Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta conhecimento. Ordenar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta conhecimento. Ordenar por data Mostrar todas as postagens

20.4.20

Os cursos de moda disponíveis gratuitamente na Internet


A quarentena causada pela COVID-19 resultou em tempo ocioso para a maioria das pessoas, seja porque teve o trabalho suspenso ou por estar no sistema de home office. Com isso, a busca por atividades para ocupar essas horas livres extras tem aumentado e, levando esse fator em consideração, diversas plataformas liberaram serviços, antes pagos, para o público.

Uma das que mais chamaram a atenção foram as plataformas de educação, que liberaram diversos cursos gratuitos, possibilitando a chance das pessoas se especializarem em suas áreas ou darem início a um novo conhecimento. Para quem trabalha com moda, ou tem interesse, e cuida do seu estilo e de demais pessoas, as oportunidades de estudo estão muito atrativas.

Grandes nomes da moda, bem como instituições renomadas, estão oferecendo aulas gratuitas on-line para os amantes da área e todos os profissionais do setor. Um deles é o Instituto Francês de Moda, que liberou seu curso na plataforma FutureLearn, totalmente gratuito. Achou interessante? Então, confira a lista a seguir!

Instituto Francês de Moda

O renomado Instituto Francês de Moda havia lançado, no final de 2019, o curso Entendendo a Moda: Dos Negócios à Cultura, até então pago. Com a pandemia, o IFM não apenas tornou o curso gratuito como também passou a contar com a presença de nomes de peso em suas aulas. 

O curso, que tem duração total de um mês e é dividido em três horas semanais, é composto por aulas ministradas por Bruno Pavlovsky, presidente da seção de moda da Chanel, Francesca Bellettini, CEO da Yves Saint Laurent, Sidney Toledano, CEO do grupo LVMH, Guillaume de Seynes, vice-diretor da Hermès, e os estilistas Paulo Smith, Simon Porte Jacquemus e Christelle Kocher. 

Entre os assuntos tratados nas aulas, os inscritos aprenderão mais sobre representações de gênero, tendências, universo têxtil como fenômeno cultural, decodificação de silhueta, comportamento do consumidor, a relação entre a moda e a imprensa, além de questões sociais. O curso terá legendas em francês, inglês e espanhol.  

Universidade de Harvard e MIT

Outro nome de peso na lista é a renomada Universidade de Harvard que, em uma parceria com a MIT, criou a plataforma edX a qual liberou diversos cursos on-line, em diversos segmentos na quarentena. Para os amantes de moda, é possível fazer um curso completo e sem qualquer custo sobre a História da moda, Moda circular, Tendências futuras, Criação e Design.

O conjunto de aulas tem um total aproximado de cinco semanas de duração, divididas em seis horas semanais. É possível, ainda, encontrar cursos em diferentes níveis, o que contribui nos casos de quem já é um profissional da área e busca por especializações. Para se cadastrar nas aulas e ter mais informações, acesse a plataforma.

Yale

A faculdade de Yale também disponibilizou diversos cursos gratuitos, muitos deles voltados para o design. No segmento da moda, é possível aprofundar o conhecimento com um curso sobre design fashion, totalmente gratuito. Ao todo, ele tem 18 horas de duração, divididas em 7 semanas. Ao final, é possível obter um certificado de conclusão. Para se inscrever nas aulas, que iniciaram em 16 de abril, e também se cadastrar, acesse o portal Coursera.

Coursera

As plataformas de ensino que são velhas conhecidas dos brasileiros não poderiam ficar de fora dessa lista. O Coursera está com vários cursos disponíveis gratuitamente voltados para moda. Gestão de empresa de moda de luxo, Moda como design e Moda sustentável são algumas das opções disponíveis no site. 

Ao final do curso, que acontece dentro de um mês, é possível ter um certificado de conclusão. Nas últimas aulas, inclusive, os alunos precisarão fazer testes de conhecimento, garantindo o aprendizado de todo o conteúdo. Para saber mais sobre eles e se cadastrar o site.

Coloque a criatividade em prática

Os cursos de moda gratuitos te possibilitarão colocar toda sua criatividade em prática, além de dar um peso ainda maior para o seu currículo. Para quem se interessa pelo universo fashion, seja criando ou divulgando, fazer cursos em grandes faculdades e com profissionais gabaritados pode ser uma chance única. Aproveite!

Una conhecimentos diferentes

Os cursos gratuitos durante a quarentena também oferecem a oportunidade de você unir o conhecimento de duas áreas. Um exemplo seria estudar sobre fotografia, para que esse conhecimento seja somado ao de moda e, assim, agregar ainda mais valor ao seu currículo. 

Entre uma especialização e outra, é possível adquirir mais conhecimento sobre tecnologia, economia, gastronomia e outros diversos assuntos, afinal, informação nunca é demais, não é mesmo? Mesmo sendo temas diferentes, há grandes chances de estimular a criatividade.  

31.5.22

5 ações sociais que se beneficiam com um projeto eficiente de educação



A educação é, sem sombra de dúvidas, um dos pilares de uma civilização. Isso porque, uma nação é construída através de uma série de fatores de organização, que precisam necessariamente ser compreendidos para funcionarem na prática. 


Portanto, é importante entender a educação como uma ferramenta mediadora entre o ser humano para melhorar sua relação com o mundo. E, embora isso pareça muito amplo, é a forma mais prática de se definir essa palavra tão complexa, mas tão importante.


Contudo, engajamento cível, não é nem de longe a única função da educação. Porque, afinal, a partir dela é possível se conseguir uma série de coisas que enriquecem as experiências da sociedade no espectro coletivo. Com a educação é possível: 


  • Integrar ciclos sociais;
  • Socializar-se;
  • Interagir com o mundo; 
  • Comunicar-se. 

É impossível não atrelar a educação à inteligência. Isso porque, a educação é como se fosse a metodologia do conhecimento, já a inteligência a capacidade de absorção do mesmo. Portanto, se você compreende a metodologia, absorver é questão de tempo. 


E tanto a montagem de andaime, quanto a defesa de um PhD, tratam-se de conhecimentos que tangem áreas diferentes, mas que servem para ilustrar que educação não é um recurso de estereótipo, mas sim de diferentes tipos de contextos.


Na prática, alguém que tem cuidado com sua educação, possui compromisso com o conhecimento. Contudo, esse cuidado deveria ser recorrente entre as pessoas, para que a cada dia mais a educação fosse colocada na prateleira de prioridades de uma nação.


Por isso, esse artigo se compromete em listar 5 ações sociais que podem ser maximizadas a partir de uma política de educação bem aplicada. 

  1. Luta contra a pobreza e desigualdade social 

É público e notório a importância das crianças para o futuro de uma sociedade. Sabendo disso, vale destacar, que a educação infantil possui grande participação no combate à pobreza, justamente por agir na base de uma nação, onde tudo começa. 


É nessa fase da vida onde o ser humano absorve suas primeiras experiências e passa a acumular uma série de vivências que vão o moldando para toda a vida. Por isso, é importante aproveitar esse momento para usar a educação em prol da conscientização. 


É importante fazer com que a educação impacte a pobreza, mas na prática ocorre o contrário. A pobreza afeta diretamente o desempenho de pessoas que não têm acesso à informação como outras pessoas.


A implementação de novas políticas públicas de educação ou polimento das existentes, podem ajudar a minimizar esses efeitos, fazendo com que o aluno (especialmente infantil), se sinta amparado para aprender e ter acesso a conteúdos completos desde cedo.


A transição educacional de um jovem adolescente é geralmente muito rica em informações. Nesse processo, muitas escolhas dos jovens são feitas por assimilação. Se um adolescente vê uma palestra de assessoria ambiental, é provável que ele pesquise mais sobre.


É nesse momento onde percebe-se que é comum o jovem questionar seu lugar no mundo e até que ponto ele consegue chegar. A pobreza está ligada à carência e quando essa carência é confrontada, ações e medidas são tomadas para que haja uma mudança.


Isso passa justamente pela educação. Sem um parâmetro do mundo exterior, quem estava dentro da caverna temia o que tinha fora e, portanto, permaneceram presos. O “Mito da Caverna” de Platão funciona como a vida, afinal, é preciso conhecer para não temer.


Na prática, aquele que se prepara e se compromete a qualificar-se a cada dia, possui muito mais chances de conseguir um emprego no comparativo com alguém que não buscou aprender e se atualizar. 

  1. Preservação do meio ambiente 

Educação também é conhecer os pilares da vitalidade e da longevidade e, certamente, ao procurar isso, uma palavra será recorrente: natureza. O mundo é a sua casa, por isso existe a necessidade de cuidar dele assim como você cuida do seu lar. 


Mas esse interesse do ser humano pela natureza não deve ocorrer do zero. Muito pelo contrário, a conscientização no trato com a natureza precisa ser implementada desde cedo com crianças, para que elas cresçam sabendo a importância de cuidar do meio ambiente.


Quem conhece, vende o seu conhecimento. É comum, hoje em dia, uma pessoa contratar uma empresa de consultoria ambiental, antes de fazer uma obra que vai envolver alguma questão com o meio ambiente, por exemplo. Mas quem não tem essa possibilidade? 


Conhecer os impactos do homem na natureza não é uma tarefa difícil, basta olhar ao redor. Entretanto, para saber como você pode agir e se mobilizar a respeito é passível de pesquisas e, sem sombra de dúvidas, esse tipo de análise compete à educação. 


Se comprometer com causas ambientais deve ser algo constante. É importante se atualizar quanto às medidas a serem tomadas e, além de agir, passar adiante informações para que a conscientização seja uma corrente. 

  1. Combate à violência

A violência está completamente ligada à desigualdade social. Isso porque, se um indivíduo não possui alternativas rentáveis para conseguir sobreviver, é comum que ele busque alternativas que possam, em tese, parecer mais fáceis. 


Portanto, nesses casos, a solução é que se tenham soluções empregatícias para que todos tenham a oportunidade de viver sem que precisem viver à margem da sociedade, Com conhecimento adequado, é possível discernir quanto ao que é melhor para si.  


A educação é uma forma de inibir a desigualdade social, dando às pessoas possibilidades de superar qualquer tipo de intolerância, Dessa forma, educar passa a cumprir um papel de elevar uma sociedade ao ponto de torná-la menos agressiva continuamente. 


Por exemplo, o rapaz que antes não via possibilidades de ingressar no mercado de trabalho, ao se qualificar, conseguiu um emprego e hoje faz um diagnóstico eficiência energética. Infelizmente, quem não o conhecia já havia criado um estereótipo negativo sobre ele. 


E isso é comum, principalmente no Brasil, onde a desigualdade social é mais explícita. E, justamente por isso, lutar contra esses estereótipos é tão importante nos dias de hoje. Inclusive, a educação é um facilitador para você ir contra esse tipo de preconceito.

  1. Conhecer seus direitos

Todo mundo possui direitos reservados que impedem que intolerância e abusos sejam feitos. Entretanto, a maioria das pessoas sequer sabem que possui esse direitos e, portanto, se submetem a coisas que não precisam se submeter. 


Conhecer seus direitos é ampliar sua concepção de liberdade e por isso é tão importante buscar conhecimentos nesse campo.  Trata-se de algo que visa proteger e amparar, tudo com base no que é garantido por lei. 


Por exemplo, um funcionário de uma empresa de construção civil sofreu um acidente, pois a construtora não forneceu os sensores de segurança para máquinas. Se o funcionário souber que possui direitos quanto a essa negligência, ele poderia ser devidamente amparado. 


Contudo, se ele não souber, a probabilidade do seu caso ser escanteado e esquecido, é grande. Por isso é importante procurar aprender sobre seus direitos, porque, afinal, nunca se sabe quando a ausência deles poderá afetar sua vida de alguma forma. 

  1. Ampliar a visão sobre o mundo

Conhecimento é essencial para quem pretende entender o mundo de maneira maximizada, isto é, se deparar com a diversidade de possibilidades e saber lidar com cada uma delas. É compreender o externo tanto no campo do micro, quanto do macro. 


Um projeto de arquitetura, por exemplo, só pode ser interpretado e executado por quem reuniu uma série de conhecimentos acerca do assunto, ao ponto de estar devidamente qualificado para exercer essa função em específico. Isso é bagagem! 


O mundo é mais complexo do que parece e saber lidar com ele é uma tarefa que depende exclusivamente da educação. Além dela abrir portas, ainda faz com que você consiga explorar vertentes que antes você julgava impossível de serem exploradas.

Educação é o caminho das oportunidades

Ficou evidente que a educação é indispensável para o convívio em sociedade e para participar ativamente de uma civilização. Mas de nada serve o conhecimento, se você não utilizá-lo para gerar possibilidades para si durante a vida. 


Educar-se é uma forma de estar sempre um passo à frente quanto às adversidades da vida. Pense num cenário hipotético: você precisa de um serviço de engenharia, mas não possui nenhum conhecimento na área, o que seria correto fazer? 


O ideal seria se informar para que tenha munição teórica na hora de começar a fazer a cotação. Quem estuda, portanto, tem bem menos possibilidade de sofrer financeiramente, pois consegue sempre se antecipar quanto a complicações rotineiras.


A ação faz toda a diferença na hora de aproveitar as oportunidades. Porque, afinal, se você acumula conhecimentos sobre gerenciamento de processos, por exemplo, somente dando um passo além do óbvio, você poderá fazer usufruto de todo esse aprofundamento. 


Portanto, use a educação em prol da sua eficiência, mas também de modo que você tenha embasamento o suficiente para fazer do mundo um lugar melhor.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

5.10.21

Empresas buscam pessoas que não param de aprender


A aquisição de conhecimento é hoje a ferramenta mais poderosa no mundo corporativo. E a capacidade de adquirir mais conhecimento e, principalmente, aplicá-lo para soluções é o grande diferencial dos candidatos que têm sido contratados por empresas de alta performance. Empresas e mercados precisam de pessoas que não se contentam com respostas prontas.

As atuais gerações que estão ingressando no mercado de trabalho já chegam com um comportamento diferenciado em relação a aquisição de conhecimentos, pois o acesso à informação tem sido cada vez mais facilitado por meio da tecnologia e da internet, e essa geração sabe fazer isso desde bebê. Para quem não é dessa geração, o aprendizado que se pode obter diante desse novo comportamento é o fato de que é necessário aprender sempre, e cada vez mais.

Ninguém mais precisa ter medo de perguntar ou vergonha de parecer ignorante. Basta consultar sites de pesquisa e em poucos segundos um mundo de possibilidades se abre por meio do acesso à informação em forma de significado, literatura, imagem, vídeo e o que mais houver à disposição sobre o tema. Selecionei algumas dicas que podem mudar seu estado de espírito e ajudar a adquirir mais conhecimento.

Como adquirir mais conhecimento?

1. Mude o hábito aos poucos

Se você não gosta de ler, para romper a barreira do hábito, separe leituras curtas e de assuntos que atraiam a sua atenção. Gradativamente o hábito de ler se tornará um prazer.

2. Mergulhe em sua área

Busque conhecimentos prioritariamente em sua área de atuação, de forma a aumentar conhecimentos específicos ou, pelo menos, manter-se atualizado diante das mudanças que teimam em chegar cada vez mais rápido.

3. Leia em outro idioma

Ler em outro idioma permite que você acumule conhecimentos em duas frentes ao mesmo tempo. Faça suas leituras técnicas em inglês, por exemplo. A ideia é escolher fontes dos países que são relevantes para sua área de atuação.

4. Procure cursos online

Algumas universidades públicas e particulares oferecem cursos de especialização a distância, gratuitos inclusive, de excelente qualidade e que podem ser de grande valia em tempos de redução de despesas.

5. Tenha um mentor

Se está com tempo livre, aproveite para conversar com pessoas que podem lhe acrescentar visões ou dicas de aperfeiçoamento na sua área e aprenda com a vivência e os bons exemplos das pessoas que você respeita.

6. Faça perguntas

Pergunte, sim, tudo o que quer saber, para tudo e para todos que possam trazer luz à sua dúvida. Ao contrário do que imaginou-se durante muito tempo, ignorante não é o que expõe sua situação de desconhecimento fazendo perguntas, mas aquele que se contenta em continuar ignorando assuntos, apenas por furtar-se a perguntar do que se trata.

Por fim, aprenda sempre!

20.11.20

5 passos para ter uma boa saúde financeira

Ter controle sobre as suas finanças não é uma realidade para cerca de 80% dos brasileiros, segundo pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em parceria com o SPC Brasil.  Porém, mesmo que a passos curtos, isso está começando a mudar.  A busca pela educação financeira é cada vez maior!

Se você é um dos interessados em controlar as suas contas a partir de hoje, você está no lugar certo. Aqui vamos listar cinco passos para ter uma boa saúde financeira. Não há tanto mistério para isso, basta adquirir conhecimento sobre finanças e ter disciplina para manter o orçamento sob controle.

Antes de entender sobre investimentos como o que é previdência privada, o que é tesouro direto, é preciso entender o básico sobre finanças para ajustar suas contas.

Confira o nosso passo a passo abaixo:

Estude sobre finanças pessoais

O brasileiro não tem muito conhecimento sobre educação financeira. Por isso, o primeiro passo para colocar as finanças sob controle é estudar sobre o assunto. Busque conhecimento sobre finanças em sites especializados, livros e cursos de educação financeira.

O que não falta hoje em dia é bom conteúdo sobre finanças para aprender tudo o que você precisa para controlar as suas finanças. Consumir conteúdo sobre educação financeira pode lhe ajudar a entender melhor como deve ser a sua relação com os seus gastos e renda.

Lidar com as próprias finanças não é muito difícil, com um pouco de estudo você terá facilidade em manter suas contas sob controle. Por isso, mesmo seguindo passos mais práticos, busque sempre estudar novos conteúdos sobre o assunto.

Tenha metas financeiras

O que você quer realizar no próximo mês ou no próximo ano? Independente da sua situação financeira atual, você precisa determinar metas para controlar as suas finanças. Mesmo que você esteja no vermelho, as metas são importantes para lhe ajudar a identificar o caminho necessário para reverter o jogo.

Se você quer comprar uma geladeira à vista, por exemplo, você pode estimular uma meta de “investir todo mês X reais por 1 ano”. Você também pode estimular metas como reduzir X % dos gastos com supérfluos para respeitar o seu orçamento.

Se você está no vermelho, você pode definir como metas, se livrar de cartões de crédito e cheque especial. E traçar uma meta de renegociação das dívidas para que elas se encaixem melhor dentro do seu orçamento. As metas financeiras são importantes para sabermos o que devemos fazer para controlar as nossas finanças.

Controle suas receitas e seus gastos

Se você não sabe o quanto e como recebe e nem onde está gastando o seu dinheiro, fica difícil colocar as finanças sob controle. Por isso, a dica é começar a anotar suas receitas e seus gastos nos próximos meses. Você pode facilitar este processo, usando aplicativos gratuitos de organização financeira para registrar toda sua movimentação financeira.

Assim, com um ou dois meses, você terá uma noção da sua renda atual, e principalmente, poderá mapear os seus gastos. O primeiro passo para colocar as contas em dia é começar a não gastar mais do que ganha. Ao mapear os gastos, você poderá notar que está gastando demais com supérfluos, por exemplo.

Assim, você pode planejar melhor o seu orçamento, cortando despesas em categorias que pode sofrer essa redução e dar prioridade aos gastos essenciais.

Planeje o seu orçamento

Sabendo como você gasta e o quanto você recebe por mês, você começar a planejar o seu orçamento. Assim, você pode colocar tudo no papel e determinar metas de gastos para não gastar mais do que ganha.

Esse planejamento é ainda mais importante se você está no vermelho. Você pode avaliar a sua situação, buscar a renegociação das dívidas ou um empréstimo que possa caber dentro do seu orçamento para voltar a ter uma boa saúde financeira no curto ou médio prazo. Organizando todas as receitas e gastos, você terá mais controle sobre sua situação financeira.

Reduza todos os gastos possíveis

A melhor maneira de diminuir as dívidas rapidamente e sem ter muito conhecimento financeiro é reduzir todos os gastos possíveis. Faça uma lista dos seus gastos do mês e estipule as suas prioridades. Gastos essenciais como aluguel, alimentação, conta de luz e água, telefone, internet não entram nessa lista, mas sim os supérfluos.

Se você está gastando muito com presentes, saídas e viagens, por exemplo, isso pode ser reduzir. Você não precisa deixar de gastar com essas coisas, mas você pode reduzir estes gastos para colocar seu orçamento sob controle e regularizar sua situação financeira.

Assim, você começará a ter mais controle sobre suas finanças e terá no alívio do orçamento uma resposta rápida para recuperar um possível endividamento no curto prazo. Esse passo é importante para que você possa realizar os demais citados no texto.

Como você pode perceber, não há nenhum mistério! Manter as finanças em dia é algo totalmente possível, com um pouco de estudo, dedicação e disciplina. Anote todas as nossas dicas e as coloque em prática. Garantimos que em pouco tempo, você estará colhendo ótimos resultados em suas finanças.

14.9.21

A verdade sobre como argumentar melhor


A verdade sobre como argumentar melhor: qual é?
Faça uma rápida busca na web. Pesquise termos como “o segredo para argumentar bem” ou “a arte da argumentação”. Verá que aparecem centenas de artigos falando sobre a habilidade de argumentação como algo misterioso ou como um dom.

A verdade sobre como argumentar melhor é uma só: desenvolver a sua comunicação interpessoal.

Argumentar é, na prática, conseguir embasar uma opinião de forma impactante e coerente. É defender uma ideia ou um posicionamento de maneira objetiva e lograr, com isso, a persuasão.

Não existe segredo para argumentar bem: o caminho é investindo em sua capacidade de organizar o raciocínio e a fala, aumentando seu leque de conhecimento e dominando técnicas centrais de oratória.

Também não adianta falar em “arte” ou “dom” de argumentar. Essa competência não é inerente a algumas pessoas (e a outras não). Não é uma vocação que temos ou deixamos de ter. É, sim, algo que se aprende e se deve aprimorar constantemente.

São 7 as técnicas que considero determinantes para desenvolver uma boa capacidade de argumentação. Veja a seguir!

1. Informe-se frequentemente (e com qualidade)
A comunicação tem três pilares centrais: a expressão vocal, a expressão corporal e a mensagem. Isso significa que há duas ações importantes: ter o que falar e saber como transmitir tudo isso.

A primeira técnica se relaciona, então, ao “ter o que falar”. Quanto mais informada uma pessoa está, quando mais atenta às novidades do seu nicho e sua profissão, mais argumentos ela terá e mais fortalecida será a sua mensagem.

Separe um tempo do seu dia para se atualizar, para ler as notícias, para ver a opinião de outros especialistas – nem que seja para discordar deles, ao final. O importante é não se prender a um conhecimento antigo e considerar que tudo muda rapidamente.

2. Desenvolva a escuta ativa
Escutar ativamente é outra técnica indispensável para argumentar bem. Similar ao que vimos no tópico anterior, a escuta leva ao aprendizado, o que, por si só, expande o conhecimento e as ideias que temos sobre determinado assunto.

Mais que isso, escutar ativamente é compreender a sua audiência e, a partir disso, definir as melhores abordagens para persuadi-la, convencê-la.

Em situações de exposição ou conversas cotidianas, preste atenção. Evite distrações, como o celular ou computador. Foque, realmente, no processo comunicativo do qual você faz parte.

3. Tenha estratégias de organização de pensamento
Agora, chegamos ao “como falar”. Não basta ter os melhores argumentos do mundo se você não souber como expressá-los e fazer com que sejam assimilados pelas pessoas com quem dialoga.

Desenvolver estratégias de organização de pensamento é uma das demandas mais urgentes hoje e que impacta profundamente a maneira como as pessoas se expressam. Recursos, como o mapa mental, são eficientes para esse propósito.

4. Comunique-se com assertividade
Não é difícil perceber a agilidade que rege o mundo atual, não é? E a comunicação é um reflexo disso: hoje, nos comunicamos mais rapidamente, assim como consumimos e produzimos conhecimento.

É preciso, portanto, saber aproveitar as oportunidades que temos para argumentar e usar esse tempo da forma mais inteligente possível. A maneira de fazer isso é aplicando a assertividade.

Ser assertivo é ter clareza ao falar, priorizar informações e saber ressaltar o que realmente importa: fatores básicos e intrínsecos à boa argumentação e à capacidade de se comunicar.

5. Aprenda a fazer perguntas
Engana-se quem pensa que o convencimento ou a persuasão estão incluídos em verdades absolutas, afirmações que não dão margem a qualquer tipo de troca. A comunicação, para ser eficiente, tem que acontecer em um processo.

Fazer as perguntas certas pode ser uma estratégia muito mais eficaz do que fazer uma série de afirmações em um monólogo. Perguntas chamam a atenção e, se feitas adequadamente, levam à reflexão e ao convencimento.

6. Saiba interpretar sinais não-verbais
Para definir boas estratégias de argumentação, a atenção aos sinais não-verbais é determinante. Quais sinais são esses? A postura, os gestos, o tom de voz, as expressões faciais…

Tudo isso também comunica algo e pode nos dizer se estamos no caminho certo para uma boa argumentação. Um erro muito comum é, então, focar apenas no que se diz e esquecer de olhar ao redor.

7. Desenvolva a sua dinâmica não-falada
E quanto aos sinais que VOCÊ emite? Eles também têm um papel importante na comunicação e na capacidade de argumentar, especificamente. Se bem utilizada, a sua linguagem não-verbal potencia os seus argumentos, fortalece a sua mensagem.

Aprenda a usar pausas e a alterar o tom de voz. Garanta uma harmonia entre suas expressões faciais e a sua fala. Dê atenção à postura, ao contato visual e aos gestos. Tudo isso será essencial para a sua boa expressão.

23.9.19

Como escolher a melhor escola? Entenda os métodos de ensino no Brasil

Imagem Reprodução Divulgação - Agência Brasil

Como escolher a melhor escola para os filhos? 

Especialistas entrevistados pela Agência Brasil dão dicas do que levar em consideração na hora de decidir onde matricular crianças e adolescentes e explicam que não existe a escola ideal, a melhor opção vai variar de acordo com as preferências da família e com as características do próprio estudante.

As informações são da Agência Brasil Confira:

“Tem que visitar a escola, conhecer a estrutura física, verificar a segurança, conhecer o ambiente da escola. Não existe uma escola melhor que a outra, existe uma escola mais adequada que a outra para determinada família”, explica o mestre em educação Rodolfo Fortes, que é professor de pedagogia do Centro Universitário Iesb, em Brasília.

Segundo Fortes, a escola deve oferecer um bom ambiente social e de aprendizagem. “As pessoas tendem a achar que a escola cara é a melhor escola. Às vezes, tem escola menor e mais barata, que tem excelente ambiente de aprendizagem”, diz.

Fortes explica que é importante também envolver a criança ou adolescente nessa escolha. “É importante entender por que a família está se ingressando ou mudando de escola. Às vezes a família precisa trocar de escola e a criança gosta da escola onde estuda. Às vezes a mudança é por questão financeira. A criança pode estudar em uma escola particular e precisar ir para uma pública. Ela precisa compreender o que está acontecendo”, recomenda.

Formas de ensinar
As escolas, segundo a doutora em educação Shirleide Silva Cruz, professora da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB), de acordo com os métodos de ensino que adotam, se diferenciam basicamente em dois quesitos: como lidam com o conhecimento, o que envolve o conteúdo específico que será ensinado; e, como organizam o trabalho, ou seja, com avaliam os estudantes, como é a relação do professor com o aluno.  

“Quando eu escolho a escola dos meus filhos, eu vou olhar como essa escola lida com as temáticas abordadas ao longo do ano, olhar as páginas das escolas nas redes sociais, ver que tipos de projetos elas desenvolvem, vou tentar captar como essa escola entende a construção do conhecimento e como ela vê o aluno”, diz.

Entender o trabalho da escola, vai ajudar a evitar frustrações, de acordo com a professora. Uma escola mais tradicional, por exemplo, tenderá ter listas de conteúdos mais volumosos, usar técnicas de aprendizagem de memorização, enquanto uma escola que segue outros métodos pode priorizar mais o diálogo e ter um ensino mais livre e personalizado para os estudantes.

“A escolha tem a ver com o perfil da família, que é um mundo. A família deve ter o mínimo de clareza do que quer em relação ao projeto educativo do filho. Se escolhe uma escola que tem atividades mais livres, com menos tarefa de casa, com projetos didáticos abertos, é incoerente cobrar que queria muita tarefa de casa para o filho não ficar sem nada para fazer”, diz.


Participação da família

Independentemente da escolha da escola, de ser uma escola pública ou particular, a participação e o acompanhamento dos pais é fundamental no período escolar. “As próprias escolas procuram ter atividades para as quais chamam a família, além da própria reunião clássica. Tenho visto outras atividades interessante no final de semana para garantir a participação de pais trabalhadores e terem esse canal como eles”, diz Shirleide.  

Além disso, segundo a professora, é possível acionar a diretoria, e agendar conversas com os professores. Existem também os conselhos escolares e as associações de pais e mestres. Há ainda aplicativos digitais e a própria agenda escolar física, adotada em muitas escolas, por meio da qual pais e professores podem trocar recados e informações sobre o desempenho dos estudantes.



Conheça algumas das principais linhas pedagógicas seguidas no Brasil. De acordo com os especialistas ouvidos pela Agência Brasil, muitas escolas adotam métodos mistos. 

Escola Tradicional
O professor é o sujeito ativo no processo de ensino-aprendizagem, repassando seu conhecimento aos alunos, normalmente por meio de aula teórica. O estudante que não atingir um desempenho mínimo, não evolui para a próxima etapa. 

Escola Construtivista
O aluno é o sujeito ativo no processo de ensino-aprendizagem, e o professor age como um agente facilitador no processo que orienta o aluno a buscar e gerar seus próprios conhecimentos. O professor não é o único que tem acesso aos conteúdos da disciplina, o aluno também possui acesso aos mesmos meios que seu professor e com isso pode também adquirir conhecimento a partir da realização de pesquisas e se tornar ativo no processo de ensino-aprendizagem.

Escola Sociointeracionista
Linha que considera que a aprendizagem se dá a partir da interação do sujeito e a sociedade ao seu redor, ou seja, vincula o desenvolvimento humano ao contexto cultural no qual o indivíduo se insere e à influência que o ambiente exerce sobre a formação psicológica do homem.

Escola Montessorina
Normalmente aplicada no ensino infantil e fundamental. As salas são equipadas com diversos materiais e atividades e os alunos podem escolher o que irão fazer em cada dia. O professor tem papel de guia, tirando dúvidas e ajudando os alunos a superar as dificuldades.

Escola Waldorf
Os alunos são agrupados por idades e não necessariamente por séries. Três aspectos são colocados em foco: o desenvolvimento corporal, anímico e espiritual. Para desenvolver esses aspectos, os alunos contam com um professor de classe que os acompanha durante todo um ciclo, além de aulas com outros professores para cobrir outras partes do currículo. A avaliação dos alunos é baseada nas atividades diárias e envolve habilidades sociais e virtudes como interesse e força de vontade.

21.10.19

Cidades brasileiras participam de hackaton da Nasa

Em 43 cidades brasileiras, jovens participam neste fim-de-semana do “Desafio Internacional dos Apps do Espaço” da Agência Nacional de Aeronáutica e Espaço dos Estados Unidos (Nasa). A iniciativa é uma maratona de desenvolvimento de inovações, conhecida no segmento como “hackathons”, voltada a criar voltada a soluções para a área espacial.

As informações são da Agência Brasil

O desafio ocorre em centenas de cidades em todo o mundo, reunido cerca de 20 mil pessoas. Em 2018, foram 18 mil participantes em 200 cidades em 75 países. Além dos eventos presenciais, o site da iniciativa permite a participação remota de pessoas interessadas em acompanhar as tarefas e atividades.

A maratona é composta de diversos desafios, enfrentados por jovens organizados em equipes. Nelas, os participantes utilizam dados coletados pela Nasa em suas missões ao espaço sideral para desenvolver soluções. Um deles, por exemplo, demanda dos participantes elaborar soluções para estabilizar o clima da Terra e impedir ou mitigar o aquecimento global.

Segundo a agência, o intuito é estimular o conhecimento da atuação do órgão na exploração espacial, contribuindo para gerar novo conhecimento e formar alunos que possam vir a tornar-se novos cientistas, engenheiros, tecnólogos e programadores com atuação no setor.

Reprodução Divulgação

Brasil
No Brasil, diversas capitais promovem eventos relacionados ao desafio. Entre elas Aracaju, Belo Horizonte, Curitiba, Goiânia, Fortaleza, Maceió, Manaus, Porto Alegre, Porto Velho, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo, São Luís e Brasília.

Em Brasília, a maratona começou ontem (18) no Centro Universitário UDF. Na cerimônia de abertura, a coordenadora do evento na cidade, Carine Elpidio, destacou o papel do evento de promoção de uma cultura de paz e na busca de soluções para problemas sociais por meio do engajamento de jovens.

O ministro-conselheiro da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, William Popp, lembrou que inovações da tecnologia espacial contribuíram para outros campos, como GPS e código de barras. O diplomata ressaltou a importância do projeto como forma de refletir sobre respostas aos problemas da sociedade atual.

“É importante trocar experiências na elaboração de soluções em relação aos desafios que nosso mundo enfrenta. Temos desafio enorme hoje em dia e precisamos de gente criativa e colaboradora para usar a tecnologia e as ideias para avançar como povo unido”, assinalou Popp.

Expectativa
A estudante de design gráfico do Centro Universitário de Brasília Esther Cristina do Carmo Correa, de 18 anos, conta que a sua expectativa para o evento é o diálogo com outras equipes. “Creio que será muito divertido, pela interação com pessoas de outras escolas, para mostrar todo o conhecimento que adquirirmos em sala de aula”, comentou.

Na preparação para o evento em Brasília, o estudante universitário de Engenharia Mecatrônica Willian Youtaka, de 18 anos, relatava estar ansioso pelos desafios que seriam apresentados. “Tenho uma grande curiosidade para entender os projetos a serem abordados e conhecer um pouco mais essa área de mecatrônica”, disse.

18.8.19

Testes de Conhecimentos Gerais | Conhecimento básico fundamental

Imagem Divulgação Ilustrativa Reprodução Internet

Saudações Amados do Seja Hoje Diferente.

Os conhecimentos gerais” são definidos como tópicos relevantes e atuais de diversas áreas:

Segurança.
Transportes.
Política.
Economia.
Sociedade.
Educação.
Saúde.
Cultura.
Tecnologia.
Energia.
Relações internacionais.
Desenvolvimento sustentável.
Ecologia.

Que tal testar seus conhecimentos gerais e atualidades.

O Toda Matéria possui um exercícios de Conhecimentos Gerais e Atualidades com aproximadamente 40 Perguntas.

Faça um teste para saber como está seus conhecimentos gerais, o simulado apresenta as perguntas em alternativas e é possível facilmente saber a resposta correta.

Faça o teste de conhecimentos gerias aqui.

O Seja Hoje Diferente também indica para você o simulado de conhecimentos básico nível fundamental.

No simulado de conhecimento básico nível fundamental (Conhecimento Gerais), você clica na alternativa que achar correta e vá para a próxima pergunta.

Ao final você terá a opção de corrigir o simulado.

Será que você vai acertar todas? ou quase todas?

Faça o simulado de conhecimentos básico nível fundamental aqui.

E nós do Seja Hoje Diferente também encontramos os seguintes testes para você:

Teste Vocacional
Test de QI
Teste Seu Cérebro
Teste Mapa Mundi
Teste de Conhecimentos Gerais do Ensino Fundamental
Teste de Vocabulário Português
Teste de Proficiência em Português

Para fazer um ou todos os testes acima, clique aqui e escolha qual teste quer fazer e clique no botão "Começar".

E, não esqueça sempre temos artigos especiais de Conhecimentos Gerais aqui no Seja Hoje Diferente, entre outros artigos que agregam conhecimentos.

Aquele abraço!

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

25.2.21

Consultoria imobiliária: por que é fundamental na hora de escolher um imóvel?

Não é segredo para ninguém que a compra da casa própria é um sonho para muitas pessoas, e que o momento de realizá-lo é algo bastante delicado, que exige atenção e cuidado. O que pouca gente sabe é como uma consultoria imobiliária pode ajudar.

Até porque, entre tantas opções existentes, e diante de tantas formalidades ligadas a pagamentos e documentações, poucas seriam as pessoas capazes de fazerem tudo sozinhas, do início até o fim do processo.

Embora ninguém possa decidir pelo comprador se o ideal é um apartamento ou uma residência, e que tipo de condomínio ou de localização ele deve escolher, existe uma série de outras questões que são de extrema importância.

Aí é que surge o papel do consultor imobiliário, que é diferente do papel do corretor de imóveis. A função do corretor é mais prática, no sentido de levar os clientes e compradores até os imóveis disponíveis em determinada região.

Já a consultoria de imóveis abraça funções que vão além e se mostram mais estratégicas. Ao mesmo tempo em que, como veremos abaixo, traz questões minuciosas como decoração de interiores como o papel de uma persiana vertical para sala.

Embora não se trate de um serviço novo, ele ainda tem começado a se disseminar no Brasil, sobretudo nos últimos anos e décadas, que verificaram um crescimento exponencial no que diz respeito à construção civil e ao setor imobiliário como um todo.

O consultor tem a capacidade de analisar tendências de mercado, e dar um suporte mais consultivo (daí o termo) tanto para o comprador quanto para o vendedor. Tanto é assim que ele pode atender até o mercado de investimentos imobiliários.

As vantagens que a contratação de um serviço ou profissional desses pode trazer são muitas, tais como:

  • Maior segurança garantida;

  • Assessorias jurídicas;

  • Aproximação entre as partes;

  • Elaboração de documentos;

  • Apoio no pós-venda;

  • Intermediação de processos;

  • Auxílio com registros e cartórios;

  • Entre outras similares.

Por isso decidimos escrever este artigo. Convictos de que o sonho da casa própria ou mesmo um investimento feito pode ser algo realizado de maneira assertiva, segura e satisfatória. Portanto, basta seguir adiante na leitura.

O que exatamente a consultoria faz?

Não é todo dia que fazemos um investimento para a vida toda, não é mesmo? Daí que seja tão comum surgirem muitas dúvidas e receios na hora de tomar uma decisão sobre um imóvel. Acima mencionamos o papel dos “corretores” nessa jornada.

Você já se perguntou por que eles não eram chamados apenas de “vendedores”? É porque existe um curso específico de corretagem, que implica uma série de questões legais. Assim como um profissional de instalação elétrica externa precisa ser eletricista.

O grande diferencial do “consultor” começa no fato de que, muitas vezes, ele tem não apenas um curso técnico na área, mas um ensino superior. É o caso dos profissionais que contam com formação em direito imobiliário, por exemplo.

Mas não é apenas isso, o que já ajuda e muito na hora de lidar com questões burocráticas, cartorárias e documentais. Um bom consultor também acumula conhecimentos técnicos, que incluem outras legislações e até aspectos estéticos de uma construção.

Quando um escritório faz a consultoria, ele é capaz de identificar detalhes, como se uma construção precisa de serviços de pintura predial, ou se esse gasto seria desnecessário.

Para isso, os profissionais precisam ter conhecimento nas áreas de engenharia, arquitetura, gestão e até decoração de interiores e design.

Tudo isso facilita qualquer negociação, pois um profissional completo pode desembaraçar dúvidas que são costumeiras tanto por parte dos compradores, quanto dos vendedores que muitas vezes também não dispõem de conhecimento sobre vendas.

1 - A questão da segurança e dos valores

Um dos principais motivos por que é fundamental recorrer à consultoria imobiliária na hora de escolher um imóvel é o da segurança que isso pode trazer. O que diz respeito não apenas a fazer um negócio sem riscos legais e financeiros, mas também com agilidade.

Não existe nada pior do que comprar uma residência e só depois descobrir problemas pré-existentes, não é mesmo? O que, aliás, pode incluir tanto a necessidade de refazer as instalações elétricas prediais quanto questões legais bastante graves.

Em alguns casos uma simples questão documental já leva a transtornos enormes, sobretudo quando se trata de um imóvel herdado por várias pessoas. O desacordo ou falta de transparência entre as partes pode acabar muito mal para o comprador.

Já um consultor imobiliário com boa formação na área jamais permitiria que algo assim acontecesse, já que ele nem sequer iria se dispor a vender um imóvel com qualquer tipo de restrição ou limitação, seja ela estrutural ou documental.

Tudo bem que um problema superficial pode ser resolvido com um simples material para pintura, é verdade. Todavia, questões mais abrangentes não são tão simples, como os próprios valores que vão ser praticados.

Não é raro ver o caso de pessoas que se encantam com uma casa, compram de uma vez, e depois percebem que pagaram muito caro. Existem dois fatores aí, o primeiro é o do preço de mercado, baseado na região e nas condições da casa/apartamento.

O segundo é o do poder de barganha e de negociação. Às vezes o comprador não tem inclinação para negociar, e pode perder uma boa oportunidade, sobretudo se estiver faltando uma parte pequena do valor, ainda que haja interesse real.

2 - A otimização do tempo e do esforço

Todo mundo que já mudou de casa sabe como é difícil administrar um processo desses, não é verdade? As obrigações podem começar em questões tão abrangentes quanto a escola das crianças e os serviços de internet, até outras bem menores.

É o caso, por exemplo, do encaixotamento de todos os pertences, com o cuidado que cada elemento merece, seja um livro, os objetos da cristaleira ou uma caixa de roupas. Certamente há empresas que ajudam nisso, mas todo cuidado é pouco.

Afinal, você não vai querer que seu piso de cimento polido acabe o dia com  uma lasca, por conta de uma ferramenta que o montador de móveis deixou cair enquanto fazia o trabalho, não é verdade?

O que queremos dizer com tudo isso é que deixar as preocupações legais e financeiras nas mãos de um consultor pode tirar um peso enorme das costas, o que vai facilitar na hora de prestar atenção em outras frentes que merecem igual dedicação.

3 - A aproximação entre as partes

Imagine você procurando casas a esmo na rua, indo atrás de placas de “aluga-se” ou “vende-se”. Você pode até dizer que hoje a internet ajuda nisso e há plataformas e portais que facilitam a pesquisa.

É verdade, porém, mesmo assim, são muitas as opções de sites, o que já aumenta o esforço. Além de que seus filtros podem ser específicos demais, como sobre formas de pagamento, o que já dificulta a busca.

Daí outra vantagem do consultor de imóveis, que funciona mais ou menos como um banco de dados capaz de cruzar interesses entre vendedores e compradores de modo incrivelmente assertivo, personalizado e eficiente.

Esse cruzamento de perfis interessados vai muito além das questões técnicas que citamos acima. Graças a ele, a otimização também se torna muito maior, pois cada vez que você se sentar à mesa de reunião para escritório, vai ser por uma boa razão.

Essa intermediação é uma especialidade e tanto. Inclusive, alguns consultores trabalham em nome de imobiliárias ou escritórios, outros não. São os profissionais liberais, que prestam serviços para pessoas físicas ou jurídicas.

4 - Assessoria jurídica e outros auxílios

A questão jurídica é uma das maiores preocupações quando o assunto é compra e venda de imóveis. Os documentos necessários costumam incluir certidões, registros e escrituras, além da parte tributária que pode variar de município para município.

Na prática, também é preciso levar em conta o fato de que nem sempre se trata apenas de uma questão legal, mas de um desembaraço em instâncias do governo ou da prefeitura que pode ser agilizado mediante conhecimento técnico e influência.

Assim, só de saber em qual repartição pública ir, ou mesmo de conhecer as pessoas que atendem no local, já fica mais fácil resolver um problema ou pendência qualquer.

5 - Pós-venda e os demais suportes

Todo mundo sabe que o papel de um corretor ou vendedor comum acaba no fechamento da negociação. Já o serviço de consultor de imóveis vai muito além.

Como vimos, quando o serviço não é prestado por um profissional liberal, mas por um escritório, ele pode incluir várias outras especialidades. É aí que entra um suporte incrível no tocante ao pós-venda e aos suportes dessa natureza.

Mesmo tendo evitado grandes transtornos, pode ser que tenha passado despercebida a necessidade de mudar a cor de um rodapé de madeira branco. Neste caso, a consultoria negociará isso com o antigo dono, ou mesmo se responsabilizará por isso.

Esse é apenas um exemplo, mas o pós-venda pode incluir várias frentes, como garantia de instalações elétricas ou hidráulicas, além dos famosos “defeitos ocultos”. O que pode fazer toda diferença no médio e longo prazo.

Isso deixa claro como esse serviço é fundamental na hora de escolher um imóvel, ajudando para que a realização de um sonho não se torne um pesadelo.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

GeraLinks - Agregador de links