Blog Diferente Para Ser Diferente
Blog Diferente Para Ser Diferente, Vem Com a Gente!

Fortes e Unidos Somos Melhores!
Seja Hoje Diferente:


Surpreendentemente, a palavra “coach”, no passado, era utilizada para se referir ao motorista de uma carruagem. Com o passar dos anos, ela se transformou e adquiriu o sentido praticado nos dias de hoje.

Você já se perguntou como surgiu o primeiro coaching? De onde veio essa tendência, que tem sido cada vez mais discutida e adotada por pessoas que estão em busca de ajuda para organizar a sua vida, as suas metas e a sua linha de ação?

Atualmente, essa forma de desenvolvimento, baseada na orientação e treinamento tem ganhado popularidade. E, apesar de muito difundida, ainda suscita dúvidas e receios acerca de sua origem, funcionamento e eficácia. Logo abaixo, conheça mais sobre a metodologia.

Origem

A origem da palavra “coach”, adiantamos, remete a tempos longínquos. Em meados do século 16, o coach era quem conduzia a carruagem, que, devido ao seu conforto e à praticidade, era um meio de transporte muito cobiçado.

A analogia é clara: o coach leva os passageiros em segurança e tranquilidade ao destino desejado. Estes, seguros de que estão no caminho certo, confiam na condução e colhem os frutos da situação compartilhada.

No século 19, a denominação foi adotada em ambiente acadêmico: pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, ainda em posição de aprendizado, começaram a chamar seus mestres e professores de coaches. 

O termo logo se popularizou e passou a ser utilizado também para falar sobre técnicos de times esportivos, equipes e similares.

A sua aplicação depois foi feita a partir do trabalho de um escritor, palestrante e esportista reconhecido. Falaremos mais sobre isso abaixo.

Quem é o pai do coaching?

Timothy Gallwey, nascido em São Francisco (EUA), em 1938, é considerado o precursor da metodologia que originou o que hoje chamamos de coaching.

Em sua juventude, Gallwey era capitão de uma equipe de tênis. Em busca de mais concentração e desempenho, aprofundou-se em técnicas meditativas e de autoconhecimento.

Gallwey conta, em seus livros, que ter olhado para dentro foi fundamental para desenvolver uma atitude de sucesso em relação ao tênis. O autor percebeu que não era necessário apenas compreender as regras do jogo, mas conhecer e dominar as suas minúcias individuais antes, durante e depois da prática de atividades físicas.

A intensidade das emoções, o medo, a insegurança, a dificuldade de estar em um local de destaque e as próprias limitações físicas devem ser levadas em consideração por qualquer profissional.

Apenas ao observar-se e compreender quais são os sentimentos, crenças e comportamentos que limitam o seu crescimento ou atrasam o seu trabalho, alguém pode transcender as barreiras — as quais, muitas vezes, são autoimpostas.

Para Gallwey, um vencedor é aquele que sabe jogar o seu próprio jogo interno. E é essa ideia que deu origem ao coaching como o conhecemos.

O que faz um coach na contemporaneidade?

Chamamos de coaching um processo de mentoria e auxílio que conta com uma série de ferramentas. 

Profissionais do gênero têm entendimentos práticos e teóricos de diversas áreas do conhecimento. Entre elas, estão a psicologia, a neurociência, a programação neurolinguística, o planejamento estratégico, a administração e outras áreas.

Os coaches, portanto, atuam de maneira a promover melhorias no desenvolvimento pessoal, profissional, social ou mesmo financeiro de uma pessoa ou grupo de pessoas.

De forma simplificada, podemos dizer que o processo de coaching é baseado na criação e no cumprimento de metas específicas, dentro de um espaço de tempo, de forma direcionada e inteligente. 

Em um curto espaço de tempo, o indivíduo ou grupo de indivíduos que passa pelo coaching é capaz de sair de um ponto de estagnação para o estado de desejo. E, a partir daí, pode cunhar novas metas realistas e formas de alcançá-las.

Como é realizado o processo de coaching?

É natural que ele seja realizado por meio de sessões. E elas podem ser feitas individualmente ou em grupo, de maneira semanal, quinzenal ou mensal, e duram, em média, de uma a duas horas. 

O coach deve, durante o tempo em que permanecer junto ao seu cliente — chamado de coachee —, ajudá-lo a compreender quais são as circunstâncias que o impedem de prosperar como deseja, quais são as atitudes que devem ser mudadas e o rumo de ação mais coerente para chegar aonde se almeja.

O processo, como se vê, é bastante flexível. E democrático, vale salientar: dadas as suas características, pode ser aplicado a múltiplos contextos, perfis e profissões.
Postagem Anterior Próxima Postagem
 Juntos Somos Mais Fortes, Unidos Somos Melhores e Que Seja Hoje Diferente
Novos Artigos

GeraLinks - Agregador de links