Bullyng na escola

Pensar em medidas preventivas é sempre o melhor caminho e quando necessário procurar atendimento especializado

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 40% dos estudantes adolescentes admitiram ter sofrido bullyng de provocação e intimidação nas escolas. Além disso, 24,1% dos alunos mencionaram que a vida não vale mais a pena, após as agressões.

De acordo com Maria Teresa de Almeida Fernandes, psicóloga e coordenadora do curso de Psicologia da Faculdade Santa Marcelina, o ambiente acadêmico tem sido muito estudado pelos prejuízos psicológicos e emocionais que atingem às crianças e adolescentes quando expostos aos ataques. “Vários estudos revelam dificuldades nos relacionamentos interpessoais, prejuízos no processo de aprendizagem, déficit de atenção, baixo rendimento, evasão escolar, ansiedade, depressão e sintomas psicossomáticos”, disse a psicóloga.

“Pais e professores devem estar atentos as mudanças de comportamento, dialogar com as crianças e adolescentes, proporcionando um ambiente seguro e de confiança para que expressem suas angústias. A escola deve incluir, continuamente, em suas ações, projetos de combate ao bullying, envolvendo alunos, professores e pais. O estreitamento entre as partes favorece resultados positivos. Por outro lado, pensar em medidas preventivas é sempre o melhor caminho e quando necessário procurar atendimento especializado”, finaliza.

O bullying é reconhecido como toda prática de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, cometido por uma pessoa ou grupo, contra uma ou mais indivíduos, com objetivo de intimidar ou agredir, causando dor e sofrimento à vítima.

Sobre a Faculdade Santa Marcelina

Faculdade Santa Marcelina é uma instituição mantida pela Associação Santa Marcelina – ASM, fundada em 1º de janeiro de 1915 como entidade filantrópica. Desde o início, os princípios de orientação, formação e educação da juventude foram os alicerces do trabalho das Irmãs Marcelinas. Em São Paulo, as unidades de ensino superior iniciaram seus trabalhos nos bairros de Perdizes, em 1929, e Itaquera, em 1999. Para os estudantes é oferecida toda a infraestrutura necessária para o desenvolvimento intelectual e social, formando profissionais em cursos de Graduação e Pós-Graduação (Lato Sensu). Na unidade Perdizes os cursos oferecidos são: Música, Licenciatura em Música, Artes Visuais, Licenciatura em Artes Plásticas e Moda. Já na unidade Itaquera são oferecidas graduações em Psicologia, Administração, Ciências Contábeis, Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Nutrição, Tecnologia em Radiologia e Tecnologia em Estética e Cosmética. 

Postagem Anterior Próxima Postagem
Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!


Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!

Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.