A usina nuclear Angra 1 iniciou o ano de 2023 com a maior geração de energia em um mês de toda a sua história.

A usina nuclear Angra 1 iniciou o ano de 2023 com a maior geração de energia em um mês de toda a sua história. A unidade gerou em janeiro 485.033,504 megawatts-hora (MWh), superando sua melhor marca, obtida em julho de 2021, de 483.794,225 MWh.

Nos últimos anos, a equipe da Eletronuclear vem trabalhando para aprimorar o desempenho e a produtividade da usina de Angra 1, como demonstram seus indicadores, que estão entre os melhores do setor nuclear no mundo. “A melhoria que temos obtido se deve à dedicação dos nossos engenheiros e técnicos da área de performance térmica, operação e manutenção. Esse esforço, tanto individual quanto coletivo, elevou a performance de Angra 1 a um nível de excelência ainda maior”, comemora o superintendente da unidade, Abelardo Vieira.

Este resultado é fruto de diversas pesquisas, inspeções, medições, ajustes e trocas de componentes e equipamentos realizados pela Eletronuclear. Entre esses fatores, destacam-se a limpeza dos 48.000 tubos das caixas dos condensadores do sistema secundário (não nuclear), as melhorias na instrumentação de leitura de vários parâmetros eletromecânicos e a redução das perdas de vapor que otimizam a operação das turbinas, além do uso mais efetivo da água que é empregada na condensação de vapor no ciclo de operação termodinâmico da usina.

Central nuclear fecha 2022 com saldo positivo

A Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA) também teve uma performance digna de nota no ano passado. Angra 1 produziu um total de 4.872.455,7 MWh, enquanto Angra 2, 9.686.543 MWh. Juntas, as duas usinas geraram 14.558.998,7 MWh, energia suficiente para abastecer com sobras toda a região Centro-Oeste do país.

Postagem Anterior Próxima Postagem


Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.