É comum que algumas pessoas tenham dificuldades para socializar e fazer novos amigos, porém essa situação se agravou com o isolamento causado pela pandemia da Covid-19 e o aumento dos casos graves de fobia social, principalmente entre crianças e adolescentes, que aumentaram de forma alarmante.
 
Segundo pesquisa recente do Instituto Locomotiva, um em cada quatro brasileiros não se sente próximo de ninguém. “A ideia de que somos um povo simpático e comunicativo não é a realidade de muitos”, afirma Filipe Colombini, psicólogo e fundador da Equipe AT. “A dificuldade dessas pessoas para se socializar gera um sentimento de isolamento que pode levar a quadros graves de depressão, ansiedade, entre outros”, conclui.
 
Pensando em formas de ajudar crianças, jovens e mesmo adultos com dificuldades para fazer amigos, a Equipe AT criou o QG do Rolê, iniciativa que reúne grupos de pessoas com a finalidade de desenvolver habilidades sociais em diversas atividades, sempre mediadas por psicólogos especialistas em Acompanhamento Terapêutico, modalidade em que a terapia é feita fora do consultório.
 
“O QG do Rolê usa jogos, rodas de conversa e passeios para que exista um interesse ou um assunto em comum entre o grupo, assim todos podem interagir e melhorar suas habilidades sociais. Os encontros são sempre lúdicos, para que as interações, assim como a mediação do psicólogo, aconteçam de forma leve e agradável", diz Colombini.
 
Confira a seguir 4 dicas do psicólogo para você socializar melhor e aumentar seu número de amigos:
 
1. Conheça você mesmo: o principal para melhorar sua habilidade de socialização é buscar autoconhecimento, ou seja, entender melhor quem é você, do que você gosta e quais são as suas principais características. Ao procurar pessoas que tenham gostos ou interesses parecidos com os seus, fica mais fácil quebrar o gelo e começar uma conversa, por exemplo.

2. Procure lugares onde se sinta bem: conforme você se conhece melhor,  já sabe quais ambientes e programas lhe agradam mais e onde você vai se sentir mais confortável para interagir com outras pessoas. Além disso, saindo para um local que faz seu estilo, as chances de conhecer pessoas que tenham a ver com você aumentam demais!

3. Observe o ambiente: também é importante tentar fazer uma leitura do contexto para que a comunicação aconteça, ou seja, é essencial observar o ambiente onde você está e entender quais são os papéis sociais de cada um. Conhecendo as nuances de cada espaço e sabendo quem é quem, é possível começar uma interação de forma mais natural.

4. Esteja aberto para o outro: é fundamental que, com o tempo, seja criado um ambiente de intimidade com alguém que você conheceu. Ou seja, é preciso estar disponível para o outro, tentar se abrir e conversar sobre assuntos pessoais. Além disso, é importante estar aberto para ouvir o amigo, estando receptivo até mesmo a críticas e feedbacks.
 

Mais sobre Filipe Colombini: psicólogo, fundador e CEO da Equipe AT, empresa com foco em Acompanhamento Terapêutico (AT) e atendimento fora do consultório, que atua em São Paulo (SP) desde 2012. Especialista em orientação parental e atendimento de crianças, jovens e adultos. Especialista em Clínica Analítico-Comportamental. Mestre em Psicologia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP). Professor do Curso de Acompanhamento Terapêutico do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas – Instituto de Psiquiatria Hospital das Clínicas (GREA-IPq-HCFMUSP). Professor e Coordenador acadêmico do Aprimoramento em AT da Equipe AT. Formação em Psicoterapia Baseada em Evidências, Acompanhamento Terapêutico, Terapia Infantil, Desenvolvimento Atípico e Abuso de Substâncias.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Compartilhe nas redes sociais e apoie ou retribua

Todos os nossos artigos são exclusivos é proibida a reprodução total ou parcial dos mesmos sem a indicação da fonte SHD: Sejahojediferente.com