Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta futebol. Classificar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta futebol. Classificar por data Mostrar todas as postagens

9.9.19

Museu do Futebol - Estádio do Pacaembu

Museu do Futebol - Estádio do Pacaembu

Saudações Amados do Seja Hoje Diferente.

O Estádio do Pacaembu abriga o museu que conta a história do esporte mais amado pelos brasileiros. Quem visita o local pode conferir curiosidades sobre o futebol, narradores e até treinar um chute virtual. É um dos museus mais tecnológicos da cidade, além de muito interativo.

Localizado numa área de 6.900 m² no avesso das arquibancadas de um dos mais antigos estádios brasileiros, o Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho – o Pacaembu, o Museu do Futebol foi inaugurado em 29 de setembro de 2008 e é um dos museus mais visitados do país. 

A exposição principal, distribuída em 15 salas temáticas, narra de forma lúdica e interativa como o futebol chegou ao Brasil e se tornou parte da nossa história e nossa cultura. É um museu, portanto, aberto ao convívio de todos os públicos, amantes ou não do esporte mais popular do planeta. O atendimento ao visitante é prioridade nas ações educativas do Museu, que também concebe e desenvolve exposições temporárias e itinerantes, além de diversificada programação cultural.

O Museu é totalmente acessível ao público de pessoas com deficiência e estrangeiros, dispondo de recursos variados, tanto de acessibilidade física (escadas rolantes, elevadores, piso podotátil, cadeira de rodas) quanto de acessibilidade comunicacional (audioguias em inglês, espanhol e para cegos, maquetes táteis, materiais sensoriais etc). Em 2013, inaugurou o Centro de Referência do Futebol Brasileiro, que possui a primeira biblioteca pública especializada em futebol no país, com mais de 3 mil títulos nacionais e estrangeiros.

Desde a inauguração, o Museu do Futebol é administrado pela Organização Social de Cultura IDBrasil Cultura, Educação e Esporte (antigo Instituto da Arte do Futebol Brasileiro – IFB), entidade privada sem fins lucrativos que presta serviço público de interesse da comunidade. Parte dos recursos disponibilizados para a administração do Museu do Futebol provém do Estado e parte provém de captações realizadas pela própria entidade (ingressos, locações, patrocínios etc.). Trata-se de um modelo de gestão de equipamentos culturais vigente no Estado de São Paulo desde 2005 e que tem mostrado resultados positivos. Além de garantir a qualidade no atendimento ao público, as organizações sociais vêm oxigenando as ações do Estado na área da cultura e garantindo uma bem-sucedida parceria entre poder público e sociedade civil organizada.

A OS tem a função de manter os equipamentos e os instrumentos necessários para a realização dos serviços contratados, bem como a integridade física da edificação ocupada pelo Museu. Também se compromete em gerar ações e conteúdos coerentes com as especificações da instituição que administra, ao mesmo tempo em que os divulga buscando atingir e dar acesso ao maior número possível de pessoas.

Onde: Praça Charles Miller, s/n, Pacaembu

Site oficial

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

4.1.22

Criação da Série E do Brasileiro resolveria vários problemas


A falta de calendário anual é uma reclamação constante de diversos clubes de futebol espalhados pelo Brasil. A situação é tão constrangedora e aflitiva que, após os Estaduais, dezenas de times fecham as portas no segundo semestre de cada ano. Vários jogadores, treinadores, preparadores físicos e de goleiros, massagistas, roupeiros, entre outros profissionais, ficam desempregados. No máximo, algumas equipes deixam apenas as categorias de base ativas. Chegou a hora de os dirigentes que comandam a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), através do departamento de competições, acabarem com esse pesadelo e criarem a Série E do Campeonato Brasileiro.

As competições nacionais atuais deixam de fora vários clubes de tradição de todo Brasil. Na Série A, ou Primeira Divisão, temos 20 participantes. O mesmo acontece nas Série B e C, com 20 equipes em cada uma. São 60 times nas três principais divisões do Campeonato Brasileiro, com mais 64 correndo atrás do título da Série D, ou Quarta e última divisão.

Acontece que, apesar de termos 124 clubes participando das quatro divisões do futebol brasileiro, temos outras dezenas de equipes que também gostariam de ter calendário anual. E a nova competição poderia abrir a possibilidade de os interessados se inscreverem na entidade. A CBF criaria a competição, que poderia ser regionalizada para ficar mais viável e rentável, colocando em prática a Série E do Campeonato Brasileiro, e analisaria os pedidos de inscrição respeitando o ranking nacional de clubes.

Vamos pegar como exemplo o futebol paulista, onde temos os estaduais mais concorridos e rentáveis de todo o Brasil. No Paulistão, ou seja, na Primeira Divisão, dos 16 clubes participantes, apenas o Água Santa, da cidade de Diadema, não disputa nenhuma divisão do Brasileiro. E gostaria de disputar. Tem estádio, estrutura, trabalha bem nas categorias de base e adoraria ser convidado para participar da Série E do Brasileiro.

Porém, essa situação não fica restrita ao Água Santa, provavelmente um clube desconhecido do grande público. Vamos falar da tradicional Portuguesa, a Lusa do Canindé, vice-campeã brasileira de 96, que fica na capital de São Paulo. Ou até mesmo do também tradicional Juventus, da Mooca. A dupla está sem calendário nacional. O mesmo se aplica ao São Caetano, que já foi vice-campeão da Libertadores. Tem ainda o Paulista, de Jundiaí, que já foi campeão da Copa do Brasil. Sem contar XV de Piracicaba, São Bento, São José, Marília, Noroeste e Comercial, de Ribeirão Preto, entre outros.

A falta de calendário nacional não fica restrita ao futebol paulista, onde geralmente nas quatro divisões dos seus estaduais temos a participação de quase 90 clubes. Podemos espalhar essa situação para outros estados. Por exemplo, em Minais Gerais o Boa Esporte, de Varginha, e o Uberlândia, entre outros clubes de muita tradição, estão sem calendário nacional em 2022.

Em Santa Catarina, o Joinville, que fez brilhante Série D em 2021 (chegando à reta final da competição), neste ano não tem calendário nacional, e gostaria de estar em ação no segundo semestre. Da mesma forma que equipes como o Gama, do Distrito Federal, o Luverdense, do Mato Grosso, o Treze, da Paraíba, e o Imperatriz, do Maranhão.

No Rio de Janeiro outros bons exemplos de clubes sem calendário anual existem aos montes, como os tradicionais Bangu e América, que certamente gostariam de disputar a Série E do Campeonato Brasileiro e festejariam não fecharem as portas no segundo semestre. O mesmo se aplica a Boavista, Madureira, Audax Rio, Resende, que, se consultados, provavelmente também teriam interesse na competição.

O certo é que a falta de um calendário anual para diversos clubes do futebol brasileiro resulta em perdas financeiras. Além disso, deixa vários jogadores e outros profissionais que vivem do futebol desempregados, com vários estádios inativos e muitas vezes sem eventos esportivos em muitas cidades. Os times, claro, têm interesse na criação da Série E do Campeonato Brasileiro.

A CBF conhece o assunto a fundo e esboçou, em um passado recente, a possibilidade de organizar uma nova competição nacional. Porém, as providências não foram tomadas e tudo caiu no esquecimento, principalmente após a chegada da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Que o tema da Série E do Campeonato Brasileiro volte à tona, com os clubes reivindicando novos estudos, e a competição saia do papel o quanto antes. O futebol agradece, principalmente por parte das torcidas que passam a maior parte do ano sem comparecerem aos estádios para curtirem seus times do coração.

25.10.21

Santos Futebol Clube anuncia token por R$ 50 no Mercado Bitcoin, atrelado a direito sobre transferências de jogadores como o astro Neymar Jr.


Com a parceria, que será desenvolvida pelo MB Digital Assets, braço de ativos digitais do Mercado Bitcoin, o Santos Futebol Clube ganha dia 26 de outubro um token baseado no mecanismo de solidariedade da Fifa, chamado TOKEN DA VILA

O Santos Futebol Clube, um dos principais times do Brasil, anunciou, nesta sexta, 22, uma parceria com a exchange Mercado Bitcoin e que irá tokenizar o direito de venda de jogadores formados pelo time da baixada santista, em São Paulo.

Com a parceria, que será desenvolvida pelo MB Digital Assets, braço de ativos digitais do Mercado Bitcoin, o Santos Futebol Clube ganha dia 26 de outubro um token baseado no mecanismo de solidariedade da Fifa, chamado TOKEN DA VILA.

Com isso, os torcedores do Peixe e seus admiradores podem ajudar o clube, a seguir sua reestruturação financeira e ainda investir num produto ligado a uma cesta formada pelos famosos Meninos da Vila, como Neymar Jr. 

O token, que custará R$ 50 cada na sua oferta inicial, é lastreado nos direitos do Mecanismo de Solidariedade da FIFA, que o Santos tem sobre 12 jogadores que o clube formou nas categorias de base, que estabelece que um percentual de até 5% sobre cada transferência do jogador seja retornado aos clubes que o formaram entre os 12 e 23 anos.

Com isso, o Token da Vila será remunerado toda vez que acontecer uma transferência onerosa de um dos jogadores da cesta. Serão cerca de 600 mil tokens, que totalizam uma oferta de R$ 30 milhões ao mercado.

Santos e Mercado Bitcoin

Segundo o executivo de marketing do Santos FC, Rafael Soares, o clube está sempre atento ao mercado e às tendências de geração de novas receitas.

“Encontramos no Mecanismo de Solidariedade da FIFA uma oportunidade de trazer para o certo uma receita que outrora seria incerta para o Clube”, ressalta Soares.

O token é formado por uma cesta de jogadores jovens que têm uma carreira ascendente e contam com grande potencial de valorização, sobretudo no ano que vem, quando acontece a próxima Copa do Mundo.

Além do craque Neymar Jr., também estão na cesta Gabriel Barbosa, atual artilheiro da Copa Libertadores, Rodrygo, Alex Sandro e Lucas Veríssimo, jogadores convocados regularmente para a Seleção Brasileira, e também Emerson Palmieri, naturalizado italiano, convocado regularmente para a seleção italiana campeã da Eurocopa deste ano.

“Contamos com o apoio da nossa imensa torcida para que o produto seja um sucesso e possamos seguir nesse caminho de reestruturação financeira que essa gestão tem buscado desde o início. Essa operação é muito interessante, porque ganha o clube, gerando receita nova, ganha o Mercado de Bitcoin tendo o Santos na sua prateleira de clientes e certamente ganhará o comprador do Token da Vila, porque a expectativa de transacionar esses atletas listados é extremamente alta”, explica Soares.

Tokens

Segundo o MB, nos quatro primeiros meses de oferta primária do Token da Vila, o valor unitário do token se mantém com valor fixo (R$50,00 cada), e após este período será aberto o mercado secundário onde o preço do token varia de acordo com a oferta e demanda do mercado, onde os investidores terão a oportunidade de comprar e vender os tokens de acordo com a flutuação de preço.

“O Token da Vila deve atrair a atenção de muita gente, e não apenas do torcedor santista. O Peixe é um clube reconhecido em fornecer novos jogadores para a Seleção, é o time que revelou Pelé, o Rei do Futebol, que jogou praticamente toda a sua carreira no clube. O Santos sempre manteve essa tradição de revelar craques, como os que estão no token, e isso fortalece muito a proposta de nosso produto’’, explica Ronaldo Faria, diretor do MBDA.

Segindo Faria, esta é uma oportunidade rara de apostar em jogadores promissores se utilizando da tecnologia mais moderna para proteger esse investimento.

Jogadores da cesta que integram o token

  1. Alan Patrick (Shakhtar Donetsk da Ucrânia);
  2. Alex Sandro (Juventus de Turim, Itália);
  3. Caio Henrique (Monaco, França)
  4. Emerson Palmieri, (Olympique Lyon,França);
  5. Gabriel Barbosa (Flamengo, Brasil);
  6. Gustavo Henrique, (Flamengo, Brasil);
  7. Jean Lucas (Monaco, França);
  8. Kaio Jorge (Juventus,Itália);
  9. Lucas Veríssimo (Benfica, Portugal);
  10. Neymar Jr. (Paris Saint-Germain, França);
  11. Rodrygo Goes (Real Madrid, Espanha) e
  12. Yuri Alberto (Internacional, Brasil).

Segundo o MB, as negociações estarão disponíveis a partir do dia 26 de outubro.

11.8.21

Por Messi, brasileiros negociam mais PSG do que BTC, mas preço cai 30%

A exchange de criptomoedas Mercado Bitcoin informou que o fan token do Paris Saint-Germain (PSG) teve o maior volume de negociações em sua plataforma em meio ao anúncio oficial da contratação de Messi peli clube francês.


O jogador de futebol Lionel Messi tem um novo clube. Após 20 anos no FC Barcelona, o argentino assinou um novo contrato com o PSG. O acordo foi oficializado na terça-feira (10) enquanto o fan token PSG disparava de preço.

A contratação da estrela do futebol causou efeitos inclusive no mercado cripto brasileiro. O Mercado Bitcoin, que recentemente se tornou a primeira empresa unicórnio do setor de criptomoedas da América Latina, informou um grande aumento de negociações envolvendo o fan token do time da capital francesa.

Em tuíte na noite de ontem, a exchange informou que a demanda pelo token PSG chegou a superar a do Bitcoin (BTC) em sua plataforma de negociações:

O feito ressalta uma tendência que o Mercado Bitcoin tem seguido nos últimos meses: a de investir cada vez mais na listagem de fan tokens esportivos. A exchange já disponibiliza desde maio ativos de grandes clubes europeus, e listou recentemente mais oito tokens relacionados a esportes, inclusive o da seleção argentina, da qual Messi é capitão.

Além disso, em parceria com o Vasco da Gama, a exchange lançou o primeiro token de um clube de futebol brasileiro. O Vasco Token, que é atrelado ao mecanismo de solidariedade da FIFA, já gerou inclusive rendimentos para os seus detentores.

PSG cai 30%
O token do clube francês iniciou um forte movimento de alta na última quinta-feira (5), quando foi anunciado que Messi não jogaria mais pelo Barcelona.

O PSG era visto como favorito para contratar o jogador. Com isso, seu token chegou a disparar aproximadamente 180% em apenas seis dias. De US$ 25 na semana passada, o PSG disparou para o pico de US$ 58 ontem

No entanto, desde o anúncio oficial da contratação, o preço recuou para US$ 40, resultando em um mergulho acentuado de 30% nas últimas 24 horas, segundo o CoinGecko. O movimento configura um padrão especulativo conhecido como “compre o rumor, venda a notícia” (do inglês buy the rumor, sell the news).

Curiosamente, o token do Barcelona não teve oscilações de preço tão grandes. O BAR caiu 8,8% nas últimas 24 horas, para 23,97, e ainda acumula uma alta de mais de 10% nos últimos sete dias, mesmo com a equipe catalã perdendo o seu principal jogador.

Fan tokens correlacionados ao mundo real
Com o crescimento e popularização do mercado cripto, cada vez mais clubes esportivos estão buscando desenvolver ativos digitais para os seus fãs. Nos últimos meses, diversos times de futebol da Europa realizaram parceria com a Chiliz (CHZ), para lançar fan tokens próprios.

Essas criptomoedas, além de oferecem diversos benefícios para os seus detentores, como conteúdos exclusivos e votação em questões importantes relacionadas ao clube, podem ter uma alta em seus preços, gerando boas oportunidades de lucro.  

Muitas vezes, o preço de um fan token pode cair ou subir consideravelmente conforme o avanço esportivo que a equipe que ele representa consegue. Isso foi observado em partidas da Champions League, maior torneio de futebol da Europa.

Além disso, contratações bombásticas podem causar um sentimento de euforia nos investidores desse ativo, como foi visto no caso Messi e PSG.

20.10.21

Flamengo vende 1,5 milhão de fan tokens em 12 minutos e bate recorde mundial


Flamengo vendeu 1,5 milhão de fan tokens em menos de 12 minutos batendo o recorde mundial de venda deste criptoativo.

Ou seja, o Fan Token $MENGO, fruto de sua parceria com a Socios.com, foi um verdadeiro sucesso para ambos. De acordo com a Socios.com, a demanda foi tão grande que o aplicativo apresentou instabilidade.

O primeiro lote, disponibilizado das 10h às 12h, teve o limite de 100 Fan Tokens $MENGO por usuário. Em seguida, na segunda parte, programada para às 12h, o limite aumentou para 250.

“Um recorde brasileiro. Todos 1.500.000 $MENGO Fan Tokens disponibilizados estão ESGOTADOS. Um grande obrigado a todos que participaram de todo o mundo! $MENGO retornará ao App Socios em 26/10″, divulgou a Socios.com no seu Twitter.

Entre outras coisas, os detentores do token terão a chance de escolher a mensagem que irá aparecer na parede do vestiário no estádio do Maracanã e votar em outras decisões internas.

Fan Token do Flamengo

Conforme informado pela Socios.com, o contrato com o Flamengo prevê a exposição da marca na camisa de treino do time de futebol masculino profissional e no uniforme de jogo do time feminino e das categorias de base.

Além disso, inclui um pacote de mídia na FlaTV, nas redes sociais do Flamengo, nas postagens de aniversário e na divulgação da escalação da equipe masculina profissional em dias de jogos.

O contrato terá validade até o final de 2025 e o Fan token deve render R$ 145 milhões ao clube em 5 anos.

No futebol, além do Flamengo, a Socios.com firmou parcerias com Atlético-MG, Corinthians e São Paulo. Na Europa, destaques para Barcelona, Paris Saint-Germain, Juventus, Milan, Manchester City e Atlético de Madrid.

A Sócios.com é responsável pelo token Chiliz (CHZ), um dos criptoativos ligados que mais cresceu nos últimos 2 anos.

Recentemente, a LaLiga Santander e a Chiliz anunciaram uma parceria exclusiva. O acordo prevê a emissão de Fan Tokens com engajamento na maior liga de futebol da Espanha.

27.8.21

Criptomoeda do Corinthians ganha data de venda, Flamengo pode lançar também


A criptomoeda do Corinthians já ganhou uma data para que os torcedores façam a compra, e a torcida do Flamengo aguarda por mais novidades nesse setor.

Ambos os clubes são considerados os com maior torcida no Brasil, mostrando que a adoção do futebol no país já chegou até o mercado de criptomoedas.

A moeda do Corinthians será lançada em parceria com a empresa Socios.com, a mesma que já lançou essa novidade para clubes como Barcelona, PSG e Atlético Mineiro no Brasil. O clube de Minas Gerais inclusive fez uma grande venda nas últimas semanas de várias unidades de Galo Coin, superando até o Barça.

Dessa forma, as maiores torcidas tem um desafio para quebrar nesse mercado.

Criptomoeda do Corinthians confirmada, do Flamengo sob análise

O “todo poderoso timão” enfim irá lançar sua moeda digital para seus fãs, em meio às comemorações de seus 111 anos de história, que será no dia 1 de setembro. Anunciada no mês de junho de 2021, essa iniciativa ajudará o clube a arrecadar fundos com seus torcedores.

Dessa forma, a venda da criptomoeda do Corinthians acontece no próximo dia 2, de acordo com informações divulgadas pelo próprio clube paulista.

Conforme José Colagrossi, Superintendente de Marketing, Comunicação e Inovação do Corinthians, em setembro o clube começa sua jornada no mercado de criptomoedas.

“Em setembro iniciamos nossa jornada neste novo mundo que traz ao nosso clube oportunidades incríveis.”

Para comprar essa criptomoeda, os torcedores deverão prestar atenção ao horário de abertura de venda do $SCCP na plataforma Socios.com, que será responsável por comercializar esses ativos. Ao comprar uma criptomoeda, os torcedores passam a compartilhar pequenas ações com o clube e contar com alguns benefícios no programa.

No Brasil, a corretora Mercado Bitcoin será a primeira a listar o ativo corinthiano, que pode variar de preço conforme as negociações de seus torcedores nesse mercado.

Recentemente, com a chegada de Leo Messi no PSG o token do clube francês disparou, mostrando que as movimentações no futebol influenciam nos preços destes ativos. Além disso, parte do pagamento feito ao jogador argentino foi com essa moeda digital, o que mostra um cenário ainda mais promissor para utilizar o ativo.

De olho nos movimentos do Atlético Mineiro e Corinthians, o Flamengo é outro clube que pode fechar uma parceria com a Socios.com para emissão de sua criptomoeda.

Essa informação foi compartilhada pelo jornalista esportivo Venê Casagrande, que publicou no último dia 24 de agosto que o clube carioca já estuda essa possibilidade para ser criada em breve, sendo que o Flamengo quer essa criação.

“Flamengo já estuda mercado e planeja lançar fan token”.

Detalhes sobre o token do Flamengo ainda não estão definidos, mas essas criptomoedas já mostram que devem chegar ao futebol com força.

Clubes como Vasco e Cruzeiro lançaram tokens também, mas lastreados no mecanismo de solidariedade da FIFA, ou seja, diferentes das propostas que estão para ser lançadas no mercado.

17.6.20

Bate Papo de Negócios - Carreira de Jogador de Futebol na Europa!

Bate Papo de Negócios - Carreira de Jogador de Futebol na Europa!



Hoje entrevistaremos o Lucas Turci, jogador profissional de futebol na Europa, nesse vídeo ele trará várias perspectivas interessantes para pensarmos sobre como podemos fazer negócio nessa área e como devemos pensar em relação a essa carreira.

14.5.20

Fundação Vida a Pititinga OSC


Tudo aconteceu com a visão social de um  casal, uma goiana e um italiano, de férias conhecendo as belezas do litoral potiguar, quando passavam pela BR próxima a  comunidade Pititinga, no município de Rio do Fogo, teve o pneu do carro estourado. 

Foi suficiente para conhecer a realidade do lugar, uma comunidade com 1.400 moradores, a maioria pescadores. Pelo sonhos dos dois, quatro anos depois, se iniciou a construção na cidade da Fundação Vida à Pititinga, com uma série de projetos que vai desde uma creche até a realização de cursos de capacitação profissional, para atender a jovens e adultos na busca do emprego.

A administradora Edna Abdia Galvão e o ator italiano Enrico Bertolino já desenvolviam ações sociais na Itália. Agora, Edna divide-se entre Pititinga e a Itália. Até agora, a manutenção da instituição acontece com recursos oriundos de doações de pessoas e organizações italianas, mas a realidade impõe que também se faça parcerias com o governo, em níveis municipais, estaduais e federais; empresas e também voluntários. 

A fundação Vida a Pititinga atende a crianças, adolescentes e jovens. Começaram simplesmente com a vontade de fazer algo pelo próximo. Na Fundação já foram realizadas dezenas de palestras educativas, sempre enfatizando valores e questões relacionadas a cidadania, ao mesmo tempo que são desenvolvidas atividades que culminem em aprendizado, que resultem inclusive em recursos que contribuam no orçamento familiar. 

Entre os cursos realizados, já foram feitas capacitações em bordados, biscuit, pedrarias em chinelo e outros. Chegaram, inclusive, a construir uma lojinha de artesanato para atender aos turistas que visitam o lugar, mas o resultado ainda é pequeno.
Principais projetos já realizados: 



A Associação desenvolve atividades que vão desde a capacitação de jovens e adultos para o mercado de trabalho;

formação de escola de futebol;

Projeto comunitário de instrução e formação: promoção de educação complementar, ações culturais e esportivas; 

Projeto Formação:  proporcionar o aprendizado técnico aos jovens em situação de risco social, buscando inserí-los no mercado de trabalho.

Assistência ao trabalho: incentivo e assessoramento a jovens com cursos e treinamentos, criando oportunidades para que os mesmos possam ajudar no sustento de suas famílias.

Esporte e Recreação: utilizar o esporte como meio de união, com a formação de times de basquete, voleibol, dança, música e vídeo, ginástica e grupos de recreação.

Escola de Futebol:  fundada a escola de futebol Inter Campus de Pititinga, em parceria com o Inter de Milão.

Grupo de capoeira Vida: busca desenvolver a dança, contribuindo para a formação dos valores humanos e sociais, com base no respeito e socialização.

Projeto Alimentação e água:  assistência e entrega de cestas básicas as famílias necessitadas e construção de cisternas.

Assistência e Direito Humano: orientação para a garantia de direitos como certidão de nascimento, carteira de identidade, CPF, carteira de trabalho, título de eleitor e outros.

Arte e Cultura: oficina de teatro, canto coral, quadrilhas e danças folclóricas, pintura, corte e costura.

Inclusão digital: curso de informática.

Construção e reformas: a Associação doou seis casas e reformou quatro.

17.10.21

Fan Token: como funciona o sistema de criptomoedas dos clubes de futebol


Você deve se lembrar que, quando Messi assinou contrato com o Paris Saint-Germain, o clube disse à imprensa francesa que o jogador receberia certa quantidade de "fan tokens" como agrado durante as boas-vindas. Antes do anúncio oficial do craque argentino, a criptomoeda do PSG chegou a ter seu preço valorizado após a repercussão dos fãs e torcedores, bem como o criptoativo do Barcelona que se despediu do seu camisa 10.

Com essa e outras ações do mercado, os tokens ganharam credibilidade e se tornaram um produto bem valorizado pelos mais poderosos clubes de futebol, como a Juventus que entrou em campo para disputar um amistoso contra a Atalanta durante a pré-temporada, estampou a publicidade do seu token $JUV nas mangas do uniforme.

A partir daí, diversos clubes começaram a se interessar pelo negócio, como os brasileiros Atlético-MG, Corinthians, Flamengo e São Paulo. Mas se você ainda não entende o que isso significa ou quais são os riscos envolvidos, o Oficina da Net preparou este artigo baseado na entrevista do Alexandre Dreyfus, CEO do Socios.com ouvido pela equipe do ge.

O que é o fan token?

De forma simples e clara, podemos dizer que o fan token é um tipo de criptoativo que se limita apenas a decisões que envolvem público e clube. Por exemplo, os torcedores que tiverem fan tokens a sua disposição, poderão participar de votações para decidir que músicas serão tocadas durante os intervalos dos jogos nos estádios. Quanto mais tokens o torcedor tiver, mais influência ele tem na decisão final. Esse é apenas um dos exemplos, mas com a popularização dos ativos, os clubes podem utilizar isso de diferentes formas.

Uma das grandes vantagens para o público é que os fan tokens podem ser passados para frente, sejam trocados ou revendidos, da mesma forma que acontecem com os ingressos. Assim, qualquer pessoa pode comprar um ativo de qualquer clube e depois revendê-los em sites próprios para isso, como o Mercado Bitcoin, já que possuem autenticidade garantida pelo sistema blockchain.

Para adquirir esses itens, o comprador precisa gastar dinheiro de verdade, sejam dólares, reais ou qualquer outra moeda válida. Porém, vale lembrar que essas operações não permitem que a compra seja feita a partir dessas moedas de forma direta. Antes disso, é necessário adquirir criptomoedas que sejam aceitas no mercado digital, como a Chiliz (CHZ) que pertence a própria plataforma Socios.com.

Criptomoeda ou não?

As criptomoedas são ativos digitais que podem ser utilizadas para realizar transações de forma direta, como comprar ou vender qualquer item, como o bitcoin por exemplo. Embora o fan token se enquadre como uma criptomoeda, vale lembrar que ele não pode ser utilizado desta forma, como para negociar a realizar transações de outras coisas à venda.

Como já dito, os fan tokens são utilizados exclusivamente para os torcedores participarem de votações que serão elaboradas na plataforma por clubes e parceiros. Desta forma, o fan token não é uma criptomoeda, no significado mais amplo da palavra. Apesar disso, eles se enquadram como tal, já que são alistados em mercados digitais dentro desta categoria.

Lucros para o clube

Assim que assinado o contrato, a plataforma coloca os tokens à venda para o público. A primeira leva é chamada FTO (fan token offering em inglês ou oferta de fan token na tradução direta). A quantidade de tokens podem variar de clube para clube, mas no Brasil, a média tem sido 850 mil unidades por vez. No caso do Atlético-MG e Corinthians, por exemplo, esse número foi vendido por dois dólares cada, o que rendeu um montante de US$ 1,7 milhão apenas em algumas horas depois da estreia.

A partir desse valor, a Socios.com concede ao clube 50% do valor total, o que neste caso chega a US$ 850 mil (algo em torno de R$ 5 milhões na conversão direta) para os cofres de cada um dos alvinegros. É claro que, assim como com qualquer outro ativo, o valor dos tokens podem variar. Por exemplo, a $SCCP, criptoativo do Corinthians, está avaliado em US$ 1,37 cada, conforme apurado pelo ge.

Assim, podemos concluir que o número de tokens é determinado pelas circunstâncias, já que a demanda pode aumentar de repente, como com a contratação de um jogador badalado, o que impactaria na procura do criptoativo. Desta forma, clube e parceira podem jogar mais tokens no mercado e aproveitar o hype para faturar ainda mais. Quanto às transações realizadas entre usuários, os clubes podem arrecadar cerca de 0,25% do valor, o que pode ser realmente interessante quando há muitas movimentações.

Bom negócio para investimentos?

Apesar de lucrativo em certas situações, a plataforma entende que os fan tokens não se enquadram como ativos para investimentos, já que para isso é necessário ter uma procura extremamente alta. Durante a entrevista ao ge, Alexandre Dreyfus, CEO da Socios.com, explica que a finalidade do produto é bem diferente de outras criptomoedas utilizadas realmente para gerar lucros.

“Não é nosso trabalho no Socios.com promover um investimento que vise lucro. Nós promovemos a utilidade do token. Há pessoas que estão comprando e vendendo tokens? Sim. Claro. Nós não promovemos, nós não encorajamos, mas há. Há pessoas comprando e vendendo tênis, mas o propósito de um tênis ainda é andar com ele. Assim como o fan token. O propósito do fan token é usá-lo, usar os benefícios dele.”

Na concepção da empresa, os tokens são produtos que podem ser revendidos, mas essa não é a finalidade primária. Para conseguir lucrar com isso, o usuário teria que adquirir o fan token em uma época em que o valor estivesse abaixo da média, e então revender quando a procura aumentar.

Quais os riscos?

Considerando que os fan tokens não são criptomoedas comuns do mercado digital, como bitcoin, ethereum, dogecoin e outras, o investimento neste tipo de ativo pode ser um tanto arriscado. Primeiro, por que eles podem simplesmente deixar de ter valor. Já que o único benefício de se ter um fan token é participar das votações que envolvem os clubes, cabe lembrar que enquanto não houver esse tipo de questões, a “moeda” fica sem valor.

Segundo, a parceria entre o clube e a Socios.com pode terminar, o que pode gerar prejuízos para quem ficar com os tokens retidos sem utilização. Conforme apurado pelo ge, nenhum dos contratos incluem a obrigação de recompra, caso os tokens percam a sua utilidade. O risco é total e exclusivamente do consumidor.

Dreyfus ainda explica que mesmo com o fim do contrato entre a Socios.com e os clubes, os fan tokens podem continuar apresentando algum valor, mas só poderão ser reaproveitados se novas empresas parceiras viabilizar esta operação. Isso vale tanto para os clubes europeus, como também para os brasileiros.

“O token ainda existe. A questão é quem vai oferecer o serviço para você, com dono de um token. Pode ser o Socios.com. Pode ser que o Corinthians, depois de cinco anos, queira assumir esse serviço no aplicativo deles. Ainda é um serviço, ainda tem valor. Eu e você podemos prever o que vai acontecer no mercado em cinco anos. Existe um risco? Claro. Mas acho que a questão principal pra nós é: o que faremos para ter certeza de que proveremos utilidade, serviços e melhorias aos fãs e aos clubes, para que isso nunca aconteça?”

A Socios.com não revela o prazo dos seus contratos, o que tem gerado dúvida sobre a garantia de valor ao adquirir um fan token de determinado público. De qualquer forma, o ge apurou que, no Brasil, a parceria está respeitando os seguintes prazos:

  • Atlético-MG: até fim de 2023
  • Corinthians: até fim de 2025
  • Flamengo: até fim de 2025
  • São Paulo: até fim de 2025

9.10.21

Nada Muda se Você Não Mudar | Futebol X Sucesso

30.8.21

Famosos brasileiros investidores e entusiastas de Criptomoedas


Gisele Bündchen: Em junho, a supermodelo adquiriu uma participação acionária na plataforma de criptomoedas FTX nos Estados Unidos, ao lado do marido, o jogador de futebol americano Tom Brady. O casal ainda atuará como embaixador da marca e assumirá cargos na empresa, a ser remunerado também em moedas virtuais.

Roberto Justus: O empresário, investidor e apresentador tem se envolvido cada vez mais no mercado de criptomoedas. Recentemente, ele vendeu um imóvel seu em Miami, nos Estados Unidos, e recebeu todo o pagamento em Ethereum. Justus disse, no momento, não ter investido em Bitcoin, mas em criptomoedas da WiBX, a primeira brasileira, no qual é consultor desde o ano passado. 

Kleber Bambam: O campeão da primeira edição do Big Brother Brasil (BBB), da TV Globo, busca constantemente formas de fazer com que o prêmio recebido em 2000, no valor de R$ 500 mil, renda. Além de trabalhar com redes sociais e se dedicar ao fisiculturismo, ele investe em imóveis, bolsa de valores e em criptomoedas, como Bitcoin e Ethereum, como contou em entrevista ao programa “Pânico”, da Jovem Pan.

Goleiro Bruno: Em maio deste ano, o jogador, condenado pela morte de Elisa Samúdio, anunciou em seu perfil numa rede social que havia se tornado “day trader” da empresa IQ Option. A corretora, com sede no Chipre, não tem autorização de atuar no Brasil. A empresa ficou no centro dos holofotes após a morte do investidor e influencer Wesley Pessano Santarém, assassinado em seu Porsche em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos.

Luciano Szafir: O ator também apareceu como garoto-propaganda da IQ Option, em abril. Na divulgação, em um vídeo, Szafir anunciava ganhos de até 300% ao mês com “robô da Nasa”. Ao ser questionado por seguidores, ele voltou atrás, pediu desculpas pela propaganda e solicitou que o material fosse retirado do ar.

Ronaldinho Gaúcho: O ex-jogador da Seleção Brasileira estampou e estampa publicidades de criptomoedas. As parcerias, no entanto, são um pouco turbulentas. Ele foi garoto-propaganda de duas empresas suspeitas de operarem em esquema de pirâmide com Bitcoin - a 18k Ronaldinho e a LBLV, em 2019. A empreitada mais recente é à frente da criptomoeda Atari Token, que desde junho deste ano tem sido divulgada pelo jogador, inclusive em seu perfil oficial nas redes sociais. Em 2018, Ronaldinho apostou em sua própria criptomoeda, em parceria com a empresa chinesa WSC (World Soccer Coin), a Ronaldinho Soccer Coin. A marca tinha como objetivo se tornar a maior moeda digital do mundo do futebol.

Mionzinho: O ator e publicitário Victor Coelho, famoso por parceria com o apresentador Marcos Mion, contou em seu Twitter, em fevereiro deste ano, ter investimento em Bitcoins, quando a criptomoeda bateu recorde de cotação após anúncio da fabricante de carros elétricos Tesla em começar a aceitar a moeda como forma de pagamento por seus veículos. O valor chegou a 48,2 mil dólares. "Tenho ações da Tesla e tenho bitcoins, estou amando o @elonmusk sim ou óbvio?", escreveu na época.

Daniel Zukerman: O ator e humorista, conhecido pelo antigo quadro "O Impostor", do Programa Pânico, contou em entrevista, em dezembro do ano passado, que já acreditava na potência do Bitcoin em 2009, ano de lançamento da criptomoeda. Além de fazer um investimento, ele teria convencido o apresentador Emílio Surita, com quem trabalha, a comprar com ele.

Emílio Surita: O apresentador do Pânico, na Jovem Pan, contou durante um programa ter aproveitado a dica do amigo Daniel Zukerman para comprar Bitcoin ainda em 2010. Ele disse que "na época, perdia Bitcoin", e que hoje não sabe o que fazer "com tantas". Encerrando o breve assunto durante a entrevista com duas convidadas, ele disse: "Nunca pensei que isso aí ia virar o que virou". Atualmente, uma moeda ultrapassa o valor de R$ 240 mil.

Kim Kataguiri: O deputado federal afirmou por várias vezes investir em Bitcoin, e viralizou ao dizer que se arrependia de não ter comprado a criptomoeda ainda em 2009, quando o valor de mercado era baixo. Em junho, em entrevista ao "Podcast do Delegado Da Cunha", o parlamentar afirmou que a moeda deve continuar desregulamentada no Brasil, isto apesar do movimento contrário em outros países e na pressão interna para a regulamentação através de regras do Banco Central.

Felipe Neto: Disse “Minha opinião pessoal é a de que quem não está investindo em cripto hoje vai se arrepender monstruosamente num futuro muito próximo. Assim como muita gente já se arrepende de não ter começado a investir em 2017-2018”

7.10.20

Recebemos Quatro Cestas Básicas e já saímos para entrega com o Fusca do Bem do SHD

Saudações Amados do Seja Hoje Diferente!

Tudo bem com você? 

Espero que sim e que Seja Cada Dia Melhor afinal que Seja Hoje Diferente em tudo de Bom para nossas Vidas!

Amados olha só que maravilha:

´
É isso ai amados, independente de religião, partido políticos e time de futebol nós somos diferentes e nosso grupo de amigos são diferentes unidos no objetivo de fazer o bem sem olhar a quem e com quem!

Nós do Seja Hoje Diferente em parceria com a igreja Pentecostal Herdeira de Deus que recebeu uma quantidade de Cestas Básicas, prontamente atendeu a nosso pedido de 4 Cestas Básicas para famílias carentes atendidas pelo SHD.

Hoje mesmo das quatros Cestas Básicas, duas delas já foram entregues e amanhã serão entregues as outras duas.

Nós Somos o SHD, um grupo de amigos diferentes unidos no objetivo de fazer o bem independente de religião, política e Time de Futebol. 

Obrigado à todos da Igreja Petencostal Herdeira de Deus e a todos os colaboradores e contribuintes do SHD, sem vocês nada funciona.

Um forte abraço!

4.8.20

Respondendo duas perguntas enviadas no Whatsapp | Máscara e Time de Futebol


Saudações Amados do Seja Hoje Diferente!

Neste vídeo para redes sociais respondo duas perguntas, uma sobre máscara e outra de time de futebol, confira!

Clique no Play

A Escrivaninha do Alê é uma "Tag" especial aqui no Blog Seja Hoje Diferente onde são publicados artigos aleatórios pequenos compartilhados nas redes sociais e exclusivos para os amigos seguidores do SHD!

19.6.20

Coisas legais que você pode fazer com o Google Assistente em português

Coisas legais que você pode fazer com o Google Assistente em português

Finalmente o Google Assistente em português já está disponível para todos os Androids compatíveis, ou seja, smartphones com versão Android 6.0 Marshmallow ou superior. Um dos diferenciais do assistente do Google é que ele entende melhor o que você fala e consegue manter uma conversa baseada em contexto.

Fora os clássicos recursos de um bom assistente de voz (definir alarmes, lembretes, pedir direções no GPS ou perguntar alguma coisa), o Google Assistente também tem adicionais divertidos, especialmente no nosso idioma. Pode servir para passar o tempo. 

1. Jogar

Além de jogos de doodles e jogos clássicos (como jogo da velha e paciência), o Google Assistente oferece jogos de perguntas e jogos de bate-papo. Os de perguntas são feitos para testar o seu conhecimento, de geografia, entretenimento, matemática e de vocabulário no inglês.

2. Contar piadas

Qual o vinho que não tem álcool? Ovinho de codorna. Essa é uma das pérolas que o Google Assistente pode falar para você se você pedir para ele te contar uma piada.

3. Contar curiosidades ou fatos interessantes

Além de piadas, ele consegue ser útil e contar coisas que você provavelmente não sabe. Basta falar “Conte-me uma curiosidade” ou “Conte-me um fato interessante” que a produção do filme Titanic custou US$ 200 milhões, mais caro do que o próprio valor da construção do navio.

4. Mostrar fotos de alguma coisa (ou suas)

Tá, pode ser mais fácil pesquisar na internet por texto, mas é legal que o Assistente mostre imagens de gatos siameses e tenha abaixo informações sobre a raça, origem e tudo mais. Você também consegue pedir para ele mostrar fotos do seu Google Fotos, como selfies ou fotos que você tirou.

5. Mostrar as notícias de hoje

Esse é outro recurso que você consegue acessando o Google Now, mas o Assistente mostra as últimas notícias mais importantes com direito a botões para você ler mais sobre cada veículo que ele cita.

6. Saber mais sobre futebol

O meu vô vai gostar bastante dessa: você pode perguntar muita coisa sobre futebol, como classificação, programação do campeonato e mais informações sobre um time, como seu atacante, estádio ou mascote.

7. “Me ajude a passear”

Essa parte mostra o que você pode fazer quando estiver na cidade, como ver os filmes que estão em cartaz no seu bairro, achar restaurantes, bares e até hotéis próximos.

8. “Eu sou seu pai”

Sim, também tem como você falar a frase icônica de Star Wars para o Assistente: “eu sou seu pai”. Ele vai responder de um jeito engraçado.

9. Cantar Evidências

Também tem como fazer ele cantar Evidências, de Chitãozinho e Xororó. É só falar “Vou negando as aparências…” que ele continua.

(…disfarçando as evidências…)


10. “Você gosta de novela?”

Ruth ou Raquel? Quem matou Odete Roitman? Essas são perguntas divertidas para quem é das antigas e quer ver o que o Assistente sabe de novelas.

11. “Você é amiga da Siri?”

Pergunte e descubra.

E, claro, também tem como você perguntar o que o Assistente acha da concorrência. Por que não?

23.5.20

Live Papo de Negócios Lucas Turci


Você sabia que jogar futebol também envolve conhecimento em negócios?

Hoje as 14 horas teremos um bate papo com Lucas Turci sobre a carreira dele de jogador de futebol na Europa! 

Responderemos todas as curiosidades e dúvidas que vocês tiverem sobre o assunto! 

Vem com a gente!

Clique Aqui!

13.4.20

Confira as principais atrações do Itaim Bibi


Engana-se quem pensa que o bairro possui somente uma vida empresarial ativa, confira as outras alternativas para conhecer no Itaim Bibi!

O Itaim Bibi é tido como um dos bairros mais badalados para se curtir em São Paulo. Não a toa, possui algumas das principais atrações para se visitar na cidade, agradando desde fãs de arte a quem quer sair com os amigos. Confira, aqui, quais são os principais atrativos do distrito localizado na zona Sul da capital paulista!

Parque do Povo

Inaugurado em 2008, o parque conta com mais de 130.000 m² de área para seus frequentadores. Dentro de seu território, há três quadras poliesportivas, um campo de futebol, pista de skate, de corrida e até aparelhos de ginástica.

Há, ainda, o Jardim Sensitivo, espaço onde é possível experimentar e observar uma grande variedade de ervas aromáticas que são cultivadas por ali. É, sem dúvidas, a melhor opção do bairro para a prática de exercícios ou um piquenique.

Shopping Iguatemi

O estabelecimento é tido como o mais antigo shopping da América Latina, tendo sido inaugurado em 1966. É, também, um dos principais locais para compras do país, sendo referência entre instituições semelhantes.

São 302 opções de lojas para o consumidor escolher, além de seis salas de cinema para os amantes da sétima arte. Dentre as marcas, se destacam as de moda, trazendo as principais grifes do mundo fashion ao país.

Rua João Cachoeira

Outro grande centro de compras para se apreciar no bairro, este, no entanto, se difere do restante dos shoppings por ser a céu aberto. São várias lojas lado a lado,  sendo uma boa escolha para quem precisa fazer compras e não gosta de ambientes tão cheios. Lá, você encontra opções de moda, bares e restaurantes, trazendo até mesmo pontas de estoque, que levam menores preços aos seus clientes.

Eataly

Como o próprio nome já diz, é o local perfeito para quem aprecia uma boa culinária italiana. É como se fosse um pequeno centro dedicado única e exclusivamente a Itália.

São bancas que variam desde restaurantes à cafeteria, sorveteria, bar de vinhos e confeitaria, totalizando mais de oito mil produtos em 4.500 m². A unidade da Juscelino Kubitschek é a primeira da América Latina da marca, criada em 2007, em Turim.

Esporte Clube Pinheiros

O clube foi fundado em 1899 e é um grande formador de atletas de nível olímpico, sendo responsável por 12 medalhas da nossa confederação.

Seus quase 40.000 sócios podem desfrutar de modalidades de esporte, tais como atletismo, basquete, boxe, canoagem, esgrima, futebol, ginástica artística, handebol, karatê, natação, polo aquático, remo, skate, tênis e vôlei.

Além das opções esportivas, há também uma programação de eventos sociais e culturais, com cinema, shows de música, teatro e palestras.

Bardega

É isso mesmo, a junção de bar e adega finalmente existe e está localizada no Itaim Bibi. Os apaixonados por vinho poderão experimentar variações advindas de todo o mundo por preços bem em conta, cerca de R$4 ou R$5, antes de comprar a garrafa toda. Tudo isso na mesa, junto aos seus amigos.

Seu cardápio não fica para trás, com opções perfeitas de acompanhamentos criados para harmonizar com os mais variados tipos de vinho. Caso queira acompanhar sua turma, mas não goste da bebida, não tem problema, também há opções de cerveja para os mais tradicionais. Funciona de segunda a sábado, das 18h30 à 01h00.

Museu da Casa Brasileira

Essa é a opção ideal aos amantes de design e arquitetura, com mostras que retratam como o interior das casas mudou no Brasil desde o século XVII até atualmente. São centenas de objetos e móveis para apreciar e analisar.

Sua agenda conta com exposições, palestras e debates, trazendo muitas novidades ao público. Além disso, há o Santinho, restaurante interno com opções excelentes de prato.

10.3.20

A Legalização das apostas esportivas e seu impacto na economia brasileira

Juntos Somos + Fortes e Unidos Somos Melhores!
Seja Hoje Diferente:

Reprodução Divulgação

Um dos temas mais recorrentes no Brasil desde o ano de 2019 tem sido a regulamentação das apostas esportivas de cotas fixas. Desde a sanção da Lei 13.756/2018, aprovada pelo ex-Presidente Michel Temer, a temática perde a atenção do Governo Federal e da sociedade.

Essa Lei abriu caminho para que o Brasil legalizasse um mercado cuja popularidade aumenta ano após ano no país. 

Ela autoriza uma atividade que, até então proibida, já era praticada por milhões de brasileiros e que movimenta sozinha em território nacional algo entre R$ 1 bilhão e R$ 4 bilhões, tal é a popularidade que os sites de apostas têm ganho.

Hoje, contudo, os apostadores sediados no Brasil só têm permissão para realizarem apostas em sites hospedados no exterior. Única forma viável de não caírem em contravenção penal. 

O que também significa que todo dinheiro investido pelos jogadores brasileiros não retorna ao país. 

O que não gera prejuízo imediato aos cofres públicos, mas que, certamente, não deixa de ser uma oportunidade econômica perdida. 

Justamente por isso a Lei 13.756/2018 autorizou a exploração das apostas esportivas de cotas fixas no país. 

A partir de 2019, portanto, o Governo Federal passou a ter 2 anos para regulamentar o segmento, criando, assim, um sistema de licenciamento para permitir que operadoras de apostas possam atuar legalmente no Brasil.

Esse período termina ao final de 2020, embora possa ser prorrogado por mais 2 anos. Algo que o Governo já deixou claro que não quer fazer. 

Afinal, a legalização poderá trazer apenas em impostos algo em torno de R$ 1,3 bilhões ao país.

Impacto na economia pode ser elevado

A recolha de impostos por parte da União seria apenas um dos muitos benefícios da regulamentação das apostas esportivas. 

O Ministério da Economia acredita fortemente que todos os setores da sociedade serão beneficiados. De forma direta e indireta é possível citar a criação de empregos. 

A nova legislação das apostas exigirá que as empresas tenham sedes físicas no Brasil, mesmo que queiram atuar apenas na modalidade “online”. O que, obviamente, acarretará a criação de novos postos de trabalho. 

Além disso, temos de falar na criação de empregos especializados, o que vai dar oportunidade a profissionais das áreas de TI, de programação e de marketing. 

E uma possível queda no desemprego no país pode levar os cidadãos a terem maior poder de compra, girando, assim, a economia nacional

Por outro lado, a entrada de dezenas de empresas estrangeiras no Brasil pode resultar em maior investimento em diversas outras áreas. 

Para o país se tornar um dos mercados de apostas esportivas mais fortes do mundo colocaria a nação na vitrine dos investidores.

Por fim, se a regulamentação das apostas esportivas se provar vantajosa, é muito provável que a discussão sobre a legalização dos cassinos e dos bingos volte à tona. 

Não podemos nos esquecer de que o turismo de luxo relacionado aos cassinos é um mercado potencial que o Brasil ainda se recusa a explorar em proveito próprio.

Apostas esportivas ganham aceitação entre a população

As apostas de cotas fixas são aquelas em que o apostador sabe previamente o quanto pode ganhar com seu palpite. Para o cidadão brasileiro isso não é novidade, visto que um sistema “semelhante” é encontrado nas Loterias Federais da Caixa, tais como a Mega Sena ou a Lotomania.

As apostas esportivas seriam apenas mais uma forma de aposta de cota fixa a vigorar no Brasil. Com a facilidade de poderem ser realizadas online, em sites dedicados inteiramente a esse tipo de atividade.

Em relação a outros tipos de jogos, como cassino, bingo e jogo do bicho, as apostas esportivas têm recebido maior apoio da sociedade. 
Principalmente porque elas estão relacionadas a uma das maiores paixões dos brasileiros: os esportes, em especial o futebol.

Não é preciso ter um olhar muito atento para perceber que diversos clubes brasileiros de futebol têm estampados em seus uniformes marcas de casas de apostas.

Estima-se, inclusive, que em 2020 todos os clubes da Série A do Brasileirão serão patrocinados por essas empresas.

O impacto da inevitável regulamentação do segmento já é visível no esporte. Esse tipo de parceria entre times e casas de apostas rende aos cofres dos clubes pequenas fortunas todos os meses. O que pode auxiliá-los a quitar dívidas volumosas ou, como foi o
caso do Flamengo, a montar um plantel poderoso para conquistar títulos.

GeraLinks - Agregador de links