o Cirurgião-Dentista Prof. O Dr. Paulo Frazão, a implementação de ações de informação, educação e promoção da saúde voltadas a evitar o uso excessivo de álcool, tabaco e, de uma grande variedade de drogas lícitas e ilícitas, inclusive medicamentos, é de suma importância, pois, segundo ele, a exposição contínua a essas substâncias pode gerar dependência química, a qual está associada várias doenças crônicas não transmissíveis que são causas de mortes evitáveis.

Dr. Paulo avalia que existem duas possibilidades para o enfrentamento de problemas relacionados ao consumo abusivo de álcool e ao uso de drogas lícitas e ilícitas. A primeira envolve o planejamento de intervenções em nível individual que, segundo ele, inclui a clínica médica e a clínica psiquiátrica, onde pode ser, inclusive, identificadas causas relacionadas a problemas no âmbito familiar, profissional e do relacionamento interpessoal, além dos fatores genéticos, dificuldades financeiras, problemas psicológicos, entre outros.

A segunda possibilidade, vista pelo Cirurgião-Dentista como mais efetiva, diz respeito às intervenções no plano coletivo. Ele cita como exemplo as políticas e medidas de controle do tabaco que começaram a ser implementadas no Brasil desde os anos 90, e que provocaram uma queda considerável do número de fumantes no país, nas últimas duas décadas.

Serviço

Se você conhece alguém que possa estar nestas situações, encaminhe-o a uma unidade de saúde mais próxima para tratamento.

O Centro de Referência de Álcool, Tabaco e outras Drogas (CRATOD), Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas (CAPS AD) A unidade do CRATOD está situada na Rua Prates, 165 – Bom Retiro, São Paulo

Informações: (11) 3329-4455.

Sobre o CROSP

O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) é uma Autarquia Federal dotada de personalidade jurídica e de direito público com a finalidade de fiscalizar e supervisionar a ética profissional em todo o Estado de São Paulo, cabendo-lhe zelar pelo perfeito desempenho ético da Odontologia e pelo prestígio e bom conceito da profissão e dos que a exercem legalmente. Hoje, o CROSP conta com mais de 170 mil profissionais inscritos.

Além dos Cirurgiões-Dentistas, o CROSP detém competência também para fiscalizar o exercício profissional e a conduta ética dos Auxiliares em Saúde Bucal (ASB), Técnicos em Saúde Bucal (TSB), Auxiliares em Prótese Dentária (APD) e Técnicos em Prótese Dentária (TPD).

Postagem Anterior Próxima Postagem
Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!


Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!

Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.