Você sente que sua vida pessoal e profissional possuem um bom equilíbrio? Ou, por mais que tente, parece nunca haver um bom balanceamento entre um e outro, sempre tendendo para um dos lados?

Saber equilibrar a vida pessoal com a vida profissional é muito importante para o seu bem-estar e de suas relações. Entretanto, muitas pessoas não possuem esse cuidado.

A chegada da coronavírus impactou, além da saúde, muitas outras áreas, como a financeira, psicológica e o convívio social.

Por esse motivo, a Dasa Empresas requisitou uma pesquisa no Instituto Ipsos para conseguir analisar e entender os impactos da pandemia no bem-estar da sociedade.

Pesquisa

O Instituto Ipsos realizou a pesquisa virtualmente entre os dias 29 de novembro de 2021 a 16 de dezembro do mesmo ano. Foram captadas as respostas de 1.014 funcionários de empresas de grande e médio porte, que possuem ao menos 400 colaboradores registrados.

Os participantes da pesquisa eram maiores de 18 anos, onde 51% eram mulheres e 49% homens. Foram entrevistadas pessoas das 5 regiões do país e de diferentes classes sociais, com 4% representando a classe A, 32% a classe B e 64% a classe C.

Foram utilizadas 4 bases principais para o questionário online:

  • Como as pessoas acompanham a sua própria saúde;

  • Plano de saúde;

  • Como é a performance das empresas;

  •  Comunicação empregado - chefe.

De acordo com o instituto, grande parte das pessoas sente alguma insatisfação em relação à qualidade do sono, hábitos de alimentação, disposição para a realização de tarefas diárias, equilíbrio entre a vida pessoal e profissional e baixa capacidade de concentração.

Através dessa pesquisa foi constatado que a região com o maior índice de pessoas insatisfeitas com sua disposição e energia para efetuar tarefas diárias é o Norte, com uma taxa de 40% de entrevistados descontentes.

Já a qualidade do sono tem o maior índice de insatisfação em jovens de 18 a 29 anos, onde um em cada três estão desgostosos com sua situação. Eles também apresentam o maior número de insatisfação quanto à disposição e equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Saúde

E em relação à saúde? Você consegue reservar um tempinho para você, acompanhar o seu bem-estar e se prevenir?

Segundo a Ipsos, dois terços dos entrevistados admitem que deveriam cuidar mais da saúde, entretanto não possuem tempo, disciplina ou dinheiro que poderia ser destinado a isso. Além disso, também asseguram não possuírem um bom hábito alimentar.

A maioria das pessoas entrevistadas (58%) afirmam não irem ao médico frequentemente, mas sim apenas quando realmente precisam ou sentem algum desconforto.

Enquanto isso, menos da metade realiza exames preventivos. O motivo mais destacado pelos entrevistados para não frequentarem o médico foi o medo de realmente encontrar alguma doença.

Gênero

Em relação ao gênero, as mulheres demonstram maior insatisfação que os homens em relação à disposição e energia para desenvolver atividades diárias. Enquanto 32% das mulheres se mostraram descontentes, apenas 15% dos homens apresentaram esse resultado.

Os dados ainda se repetem quanto à infelicidade perante a capacidade de se manter concentrada em tarefas, onde novamente as mulheres obtiveram um maior percentual, representando cerca de 26% contra 17% dos homens.

Na área da saúde, as mulheres também demonstram maioria, desta vez com o cuidado à saúde. Cerca de 50% das mulheres realizam exames preventivos ao ano, enquanto apenas 44% dos homens realizam essa tarefa.

Entretanto, 48% dos homens afirmam levar seus históricos médicos e exames ao médico, contra apenas 38% das mulheres que também o fazem.

Plano de saúde

Os maiores motivos de insatisfação com o plano de saúde são: o atendimento demorado, número restrito de exames e especialidades e sua cobertura.

Das pessoas que possuem um plano de saúde, 66% delas se sentem satisfeitas com seus serviços. Entretanto, por mais que tenham esse benefício, apenas 55% realizam exames de rotina, enquanto 29% das pessoas que não possuem plano de saúde realizam exames periódicos.

Plano de ação

De acordo com os entrevistados, os principais componentes que uma empresa deveria oferecer são:

  • Planos de saúde de qualidade (39%);

  • Ambiente seguro de trabalho (22%);

  • Saúde emocional dos colaboradores (19%).

Através dessa pesquisa, é possível observar que os benefícios que uma empresa oferece podem influenciar muito no nível de satisfação do funcionário e, consequentemente, no seu desempenho.

Mas, não se preocupe, aumentar os benefícios dos funcionários não é a única solução para esse problema. Mais algumas soluções podem incluir:

  • Horário flexível;

  •  Home office;

  • Recompensa.

Atualmente as pessoas só querem passar um tempo do dia com as pessoas que amam, viajar, ter hobbies como comprar equipamento de pilates e começar um tipo de exercício novo, aprender a tocar um instrumento e passar um tempo de qualidade consigo mesmo.

Os colaboradores hoje em dia preferem ter limites pré-estabelecidos de horários para que possam ter uma melhor divisão da vida profissional com a pessoal, e assim conseguir balancear com uma maior maestria os dois.

Nada impede a empresa de fornecer eventos corporativos e confraternizações fora do horário de trabalho.

Pelo contrário, essa socialização possui vários benefícios, como ajudar a conhecer melhor seus colegas de trabalho, criar oportunidades de networking e trazer um clima leve e descontraído para o ambiente de trabalho.

Menos trabalho é mais produção

Uma quantidade muito alta de trabalho e horas constantes dentro da empresa pode acabar indo contra o seu objetivo de alta produção e desempenho e esgotando o seu funcionário até o ponto em que sua produção sofre uma queda.

Por mais que as salas tenham cadeiras confortáveis, sistema de climatização e copas com geladeira e micro-ondas, o colaborador acaba se esgotando dentro da empresa e precisa de um tempo de qualidade fora do ambiente de trabalho.

Uma boa solução para isso são horas flexíveis e home office. Esses dois meios de trabalho permitem que o seu funcionário tenha um maior controle sobre o seu horário e assim, consiga se programar e conciliar sua vida profissional e pessoal com uma maior facilidade.

Não são todas as profissões que permitem essa solução, mas em muitas delas é sim possível. A área de gestão de redes sociais para empresas, por exemplo, é um trabalho, se não 100%, quase todo online. Nesse caso, essa solução se encaixaria muito bem.

O trabalho também não precisa ser totalmente virtual. Existem tarefas que podem ser administradas à distância em um trabalho presencial. Pode-se criar um sistema híbrido, onde algumas funções são feitas online e outras presenciais.

Muitas profissões podem não ser tão óbvias, mas podem ser transferidas para o meio virtual sem problemas.

Uma empresa de treinamento e consultoria, por exemplo, pode ter trabalhado anos presencialmente e atendendo clientes em locais físicos, mas não há a necessidade de fazer todas as suas atividades presencialmente.

Existe a possibilidade de transferir algumas funções para o online.

O home office possui muitos benefícios, dentre eles está uma maior capacidade de contratar e reter, uma vez que não é mais necessário um espaço físico na empresa para a realização do trabalho.

Além disso, é possível contratar freelancers para o trabalho online, onde o funcionário tem a total autonomia de entrar e sair em espaços de tempo onde existe uma maior demanda. 

Esse tipo de trabalho funciona como uma espécie de empresa de funcionários terceirizados, onde o funcionário se torna uma empresa e tem uma maior autonomia contratual.

A cultura da empresa

Além do home office, também é possível melhorar o próprio ambiente de trabalho para que o funcionário tenha mais tempo de qualidade lá dentro.

A cultura da empresa é desde gestos grandes até gestos pequenos. O objetivo aqui é mostrar ao funcionário a importância de um ambiente profissional saudável.

Se você trabalha em uma indústria, por exemplo, pode implementar que seja fornecido um laudo técnico de condições ambientais do trabalho periodicamente, demonstrando que se importa com o bem-estar dos seus funcionários.

Dessa forma, se cria um ambiente voltado ao cuidado com o trabalho e a saúde de seus colaboradores. Ademais, a constância é que cria um local saudável.

Não basta apenas um laudo técnico, mas a constância dele e sua análise a fim de realmente verificar a saúde dentro do local de trabalho de cada funcionário.

Existem também a estratégia de prêmios, onde os resultados alcançados pelos trabalhadores geram recompensas. Eles podem ser de um chocolate à brindes personalizados bloco de anotações a mochilas, etc.

Desde pequenos prêmios a grandes, ambos geram o sentido de recompensa e criam um incentivo a mais para o funcionário.

Essas não são as únicas soluções para melhorar o equilíbrio da vida pessoal e profissional dos funcionários, existem muitas outras. O objetivo aqui é pensar na saúde e bem-estar do colaborador, e assim mais soluções surgem a partir daí.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.
Postagem Anterior Próxima Postagem


Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.