A análise do balanço patrimonial é importante para qualquer negócio, tanto para empresas de grande porte quanto para o MEI.

O balanço patrimonial é um indicador da saúde financeira da sua empresa, dessa forma é possível analisar os aspectos financeiros do seu negócio e, assim, realizar decisões mais efetivas economicamente.

Entretanto, como realizar o balanço patrimonial de um microempreendedor individual?

O que é balanço patrimonial?

O balanço patrimonial (BP) é um demonstrativo contábil que tem como função analisar a saúde econômica do seu negócio.

Ele é a relação entre tudo o que a sua empresa possui e tudo o que ela deve. Através da diferença entre esses dois fatores, é possível identificar o valor patrimonial do seu negócio.

Por exemplo, se você possui uma empresa de georreferenciamento, onde o seu estabelecimento, equipamento, valor em caixa, entre outros fatores, possuem um valor maior do que a dívida do seu negócio, então o seu valor patrimonial será positivo.

Ou seja, o balanço patrimonial é a diferença entre os ativos e passivos que a sua empresa possui.

Os ativos são os bens e direitos do seu negócio. Tudo o que gera dinheiro para a empresa pode ser considerado um ativo. Eles podem ser imóveis, equipamentos, contas a receber, entre outros.

Enquanto os passivos são as dívidas e obrigações do seu negócio. Eles podem ser tudo o que tira dinheiro da empresa, como contas a pagar, salários e empréstimos.

Normalmente o balanço patrimonial é realizado anualmente, no fim de cada ano. Onde são realizados os fechamentos e realizada a análise da saúde financeira do negócio.

Por esse motivo, uma empresa de construção realiza inventários no fim do ano. Dessa forma, é possível identificar e analisar os dados e informações logísticos referente a quantos equipamentos e peças são necessários para comprar na realização do próximo projeto.

Além disso, também é possível identificar quanto dinheiro o negócio possui em forma de peças, máquinas, entre outros equipamentos utilizados na construção de casas. Com esses dados, se realiza o balanço patrimonial da empresa.

No caso do MEI, ao cadastrar e abri-lo, é necessário informar o valor do capital social do seu negócio. Esse número seria referente ao valor inicial da sua empresa, como o patrimônio líquido inicial.

Por exemplo, se uma pessoa abre um MEI para realizar a confecção e comercialização de canetas personalizadas com nome da empresa, o seu investimento inicial seria equivalente ao patrimônio líquido de uma empresa abrindo capital.

Todo o investimento inicial do comércio, como o material para a confecção das canetas, o investimento em divulgação do negócio, entre outros, entra como investimento inicial e esse seria o seu capital social.

Conforme é gerado mais lucro e maiores investimentos na empresa, o valor do seu balanço patrimonial muda, acompanhando o seu crescimento.

Entretanto, balanço patrimonial e fluxo de caixa são coisas completamente distintas. Enquanto o primeiro é a diferença entre tudo o que o seu negócio possui e deve, o fluxo de caixa são as transações que ocorrem na sua empresa, ou seja, as entradas e saídas do caixa.

A importância do balanço patrimonial

Como já mencionado, o balanço patrimonial é essencial para que seja realizada uma análise da saúde financeira do seu negócio. Entretanto, essa análise consegue fornecer muitos outros benefícios além desse.

É através de um fechamento anual do seu negócio e de sua análise contábil que é possível tomar decisões inteligentes em relação a sua empresa.

Por exemplo, analisando o balanço patrimonial do seu negócio, as decisões financeiras referentes a ele se tornam mais claras e saudáveis. Através desses dados você consegue decidir se é possível adquirir um novo equipamento ou até realizar a cisão de empresas.

Identificar se a sua empresa está gerando um saldo positivo em comparação com as suas dívidas pode manter o seu negócio em pé.

Em grandes empresas, é necessário realizar e apresentar o balanço patrimonial do negócio para o governo, acionistas, entre outros. Entretanto, o microempreendedor individual não necessita apresentar ou ao menos realizar esses dados.

Todavia, mesmo não sendo obrigatório, é importante você analisar os seus ganhos e patrimônio para uma identificação da sua saúde financeira e futuras tomadas de decisões.

Agora que você já entendeu os benefícios de se gerar o balanço patrimonial do seu MEI, está na hora de entender como realizar um de forma eficiente.

Como fazer um balanço patrimonial?

Como o balanço patrimonial é a diferença entre os ativos e passivos do seu negócio, então o primeiro passo é identificar esses fatores na sua empresa e contabilizá-los. Onde os ativos e passivos são classificados da seguinte forma:

  • Ativos circulantes;

  • Ativos não circulantes;

  • Passivos circulantes;

  • Passivos não circulantes.


Esses são os diferentes fatores a serem levados em consideração ao calcular o seu balanço patrimonial e analisar a saúde financeira do seu negócio.

Ativos circulantes

Os ativos circulantes são todos os bens e direitos que possuem a capacidade de serem transformados em dinheiro em um curto período de tempo. Onde o curto prazo para a realização dessa transformação é de no máximo um ano de duração.

Por exemplo, se a sua empresa é responsável por realizar projetos ambientais, então nesse caso muitos fatores podem ser considerados ativos circulantes do seu negócio.

Todo o saldo da conta da empresa, produtos em estoque para a realização dos projetos, créditos de impostos, valores a receber de projetos já comercializados e o rendimento de investimentos realizados com uma baixa liquidez são considerados ativos circulantes.

Como o próprio nome já diz, são ativos que possuem a capacidade de circular, provocar um fluxo e movimentação de dinheiro.

Ativos não circulantes

Já os ativos não circulantes, por sua vez, são todos os bens e direitos da sua empresa que não possuem a capacidade de serem transformados em dinheiro em um curto período de tempo.

Esses são ativos de baixa liquidez e uma dificuldade um pouco mais elevada para a conversão em dinheiro.

Por exemplo, se você possui uma empresa de construção civil, que oferece a confecção de laudo de estabilidade estrutural, construção de projetos, entre outros serviços.

Os seus ativos não circulantes podem ser considerados os maquinários necessários para as construções, os veículos para o transporte de matéria-prima, o imóvel do seu estabelecimento, equipamentos de construção, investimentos aplicados em ativos de longo prazo, entre outros.

Passivos circulantes

Os passivos circulantes são as dívidas e obrigações que devem ser pagas em um curto período de tempo, ou seja, assim como os ativos circulantes, devem ser realizados em uma duração de até um ano.

Dentre eles, pode-se citar os salários, tributos, prestações de empréstimos, mensalidades de serviços profissionais, pagamentos a fornecedores, contas de consumo, entre outros.

Passivos não circulantes

Já os passivos não circulantes são todas as dívidas e obrigações a serem pagas em um longo prazo. Essas podem ser consideradas as parcelas de financiamentos de longa duração e as contas que possuem um vencimento superior a 365 dias em geral.

Após identificar e contabilizar os valores referentes a cada um desses fatores do seu empreendimento, basta utilizar a fórmula do BP, para calcular o valor final.

Onde, o balanço patrimonial líquido é igual à diferença entre a somatória dos ativos circulantes e não circulantes com os passivos circulantes e não circulantes do seu negócio.

Por exemplo, se a sua empresa adquiriu novos equipamentos, adicionou um setor de prestação de laudo de ruídos, investiu em campanhas distintas de marketing, entre outros. Nesse caso, você deve dividir os ativos dos passivos e realizar a sua subtração.

Dessa forma, é possível adquirir o valor real da sua empresa e constatar se ela está positiva ou negativa. Após realizar a confecção do seu balanço patrimonial, é necessário analisá-lo.

Como analisar o balanço patrimonial?

Para analisar o balanço patrimonial da sua empresa é preciso ter em mente o objetivo do seu negócio e o momento em que ele está.

Por exemplo, se você acabou de abrir o seu negócio, o nível de investimento é alto, pois você estará comprando todo o equipamento e material necessário para a operação da empresa, entretanto o seu retorno será baixo, uma vez que a sua marca ainda não é muito conhecida.

Todas as empresas têm prejuízo nos primeiros meses e até anos de operação. Isso acontece porque demora um certo período para se atingir um ponto de equilíbrio.

O ponto de equilíbrio de uma empresa é quando a diferença entre a sua receita e os seus custos é igual a zero. Ou seja, não há prejuízo ou lucro. Esse é um ponto de segurança do negócio e, a partir dele, é possível começar a obter alguns indícios de lucro da sua empresa.

Em fase de crescimento do seu negócio, é normal possuir um investimento maior que o resultado, ou seja, um ROI negativo, por esse motivo, observar os objetivos do seu empreendimento e sua fase de atuação te ajudam a obter uma análise correta.

Esses são os fatores e características de um balanço patrimonial. Ele é de extrema importância para qualquer negócio e a sua confecção pode ajudar o seu empreendimento a crescer consideravelmente.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Shopee Brasil:
Ofertas incríveis - Melhores preços do Mercado.
Confira as ofertas especiais na Shopee aos visitantes do SHD.
Aproveite agora mesmo! De uma olhada clicando aqui.

Café de Apoio ao Blog SHD: 
Precisamos de sua ajuda para manter esse blog vivo.
De pouco em pouco chegamos ao muito!
Nos ajude com um café através do pix 11 98363-7919
Postagem Anterior Próxima Postagem

Compartilhe nas redes sociais e apoie ou retribua

Todos os nossos artigos são exclusivos é proibida a reprodução total ou parcial dos mesmos sem a indicação da fonte SHD: Sejahojediferente.com