Atualmente os brasileiros têm diversas opções para adquirir moedas estrangeiras para viajar o mundo. Tem as formas tradicionais através dos Bancos (agências), corretoras de câmbio e casas de câmbio. Há as maneiras mais digitais, utilizando sites, plataformas ou aplicativos de câmbio e as não convencionais que, dependendo do país de destino, pode fazer sentido via Western Union ou Moneygram.

O mercado de câmbio mudou muito e as pessoas estão com muito mais acesso às informações e comparativos de preços para conseguir fazer um bom negócio. Mas cada opção tem suas vantagens e diferenças.

Antes de comparar onde comprar, vale entender as opções de câmbio turismo:

Moedas em espécie: IOF é de 1,10%. Atualmente, no Brasil você pode comprar 25 tipos de moedas em espécie. A grande maioria é vendida em valores arredondados, com baixo fluxo de cédulas com valores trocados.

Cartão Travel Money (“cartão pré-pago”): IOF é de 6,38%. Existem diversos cartões nas bandeiras Visa ou Master que podem ser abastecidos de forma online ou por telefone direto com a corretora/banco emissor do cartão. A grande maioria é cartão multimoedas, que permite até 4 tipos de moedas em único cartão.

Conta Global: IOF é de 1,10%. Há poucas opções de bancos ou fintechs que vendem esse tipo de cartão ou conta online. É importante testar o abastecimento para garantir que não vai ficar sem saldo no país internacional. Por se tratar de modalidade nova, vale revisar comentários em sites de reviews e ter o telefone de FAQ por perto em caso de emergências.

Bancos tradicionais:

Vantagem : o valor pode ser debitado diretamente da conta corrente do cliente.

Desvantagem: a taxa do câmbio, na maioria das vezes, é muito superior do que negociado em casas de câmbio e plataformas ou aplicativos de câmbio. Também há necessidade de fazer pré-reserva. Outro ponto é que na grande maioria não tem delivery devido o alto custo de seguro do transporte de valores e logísticas restritas.

Corretoras e casas de câmbio:

Vantagem: Na maioria das situações você pode comprar a moeda e retirar no mesmo dia. Tem sempre alguma no shopping mais próximo de onde você reside ou trabalha.

Desvantagem: O custo pode ser elevado, em se tratando da localização (como shoppings e aeroportos) pode ser cobrado uma taxa de serviço extra em cada compra.

Sites, plataformas, aplicativos de câmbio

Vantagem: em sua grande maioria atuam como correspondentes cambiais de bancos ou corretoras de câmbio, trabalhando com mais de uma opção e conseguem comparar e negociar a melhor taxa de câmbio no momento do fechamento para o cliente na corretora/banco que tiver a melhor cotação. E ainda permitem ao cliente escolher a condição de delivery ou retirada. Além de todo atendimento personalizado com diversas possibilidades de pagamentos, vale conhecer a exchangenow.net .

Quais os cuidados para comprar moeda estrangeira?

Ter a certeza de que está comprando a moeda em instituições autorizadas pelo Banco Central do Brasil a operar cambio, moedas como dólar, euro e libra.

Algumas cédulas estrangeiras foram substituídas e não tem o mesmo valor das notas novas. Além de muitas vezes não serem aceitas em determinados países ou regiões turísticas.

Específico para pesos Argentinos ou dólares “cara pequena”, existe muitas notas falsificadas, instituições autorizadas pelo Banco Central do Brasil, não vendem essas notas.

Qual a proporção que seria indicada para levar de moeda estrangeira/cartão de crédito/débito/ conta global?

Se a viagem for curta com poucas mudanças de local para dormir, vale levar em espécie, pois é a maneira mais econômica e rápida de adquirir. Além do que, se voltar com algum valor, é fácil de revender para a corretora/banco/plataforma.

Se a viagem for para países exóticos ou com muita variação de onde pernoitar, o indicado é levar 40% em dinheiro e 60% em cartão, assim você consegue ter tranquilidade para aproveitar a viagem em segurança e sem se preocupar em andar com altos valores ou a guarda de cofres.

Como saber quanto levar de moeda em uma viagem?

Há a possibilidade de o cliente realizar algumas pesquisas em blogs e sites de viagens, para ter algum parâmetro de quanto irá gastar conforme o seu orçamento. Mas vale as seguintes dicas:

  • Refeição: pesquisando que a refeição entre almoço e jantar vai custar por dia USD 60,00, adicione mais 3quantidade desse valor para aproveitar algum momento diferente que pode surgir.
  • Passeios: pesquisou o custo dos locais que não pode deixar de ir, adicione mais o custo de 2 passeios.
  • Transporte: calcule um valor médio do transporte local e multiplique pela quantidade de dias que irá ficar no exterior
  • Souvenirs / Lembranças / Compras: a possibilidade de trazer uma lembrança ou algo muito único, ai você decide o quanto pode gastar.

Marcos Almeida | Diretor da WIT Exchange

Economista formado pela PUC-SP e Liderança Transformadora pela Fundação Dom Cabral. Experiência de mais de 15 anos no mercado financeiro, onde gerenciou as áreas de Derivativos e Operações Estruturadas na B3, com carreira construída no Itaú BBA e Bank Boston, além de passagens como consultor no Banco Votorantim, Itaú, Deutsche Bank e ICBC.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Compartilhe nas redes sociais e apoie ou retribua

Todos os nossos artigos são exclusivos é proibida a reprodução total ou parcial dos mesmos sem a indicação da fonte SHD: Sejahojediferente.com