Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta incêndio. Classificar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta incêndio. Classificar por data Mostrar todas as postagens

14.10.21

Incêndio em prédio em Taiwan deixa pelo menos 46 mortos


Pelo menos 46 pessoas morreram e 41 ficaram feridas em incêndio num edifício residencial de 13 andares em Kaohsiung, a segunda maior cidade de Taiwan.

De acordo com a Associated Press, o fogo começou por volta das 3h locais, quando moradores ouviram uma explosão. O fogo foi controlado ao amanhecer.

O Corpo de Bombeiros de Kaohsiung informou, em comunicado, que depois de completar uma busca no prédio, foram confirmados 46 mortos. As operações de resgate continuam, com mais de 377 equipes no local.

Segundo a corporação, o incêndio foi "extremamente violento" e destruiu vários andares do edifício.

O presidente de Kaohsiung, Chen Chi-mai, disse que o prédio de 40 anos estava parcialmente abandonado, tendo anteriormente abrigado restaurantes e um cinema.

A causa do incêndio ainda não foi esclarecida e o governo investiga se foi criminoso.

5.11.21

Incêndio destroi loja de materiais elétricos em Rio Preto - Bracelf



Uma empresa que vende materiais elétricos sofre um incêndio na manhã desta 6ªfeira (5.nov), às margens da BR-153, no Distrito Industrial, em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo.

Os funcionários da loja atacadista Bracelf chegavam para trabalhar quando perceberam o fogo no telhado do prédio. O Corpo de Bombeiros foi acionado para controlar as chamas que se espalharam rapidamente pela loja.

Até o momento não há informações sobre feridos, uma parte da avenida Francisco Prestes Maia foi interditada por questão de segurança para a realização dos trabalhos dos bombeiros.

A reportagem do SBT Interior que está no local informa que estoque foi completamente destruído e há o risco de o prédio desabar. Há muitos curiosos no local acompanhando a situação e o transito da rodovia BR-153 foi afetado e apresenta agora ao menos quatro quilômetros de lentidão. 


Os bombeiros suspeitam de que o incêndio começou por causa de um curto circuito.

Por causa da fumaça provocada pelo fogo, equipes da Polícia Rodoviária Federal e da concessionária que administra a rodovia estão controlando o trânsito local.


#forçabracelf

10.2.20

Incêndios na Austrália e na Amazônia: entenda as diferenças entre os dois acontecimentos

Fortes e Unidos Somos Melhores!
Seja Hoje Diferente:


Apesar dos dois acontecimentos impactarem o meio ambiente, suas causas divergem

O ano de 2020 mal começou e as notícias sobre mais um incêndio de grandes proporções se espalharam pelo mundo. Depois da Amazônia brasileira, um grande atrativo para o turismo no país, a tragédia agora é na Austrália, que está sofrendo com os incêndios que já devastaram florestas e atingiram mais de 6,3 milhões de hectares.

Em uma época em que o aquecimento global é cada vez mais discutido e motivo de protestos em diferentes partes do planeta, como aconteceu em 2019 com a greve global pelo clima, é imprescindível analisar as diferenças entre os dois fenômenos: suas causas, consequências e as medidas adotadas pelos governos.

Diferenças entre os ecossistemas 

Primeiro, é fundamental lembrar que se trata de ecossistemas completamente diferentes. A Amazônia brasileira é marcada pela floresta tropical densa, com matas fechadas, árvores de grande porte, com caules grossos e folhas largas (latifoliadas), apresentando o clima equatorial, com altas médias termométricas e pluviométricas. Ou seja, trata-se de um ambiente em que a constância de chuvas é fundamental para a manutenção da flora e fauna.

Já na Austrália, o clima é tipicamente seco, com poucas chuvas e ventos abundantes que ajudam a espalhar as chamas. A vegetação também é seca, com plantas de caules finos e adaptadas para lidar com a aridez do clima, o que as torna suscetíveis a se recuperar após os incêndios. Contudo, a diferença desse último incêndio é a proporção: trata-se de um dos maiores na história do país, responsável pela morte de pelo menos 25 pessoas e cerca de 480 milhões de animais até agora.

Por se tratar de um ambiente com alta densidade biológica, a Amazônia abriga uma biodiversidade muito maior de espécies do que as florestas australianas. Além disso, tem forte impacto sobre outros fenômenos da América Latina, como o nível de derretimento de neve na Cordilheira dos Andes e o regime de chuvas no interior do Brasil e em países como Paraguai e Argentina. 

Características das queimadas 

Em decorrência da sua complexidade, a Floresta Amazônica não está adaptada para lidar com queimadas e leva mais tempo para se recuperar, o que implica a perda de mais biodiversidade. Já as florestas na Austrália dependem do fogo para reciclar nutrientes e apresentam recuperação mais rápida.

Outra diferença se refere às causas de cada incêndio. Na Austrália, as chamas ocorrem todos os anos, especialmente entre o fim da primavera e o começo do verão, e surgem devido às altas temperaturas — que passam dos 44ºC — e aos ventos incessantes que facilitam a dispersão de faíscas.

Já na Amazônia, o fogo surgiu devido à ação humana. Os incêndios nessa região costumam ocorrer após o desmate de vegetação, realizado para a obtenção de espaço para o plantio e o desenvolvimento de pecuária. Há casos em que o fogo escapa para além dos limites pretendidos por quem o produz, o que gera incêndios espalhados e intensos.

Em agosto de 2019, a Amazônia teve mais de 30 mil focos de incêndios, o maior número registrado nos últimos anos. Entre agosto de 2018 e julho de 2019, houve um aumento de 29,5% de destruição da floresta em relação aos 12 meses anteriores. Tratou-se da maior taxa de desmatamento da década, segundo os dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Diferentemente da Austrália, a especulação fundiária e a disputa por terras são fatores fundamentais para analisar incêndios na Amazônia brasileira. Esses conflitos, associados à negligência de governos estaduais e federal para avaliar de modo contundente o alcance e os efeitos das queimadas em agosto, não só estimulam os incêndios, mas também aumentam os níveis de violência da região amazônica.

Se o aquecimento global é cada vez mais alvo de discussões e trazido para o debate público, é importante analisar o contexto e a região onde ocorre cada fenômeno climático. Apesar de, em ambos os casos, o fogo ser agente destruidor de grandes áreas florestais e de o colapso climático intensificar as secas que favorecem a ocorrência desses incêndios, pode-se dizer que os acontecimentos registrados na Amazônia e na Austrália apresentam mais diferenças do que semelhanças.

22.12.20

Dicas para evitar incêndios em residências

São vários os incidentes domésticos que colocam em risco a sua saúde, de sua família, e também a integridade do lar. Os incêndios em residências estão entre os principais perigos e podem ter início a partir de descuidos inocentes e pela não adoção de práticas de segurança modernas.


Para ajudar você a manter a sua família sempre segura e evitar todos os prejuízos que são frutos de possíveis incêndios nós separamos algumas dicas que vão promover de forma imbatível a proteção do seu lar.


Incêndios em residências: Quais as principais causas?


Dentre os incidentes que podem acontecer em qualquer tipo de residência, seja ela uma casa ou um apartamento, os que mais preocupam e podem causar estragos são os incêndios.


Isso se deve a inúmeros motivos. Dentre eles está o fato de que eles devem ser controlados rapidamente, pois o fogo se alastra de maneira rápida. Além disso, geralmente temos em casa outros materiais inflamáveis que aumentam ainda mais a possibilidade de alastramento das chamas.


Dentre as principais causas de incêndios em residências estão:

  • Curto circuito;
  • Vazamentos de gás;
  • Panelas esquecidas no fogo;
  • Acidentes com óleo;
  • Líquidos inflamáveis;
  • Manuseio incorreto de materiais inflamáveis.


Como evitar incêndios em residências?

Com base nas principais causas dos incêndios nos lares é possível traçar estratégias de proteção e de prevenção contra esses acidentes. Confira agora quais são elas e aumente a segurança da sua casa e da sua família.


Cuidado com o botijão de gás

Um dos maiores perigos que podem levar à ocorrência de incêndios em residências condiz ao botijão de gás. Assim, considere sempre seguir essas dicas para garantir que ele não cause qualquer tipo de acidente no seu lar:

  • Armazenamento: mantenha-o longe da luz solar e o armazene na parte de fora da casa, se possível;
  • Trava de segurança: feche-a sempre que o fogão não estiver em uso;
  • Compra: para evitar incêndios em residência é crucial que você somente compre esse tipo de objeto de fornecedores conhecidos e que sigam as normas de segurança.


Cuidado com os objetos dispostos na cozinha


Também, evite utilizar cortinas na janela da cozinha e deixar panos de prato pendurados ao lado do fogão ou no próprio eletrodoméstico. Assim, diminuem-se os riscos de que eles sejam atingidos por chamas.


Saiba como controlar pequenos incêndios na cozinha


Panelas com óleo são muito perigosas, uma vez que o líquido é inflamável. Nesse sentido, deve-se ter em mente não só a possibilidade do fogo usado para flambar alimentos, mas também a combustão pelo superaquecimento do óleo.


Nesses casos, jamais use água para apagar as chamas. Isso poderá causar um choque térmico e, em conseqüência, uma explosão. Assim, incêndios em residências devem ser controlados nessas situações com panos para abafar o fogo.


Contrate empresas e ferramentas tecnológicas para controlar e detectar incêndios em residências


A proteção da sua residência também pode contar com diversas ferramentas tecnológicas. Por exemplo, considere a utilização de detectores de fumaça, alarmes de incêndio e até mesmo câmeras.


Ainda, é possível contratar tanto para residências individuais quanto para aquelas presentes em condomínios uma empresa de bombeiro civil.


O bombeiro civil é formado em cursos específicos e presta serviços aos particulares. Ele é responsável por diversas tarefas, como inspeção da casa e dos eletrodomésticos presentes nelas. 


Igualmente, eles dão treinamentos de como lidar com acidentes domésticos e de primeiros socorros. Por fim, eles prestam rápidos serviços de assistência em caso de qualquer tipo de incêndio em residências. Assim, ficam a postos para responder eventuais chamadas em equipes que se revezam. Portanto, com essas empresas você garante que sempre haja um profissional disponível para responder suas dúvidas e atender a chamados de emergência.


Evite incêndios em residências com cuidados em relação aos aquecedores, cobertores e lençóis elétricos


Facilidades como aquecedores ou cobertores e lençóis elétricos são ótimos para nos manter aquecidos e confortáveis n as estações frias. Porém, eles também podem causar grandes e perigosos incidentes, como são os incêndios.


Primeiramente, jamais mantenha o aquecedor próximo à cama ou outros móveis com tecidos. Também, desligue-o (assim como ao lençol e ao cobertor elétrico) antes de dormir. Nunca os deixe ligados quando não estiver em casa e fique de olho enquanto eles aquecem.


Mantenha objetos incendiários fora do alcance de crianças


Outro ponto crucial para manter sua casa segura contra incêndios em residências é manter objetos como caixas de fósforos, isqueiros e outros relacionados ao fogo longe das crianças.


Também, jamais deixe que elas atuem no fogão sem a supervisão de um adulto.


Atenção com velas e incensos


Nunca deixe velas e incensos próximos aos sofás e poltronas de tecido, tapetes ou cortinas. Ainda, nunca os deixe acesos enquanto não estiver em casa ou no mesmo cômodo.


Com essas dicas você diminui em grande medida os riscos de incêndios em residências. Portanto, siga elas para garantir a sua segurança, da sua família e do seu lar.

30.8.20

Incêndio ocupação na Penha Segunda Ação na Comunidade Campala Unidos do Bem do Seja Hoje Diferente

Saudações Amados do Seja Hoje Diferente, tudo bem com vocês? Espero que sim e a cada dia melhor.

Conforme anunciado ontem aqui no blog, nas redes sociais e em nosso Canal no Youtube; a Família Seja Hoje Diferente voltou à comunidade Campala onde ocorreu o incêndio neste sábado passado 29 de agosto de 2020. Confira;


O Seja Hoje Diferente com o Unidos do Bem do SHD voltou à Comunidade Campala onde de modo simples e humilde levamos lanches, roupas entre outros.

Agradecemos a todos os colaboradores do Seja Hoje Diferente.
Sem vocês nada acontece. Muito Obrigado.

Conheça mais sobre o Seja Hoje Diferente e veja como você de qualquer lugar do Brasil pode nos ajudar a ajudar a quem precisa, clique aqui.

Um forte abraço!

6.9.21

Síndrome de Tourette: O que é, causa e tratamento


Um grande número de doenças se apresentam no período da infância, e atuar com um certo descaso sobre essas enfermidades pode causar danos graves durante a vida adulta. A Síndrome de Tourette é uma entre esses distúrbios.


Descoberta na França, durante o século XIX, a doença foi identificada pelo médico Georges Gilles de La Tourette, e por esse mal recebeu o nome de Síndrome de Tourette, em homenagem ao profissional clínico francês.


A doença alcança hoje um número relevante de pessoas, atingindo um a cada mil indivíduos, principalmente pessoas de gênero masculino, no que equivale a quase o triplo de pessoas com a síndrome do sexo feminino.


Por mais que não seja um processo aleatório - como um sorteio entre os contratantes de um consórcio que tem direito à uma cota contemplada - o surgimento da doença segue alguns preceitos genéticos, ainda não muito bem identificados.


Antes de especificar as causas e tratamentos, é preciso entender como essa síndrome se comporta em relação ao corpo humano.

No que consiste a Síndrome de Tourette?

A doença de Tourette se apresenta em sua maioria durante o período infantil, entre os 6 e 10 anos, podendo chegar ao seu pico na fase dos 11-12 anos. Um tratamento nesse período permite que a doença seja erradicada ou seus males reduzidos.


Por mais que não exista uma cura para o Tourette, o tratamento de seus sintomas e ao que estão relacionados podem ser identificados por médicos. E quanto mais cedo isso acontecer, melhores serão as chances de adaptação e superação do paciente.


Retirando a necessidade de ter o lençol hospitalar como um parceiro conhecido, devido ao alto período de tempo em que a pessoa adulta passa em um ambiente médico por causa da doença, que poderia ter sido melhor identificada durante a infância.


Sobre a doença em si, a Síndrome de Tourette consiste na realização de movimentos involuntários, sendo algo incontrolável por parte das pessoas atingidas pela doença, como uma atividade inevitável, por ter uma origem direta do organismo.


Entre esses movimentos se destacam diversas modalidades de tiques nervosos, sendo eles tiques sonoros ou relacionados a uma movimentação específica, como uma atividade motora.


As suas causas não são tão fáceis de serem identificadas, como um laudo de periculosidade na construção de um prédio, pois o mapeamento dos seus sintomas passa por questões físicas, genéticas e em alguns casos sociais.


Por isso é importante identificar essa síndrome ainda criança, sendo mais fácil de se mapear as suas causas e agravantes, com base no sistema imunológico dos jovens e em seu convívio social.


A Síndrome de Tourette pode ter origem genética, sendo passada de pai para filho na maioria dos casos, diante a maior probabilidade da doença em pessoas do sexo masculino, sendo uma doença de base neuroquímica.


O Tourette costuma se comportar como uma consequência de um desequilíbrio dos impulsos elétricos no quadro nervoso, causando esses movimentos involuntários, já que a movimentação corporal depende desses estímulos realizados pelo sistema nervoso.


Da mesma forma que um aluguel de cama hospitalar precisa compreender não apenas a quantidade de camas, mas a especificidades desses materiais, com base nas necessidades do hospital. O corpo não consegue se movimentar sem uma motivação.


Esses incentivos, que vão de correr a levantar o braço para alcançar o controle remoto, são desenvolvidos no campo cerebral, que por meio dos impulsos nervosos levam essa ordem para que os músculos realizem uma atividade específica.


A doença de Tourette atua justamente nessa relação, prejudicando a chegada dessa mensagem aos músculos e outras partes do corpo humano, perturbando a identificação da ação desejada, causando-as diversas vezes de forma indesejável.


A causa dos distúrbios ainda é desconhecida, pois mesmo que exista uma indicação sobre a sua origem, como um distúrbio genético, o que motiva o surgimento da síndrome ainda é um mistério para os especialistas.


Não é como se existisse um instrumento capaz de medir a probabilidade de uma pessoa desenvolver a Síndrome de Tourette, como um aparelho para medir pressão arterial, mas caso ela seja identificada na infância, maiores são as chances de amenizar seus sintomas.


Isso porque, além das manifestações físicas, a falta de controle sobre os movimentos corporais é capaz de impactar a vida social do indivíduo, causando transtornos como ansiedade, além de dificultar processos como o de aprendizado ou de sociabilidade.

Sintomas comuns em quem sofre de Tourette

O que engloba os sintomas de quem sofre da Síndrome de Tourette são manifestações corporais involuntárias, tendo origem na movimentação motora ou na realização de sons. Os sintomas mais comuns são:


  • Piscadas frequentes;
  • Movimentos com a cabeça;
  • Espasmos faciais, resultando em caretas;
  • Movimentos com os ombros;
  • Gestos com as mãos, como bater palmas;
  • Chutes, pulos e ações de grande movimentação;
  • Fungar com frequência;
  • Tosses e espirros;
  • Sons e vocalizações guturais;
  • Palavrões e gestos obscenos;
  • Gritos e gemidos;
  • Repetição de palavras e sílabas.

Por não ter uma causa específica, o número de tiques causados em quem sofre de Tourette são inúmeros, afetando o corpo de diferentes maneiras, o que impacta diretamente na vida desses indivíduos, indo além da sua dificuldade em socializar.


O movimento frequente dos ombros, por exemplo, pode prejudicar os músculos e suas articulações relacionadas, sendo necessário a realização de um tratamento de fisioterapia no ombro, para garantir o completo funcionamento dessas regiões, sem danos maiores.

Os tratamentos indicados

Como já foi alertado anteriormente, não existe uma cura para a Síndrome de Tourette, justamente por não se conhecer especificamente a sua causa, mas existem maneiras de amenizar os danos que ela traz para a vida da pessoa afetada.


Não existe como impedir esses movimentos involuntários, como em uma aula no curso direção defensiva, mas um acompanhamento médico permite que esses pacientes tenham acesso a práticas capazes de controlar melhor a intensidade desses impulsos.


Uma supervisão médica desde a infância permite que os médicos identifiquem, por exemplo, quais técnicas podem surtir um melhor efeito na vida do paciente, como por meio de tratamentos físicos, químicos ou até sociais.

Acompanhamento físico

Um fisioterapeuta pode trabalhar com os músculos afetados por esses tiques, como o pescoço em quem movimenta a cabeça com frequência, as articulações dos joelhos nos pacientes que pulam de forma incomum, por aí em diante.


Por exemplo, em um treinamento brigada de incêndio, os bombeiros são ensinados sobre práticas a serem realizadas em possíveis eventualidades que ocorram em um incêndio, de forma a proteger a si mesmo de algum acidente.


É uma situação similar, pois sem a possibilidade de impedir esses tiques nervosos, as pessoas que sofrem de Tourette podem aprender práticas que reduzem os danos causados em seu corpo e, consequentemente, melhorar sua qualidade de vida.


Em alguns casos é até possível restringir esses tiques, por meio de um tratamento químico. Algumas medidas farmacológicas podem ser apresentadas a um paciente de Tourette, como remédios que melhoram a recepção entre as ligações nervosas.


O uso de medicamentos pode ajudar também não só com o tratamento da doença em si, mas com o acompanhamento dos sintomas, e os danos que podem ser causados ao corpo, diante desses movimentos específicos frequentes.

Tratamento químico

Uma medicação específica pode trazer benefícios ao paciente ao lidar, por exemplo, com as crises de ansiedades que acontecem com quem sofre da Síndrome de Tourette. Uma consequência dos sintomas físicos, que acaba por impulsionar o surgimento disso.


As dificuldades em se sociabilizar faz com que o indivíduo que sofre de Tourette desenvolva diversos distúrbios sociais, tais como crises de ansiedade e transtornos obsessivo-compulsivos.

Terapia social

Essas questões podem afetar a inclusão desses indivíduos na sociedade, além de prejudicar processos essenciais para o ser humano, como o desenvolvimento por meio da aprendizagem ou o seu processo de sono.


Os distúrbios sociais não só são causados pelos sintomas da Síndrome de Tourette, como intensifica os seus efeitos, pois uma crise de ansiedade pode desencadear uma perturbação no indivíduo.


Podendo resultar, dessa forma, em um índice maior de casos de coprolalia, a realização de xingamentos e gestos ou palavras obscenas, em alguém que sofre normalmente apenas de tiques específicos, como sons guturais.

Considerações finais

Os sintomas de Tourette são diversos, assim como a complementação entre eles, no caso de alguns pacientes. Mas isso não significa que as pessoas que vivem com o distúrbio não possam ter uma vida comum.


Por meio do tratamento correto, uma pessoa que sofre dessa síndrome pode aprender a conviver com seus impulsos e alcançar as mesmas posições conquistadas por outros indivíduos sociais.


Entre algumas personalidades que convivem com Tourette estão o comediante Dan Aykroyd, da franquia de filmes Caça-Fantasmas, e o autor Brad Cohen, cujo livro Front of the Class, sobre suas memórias pessoais, resultou no filme O Primeiro da Classe (2008).


A Síndrome de Tourette pode ainda ter suas causas desconhecidas pela ciência, mas conviver com a doença não é algo impensável como antes, sendo necessário apenas encontrar o tratamento correto, por meio de um acompanhamento médico.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

19.2.21

O que considerar na escolha de um imóvel para quem tem filhos?

A escolha de um imóvel é um momento decisivo para a vida de uma família, afinal, pelos próximos anos, aquele ambiente será o responsável pelo descanso, momentos de lazer e compartilhamento de lembranças entre pais e filhos.


O lar de uma família, seja uma casa ou apartamento, também é onde são compartilhadas as alegrias e tristezas, e onde se reúnem amigos e parentes. Desse modo, a escolha deve ser feita de maneira que todos os residentes sintam-se confortáveis.


Por isso, deve-se pensar na estrutura do lugar e quais são as necessidades de cada um, principalmente no caso de famílias com crianças, do qual essa escolha deve ser mais cuidadosa para que as necessidades e segurança dos pequenos também sejam atendidas.


Qual a importância de escolher o imóvel adequado?

Escolher a casa ideal traz muitos impactos para a vida dos residentes, isso porque esse lugar deve ser funcional e adequado para todas as demandas da família, assim como também deve ser confortável e ter espaços que se adaptem às tarefas dos moradores. 


Se a família tiver filhos pequenos, no momento da decisão, é importante verificar se o local tem espaço para elas brincarem, como um quintal, buffet de aniversário infantil ou um playground, este último caso seja um apartamento. 


Caso algum dos adultos trabalhe em casa, seria interessante se o local tivesse um espaço para um escritório. 


Por isso, cada detalhe deve ser analisado, principalmente porque, em geral, se mora por um longo período no mesmo local, sendo que há pessoas que passam a vida inteira no mesmo imóvel. Logo, essa é uma decisão que precisa ser bem pensada. 


Além disso, o imóvel é encarregado pela melhora da qualidade de vida dos moradores, isso porque ele é o local responsável pelo:


  • Descanso após um dia de trabalho;

  • Definição das sua próprias regras;

  • Convivência com quem se ama;

  • Entre outros. 


Ter o imóvel ideal colabora para o descanso dos moradores, afinal, depois de um dia intenso de trabalho, é para a casa que as pessoas voltam em busca de aconchego e conforto.


Por isso, o ideal é que a casa seja estruturada de acordo com as necessidades de todos, para que a pessoa consiga relaxar. 


Isso porque se a casa tiver pouco espaço ou não for do jeito que o morador desejava, por exemplo, com piso vinílico antiderrapante, esse fatores vão colaborar para que o indivíduo fique estressado e não se sinta à vontade no espaço.


Outro fator é que o imóvel é o lugar onde as regras são definidas pelos moradores, logo, diferente do ambiente de trabalho que as pessoas seguem regras dos outros, em um lar tudo é decidido pelos residentes, de forma que a convivência fique mais tranquila. 


Além disso, esse local é onde as pessoas vivem com quem amam, seja família ou amigos. É nesse imóvel que vão ser compartilhadas lembranças e divididos momentos de bem-estar. 


Sendo assim, é importante que a residência promova conforto para os moradores, de modo que as pessoas possam construir boas relações com os outros que ali moram, além de terem a sua própria liberdade e seus momentos de descanso. 


Por fim, esse é um local que precisa oferecer autonomia para os seus residentes, o que quer dizer que todos ali precisam se sentir bem em cada espaço. A casa é o local onde as pessoas precisam ter mais liberdade. 


Isso acontece porque é um ambiente compartilhado com quem se ama e, por esse motivo, é um lugar onde se tem mais independência do que se teria em quaisquer outros lugares. Nesse sentido, a liberdade também contribui para o descanso.

Como escolher o imóvel apropriado para quem tem filhos?

Já sabemos que o imóvel é importante para que os residentes sintam-se à vontade, porém, para as famílias que têm filhos o ambiente deve oferecer, além de conforto, outros quesitos que contribuem com o crescimento dos pequenos. 


Isso porque é muito provável que o imóvel seja o mesmo durante toda a vida da criança, por isso, deve-se considerar que ele possa se adequar de acordo com as fases de crescimento do seu filho. 


Além de ser necessário pensar nas estruturas que são oferecidas em torno do local, como ser perto de uma escola particular infantil, por exemplo. 


Sendo assim, antes de escolher, é preciso que alguns detalhes sejam observados como:

1 - Tipo de imóvel

Faz parte da escolha avaliar qual tipo de imóvel você vai adquirir: será uma casa ou um apartamento? Isso deve ser feito pensando no seu orçamento, nas suas preferências e em que ambiente você quer criar os seus filhos. 


Na escolha por casa, você pode proporcionar mais liberdade para as crianças pequenas, que podem fazer barulho e ter mais espaço para brincar. Já no apartamento não se tem tanto espaço, e o barulho deve ser limitado para não incomodar os vizinhos. 


Porém, o apartamento pode oferecer estruturas que uma casa não possui, como uma academia de natação infantil e playground, por exemplo. 


Sendo assim, certifique-se sobre qual desses mais se adequa às suas prioridades e oferecem mais conforto para você e para as crianças.

2 - Tamanho da residência

O tamanho do imóvel é o responsável por trazer o conforto e a liberdade que a família precisa, por isso, deve ser analisado com cuidado quantos cômodos tem o ambiente e se eles são adequados para os moradores. 


Sendo assim, no caso de filhos, deve-se levar em consideração: quantos filhos a família tem? Há espaço para alocar todos os móveis e objetos, inclusive um tapete atividade infantil? Cada um terá o seu próprio quarto ou eles irão dividir? 


Essas são perguntas que devem ser feitas para que a escolha seja mais precisa. 


Além disso, também é preciso olhar para o futuro, isso porque os filhos vão crescer, portanto, é preciso refletir se o espaço vai continuar sendo adequado para quando esse momento chegar. 


Logo, se as crianças dividem o quarto quando pequenas, será que no futuro isso vai funcionar, sem trazer problemas? Pense nessas questões, uma vez que assim você evita ter que se mudar no futuro para se adequar à nova realidade. 

3 - Pense na localização

A localização é um fator fundamental para a escolha de um imóvel, e quando se tem crianças, isso adquire ainda mais relevância. Sendo assim, verifique se a vizinhança é segura, se há patrulha de guarda durante a noite e se possui uma delegacia por perto. 


Portanto, converse com vizinhos e veja se o bairro é seguro. Além disso, veja também se é próximo de locais que você frequenta, como supermercados, farmácias, bem como escolas e aula de violão para crianças


Assim, você evita que tenham mais gastos com transporte e também não vai perder muito tempo para chegar nos lugares. 

Isso facilita o dia a dia, dando mais praticidade e evitando que você passe estresse no trânsito ou chegue atrasado para seu trabalho e outros compromissos. 


Desse modo, verifique se o bairro oferece toda a estrutura que você precisa para o crescimento dos seus filhos, como locais que eles possam ir para se divertir conforme vão crescendo. 

4 - Considere áreas de lazer

Crianças precisam de espaço para brincar, por isso, veja se há ambientes para que seus filhos tenham uma opção de conviver com a natureza e ter um espaço para o seu lazer. 


Um ambiente para respirar é importante para que a rotina seja mais leve e as crianças fiquem menos estressadas.


Assim, caso opte por um prédio, verifique se tem paisagismo jardim, áreas verdes e espaços que sejam para o lazer. Em casas, procure uma com quintal ou veja se na vizinhança há praças e espaços que possam ser usados para o lazer.

5 - Segurança em primeiro lugar

Para quem tem filhos, a segurança é uma prioridade. Independente de qual seja o imóvel, é preciso que ele não coloque em risco a vida das crianças. Por isso, considere a estrutura do espaço e certifique-se que eles sejam apropriados para as crianças. 


Por exemplo, em casos de ambiente com piscina, certifique-se que há rede de proteção para piscina, para que não aconteça nenhum acidente. 


Verifique também as instalações elétricas para que elas não ofereçam riscos de incêndio, além do piso, para que ninguém escorregue. Faça uma inspeção, olhe as janelas, tomadas e todas as estruturas que podem oferecer algum risco. 


Crianças pequenas são curiosas e uma simples tomada pode resultar em um acidente. Em casos de apartamentos, veja como é a segurança do edifício para que você consiga se sentir tranquilo com seus filhos, até mesmo para quando eles crescerem. 

Conclusão

Seguindo as dicas apresentadas neste artigo, temos a certeza de que você está próximo de tomar uma decisão sobre que imóvel comprar.


Afinal, a escolha de um imóvel para uma família com crianças deve ser feita com muita cautela, para que todas as partes fiquem satisfeitas e a família possa compartilhar momentos felizes em seu lar. 


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

8.1.21

Lendas brasileiras ganham vida em trailer da nova série da Netflix | Cidade Invisível

Criada por Carlos Saldanha, a produção chega à plataforma em 5 de fevereiro

O vídeo traz Eric, vivido por Marco Pigossi, um policial ambiental atordoado com a morte da esposa, tentando entender diversos acontecimentos misteriosos, como um incêndio inexplicável e o surgimento de um boto cor-de-rosa.


A produção foi criada por Carlos Saldanha, responsável por A Era do Gelo, Rio e O Touro Ferdinando, pelo qual foi indicado ao Oscar. Esta é a primeira vez que o cineasta faz um live-action.

Além de Pigossi, Alessandra Negrini também está no elenco e vive Inês, dona de uma casa noturna que é muito mais do que aparenta, e logo se envolve na investigação de Eric.

Com criação e produção de Saldanha, a série conta como Mirna Nogueira (O Doutrinador) como roteirista-chefe, e Julia Jordão (O Negócio) com diretora.


29.8.20

Incêndio em ocupação na Penha SP: Primeira Ação na Comunidade Campala

Saudações Amados do Seja Hoje Diferente, tudo bem com vocês? Espero que sim e que seja cada vez melhor.

Esta foi nossa primeira ação nesta comunidade e se der tudo certo amanhã estaremos de volta para ajudar essas famílias, confira:


Seja Hoje Diferente na Comunidade Campala, estivemos com o que tinhamos na comunidade para ajudar as famílias e pretendemos voltar amanhã 30.08.2020 e, continuaremos em arrecadação para ajudar esta comunidade, contamos com todos nossos amigos, colaboradores, seguidores e a todos de qualquer lugar do Brasil que queira nos ajudar a ajudar a quem precisa. 

Veja como tudo funciona e quem sabe você decide ser um amigo colaborador do Seja Hoje Diferente de qualquer lugar do Brasil, confira clicando aqui.

Agradecemos a todos os nossos amigos colaboradores do Seja Hoje Diferente, sem vocês nada funciona, se der tudo certo e com Fé em Deus amanhã estaremos novamente na comunidade.

Convido você também para inscrever-se em nosso canal e conhecer um pouco mais da Família Seja Hoje Diferente e nosso trabalho social com SHD confira clicando.

Um forte abraço!

GeraLinks - Agregador de links