Mostrando postagens com marcador Tecnologia e Informação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Tecnologia e Informação. Mostrar todas as postagens

21.1.22

5 dicas para aumentar a segurança de e-mails corporativo


O serviço de troca de e-mails tornou-se uma atividade cada vez mais necessária e profissional dentro do ambiente corporativo. Acompanhando a evolução dos meios de comunicação, que hoje depende, mantém muitos dos serviços de internet.


Um movimento que acompanha a própria relevância que os serviços digitais passaram a ter na sociedade, sendo fácil acessar o seu e-mail, sem a necessidade de ter acesso a um computador de mesa ou um notebook.


Por meio do próprio celular é possível responder suas correspondências digitais, visualizadas a partir de notificações na tela de seu aparelho, incluindo aqueles de formatos diferenciados, como funcionam os relógios inteligentes, conhecidos como smartwatches.


Quando se aplicam as soluções tecnológicas, é possível encontrar as mesmas nos mais diferentes setores profissional. Desde a gestão de ativos de uma companhia, como no controle da entrada e saída dos funcionários, por meio de um controle de acesso digital.


Seguindo essa evolução das tecnologias, os métodos de comunicação atualmente possuem uma grande variedade de formatos, indo além das tradicionais ligações via telefone ou celular, por meio de aplicativos de trocas de mensagem.


E por mais que essas aplicações tenham dominado o mercado, no que se refere ao diálogo entre diferentes usuários na rede, no ambiente profissional existe uma ferramenta que continua a exercer uma função essencial: serviços de e-mail.


Garantindo uma maior formalidade para as mensagens ali trocadas, diferente do ambiente mais desconcentrado que costuma estar associado aos aplicativos de mensagens.


Por mais que essa modalidade também venha sendo aos poucos pelo mercado, através do comércio digital, no qual um vendedor de brindes corporativos personalizados pode negociar com os seus clientes através de serviços como o WhatsApp e o Messenger.


Agora, quando se trata do contato interno entre os setores de uma empresa, principalmente uma de grande dimensão, o e-mail continua a liderar com o principal formato de comunicação entre as equipes, utilizando muitas vezes o chamado e-mail corporativo.

O que é um e-mail corporativo?

Em termos de estrutura, não existe muita diferença entre um e-mail comum e um corporativo, resumindo-se a um endereço eletrônico pessoal, associado a alguma empresa de comunicação digital, que oferece tais serviços de forma gratuita ou paga.


Entre os provedores de e-mail mais populares do mercado, é possível citar aqueles relacionadas a empresas como:


  • Google;
  • Microsoft;
  • Yahoo!;
  • Uol.

Ter um ou mais endereços de e-mail é essencial para qualquer tipo de atividade na internet, seja para se registrar em um site de compras, para instalar um aplicativo no seu celular ou criar um perfil pessoal em alguma rede social, permitindo se conectar com outros usuários.


A diferença de um e-mail corporativo está na exclusividade pertencente ao mesmo, ou seja, uma maior privacidade e proteção acerca dos assuntos a serem tratados dentro dessa troca de informações, algo essencial quando se fala de uma grande companhia.


Ao possuir um sistema próprio de e-mails, criando contas exclusivamente para os funcionários de uma empresa de segurança patrimonial, por exemplo, essa companhia terá um maior domínio sobre os documentos trocados por meio desses e-mails.


Ainda mais por se tratar de assuntos privados, tratando das informações específicas para o funcionamento de uma empresa, assim como para a sua melhor performance dentro do seu respectivo mercado, sem que suas técnicas exclusivas vazem na internet.


Para isso, é necessário contar com a presença de um ambiente competitivo, no qual as empresas precisam se proteger para garantir a originalidade que fazem dos seus produtos e serviços despontarem como as melhores opções para os seus consumidores.


Nesse caso, é preciso contar com um serviço adicional de segurança, diante da importância dos assuntos que estão sendo recados a partir desses e-mails, e ameaça é o que não falta ao que se refere ao processo de diálogo via troca de mensagens digitais.

Ameaças comuns ao serviço de e-mail

Os riscos associados à utilização de um e-mail corporativo não são muito distantes daqueles presentes a quem utiliza um e-mail pessoal sem estar ligado ao ambiente profissional, entre essas ameaças destacando-se:

SPAM

Uma prática que envolve o disparo em massa de e-mails a um usuário, capaz de prejudicar inclusive a relação do cliente com a empresa que enviou tais comunicações.


Como alguém que procura por um registro gaveta a ser instalado em sua casa, e passa a receber um excessivo número de e-mail relacionados a produtos hidráulicos, capazes de afastar esse consumidor, desistindo de sua compra inicial.

Malwares

Os malwares são programas maléficos capazes de monitorar e danificar os dispositivos aos quais eles são instalados. Tudo acontecendo com um simples clique em um link disponível em um e-mail suspeito, colocando em risco o seu computador ou celular.

Phishing

Essa prática se define como um golpe persuasivo em cima do usuário, levando o próprio indivíduo a revelar uma série de dados pessoais, como conta bancária, nome de usuário e senha para criminosos que podem se aproveitar dessas informações.


O phishing é apenas uma das técnicas conhecidas como engenharia social, no qual pessoas ou máquinas estudam o comportamento do usuário na internet. Ainda mais com a automação robótica de processos cada vez mais presente no mercado.


As técnicas que podem levar a problemas como perda financeira, roubo de dados da empresa e também dos clientes associadas a mesma, por isso é importante adotar maneiras de proteger o seu e-mail corporativo, aumentando a proteção desses endereços virtuais.


Como garantir a proteção do seu e-mail

Para se certificar de que o seu e-mail corporativo esteja protegido contra a ação de hackers, principalmente os que agem como criminosos digitais, é preciso adotar técnicas específicas, que ajudem a garantir a segurança desse endereço eletrônico.


A começar pela adoção de estratégias de proteção similares a qualquer segurança de site ou programa, como um sistema para dar baixa online de entregas, pois todos os elementos citados contam com dados privados e importantes para os seus gestores.


Logo, existe um compartilhamento de técnicas de segurança digital que podem ajudar nessa situação.

Mapa de segurança

O primeiro passo é verificar a segurança em si do seu site ou serviço eletrônico, ou seja, mapear todos os pontos vulneráveis que podem ser atrativos para invasores, capazes de usarem tais portas de acesso como caminhos para prejudicarem o seu serviço de e-mail.

Testar a segurança

Após identificar os pontos fortes e negativos no que se refere à segurança do seu endereço eletrônico, é importante testar esses possíveis furos na proteção, utilizando dos serviços do que hoje é conhecido como ethical hacking.


Os hackers que trabalham junto às empresas oferecem esse trabalho de simular uma invasão para testar a segurança desses sites.

Procurar ajuda profissional

Para se certificar que os passos anteriores foram alcançados de forma correta, é importante recorrer a ajuda profissional, existindo hoje empresas que atuam justamente com a oferta desse tipo de serviço.


Agindo na proteção dos seus ativos digitais, indo desde um software de gestão financeira, até os endereços de e-mails corporativos da empresa.

Desenvolvimento de estratégias

Junto aos profissionais contratados é preciso definir quais serão as ações a serem tomadas, para garantir a proteção do seu e-mail.


Tudo a ser confirmado a partir de estratégias que podem melhor se adequar ao tamanho da sua rede interna, dependendo do porte de sua empresa, como um grande conglomerado, que lida com dados de diversos clientes, até uma rede de poucos funcionários.

Verificando as mudanças aplicadas

Após a definição das melhores estratégias, é preciso colocá-las em prática, e nesse momento inicial, verificar se elas estão chegando aos resultados almejados, ou seja, se estão de fato garantindo a proteção do seu serviço de e-mail contra invasores e erros.


Ao seguir essas cinco etapas é possível garantir a segurança do seu e-mail corporativo, que se destaca diante o modelo tradicional ao que se refere em sua utilização no mercado de trabalho.

Por que usar um e-mail corporativo?

A resposta para essa pergunta está novamente alinhada ao quesito de segurança, existindo por parte da gestão de um sistema de e-mail corporativo uma maior preocupação com a proteção dos dados e documentos que circulam nessa troca de mensagens.


Mas assim como um serviço de automação audio e vídeo pode melhorar as apresentações em reuniões de trabalho, existem certas regras a serem seguidas, para que o som não vaze da sala de reuniões, por exemplo, compartilhando informações ali sigilosas.


No caso dos e-mails corporativos, existe hoje uma preocupação em seguir as diretrizes estabelecidas pela LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), que garante a privacidade dos usuários, sendo preciso a permissão dos mesmos para analisar os seus dados.


Após fazer tudo isso da forma correta, é possível contar com uma ferramenta de comunicação especial para o mercado de trabalho, que permite uma troca de informações segura entre os setores e funcionários de uma companhia.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

22.12.21

Cinco coisas para saber antes do lançamento do telescópio James Webb no sábado


Após vários atrasos na programação, o Telescópio Espacial James Webb da Northrop Grumman ( NOC ) está se preparando para o lançamento no Natal.

A NASA adiou o lançamento de sexta-feira para não antes de sábado, enquanto a agência espacial monitora os ventos de nível superior no local de lançamento. As autoridades se reunirão na quarta-feira para avaliar melhor o clima e a data de lançamento.

Aqui estão cinco coisas que você precisa saber antes do possível lançamento de Natal do telescópio:

O lançamento do telescópio James Webb é um esforço conjunto

O telescópio será lançado em um foguete Ariane 5 da Agência Espacial Européia de sua base na Guiana Francesa. A NASA é o líder do projeto e está trabalhando com a ESA e a Agência Espacial Canadense.

O Telescópio Espacial James Webb, também conhecido como JWST, chegou ao porto espacial europeu em Kourou em outubro após uma viagem marítima de 16 dias de Redondo Beach, Califórnia, que o levou através do Canal do Panamá.

Enquanto fazia sua longa jornada marítima ileso, sofreu um problema com o lançamento de uma braçadeira quando os engenheiros tentaram prender o telescópio à parte superior do foguete.

Atrasos no lançamento do telescópio Webb atormentado

Os problemas de comunicação e grampo são apenas os mais recentes em vários atrasos para o JWST. O desenvolvimento começou no final da década de 1990 com uma data de lançamento original de 2007. Mas enfrentou vários atrasos ao longo dos anos com a pandemia Covid-19 se arrastando ainda mais no tempo.

Com o aumento dos atrasos, também aumentaram os custos. O custo total do ciclo de vida estimado para o novo telescópio é de quase US $ 10 bilhões, que inclui os custos operacionais para os primeiros cinco anos e para dois anos de análise de dados, de acordo com a NASA. Estimativas anteriores apontavam os custos em menos de US $ 5 bilhões.

As ações da Northrop fecharam em alta de 2,3%, a 378,49 na bolsa de valores na terça-feira . O espaço tem sido um segmento em crescimento para a Northrop desde a aquisição da Orbital ATK em 2018. As ações da Northrop estão consolidando com um ponto de compra de 408,13.

As ações da subcontratada Ball Corp. ( BLL ) fecharam na terça-feira e a fornecedora DuPont ( DD ) fechou em alta de 1,7%.

Mais de 300 maneiras pelas quais isso pode dar errado
O foguete Ariane 5 é o maior disponível para a NASA para a missão, o que significa que o Telescópio James Webb precisa ser dobrado várias vezes em um origami complexo para caber no topo do foguete, aumentando a pressão de cada movimento correto.

Mike Menzel, engenheiro de sistemas de missão líder de Webb no Goddard Space Flight Center da NASA, disse a repórteres em novembro que há mais de 344 "pontos únicos de falha" e que a missão era " a mais complexa sequência de implantações já tentada em uma única missão espacial".

O sucessor do Hubble será maior e melhor

Uma vez lançado, o telescópio JWST será o maior e mais poderoso telescópio já implantado no espaço. Será 100 vezes mais sensível que o Telescópio Hubble, graças aos seus 18 espelhos hexagonais, construídos pela Ball Aerospace. Cada espelho tem mais de um metro de largura, formando um espelho principal de 6,5 metros. O espelho principal do Hubble tem quase 2,5 metros de largura.

Ao contrário do Hubble, o JWST pode se consertar. Os astronautas foram obrigados a consertar a visão borrada do Hubble poucos anos após o lançamento em 1990. Mas como o Webb estará a um milhão de milhas da Terra em comparação com o Hubble a apenas 300 milhas de distância, um trabalho de reparo semelhante não será possível.

O JWST possui sete motores em seus espelhos para "mudar a prescrição" das lentes e leva apenas alguns segundos para mover os espelhos e mudar o foco.

Telescópio Webb para desvendar os maiores mistérios do espaço

O telescópio levará seis meses para desenrolar seus escudos solares e espelho principal, calibrar seus instrumentos, esfriar e chegar ao seu destino a cerca de 1 milhão de milhas da Terra. Então, a pesquisa pode começar.

Os cientistas esperam obter informações sobre o nascimento de estrelas e galáxias após o Big Bang, há mais de 13 bilhões de anos. Olhar profundamente no espaço é como olhar para trás no tempo. A luz das estrelas formadas há bilhões de anos está apenas agora chegando ao nosso canto do universo. O JWST possui uma nova tecnologia de infravermelho que permite coletar dados sobre estrelas distantes muito fracas.

Os pesquisadores também esperam que o telescópio James Webb ajude a responder se estamos sozinhos no universo. Uma das primeiras missões será dar uma olhada em três planetas no sistema TRAPPIST-1. O sistema foi descoberto em 2016 e poderia ter as condições certas para suportar a vida.

16.12.21

Os reguladores dos EUA têm criptografia em sua agenda em 2022, isso se traduzirá em ação


Os CEOs de seis grandes empresas de criptografia testemunharam perante o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara na semana passada. No qual, os executivos pediram criptogramas claras que possam apoiar a inovação no setor.

Novos regulamentos?

A esse respeito, Amias Gerety, sócio da QED Investors e funcionário do Departamento do Tesouro no governo do presidente Obama, observou em uma entrevista recente:

“Não acho que tornar um ativo digital requer qualquer nova regulamentação.”

Ele explicou ainda que quem transfere valor por meio de sistema eletrônico ficará sob a alçada da lei. No contexto da audiência e do recente relatório do PWG stablecoin, ele também afirmou :

“Eles estão perdendo o fato de que as leis e regulamentações corretas devem ser independentes da tecnologia. E essa é a melhor maneira de nossas leis e regulamentos se reproduzirem com a inovação ”.

Dito isso, Gerety concordou que "os grandes jogadores estão em conformidade", quando se trata de regras em torno dos regulamentos de know your customer (KYC) e anti-lavagem de dinheiro (AML), acrescentando,

“Sempre haverá pessoas que não querem cumprir a lei.”

Um relatório local sugere que a indústria de criptomoeda está planejando gastar 2022 fazendo lobby “Congresso e reguladores” para clareza legislativa sobre criptografia.

Kristin Smith, diretora executiva da Blockchain Association disse à Roll Call,

“Acho que a criptografia recebeu a mensagem de que eles precisam se engajar construtivamente em Washington, e eles estão levando isso a sério”.

Ela acrescentou : “... será um jogo muito diferente no próximo ano”.

Stablecoins “não tão estáveis”

Com isso, a indústria supostamente priorizou as disposições de relatórios fiscais no projeto de lei de infra-estrutura, juntamente com a classificação de criptomoedas e supervisão em sua agenda para discutir com os reguladores. E, claro, stablecoins continua sendo uma área-chave que deve ter uma estrutura definida no próximo ano.

Sobre stablecoins, Teana Baker-Taylor, diretora de políticas da Câmara de Comércio Digital acrescentou :

“Eles são projetados para manter um valor estável e não aumentar em valor, ao contrário dos contratos de investimento ... Reconhecemos que há uma necessidade de garantia em relação ao risco operacional, comprovação de reservas, incluindo orientação sobre qual deve ser a qualidade dessas reservas.”

Além disso, a senadora Elizabeth Warren afirmou recentemente que os stablecoins "nem sempre são estáveis". Ela também chamou o DeFi de "a parte mais perigosa do mundo criptográfico", onde stablecoins são "a força vital do ecossistema DeFi".

Enquanto isso, os comissários da SEC, Hester M. Peirce e Elad L. Roisman, também estão inseguros quanto à agenda do regulador de valores mobiliários nos próximos meses.

Eles declararam em uma nota recentemente que não há menção de "regulamentação com respeito a ativos digitais", acrescentando,

“A Agenda também deixa a desejar em promover a proteção ao investidor em nossa missão ao deixar de fornecer mais clareza sobre os ativos digitais.”

14.12.21

Claro inaugura espaço em metaverso para o Natal de 2021


Espaço Claro Metaverso é inaugurado no Cryptovoxels; empresa oferece experiência em realidade aumentada no Natal Imperial de 2021, realizado em Petrópolis, RJ

A Claro é a mais nova empresa a anunciar projetos envolvendo o metaverso. A operadora vai oferecer uma experiência em realidade virtual no Natal Imperial de 2021, tradicionalmente realizado na cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro. Além disso, a companhia vai disponibilizar 500 NFTs gratuitamente durante todo o mês de dezembro. O projeto ocorre no metaverso Cryptovoxels e estará disponível até 9 de janeiro.

Um estande customizado foi colocado na Av, Koeler, número 260, no Centro Histórico de Petrópolis. Lá, qualquer um pode usar um óculos VR, disponibilizado pela Claro no local, para visitar o espaço da empresa no metaverso. Uma vez conectado, o usuário poderá entrar em um edifício futurista de dois andares, visitar galerias virtuais, ver vídeos institucionais da empresa e ouvir playlists da Claro Música.

Em comunicado, a empresa revelou que o projeto foi realizado em parceria com a Dellarte e Metaverse Agency, consolidando a Claro como a primeira empresa a oferecer uma experiência de metaverso em realidade virtual no Brasil.

Espaço Claro Metaverso poderá ser acessado do navegador
No entanto, não é necessário estar em Petrópolis para acessar o evento virtual da Claro. Qualquer um vai poder visitar o prédio temático da empresa acessando o endereço do lote no metaverso Cryptovoxels, que ainda não foi revelado. Além disso, dentro do Espaço Claro Metaverso, os usuários poderão acessar 500 NFTs que serão disponibilizados gratuitamente aos interessados.

Desde que o Facebook trocou de nome para Meta, cada vez mais empresas estão investindo em projetos nesses mundos alternativos. Basicamente, um metaverso é um espaço virtual compartilhado, que oferece uma “experiência presencial” sem sair de casa, e que pode ser aprimorada com aparelhos de realidade aumentada.

13.12.21

Bill Gates aponta que nos proximos três anos reuniões serão somente no metaverso


Em uma carta de fim de ano divulgada recentemente, o cofundador bilionário da Microsoft, Bill Gates, destacou que a ascensão do metaverso mudará muito o trabalho futuro.

Destaca-se que, embora o termo tenha se popularizado recentemente com a mudança de nome do Facebook, ele já é amplamente conhecido pelos entusiasta de criptomoedas com os games Decentraland, Axie Infinity, entre outros.

Em sua carta, Bill Gates destacou que a pandemia Covid-19 “mudou completamente” o local de trabalho. Nesse sentido, as empresas estão oferecendo flexibilidade para funcionários que desejam trabalhar remotamente.

“Essas mudanças só se intensificarão nos próximos anos”, escreveu Gates, acrescentando que o teletrabalho só atrairá mais pessoas para o metaverso.

Conforme afirmou o bilionário, no metaverso, os usuários terão um avatar virtual 3D. Assim, serão capazes de participar de reuniões em escritórios virtuais ou outros destinos, onde também poderão interagir com os avatares virtuais de seus colegas.

“Nos próximos dois ou três anos, prevejo que a maioria das reuniões virtuais mudará de imagens bidimensionais para o metaverso. Será um espaço 3D com imagens virtuais”, escreveu Gates.

Metaverso

Contudo, o empresário observou que os usuários devem usar capacetes de realidade virtual ou óculos para fazer isso.

Ele também admitiu que, para “capturar com precisão as expressões, a linguagem corporal e a qualidade do som”, as pessoas precisam de equipamentos tecnológicos caros. Isso inclui capacetes de Realidade Virtual e até luvas de captura de movimento.

Gates acrescentou que a Microsoft está trabalhando para adicionar avatares e outros elementos do metaverso às equipes de escritório.

No mês passado, a Microsoft anunciou uma cooperação com a Meta para tornar o software Workplace compatível com o Teams. Isso dará ao Teams uma entrada clara para o metauniverso.

“Nossa ideia é que você acabe usando seu avatar para conhecer pessoas em um espaço virtual. E esse espaço virtual pode replicar a sensação de estar em uma sala real com elas”, escreveu Gates.

Por fim, Gates informou que a Microsoft lançará seu próprio capacete e luvas de realidade virtual no próximo ano.

10.12.21

Site do Ministério da Saúde é alvo de ataque hacker


O site oficial do Ministério da Saúde foi alvo de um ataque hacker durante a madrugada desta sexta-feira (10). Até o início da manhã, a página ainda estava fora do ar. Com isso, a página do ConecteSUS, que contém informações, por exemplo, sobre a vacinação da população contra a Covid-19, também está indisponível.

De acordo com a pasta, o ataque comprometeu, temporariamente, o "e-SUS Notifica, Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI), ConecteSUS e funcionalidades como a emissão do Certificado Nacional de Vacinação Covid-19 e da Carteira Nacional de Vacinação Digital".

O grupo a que se atribui o ataque se autointitula Lapsus$. Na mensagem deixada pelos criminosos, havia um pedido de resgate pelas informações armazenadas. "Os dados internos dos sistemas foram copiados e excluídos. 50 TB de dados está (sic) em nossas mãos. Nos contate caso queiram o retorno dos dados". Ao final do texto, há um contato de e-mail criptografado e telegram.

O tipo de ataque que o site do Ministério da Saúde sofreu é chamado Ransomware, em que o invasor insere um código malicioso tornando os dados inacessíveis, geralmente usando criptografia. A principal característica desse tipo de ataque é que os crackers, nome utilizado para designar pessoas com conhecimento de informática, mas que usam para fins de ataques, solicitam resgate para que os donos dos dados tenham as informações de volta.

O resgate geralmente é pago através de bitcoins, moeda virtual de difícil rastreamento. O índice de preço de mercado do bitcoin, de acordo com o Coin Market Cap, que faz o monitoramento de preços de criptoativos, está avaliado pela cotação do dia em R$269.082,00.

Por meio de nota, o Ministério da Saúde informou que o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e a Polícia Federal estão investigando a invasão ao sistema. "O Departamento de Informática do SUS (Datasus) está atuando com a máxima agilidade para o reestabelecimento das plataformas", diz o texto.

Outros ataques

Esse não é o primeiro ataque aos sistemas do Ministério da Saúde. Em fevereiro, a rede da pasta sofreu uma invasão e o hacker aproveitou para fazer críticas à segurança da rede. "Arrumem esse site porco ou na próxima vai vazar os dados dos responsáveis por essa porcaria", afirmou, em mensagem que ficou exposta no "FormSUS", assinada pelo Hacker Sincero.

Em janeiro, outro hacker escreveu após o ataque que o site estava um "lixo".

8.12.21

Publicada medida provisória que cria o Programa Internet Brasil


Com objetivo de promover o acesso gratuito à internet em banda larga móvel aos alunos da educação básica da rede pública de ensino integrantes de famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais, o governo federal cria o Programa Internet Brasil. A Medida Provisória nº 1077, de 7 de dezembro de 2021, que institui o programa está publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (8).

De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência da República, o Internet Brasil será “implementado de forma gradual, observada a disponibilidade orçamentária e financeira, e poderá alcançar outras pessoas físicas, beneficiárias de políticas públicas instituídas pelo Poder Executivo federal nas mais diversas áreas”.

Diz ainda que acesso gratuito à internet em banda larga móvel poderá ser realizado, sem prejuízo de outros meios, por intermédio da disponibilização de chip, pacote de dados ou dispositivo de acesso, além de poder ser concedido a diferentes alunos integrantes da mesma família.

Caberá ao Ministério das Comunicações, entre outras medidas, a gestão e coordenação das ações, monitorar e avaliar os resultados, assegurar a transparência na divulgação de informações e estabelecer as características técnicas e a forma de disponibilização do serviço de acesso gratuito à internet em banda larga móvel.

Para a implementação do programa, o ministério poderá ainda fazer contratos de gestão com organizações sociais, realizar parceria com organizações da sociedade civil de interesse público e dispor de outros instrumentos de parceria com organizações da sociedade civil, previstos em lei. Poderão ser firmadas também parcerias com entidades privadas para a consecução dos objetivos do Internet Brasil, desde que haja interesse comum na execução do programa.

A medida provisória prevê também que os órgãos e as entidades da administração pública federal, estadual, distrital e municipal poderão aderir ao Internet Brasil, devendo, para tanto, celebrar instrumento próprio, se houver repasse ou transferência de recursos financeiros.

9.11.21

Painéis solares integrados em carros elétricos permite maior autonomia


A tecnologia de energia solar fotovoltaica flexível foi desenvolvida pelos fabricantes de painéis solares OPES Solutions, e Fraunhofer Center for Silicon Photovoltaics CSP, sendo um painel fotovoltaico tradicional, mas flexível, possível de integrar nos carros elétricos e que lhes proporciona mais 30% de energia.

Painéis solares integrados SOLFLEX

O SolFlex tem por base células solares cristalinas e garante mais 30% de potência por metro quadrado do que os painéis flexíveis existentes na atualidade que utilizam tecnologia de camadas finas.

Com um raio de curvatura de cerca de 15 graus, é possível de ser aplicado a qualquer superfície do veículo elétrico, tendo apenas 2,9mm de espessura é assim 70% mais fino que os painéis solares convencionais e com uma eficiência energética de 22% (comprovado em condições extremas numa câmara climática no Fraunhofer CSP).

O fundador e diretor da OPES Solutions, Robert Handel, garante que a integração da energia fotovoltaica flexível tem um grande potencial no setor dos transportes, incluindo os autocarros elétricos.

É que este tipo de transporte (camiões, autocarros, veículos pesados) são responsáveis por aproximadamente 29% das emissões de gases para a atmosfera de todo o setor dos transportes.

Possíveis aplicações dos painéis solares integrados



Um veículo ligeiro de mercadorias, combinado com painéis de energia fotovoltaica flexível pode reduzir as suas emissões de CO2 para a atmosfera para 890kg, bem como minimizar os custos de operação ao garantir eletricidade para os sistemas de arrefecimento (em vez de consumir combustível fóssil).

Quanto aos autocarros, como têm grandes superfícies de tejadilho, os painéis fotovoltaicos integrados podem garantir até 100% das necessidades energéticas do sistema HVAC, o que seria extremamente útil quando o motor do mesmo está desligado.

O consumo de energia dos passageiros em portas USB, tomadas de corrente e ligações Wi-Fi, também podem ser fornecidas por esta fonte de energia renovável. Um pouco por todo o mundo tem vindo a ser investido dinheiro no desenvolvimento de autocarros elétricos.

Em 2020, foram investidos mais de 28000 milhões de dólares em autocarros elétricos e espera-se que na Europa o crescimento anual neste tipo de investimento seja de 20%.

Outra aplicação deste tipo de painel fotovoltaico flexível é nas bicicletas elétricas, que devido ao seu baixo consumo de energia, podem ter uma autonomia adicional de cerca de 50km por dia, sendo que no verão serão autossuficientes na produção de eletricidade.

Handel disse ainda que o que foi uma prática comum noutras áreas da energia fotovoltaica durante muito tempo, está agora a ser direcionada para os veículos elétricos, dando a conhecer o veículo elétrico com energia fotovoltaica flexível integrada (VIPV), que se irá tornar uma solução comum e extremamente económica.

Até agora, a aplicação da energia fotovoltaica na construção de veículos tem vindo a falhar devido ao seu elevado custo, peso e requisitos específicos de resiliência, design ou forma de instalar.

Os painéis SolFlex são resistentes às vibrações, foram desenhados para aguentar temperaturas elevadas, bem como uma superfície com excelente resistência a riscos.

Com a ajuda da produção em séria e sinergias na fábrica de Changzhou pertencente à OPES Solutions, estes painéis fotovoltaicos flexíveis passaram a ser produzidos de forma mais económica do que eram até agora.

5.11.21

Após o lançamento do Squid Game, o relatório revela phishing no Google Ads, outros avisos de golpes


A Check Point Research (CPR) observou vários golpes de criptografia nos últimos dias, em que usuários de carteiras perderam milhares de dólares. O relatório vem dias depois de um golpe de token recente na plataforma de jogar para ganhar Squid Game .

Esse novo método de fraude é digno de nota, pois não depende de links de e-mail para proprietários de carteiras ou tokens falsos. Em vez disso, ele tem como alvo os usuários que tentam baixar e instalar as carteiras criptográficas mais usadas.

Além disso, o relatório também pediu cautela para os usuários que tentam alterar suas moedas em plataformas de troca de criptografia como PancakeSwap ou Uniswap.

URLs 'Phishy'

De acordo com um exemplo citado pelo relatório, os golpistas imitam de perto o domínio do site da carteira original “phantom.app” para variantes como phanton.app ou phantonn.app, ou mesmo extensões diferentes como “.pw”.

Algo semelhante é visto com o endereço da carteira MetaMask devido à sua popularidade entre os usuários. Onde o site MetaMask falso se parece muito com a plataforma original e rouba com sucesso as chaves privadas do usuário e senhas.

Há mais chances de cair nesse golpe se os investidores pesquisarem palavras-chave no Google em vez de acessar os links oficiais diretamente. Portanto, o CPR alertou os usuários para “verificar novamente os URLs”.



Squid Tapete

Enquanto isso, o CEO da Binance , Changpeng Zhao, também notou o suposto golpe do token do Squid Game que ocorreu recentemente. De acordo com a Coinmarketcap, o site não funciona mais.

“O projeto teve seus sinais de alerta ... Apesar dos sinais de alerta, os especuladores continuaram a comprar o token, empurrando os preços para cima exponencialmente antes que os fundadores do projeto drenassem o pool de liquidez em minutos, decolando com os fundos dos investidores no processo.”

A moeda teria subido mais de 75.000% em seu curto prazo, com o analista Whale observando seu apelo, apesar dos riscos.

CZ disse no blog da empresa que a Binance está “trabalhando para identificar e colocar na lista negra os endereços afiliados aos desenvolvedores”. Além disso, eles estão implantando funções para identificar “atores mal-intencionados” e envolver a aplicação da lei na ação.

Os golpes de DeFi tornaram-se comuns com fraudes em números recordes em 2021. CZ também disse que não é possível banir ou remover essas tentativas, pois são projetos "inteiramente voltados para a comunidade" no BSC.

4.11.21

IBGE começa teste nacional para o Censo 2022


O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realizará, de hoje (4) até meados de dezembro, o primeiro teste nacional do Censo 2022. Foram escolhidos municípios, bairros, distritos ou comunidades nas 27 unidades da Federação, que serão percorridos por cerca de 250 recenseadores.

Os testes incluem todas as etapas do Censo, desde os sistemas e equipamentos de coleta até o treinamento dos recenseadores, além da pesquisa sobre as características do entorno dos domicílios e o modelo misto de entrevistas (presencial, pela internet ou por telefone).

Segundo o órgão, como ocorre em todas as pesquisas do IBGE, as informações prestadas aos recenseadores são confidenciais e o sigilo é garantido por lei. O Censo 2022 visitará todos os domicílios do país a partir de junho do ano que vem.

Quilombolas e indígenas

A previsão é que, a partir de 25 deste mês, os testes do Censo 2022 cheguem às terras indígenas e aos territórios quilombolas. No Rio de Janeiro, essas visitas ocorrerão em Angra dos Reis e Paraty, onde serão testados protocolos sanitários de segurança, normas de abordagem e o questionário específico para essas populações.

Os recenseadores vão trabalhar uniformizados, com boné, colete e bolsa azuis com a logomarca do IBGE. No colete há também o crachá de identificação, com a foto e os números de matrícula e identidade do entrevistador. Eles vão utilizar um Dispositivo Móvel de Coleta (DMC) de cor azul, semelhante a um smartphone. Os moradores podem verificar a identidade de todos os entrevistadores do IBGE por meio do site respondendo.ibge.gov.br ou do telefone 0800 721 8181.

Inovações tecnológicas

Segundo o IBGE, a operação censitária de 2022 será totalmente informatizada. Além dos novos dispositivos móveis para a coleta (DMC) de dados, bem mais modernos que os de 2010, o IBGE passou a utilizar “nuvens” na internet, para o suporte de comunicações e tráfego de dados, e novos Data Centers com alto desempenho.

Além disso, serão utilizados formulários na web para que os moradores respondam ao Censo pela internet, se desejarem, bem como uma central de atendimento por telefone para apoiar toda a operação, com capacidade para atender os moradores que optarem por entrevistas telefônicas.

“Toda a comunicação digital do Censo 2022 contará com links de acesso protegidos contra possíveis ataques de negação de serviço (DoS Attacks), utilizando fibra ótica com redundância entre os Data Centers. Na coleta e supervisão, temos uma infraestrutura com minimodem 3G/4G, antenas de satélite (VSAT em banda KA e BGAN) e conexões banda larga fixa com a internet (ADSL, Fibra, Cable Modem etc.)”, informou o IBGE.

Os arquivos digitais que serão embarcados nos DMCs fornecem aos recenseadores as principais informações sobre os setores censitários que serão visitados. Esses arquivos estão armazenados na nuvem privada do IBGE e, também, em nuvem pública.

No Censo Demográfico 2022, o IBGE fará todo o processo de contratação de funcionários temporários de forma digital, eliminando o uso do papel.

O projeto do Censo Demográfico é composto por um conjunto de sistemas informatizados, como: sistema de gerenciamento da coleta de dados em campo, sistema de supervisão e acompanhamento gerencial, sistema de gestão administrativa e pagamento, entre outros.

Segundo o instituto, por trás disso tudo há uma infraestrutura de tecnologia da informação robusta, com dispositivos móveis de coleta de última geração, possibilitando que a operação seja totalmente digital, bem gerenciada e segura, produzindo dados de qualidade em um tempo cada vez menor.

O IBGE destacou que obedece ao normativo legal do sigilo estatístico, estabelecido pela Lei nº 5.534 de 14 de novembro de 1968, e pela Lei Geral de Proteção de Dados nº 13.853, de 8 de julho de 2019.

Somado a esse arcabouço legal, o IBGE acrescentou que tem uma Política de Segurança da Informação e Comunicações, e todos os procedimentos a serem adotados na infraestrutura envolvida no Censo Demográfico 2022 estão de acordo com essa política, considerando os atributos clássicos de confidencialidade, integridade, disponibilidade e autenticidade.

Novidades do Censo 2022 em relação a 2010

- Gerenciamento digital dos resultados da coleta de dados em tempo real, permitindo correções de
eventuais erros operacionais.

- Gerenciamento digital, em tempo real, dos deslocamentos dos recenseadores em todo território nacional.

- Digitalização de todo o processo de contratação e gerenciamento dos servidores temporários, eliminando
o uso do papel.

- Armazenamento em nuvem privada e pública dos arquivos digitais, agilizando a rotina diária dos mais de 180 mil recenseadores, que envolve o download das informações dos setores censitários e o upload dos questionários respondidos.

- Dispositivos Móveis de Coleta (DMC) de última geração, com minimodem 3G/4G e aplicativos
atualizados, que se conectam à rede de comunicação do IBGE e possibilitam a transmissão dos dados coletados de forma criptografada e segura.

- Proteção contra possíveis ataques de negação de serviço (DoS Attacks), utilizando fibra ótica com redundância para toda a comunicação entre os Data Centers.

- Novo cluster de banco de dados de alta performance, para organização, análise, compartilhamento e monitoramento das operações. Maior velocidade de processamento das aplicações hospedadas no Data Center, permitindo a utilização de soluções mais estáveis, seguras e com mais desempenho.

- Aumento da capacidade de conexão do IBGE com os recenseadores, por meio de antenas de satélite (VSAT em banda KA e BGAN) e conexões banda larga fixa com a Internet (ADSL, Fibra, Cable Modem etc.) disponível nos DMCs e Data Centers do Instituto, diminuindo o risco de sobrecargas.

18.10.21

Banco de imagens gratuito pretende explorar cotidiano brasileiro


Um grupo de artistas, profissionais e pesquisadores resolveu criar um banco de imagens para retratar momentos reais do cotidiano e da vida do brasileiro. Em comum, eles se incomodam com a frequência com que empresas de comunicação e agências de marketing do país usem fotografias obtidas em bancos de imagens internacionais. Assim, a plataforma Brasil com S pretende oferecer soluções para a falta de representatividade da cultura nacional, reunindo mais de 200 imagens.

A iniciativa está no ar desde a última segunda-feira (11). As fotografias estão divididas em três temas: um típico churrasco de domingo, uma tarde comum de trabalho e um happy hour para relaxar.

Para fazer o download, é preciso concordar com os termos disponibilizados na plataforma. Todo o material pode ser utilizado gratuitamente para fins editoriais em publicações de interesse público, sem fim comercial, promocional ou político. Em caso de interesse na utilização das imagens em trabalhos com objetivos lucrativos, é necessário solicitar formalmente a autorização.

Os envolvidos no projeto fazem parte do Lab 678, que se apresenta como um laboratório de experiências e projetos criativos dedicado à criação de uma comunicação que proporcione identificação com seu público. Eles possuem formação e atuação em frentes bastante variadas: na publicidade, no design, no grafite, na ilustração, na moda, na fotografia, na música, em pesquisas sobre comunicação e arte, entre outras.

"Nosso Brasil é com S, não com Z. Somos um país rico em diversidade de corpos, tons de pele, identidades, expressões de gênero e sexualidades. Somos mais do que os olhos estrangeiros podem ver. No #brasilcoms você encontra mais de 200 imagens de pessoas reais fazendo coisas reais, cada um com sua essência criando em conjunto um acervo que as representasse como brasileiros", publicou em suas redes sociais o Lab 678.

Segundo avaliam os idealizadores do projeto, o povo brasileiro ainda é bastante retratado na comunicação por meio de estereótipos. O Brasil seria muitas vezes reduzido ao país do futebol e do carnaval. Contra essa lógica, a ideia do banco de imagens é oferecer fotografias que naturalizem as pessoas trabalhando, almoçando, conversando etc.

Aspectos técnicos da fotografia também são trabalhados em detalhes. A proposta do Brasil com S é trazer mais cor às imagens. A iluminação também é uma preocupação. “Temos muitos problemas com banco de imagens de fora, porque os objetos, os móveis são sempre urbanos, a luz das fotos é mais fria, sempre remete a outros países, nunca ao Brasil", diz Pedro Burger, diretor de arte do Lab 678.


GeraLinks - Agregador de links