Especialista em Direito Contratual, Andrea Cristina Zanetti compara leis do Brasil e de Portugal para analisar os riscos ao segurado, a autonomia privada, além de sinistro e indenizações

Com a saúde no topo das prioridades, muitas famílias aderem ao seguro, modalidade que, em comparação com os planos de saúde, oferece maior liberdade na escolha de profissionais, clínicas, laboratórios e hospitais aos usuários. Nesses casos, os principais problemas estão relacionados ao reembolso das despesas médicas. As complexidades contratuais e a falta de entendimento por parte de quem contrata o serviço evidenciam a necessidade do aprimoramento das leis brasileiras. Essa análise ganha holofotes na pesquisa da Doutora em Direito e Especialista em Direito Contratual, Andrea Cristina Zanetti.

Em seu novo livro Contrato de Seguro-Saúde – Análise da Denúncia Sob a Perspectiva dos Regimes Português e Brasileiro, lançado pela Editora Almedina Brasil, ela aponta os riscos ao segurado e fala sobre autonomia privada, sinistro e indenizações, além de outros aspectos legais. Na obra, a autora descortina os serviços prestados nos dois países, com as diferenças legislativas, jurisprudenciais e doutrinárias, de acordo com a realidade da saúde de cada nação.

O trabalho visa traçar um diálogo reflexivo e crítico sobre o atual uso da denúncia para os contratos de seguro-saúde. Neste sentido, aponta questões referentes à sua estipulação em cláusula, os cuidados no exercício e deveres exigíveis, para que sua aplicação esteja conforme a intenção do legislador: evitar a perpetuidade das relações, em especial dos contratos celebrados por tempo indeterminado e para aqueles realizados por tempo determinado com renovação ou prorrogação automática. E, ao mesmo tempo, buscar elementos que possam auxiliar na compreensão de seus limites.

O seguro-saúde, em ambos os regimes aqui examinados, apresenta uma organização geral assemelhada ao que concerne à necessária presença do interesse, risco segurado, mutualismo, pagamento de prêmio, forma, deveres de informar, dever de sigilo, modos de cessação do contrato e mesmo divisão entre as modalidades de seguro-saúde individual e de grupo (contributivo e não contributivo). Todavia, o conteúdo de cada aspecto mencionado ganha contornos próprios nos ordenamentos português e brasileiro. As diferenças começam pela própria estrutura legislativa.

(Contrato de Seguro-Saúde, p. 248)

Trabalho comparativo, interdisciplinar, detalhado, lógico e técnico sobre o tema, o livro tem o cuidado de refletir sobre as diferenças de cada realidade e aproximar os aspectos comuns, que permitem compreender os elementos essenciais desse acordo entre usuários e seguradoras, e aperfeiçoar o conhecimento jurídico em visão contemporânea.

A relação contratual de longa duração e suas adversidades, em uma visão equilibrada, pautaram as pesquisas de Andrea ao longo dos anos. Durante o mestrado na PUC/SP, em 2007 - em um período em que os princípios contratuais sociais ainda careciam de detalhamento no cenário nacional -, a autora dedicou-se de modo inovador ao “princípio do equilíbrio contratual”.

O seguro-saúde é objeto de estudo da autora há quase uma década. A busca por respostas conduziu a especialista na elaboração de um projeto de pesquisa de pós-doutoramento, em 2019, a partir de comparativo com o regime português, que resultou neste livro. Embora seja uma obra técnica, ideal para estudantes e profissionais da área, o material também pode auxiliar quem busca exigir seus direitos.

Ficha técnica

Livro: Contrato de Seguro-Saúde – Análise da Denúncia Sob a Perspectiva dos Regimes Português e Brasileiro
Autor: Andrea Cristina Zanetti
Editora: Almedina Brasil
ISBN: 9786556277660
Páginas: 266
Formato: 23x16x1,3cm
Preço: R$ 199,00
Onde encontrar: Almedina Brasil | Amazon

Sobre a autora

Andrea Cristina Zanetti, é professora do Departamento de Direito Privado e de Processo Civil da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FDRP-USP) e se dedica ao estudo dos impactos jurídicos nos comportamentos negociais. A pesquisa que deu origem à obra ocorreu nos anos 2019 e 2020, durante o primeiro ano de pandemia da Covid-19, enquanto vigoravam as medidas de lockdown em Portugal. Doutora e Mestra em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), onde também concluiu a graduação. Pós-doutorado em Ciências Jurídico-Civis pela Universidade de Lisboa (2019-2020). Especialista em contratos pela COGEAE.

Sobre a editora

Fundada em 1955, em Coimbra, a Almedina orgulha-se de publicar obras que contribuem para o pensamento crítico e a reflexão. Líder em edições jurídicas em Portugal, a editora publica títulos de Filosofia, Administração, Economia, Ciências Sociais e Humanas, Educação e Literatura. Em seu compromisso com a difusão do conhecimento, ela expande suas fronteiras além-mar e hoje traz ao público brasileiro livros sobre temas atuais, em sintonia com as necessidades de uma sociedade em constante mutação.

Postagem Anterior Próxima Postagem
Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!


Seja Parceiro Anuncie no Seja Hoje Diferente!

Compartilhe nas redes sociais: Apoie ou retribua.

Todos os nossos artigos são exclusivos. A reprodução total ou parcial é proibida.

Apoie ou retribua.