Garimpo ilegal: Como essa atividade prejudica o meio ambiente?

Nos último meses, podemos acompanhar como o garimpo ilegal vem devastando parte da nossa flora, além de provocar a destruição de tribos, contaminação do solo e da água, mas você sabe como essa atividade é prejudicial para o nosso país?


Estamos acompanhando um boom de notícias sobre o avanço do desmatamento e garimpos ilegais aqui no Brasil, essa atividade ocorre principalmente na região Norte do país, em áreas de fronteiras e dentro de territórios indígenas e de preservação ambiental.


Porém, você que trabalha em uma empresa de válvulas borboleta, em uma loja de roupas ou como motorista deve estar se perguntando, o que eu tenho a ver com isso e como esse garimpo ilegal pode me afetar.


Bom, além de todas as atrocidades cometidas pelas pessoas envolvidas com o garimpo ilegal, saiba que essas ações está destruindo o meio ambiente, que é fundamental para a existencia de todos, por isso esse é um assunto que preocupa nosso país.


Só para entender como esse assunto é preocupante, em 2020, de acordo com um estudo realizado pelo Instituto Socioambiental e a Rede Xingu +, que é composta por indígenas e ribeirinhos da Bacia do Rio Xingu no Pará.


Foi revelado que a extração de minério destruiu uma área do tamanho de 560 campos de futebol em uma área de floresta nativa muita coisa, não? Essa destruição ocasiona diversos problemas para todos, como:


  • Efeito estufa;

  • Doenças;

  • Extinção de animais;

  • Problemas respiratórios.


Por mais que não vivamos na floresta, todos somos afetados por essas ações. Por isso, é fundamental entender mais sobre o assunto para que consiga conscientizar as pessoas e evitar que ações como essas aconteçam em nosso país.

O que é garimpo?

Antes de tudo, é importante entender o que é garimpo e acima de tudo, o que é o ilegal, pois saiba que existe sim a legalidade para essa prática, como qualquer outra profissão seja de corte a laser ou motoqueiro, sempre irá ecostir essa dualidade.


Bom, o garimpo é a exploração, mineração ou extração de substâncias minerais no meio ambiente, como o ouro e o diamante, essa prática pode ser feita de forma manual ou mecanizada, ela é praticada a céu aberto através de escavações de rochas mineralizadas.


Essa é uma atividade que busca extrair essas riquezas minerais, se utilizando de materiais de baixo investimento e equipamentos simples e ferramentas rústicas.


Quando o garimpo acontece de maneira ilegal, as atividade são feitas em áreas públicas e protegidas, que não são auorizadas para a extração desses minerais, como as terras indigenas e unidades de conservação.


Além dessas áreas, os garimpeiros costumam invadir propriedades privadas sem a autorização, ignorando se a pessoa é um fazendeiro, dono de uma empresa de transmissor de temperatura, enfim.


Funciona da seguinte forma: Um grupo de garimpeiros chega até uma área com os seus equipamentos, desmatando a área sem ao menos se preocupar com as pessoas e animais que residem naquele lugar.


Logo após, eles removem o solo, processam o ouro utilizando mercúrio em aberto e depois abandonam a área, deixando um rastro de destruição por onde passam. Então, os impactos causados por essas ações são gigantescos.


Afinal, essa é uma atividade ilegal, que não possui nenhum autorização, o que causa desmatamento ilegal e não existe nenhum mecanismo eficiente que puna essas pessoas da maneira correta.


Até para abrir uma empresa de rabeta de moto, por exemplo, é preciso que tenha uma autorização, imagine para retirar minerais do sono, por isso esse é um problema que envolve a sociedade como um todo.


Como já dito, existe sim o garimpo legal, em que as empresas seguem a Lei, porém até esses casos já levantaram suspeitas. Então, de acordo com investigações recentes, muitas licenças para cooperativas são fachadas para lavagem de ouro tirada de terra indigena.


Saiba que quando esses garimpeiros ilegais chegam a uma terra indigena, ele causa um impacto enorme nessa população, pois a atividade destrói os cursos d'água. Dessa forma, o sustento dessas pessoas acaba.


Além disso, eles espalham inúmeras doenças e desestruturam os grupos de forma física e cultural.


Como é dito, não são apenas os indígenas que sofrem as consequências, você que trabalha em um escritório de chave fim de curso, por exemplo, saiba que o peixe que consome pode estar contaminado com mercúrio, que é usado por esses garimpeiros ilegais.

Impactos no meio ambiente

Como pode perceber, o garimpo ilegal causa diversos danos para o meio ambiente, vamos detahar cada impacto causado por esses danos, são elas:


  • Degradação de ecossistemas;

  • Contaminação do solo e da água; 

  • Escassez de recursos naturais;

  • Deslocamento de comunidades;

  • Corrupção e a violência.


Esses grupos de garimpeiros ilegais desmatam, contaminam o solo, expulsam indígenas, ribeirinhos e animais da região, sem contar que são pessoas violentas que acabam matando quem intervém no caminho deles, gerando corrupção e um rastro de sangue.

Ações contra o garimpo ilegal

Seja você um funcionários público ou o dono de uma empresa de transformador isolador e está acompanhando que os casos de garimpo ilegal têm aumentado nos últimos anos, saiba que não é nenhuma coincidência ou pressão da mídia.


A regulamentação da mineração nessas terras era defendida pelo governo Jair Bolsonaro, que durante o seu mandato, flexibilizou várias Leis para facilitar a ação desses garimpeiros, causando esse rastro de destruição que acompanhamos.


Esse assunto chocou os brasileiros e ganhou muita repercussão graças à crise sanitária enfrentada pelos indígenas Yanomami em Roraima, escancarando a situação vivida por esses povos.


No começo do ano, logo após assumir seu mandato, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu com o ministro da Defesa José Múcio, o ministro dos Direitos Humanos Silvio Almeida e a Sônia Guajajara ministra dos Povos Indígenas, além do Alexandre Padilha.


Com isso, foi criado um grupo de trabalho que será coordenado pela secretaria de Acesso à Justiça, a pasta indicará os seguintes representantes:


  • Secretaria Nacional de Segurança Pública;

  • Polícia Federal;

  • Polícia Rodoviária Federal.

  • Ministério dos Povos Indígenas;

  • Ministério Minas e Energia;

  • Ministério da Defesa;

  • Ministério da Fazenda;

  • Ministério dos Direitos Humanos.


O grupo será mantido por 180 dias. Porém, esse prazo poderá ser prorrogado caso necessário, o seu objetivo é coordenar, planejar e acompanar todas as ações de combate ao garimpo ilegal.


Tudo será documentado e a equipe irá elaborar um relatório com o balanço das ações, além disso o Ibama faz operações constantes na reserva dos povos Yanomami para verificar possíveis irregularidades.


Essas ações são efetivas, e já vem sendo feitas desde o ano passado, como em uma operação realizada em dezembro, em que o órgão localizou escavadeiras usadas no garimpo ilegal e destruiu todo o maquinário.


Além disso, existe uma equipe da Força Aérea Brasileira, com aviões monitorando toda a região para que sejam encontradas possíveis irregularidades e fazendo com que algumas medidas sejam tomadas. 


As aeronaves têm autorização para agir de maneira ofensiva contra aviões usados pelo garimpo ilegal. Além disso, a FAB sobrevevoa a região para levar mantimentos e remedios para os Yanomami.


Os Yanomami mais doentes foram transferidos para hospitais públicos de Boa Vista, pelos aviões da Secretaria de Saúde Indígena. Todos os indígenas receberam assistência médica devida.


Além disso, o governo quer expulsar os garimpeiros que ainda estão na região, todos os detalhes já foram acordados, para que sejam tomadas as medidas necessárias para que o caso se resolva. 


Cuidar das nossas florestas e animais é um dever de todos, sejam professores, funcionários de uma empresa de lavador de gases, funcionários públicos ou vereadores. Porém, como evitar o garimpo ilegal.


Nós como nação brasileira, precisamos pressionar o poder público, para que sejam feitas ações que combatam e possa punir os responsaveis pelo garimpo ilegal, além de votar em candidatos que tenham propostas de melhorias para a situação.


Essa é uma situação que assola o país a anos, porém não podemos nos entregar. Como pode ler neste artigo, o garimpo ilegal não prejudica apenas os indigenas e as comunidades ribeirinhas.


Quando a floresta sofre, todos nós como seres humanos sofremos juntos, independe de classe social se somos brancos, negros, trabalhadores de empresas de estaca raiz ou estudantes. Afinal, é nossa flora e fauna que está sendo destruída.


O grimpo ilegal mata os nosso animais, acaba com nossa floresta e contamina nossos alimentos. Por isso, esse é um problema que deve ser enfrentado e compreendido por todos, a concientização e ações efetivas podem fazer a diferença.


No geral, só temos um planeta, precisamos cuidar do nosso lar e de todos os seres que habitam nele.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Compartilhe nas redes sociais e apoie ou retribua

Todos os nossos artigos são exclusivos é proibida a reprodução total ou parcial dos mesmos sem a indicação da fonte SHD: Sejahojediferente.com