Em 2023, o Ano Novo Chinês começa no dia 22 de janeiro. A confraternização é uma das mais populares da cultura chinesa. Apesar do feriado oficial durar três dias, é comum os trabalhadores reservarem as férias para prolongar o período de celebração. Em razão desse e de outros fatores associados às festividades, parte das fábricas paralisa as atividades por mais tempo, o que pode impactar linhas de produção em outras partes do mundo, por conta da importação de insumos e matérias-primas do país.

Além de ser o maior parceiro comercial do Brasil, o país asiático possui enorme influência na economia global. É o maior exportador do mundo e o ritmo de crescimento das importações tem batido as maiores marcas da década, mesmo com o cenário afetado pela pandemia de Covid-19 e o período de fronteiras fechadas.

A logtech Nowports orienta seus clientes a planejarem  a importação dos itens da China. “A partir da gestão dos estoques é possível adiantar as entregas ou postergar para depois do término do feriado do Ano Novo Chinês. Programação é a chave do negócio. Adiantar-se em relação aos pedidos minimiza os riscos e eventuais atrasos na cadeia logística”, afirma a head of pricing da Nowports Brasil, Bruna Horstmann.

Como o Ano Novo Chinês impacta o comércio exterior e a logística internacional?

É impossível falar de comércio exterior sem mencionar a China. No terceiro trimestre de 2022, o Brasil importou US$ 17,5 bilhões, o que representou 23,1% do valor total no período. A China representou o maior aumento do valor das importações, 40,5%. Os produtos que contribuíram para esse resultado foram: processadores e controladores; herbicidas, conversores elétricos estáticos, entre outros. Os dados são do Boletim Trimestral da Balança Comercial Brasileira da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia.  

“A China é uma superpotência econômica internacional e com uma atuação forte nos setores industriais e no comércio de tecnologias. Dada a importância do país para as balanças comerciais, quem negocia com fornecedores ou exporta para o país precisa fazer um planejamento minucioso para não perder as datas”, pontua Helmuth Hofstatter, CEO da Logcomex.

Leonardo Baltieri, co-CEO da Vixtra, fintech de comércio exterior, concorda que o planejamento é crucial para evitar atrasos. “As transações financeiras devem ser pouco impactadas pelas festividades, já as operações comerciais podem sofrer não só com atrasos, mas também com eventuais custos adicionais. Por isso, é indispensável se organizar com antecedência”, reforça. 

Covid-19

Apesar do aumento dos casos de Covid e dos protestos por parte da população contra as restrições impostas pela política de Covid zero do governo chinês, a Nowports acredita que essa situação não prejudicará a importação dos itens e acordos firmados com os parceiros comerciais. “Situações parecidas como essa, no passado, não prejudicaram o comércio exterior”, acrescenta a head of pricing da logtech.

Sobre a Nowports:

A Nowports é o primeiro e maior agente de carga digital da América Latina. Está presente em oito países, incluindo o Brasil. A empresa facilita as operações do dia a dia das equipes de logística. Os clientes contam com soluções customizadas e têm acesso a uma plataforma que centraliza as informações para otimizar a rastreabilidade dos embarques. A logtech trabalha com todos os modais (marítimo, aéreo e terrestre) para movimentar as mercadorias com eficiência, transparência e segurança. A empresa desenvolveu a ferramenta para auxiliar a importação e a exportação de mercadorias com o apoio da tecnologia (inteligência artificial, big data e internet das coisas). 

Logcomex:

A Logcomex é uma empresa que desenvolveu soluções de tecnologia que oferecem visibilidade avançada, data analytics e automação para o comércio global. Presente em mais de 11 países espalhados em cinco continentes, possui mais de 1.600 clientes e oferece soluções para toda a cadeia de suprimentos global com visibilidade em tempo real, eficiência na gestão de ponta a ponta da operação e informações estratégicas para as empresas do comércio exterior.

Vixtra

A Vixtra é uma fintech de comércio exterior que atua como um meio de pagamento na relação entre importador e exportador, permitindo que importadores no Brasil paguem suas compras à prazo e seus fornecedores internacionais recebam à vista. A Vixtra oferece uma forma de pagamento e financiamento em real (R$), sem risco cambial, menos burocrática e mais segura, possibilitando aos importadores mais capital de giro, confiança e dados em relação a seus fornecedores, além de prover outros serviços financeiros e visibilidade dos processos de importação. A companhia recebeu aportes pré-seed e seed que somam R$ 51 milhões entre equity e dívida, um dos maiores valores para uma startup em estágio inicial na América Latina.

Postagem Anterior Próxima Postagem
Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!


Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!

Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.