Daniela Machado, diretora global de marketing e produtos da C&M Software

Na última semana, o Banco Central decidiu permitir a realização de transações de compra com cartões de crédito, débito e pré-pago por meio do WhatsApp no Brasil. Antes da liberação, a plataforma só efetuava transferências de valores entre indivíduos.

De acordo com a entidade financeira, todos os participantes da modalidade, em qualquer nível de aplicação, deverão ser comunicados pelos instituidores com 30 dias de antecedência. Segundo a liderança do WhatsApp na América Latina, a rede social está em processo de finalização e testes com parceiros, como Mercado Pago, do Mercado Livre, e Cielo, e a funcionalidade estará disponível “em breve”.

Mas há um ponto de atenção nas transações via Whatsapp, os golpes. Segundo um levantamento feito em 2022 pelo site Mobile Time, cerca de 43% dos usuários da plataforma de troca de mensagens instantâneas afirmaram ter sido alvo de algum tipo de fraude no app. O fácil acesso a rede social e o histórico de problemas podem ser empecilhos para o pleno funcionamento da modalidade de pagamento no Brasil.

Nesse sentido, o sistema PIX tem se mostrado eficiente e seguro em relação a possíveis fraudes, e tornou-se o método de pagamento mais utilizado pelo brasileiro, atingindo a marca de R$10,9 trilhões movimentados em 2022, segundo o Banco Central.

Para comentar sobre o desenvolvimento da modalidade de pagamento de cartão via Whatsapp, suas vulnerabilidades e o avanço do PIX no Brasil e no mundo, sugiro Daniela Machado, diretora global de marketing e produtos da C&M Software, empresa PSTI (Provedores de Serviços de Serviços de Tecnologia da informação) regulamentada pelo BACEN ) e é uma das empresas que transaciona o Pix no país.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.