Mostrando postagens com marcador Sem Eitqueta. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Sem Eitqueta. Mostrar todas as postagens

22.3.22

Saiba como está a realidade dos refugiados no Brasil


Entender como é a realidade dos milhões de refugiados no Brasil é uma questão humanitária. Estas pessoas deixaram seu país fugir de perseguições dos mais variados tipos e conflitos políticos, até mesmo guerra, tornando essa condição uma necessidade.

De acordo com dados das Nações Unidas, o número de refugiados no mundo passa de 65 milhões. Esse número é justificado por uma série de conflitos brutais em diversos países, como:

  • Nigéria;
  • Sudão;
  • Iêmen;
  • Síria.

Neste último, inclusive, uma guerra civil está há muitos anos sendo um grave problema para a população, aumentando os riscos de ficar no local e gerando ainda mais refugiados.

Assim, é preciso que busquem um local pacífico para poderem estruturar suas vidas e encontrar emprego em uma empresa de tratamento de efluentes.

Para tornar esse processo ainda pior, muitos países ricos associam estes perfis com o terrorismo e com locais de alta criminalidade, dificultando a vida destes refugiados, que muitas vezes estão em uma situação complicada e só querem um local para recomeçar.

A crise humanitária é muito grave, e a preocupação de diversos países sobre as consequências de aceitar estes refugiados, tanto em questões de assistencialismo quanto em questões econômicas, como a quantidade de empregos, torna esse processo mais complexo.

Leis e emendas são criadas constantemente para impedir o acolhimento de refugiados, tornando esse processo mais duro e punitivo para aqueles que tentam buscar um ambiente de proteção do horror em que vivem.

Alguns países, entretanto, optam por tomar um posicionamento diferente com relação a esse tipo de interação. 

É o caso do Brasil, que, apesar de muitos problemas na área, busca melhorar as condições de refugiados e otimizar esse processo com apoio de empresas e de clinica de medicina do trabalho.

Órgãos governamentais e ONGs trabalham em conjunto para fazer esse processo acontecer de forma rápida e precisa, diminuindo o impacto da dura realidade que os refugiados sentem quando estão em processo migratório.

Além disso, as leis brasileiras são muito mais respeitosas com estas pessoas, e buscam medidas para regularizar a concessão de asilo para refugiados e tornar esse processo ainda mais simples, permitindo que estas pessoas tenham dignidade em sua nova casa.

Esse processo não é livre de obstáculos, entretanto, devem ser avaliados e existem diversas pessoas trabalhando para tentar otimizar estas ações, buscando uma situação mais adequada para aqueles que desejam se refugiar no país.

 Por conta dessa facilidade de acesso, o número de refugiados no país cresceu consideravelmente, vindos de diversas regiões do mundo que passam atualmente por conflitos políticos ou problemas sociais, sendo necessário uma administradora predial para lidar com a moradia destas pessoas.

Ainda que existam mecanismos para lidar com a imigração, os refugiados ainda devem passar por uma série de problemas, principalmente relacionados ao choque cultural de estar em um ambiente completamente diferente de suas origens e de seus resultados.

A xenofobia e o racismo também são problemas recorrentes da sociedade, ainda que existam várias maneiras de proibir esse tipo de comportamento e de desestimulá-lo na sociedade. Estas questões acabam sendo culturais, e geram problemas para essas pessoas.

Recentemente, por conta da crise financeira na Venezuela, milhares de pessoas tornaram-se refugiadas no país, o que gerou um impacto imediato na forma como o Brasil lida com os imigrantes desse tipo de situação com a engenharia de avaliações.

Para lidar com isso, o governo implantou uma série de residências temporárias, cujo objetivo era facilitar a entrada e adaptação dos refugiados no país.

Entretanto, o custo de aproximadamente trezentos reais para que os refugiados pudessem regularizar sua estadia tornou-se um problema. Muitos imigrantes estavam na linha da miséria em seu país de origem e acabavam não tendo condições de bancar esse valor.

Com o aumento cada vez maior de imigrantes ilegais, o país se viu obrigado a repensar a forma como esse tipo de ação seria funcional, criando assim a nova Lei de Migração, número 13.445 de maio de 2017. Nessa lei, os refugiados incapazes de pagar a taxa recebiam isenção.

Essa também é uma maneira de controlar a entrada e permanência de imigrantes, tornando o ambiente mais seguro tanto para os locais quanto para os refugiados que estão buscando um local para reconstruir suas vidas e trabalhar com setores como telefonia IP.

Os refugiados no Brasil

A situação dos refugiados no Brasil ainda é muito bem controlada, sobretudo por conta do espaço de terra que o país possui, o que facilita a residência de novos imigrantes de diversos lugares do mundo.

Existem muitos refugiados temporários, que estão no Brasil apenas por um período antes de seguir sua migração para um outro país, e estes acabam deixando o espaço aberto para pessoas que desejam ingressar oficialmente no país.

Por sua extensão territorial e população, o número de imigrantes no Brasil ainda é relativamente baixo, correspondendo a aproximadamente 1% da população total do país. Entretanto, alguns pontos estão sobrecarregados de imigrantes.

É o caso de Roraima, que faz fronteira direta com a Venezuela. Para lidar com esta questão, o governo brasileiro busca constantemente estudar maneiras de espalhar os imigrantes de forma efetiva e que possam se estruturar adequadamente.

Uma das maiores barreiras para essa imigração, entretanto, é a linguística. O fato de os refugiados não serem capazes de falar português gera uma série de problemas para conseguir um novo emprego com recuperação de concreto.

Mesmo a validação de diplomas pode ser problemática, fazendo com que muitos refugiados não possam trabalhar em sua área de atuação, e sendo forçado a prestar serviços de pouco valor, ou “bicos”.

A exploração sexual e exposição também são problemas decorrentes desse tipo de ação, o que torna importante para o governo identificar maneiras de aprimorar esse tipo de contato. 

Quanto mais é investido na formalização destes refugiados, melhor será o impacto econômico.

Estas pessoas poderão trabalhar nas áreas que desejam, e não serem forçados a lidar com subempregos que colocam em risco suas vidas e não dão uma qualidade adequada de vida para lidar a longo prazo, conseguindo trabalhar com vestimenta de segurança.

Muitos refugiados são jovens e com boa escolaridade, o que aumenta consideravelmente a produtividade do país se eles forem adaptados e inseridos corretamente no mercado, principalmente enquanto o Brasil lida com a situação do envelhecimento da população.

Muitos refugiados recorrem também ao empreendedorismo para conseguir trabalhar, criando negócios relacionados a seu país de origem como restaurantes e lojas de artesanato.

Eles acabam gerando ainda mais vagas de emprego, permitindo um desenvolvimento cultural ainda maior e ajudando outros refugiados em situação inicial a lidar com todo este processo mesmo em caso de necessidades especiais, como a sinalização em braille.

As leis de proteção brasileiras

 O Brasil sempre foi um país aliado de refugiados, e é um grande signatário de tratados internacionais com referência aos direitos humanos. Em 1951, fez parte da convenção das Nações Unidas e sempre esteve aliado a questões de proteção.

Ainda em 1997, o Brasil criou a Lei de Refúgio, que estabelecia uma série de mecanismos e ferramentas para que os refugiados tivessem mais liberdade e passassem por um processo menos danoso ao entrar em um país.

Esta lei também ampliou as possibilidades de pessoas que têm direito ao asilo, considerando pessoas que vêm de países que violam direitos humanos como um todo. Com uma coligação de ministérios, foi criado o Conare.

A sigla, que significa Comitê Nacional para Refugiados, é responsável por avaliar os pedidos de asilo, refúgio e garantir os direitos civis dessas figuras migratórias, permitindo sua estadia temporária ou fixa no país e fornecendo identidade e carteira de trabalho.

O Brasil também mudou as leis para incluir pessoas que tiveram que se deslocar por conta de desastres naturais e pela ação do crime organizado, incluindo-os como refugiados e abraçando uma boa parte dos haitianos que tiveram que fugir por conta de um terremoto em 2010.

A mais recente movimentação foi a de conceder residência temporária para países fronteiriços que não se encaixem no acordo do Mercosul, permitindo que uma série de cidadãos em situação irregular pudessem iniciar o processo de solicitação de asilo.

Estas pessoas podem solicitar tanto a permanência temporária, caso estejam apenas de passagem pelo país, como a permanência fixa, para aqueles que esperam recomeçar e criar uma nova realidade dentro do país.

Considerações finais

Embora ainda exista um longo caminho para que a situação seja mais satisfatória, o Brasil é um dos países que melhor lida com a situação de refugiados, e procura sempre otimizar estes processos para que as pessoas resolvam essa questão de forma rápida.

Um refugiado pode vir de diversos locais, ter uma série de realidades e justificativas para suas ações, mas no fim trata-se de um ser humano tentando uma vida melhor para si e para aqueles que ama.

Por conta disso, o ato de acolher os refugiados e respeitá-los é uma ação humanitária, que deveria ser seguida no mundo todo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

2.2.22

Isaac Bardavid, dublador de Wolverine, morre aos 90 anos


Isaac Bardavid, um dos dubladores mais famosos do Brasil, morreu nesta terça-feira (1º) aos 90 anos. O artista estava internado em estado grave desde a última quarta-feira (26) devido a complicações causadas por um enfisema pulmonar.

O último pronunciamento da família foi no domingo (19), quando o neto do artista afirmou que Bardavid apresentava melhora no quadro respiratório.

“Isaac desde sempre tem problema de respiração, a doença dele está dentro do grupo DPOC. O nível de oxigenação dele sempre foi abaixo do considerado normal. Devido a idade avançada a doença estava insistindo em manter a oxigenação muito baixa, mesmo ele usando os aparelhos que já possui em casa, então ele precisou ser levado para tratamento no hospital”, disse o neto na publicação.

Carreira

Bardavid deu voz a personagens icônicos, como Wolverine, Esqueleto, o vilão da franquia He-Man, Odin (Anthony Hopkins) nos filmes do MCU, Capitão Haddock em As Aventuras de Tintim, Freddy Krueger, Tigrão e mais.

10.1.22

Vou disputar o 2º turno com Lula’, diz João Doria


O governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta segunda-feira, 10, que a disputa no segundo turno das eleições presidenciais será entre ele e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Não quero ser desrespeitoso a Bolsonaro, mas Lula será o candidato que vai disputar o segundo turno e é com ele que vamos disputar. Serei um candidato duríssimo”.

Doria apontou que, no momento, há uma bipolarização entre Lula e Bolsonaro (apontada pelas pesquisas), mas que, de acordo com ele, ao longo dos próximos meses, a terceira via passará a ser mais expressiva do ponto de vista das pesquisas eleitorais.

No entanto, o governador ressaltou que ainda é muito cedo para fazer cogitações “dessa natureza”.

Doria foi questionado sobre uma possível aliança com o ex-juiz e pré-candidato à presidência Sergio Moro. Ele disse que o diálogo sobre essas parcerias deve começar em abril.

“Quanto a Moro, tenho uma boa relação com ele, cultivo essa relação, temos conversado, principalmente, em torno dessa terceira ou melhor via, como prefiro classificar. Mas ainda tempos tempo para essa evolução do diálogo. Campanha mesmo começa a partir de abril”, indicou.

Vacinação de crianças com a CoronaVac

João Doria aposta na aprovação da vacina chinesa CoronaVac para crianças de 3 a 11 pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A decisão deve sair nesta semana.

Ele acredita que, assim, poderá vacinar as crianças nessa faixa etária no Estado de São Paulo em uma semana.

“Temos 15 milhões de doses da vacina no Butantan, prontas para serem disponibilizadas para o Ministério da Saúde. Se o Ministério não desejar, primeiro, aqui em São Paulo, vamos vacinar todas as crianças. E vamos disponibilizar a CoronaVac para todas as secretarias da saúde dos governos estaduais”, indicou o governador.

7.1.22

Prefeitura de São Paulo cancela Carnaval de rua


Com o aumento do número de casos e de internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG), o que inclui casos de covid-19 e de gripe influenza, a prefeitura de São Paulo anunciou nesta quinta-feira (6) o cancelamento do Carnaval de rua. A festa seria entre o fim do mês de fevereiro e o início de março. O cancelamento foi determinado pelo prefeito Ricardo Nunes, após reunião na manhã com representantes da Vigilância Sanitária e da Secretaria Municipal de Saúde.

Com a vacinação, mortes e internações por covid-19 vinham caindo em São Paulo, mas a chegada da variante ômicron do coronavírus e da darwin, nova variante do vírus influenza H3N2, levou ao aumento do número de ocorrências das duas doenças na capital.

Em material encaminhado nesta quinta-feira à imprensa, a prefeitura diz que o cenário epidemiológico atual “aponta aumento exponencial dos casos de síndrome gripal na cidade, com números de notificações já superiores aos do pior momento da pandemia em 2021”. O pior momento da pandemia em São Paulo foi entre os meses de março e maio, durante a segunda onda da covid-19.

Na quarta-feira (5), em entrevista coletiva, o Centro de Contingenciamento do Coronavírus de São Paulo, que auxilia o governo do estado nas decisões relacionadas à covid-19, desaconselhou a realização do carnaval neste ano por causa do avanço da variante ômicron, mas ressaltou que a decisão cabia a cada prefeito.

“O carnaval pode ser analisado em dois aspectos. O primeiro são os desfiles de escolas de samba, em que a situação é parecida com a dos estádios de futebol, em que há possibilidade de controle, exigindo que todos estejam vacinados e que continuem usando máscaras. No carnaval de rua, não temos como fazer o controle, pois fica liberada a participação de todos, não tem como verificar a vacinação, e a aglomeração é imensa. É impensável manter o carnaval nessas condições”, disse o secretário executivo do Centro de Contingenciamento, João Gabbardo.

Sobre os desfiles de carnaval, Gabbardo destacou que é preciso pensar que as pessoas que chegam para assistir, para participar, vão se aglomerar no trem, no ônibus. “E isso é um risco muito alto.”

Também nesta quarta-feira, três entidades que representam 250 blocos inscritos para participar do carnaval de rua de São Paulo comunicaram que não participariam do evento.

Segundo a prefeitura, os desfiles de escolas de samba ainda serão discutidos em uma reunião com a Liga das Escolas de Samba. Na reunião, devem ser definidos protocolos sanitários para garantir a realização dos desfiles.

“Vamos construir um protocolo como construímos com outras atividades. Acabamos de fazer um para a [corrida de] São Silvestre, e ela foi coberta de sucesso, com o cumprimento de tudo aquilo que a Vigilância Sanitária exigiu para a realização do evento. Inclusive com os corredores iniciando a corrida com máscara”, disse o secretário municipal da Saúde Edson Aparecido. 

6.1.22

Lei sancionada cria regras de proteção para entregadores de aplicativo


O presidente Jair Bolsonaro sancionou, um projeto de lei (PL) que estabelece regras emergenciais de proteção a entregadores de serviços de aplicativo durante a emergência em saúde pública causada pela pandemia de covid-19. O texto havia sido aprovado em dezembro pelo Senado Federal e pela Câmara dos Deputados. 

Segundo a proposição legislativa, a empresa de aplicativo de entrega deverá contratar seguro contra acidentes, sem franquia, em benefício do entregador, para cobrir exclusivamente acidentes ocorridos durante o período de retirada e entrega de produtos.

O seguro deve abranger, obrigatoriamente, acidentes pessoais, invalidez permanente ou temporária e morte. Na hipótese de o entregador trabalhar para mais de uma empresa de aplicativo de entrega, a indenização deverá ser paga pela seguradora contratada pela empresa para a qual o trabalhador estiver prestando serviço no momento do acidente.

Outra exigência da nova lei é que, uma vez diagnosticado com covid-19, o entregador deverá receber uma assistência financeira por parte da empresa de aplicativo durante o período inicial de 15 dias. Esse prazo poderá ser prorrogado por mais dois períodos sucessivos de 15 dias, mediante apresentação de exame RT-PCR ou laudo médico que constate a persistência da doença. O valor a ser pago deve corresponder à média dos três últimos pagamentos mensais recebidos pelo entregador. 

No quesito prevenção, a lei prevê que a empresa de aplicativo de entrega deve fornecer ao entregador itens como máscaras, álcool em gel ou outro material higienizante para a proteção pessoal durante o trabalho. Isso poderá ocorrer por meio de repasse ou reembolso de despesas.

Pelo descumprimento das regras, a nova lei estabelece punições que vão de advertência até o pagamento de multa administrativa de R$ 5 mil por infração cometida, em caso de reincidência.

Veto

Um dos pontos incluídos no texto aprovado pelo Congresso Nacional previa que empresa de aplicativo poderia fornecer alimentação ao entregador por intermédio dos programas de alimentação do trabalhador previstos na Lei 6.321/1976. 

Essa lei permite às empresas deduzirem do imposto de renda o dobro das despesas com alimentação do trabalhador. Este trecho, no entanto, foi vetado pelo presidente da República. 

A justificativa é que a medida acarretaria renúncia de receita sem acompanhamento de estimativa do seu impacto orçamentário e financeiro e das medidas compensatórias.

5.1.22

França identifica nova variante do coronavírus com mais de 40 mutações


A França identificou nova variante do coronavírus com mais de 40 mutações genéticas, sendo que uma está associada a potencial aumento da transmissão do vírus.

Segundo pesquisadores do Instituto Hospitalar Universitário (IHU) de Marselha, que fizeram a descoberta, a nova estirpe do SARS-CoV-2 tem 46 mutações, incluindo uma que está associada ao possível aumento de contágios.

A variante, da qual pouco ainda se sabe, foi batizada pelos cientistas com as iniciais do instituto, IHU, e deriva de outra, a B.1.640, detectada no fim de setembro de 2021 na República do Congo e atualmente sob vigilância da Organização Mundial da Saúde.

Na França, os primeiros casos da nova variante, que tem designação técnica B.1.640.2, foram observados na localidade de Forcalquier, na região de Provença-Alpes-Costa Azul.

Na mesma região, mas em Marselha, uma dezena de casos surgiram associados a viagens aos Camarões, país que faz fronteira com a República do Congo.

O IHU de Marselha, especialista em doenças infecciosas, é dirigido pelo médico Didier Raoult, que recebeu advertência da Ordem dos Médicos francesa por ter violado o código de ética. Ele promoveu o uso do remédio antimalária hidroxicloroquina como tratamento para a covid-19 sem provas de sua eficácia.

A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detectado há dois anos em Wuhan, cidade do centro da China, e que se disseminou rapidamente pelo mundo.

A Ômicron, identificada em novembro, é a mais contagiosa de todas as variantes do coronavírus consideradas preocupantes, apresentando mais de 30 mutações genéticas na proteína da espícula, a "chave" que permite ao vírus entrar nas células humanas.

Vários países, incluindo Portugal e França, têm atingindo recordes diários de infecções devido à circulação dessa variante.

4.1.22

Criação da Série E do Brasileiro resolveria vários problemas


A falta de calendário anual é uma reclamação constante de diversos clubes de futebol espalhados pelo Brasil. A situação é tão constrangedora e aflitiva que, após os Estaduais, dezenas de times fecham as portas no segundo semestre de cada ano. Vários jogadores, treinadores, preparadores físicos e de goleiros, massagistas, roupeiros, entre outros profissionais, ficam desempregados. No máximo, algumas equipes deixam apenas as categorias de base ativas. Chegou a hora de os dirigentes que comandam a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), através do departamento de competições, acabarem com esse pesadelo e criarem a Série E do Campeonato Brasileiro.

As competições nacionais atuais deixam de fora vários clubes de tradição de todo Brasil. Na Série A, ou Primeira Divisão, temos 20 participantes. O mesmo acontece nas Série B e C, com 20 equipes em cada uma. São 60 times nas três principais divisões do Campeonato Brasileiro, com mais 64 correndo atrás do título da Série D, ou Quarta e última divisão.

Acontece que, apesar de termos 124 clubes participando das quatro divisões do futebol brasileiro, temos outras dezenas de equipes que também gostariam de ter calendário anual. E a nova competição poderia abrir a possibilidade de os interessados se inscreverem na entidade. A CBF criaria a competição, que poderia ser regionalizada para ficar mais viável e rentável, colocando em prática a Série E do Campeonato Brasileiro, e analisaria os pedidos de inscrição respeitando o ranking nacional de clubes.

Vamos pegar como exemplo o futebol paulista, onde temos os estaduais mais concorridos e rentáveis de todo o Brasil. No Paulistão, ou seja, na Primeira Divisão, dos 16 clubes participantes, apenas o Água Santa, da cidade de Diadema, não disputa nenhuma divisão do Brasileiro. E gostaria de disputar. Tem estádio, estrutura, trabalha bem nas categorias de base e adoraria ser convidado para participar da Série E do Brasileiro.

Porém, essa situação não fica restrita ao Água Santa, provavelmente um clube desconhecido do grande público. Vamos falar da tradicional Portuguesa, a Lusa do Canindé, vice-campeã brasileira de 96, que fica na capital de São Paulo. Ou até mesmo do também tradicional Juventus, da Mooca. A dupla está sem calendário nacional. O mesmo se aplica ao São Caetano, que já foi vice-campeão da Libertadores. Tem ainda o Paulista, de Jundiaí, que já foi campeão da Copa do Brasil. Sem contar XV de Piracicaba, São Bento, São José, Marília, Noroeste e Comercial, de Ribeirão Preto, entre outros.

A falta de calendário nacional não fica restrita ao futebol paulista, onde geralmente nas quatro divisões dos seus estaduais temos a participação de quase 90 clubes. Podemos espalhar essa situação para outros estados. Por exemplo, em Minais Gerais o Boa Esporte, de Varginha, e o Uberlândia, entre outros clubes de muita tradição, estão sem calendário nacional em 2022.

Em Santa Catarina, o Joinville, que fez brilhante Série D em 2021 (chegando à reta final da competição), neste ano não tem calendário nacional, e gostaria de estar em ação no segundo semestre. Da mesma forma que equipes como o Gama, do Distrito Federal, o Luverdense, do Mato Grosso, o Treze, da Paraíba, e o Imperatriz, do Maranhão.

No Rio de Janeiro outros bons exemplos de clubes sem calendário anual existem aos montes, como os tradicionais Bangu e América, que certamente gostariam de disputar a Série E do Campeonato Brasileiro e festejariam não fecharem as portas no segundo semestre. O mesmo se aplica a Boavista, Madureira, Audax Rio, Resende, que, se consultados, provavelmente também teriam interesse na competição.

O certo é que a falta de um calendário anual para diversos clubes do futebol brasileiro resulta em perdas financeiras. Além disso, deixa vários jogadores e outros profissionais que vivem do futebol desempregados, com vários estádios inativos e muitas vezes sem eventos esportivos em muitas cidades. Os times, claro, têm interesse na criação da Série E do Campeonato Brasileiro.

A CBF conhece o assunto a fundo e esboçou, em um passado recente, a possibilidade de organizar uma nova competição nacional. Porém, as providências não foram tomadas e tudo caiu no esquecimento, principalmente após a chegada da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Que o tema da Série E do Campeonato Brasileiro volte à tona, com os clubes reivindicando novos estudos, e a competição saia do papel o quanto antes. O futebol agradece, principalmente por parte das torcidas que passam a maior parte do ano sem comparecerem aos estádios para curtirem seus times do coração.

2.1.22

Homem viaja 2.400km para conhecer a namorada e acaba a vendo nos braços de outro


O homem viajou mais de 2.000 km para encontrar a namorada e acabou tendo uma surpresa nada agradável.

Sabemos que descobrir uma traição nunca é algo fácil para a grande maioria das pessoas. E este homem acabou sofrendo bastante ao encontrar a namorada que conheceu na internet nos braços de outra pessoa. Na realidade, a jovem apenas o tinha usado para se divertir. Ela já tinha outro. E jamais imaginou que o webnamorado seria capaz de viajar mais de 2.000km apenas para a encontrar.

E o vídeo de seu encontro com a jovem acabou se tornando viral, tamanha a decepção que é possível sentir.

O homem resolveu viajar e se encontrar, vestido de ursinho de pelúcia, algo que provavelmente poderia simbolizar a relação dos dois.

Acontece que assim que chegou, encontrou a namorada nos braços de outro. O homem apenas tirou a parte de cima de sua fantasia de cabeça de ursinho e olhou para o casal bastante decepcionado com aquilo que viu.

Quando a jovem notou que o seu webnamorado estava bem na sua frente, ela ainda chegou a correr atrás dele. Porém, ele ainda solta a mão dela e continua andando.

Momentos depois, é mostrado que a jovem o abraçou. O homem que estava vestido de urso não pareceu querer corresponder ao abraço da jovem infiel.

Abaixo você pode conferir o vídeo que mostra um pouco mais da cena:


Não se ficou claro se eles voltaram após o flagra da traição ou não.

Não se ficou claro se eles voltaram após o flagra da traição ou não.

27.12.21

SP: quase 800 mil não tomaram a 2ª dose da vacina contra covid-19


A capital paulista tem quase 800 mil pessoas sem a segunda dose da vacina contra a covid-19. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), cerca de 773 mil cidadãos acima de 18 anos, por algum motivo, deixaram de receber a segunda dose da imunização. A secretaria informou que realiza diariamente busca ativa para reforçar a necessidade de completar o ciclo vacinal contra a doença.

A secretaria acrescenta que cerca de 1,8 milhão de pessoas estão aptas a receberem a dose adicional (DA) da vacina.

Até o último sábado (25), a capital paulista contabilizava 23.667.330 doses de vacinas de covid-19 aplicadas, sendo 10.669.929 primeiras doses (D1), 9.902.496 segundas doses (D2), 332.332 doses únicas (DUs) e 2.762.573 doses adicionais (DAs).

A cobertura vacinal da população com mais de 18 anos está em 109,1% para primeira dose e dose única, em 103,1% para segunda dose e dose única e em 29,9% para dose adicional.

Em adolescentes de 12 a 17 anos, foram aplicadas 927.686 (D1), representando uma cobertura vacinal de 109,9%. Também foram aplicadas 716.824 (D2) alcançando 84,9% do público elegível.

Mais 47 municípios da Bahia entram em situação de emergência


O governador da Bahia, Rui Costa, assinou novo decreto estadual que inclui mais 47 cidades na lista de municípios em situação de emergência em decorrência das chuvas intensas que atingem o estado neste mês. Até 25.12, 25 cidades faziam parte da lista. Com a atualização, o número chega a 72.

Com a medida, fica autorizada a mobilização de todos os órgãos estaduais para apoiar as ações de resposta ao desastre, reabilitação do cenário e reconstrução das cidades. Costa sobrevoou e visitou, neste domingo, municípios do sul baiano onde as chuvas se intensificaram desde a última quinta-feira (23), como Ilhéus, Itabuna e Itajuípe.

De acordo com o governador, 37 cidades da região estão embaixo da água, atingidas de forma mais intensa pela subida do nível dos rios.

“É uma tragédia gigantesca. Não me lembro se, na história recente da Bahia, tem algo dessa proporção pela quantidade de cidades, de casas envolvidas. É algo realmente assustador, o número de casa, de ruas, de localidades completamente embaixo de água”, disse o governador, em publicação no Twitter.

Foi instalada uma base de apoio em Ilhéus, fruto de ação conjunta de vários órgãos federais e estaduais, para socorro aos municípios afetados pelas enchentes. De acordo com Rui Costa, devido à distância, outros pontos serão criados em Itapetinga, Vitória da Conquista, Ipiaú e Santa Inês.

Uma força-tarefa com agentes de segurança pública está atuando na região. Ela é composta por bombeiros militares da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Norte, Maranhão, Paraíba, Sergipe, além das policias Militar da Bahia e da Rodoviária Federal (PRF). Vinte viaturas, 10 aeronaves, oito botes e um barco também foram mobilizados.

Ação federal

O governo federal também está mobilizando diversos órgãos e ministérios em ações de resposta ao desastre natural e reconstrução de infraestrutura danificada. Até o momento, mais de R$ 19 milhões já foram disponibilizados pela Defesa Civil Nacional.

Além da PRF, aeronaves e militares das Forças Armadas darão apoio aos municípios. A ajuda federal também inclui a liberação de recursos para a compra de combustível e a convocação de técnicos e de equipes da Força Nacional do Sistema Único de Saúde.

O ministro da Cidadania, João Roma, também esteve em Ilhéus neste domingo em reuniões com autoridades locais. “É crucial que, neste momento, a gente reforce o estado de alerta, retire as famílias que estão nas áreas de risco e trabalhe para preservar vidas. Na sequência, tomaremos todas as medidas para amparar essas pessoas”, escreveu, em publicação no Twitter.

Até o momento, o Corpo de Bombeiros da Bahia confirmou 18 mortes em decorrência das chuvas. Mais de 4,2 mil pessoas estão desabrigadas e 11,2 mil foram desalojados pelas inundações.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) mantêm o alerta de risco de novas inundações e deslizamentos de terra na Bahia, devido ao acumulado de chuvas dos últimos dias e à previsão de novas precipitações.

21.12.21

E chegou o Verão 2021/2022: Verão começa nesta terça-feira no Brasil


Começa nesta terça-feira (21), às 12h59 (horário de Brasília), o verão no Hemistério Sul. Marcada pela elevação da temperatura em todo o país, em função da posição do Sol mais ao sul, a estação tem dias mais longos que as noites, além de mudanças rápidas nas condições de tempo, como chuva forte, queda de granizo, vento com intensidade (moderada a forte) e descargas elétricas. A estação termina no dia 20 de março de 2022, às 12h33, dando lugar ao outono.

De acordo com o prognóstico climático divulgado pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), as chuvas no verão serão acima da média na maior parte do país, com exceção do extremo sul do Rio Grande do Sul, nordeste de Roraima e leste do Nordeste.

Segundo o boletim, nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, as chuvas serão ocasionadas principalmente pela atuação da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), enquanto no norte das regiões Nordeste e Norte, a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) é a responsável pela ocorrência de chuvas.

Em média, os maiores volumes de precipitação podem ser observados sobre as regiões Norte e Centro-Oeste, com totais na faixa entre 700 e 1.100 mm.

De acordo com o prognóstico, há uma probabilidade superior a 60% de que se mantenha o fenômeno La Niña durante o verão, podendo atingir a intensidade de moderado entre este mês de dezembro e janeiro/2022.

Esta cidade dos EUA se torna a primeira a adicionar a conversão da folha de pagamento à criptografia para os funcionários


Uma onda de boa vontade política e apoio ao Bitcoin está se formando nas vertiginosas oscilações dos preços de mercado do Bitcoin dos EUA, parece que alguns políticos reconheceram o potencial do Bitcoin e sua popularidade. Vários prefeitos dos Estados Unidos expressaram sentimentos otimistas.

Isso inclui o prefeito recém-eleito da cidade de Nova York, Eric Adams, para o prefeito de Miami, Francis Suarez , entre outros. Agora, na onda de cidades nos EUA que se aproximam da adoção do Bitcoin, a cidade de Jackson, Tennessee, liderada pelo prefeito da cidade, Scott Conger, está correndo à frente.

Conversão criptográfica da folha de pagamento
De acordo com um relatório de uma mídia local , a cidade de Jackson logo fará história como a primeira cidade do país a adicionar criptomoeda como uma opção de conversão da folha de pagamento para funcionários municipais. A prefeitura já abriu licitação de empresas que serão responsáveis ​​pela conversão das criptomoedas. O anúncio sobre o pedido de proposta foi lido como:

“A RFP está aberta! O dia 22 (dezembro) é quando os respondentes têm que responder à RFP. Assim, quando chegar o 22º lugar, abriremos as licitações, teremos o comitê e eles farão a revisão. Eles provavelmente farão uma recomendação ao conselho em fevereiro. ”

Conforme declarado acima, todas as propostas serão analisadas pelo comitê até fevereiro. A referida mudança pode desempenhar um papel vital na diversificação das maneiras pelas quais um funcionário pode receber o pagamento.

O prefeito Conger opinou :

“Não é algo que vai ser necessário. É uma alternativa. Pense nisso como se estivesse investindo no mercado de ações. O que você quer fazer? Você deseja diversificar seus investimentos. E esta é apenas outra maneira de diversificar o portfólio de como geramos receita, potencialmente em toda a cidade. ”

Mas por que não dar diretamente? Bem, HODLing Bitcoin no balanço patrimonial é difícil devido a restrições legais. Conseqüentemente, a cidade não pode pagar seus residentes diretamente em criptografia.

“Basicamente, somos nós fazendo parceria com uma plataforma de terceiros”, observou o prefeito.

“Então, pagaríamos aos nossos funcionários, e parte disso seria um desconto na folha de pagamento que iria para o terceiro. Eles então - a partir de uma quantia predeterminada que haviam calculado - abririam a carteira para eles e comprariam Bitcoin ou outra criptomoeda. ”

A opção também permitirá que a cidade pague empreiteiros e empresas em bitcoin, permitindo que a cidade atraia uma gama maior de licitantes.

O prefeito da nona maior cidade do estado do Tennessee foi vocal em suas narrativas pró-BTC . Em maio, o político instou todos na região a adotar o BTC. Em um movimento para 'inaugurar uma nova revolução industrial'.

Dito isso, nuvens negras e agourentas sobre a clareza regulatória nos EUA cercaram, entretanto, a região mencionada.

13.12.21

Mercedes protesta após Verstappen derrotar Hamilton na Fórmula 1


A equipe Mercedes apresentou um protesto, neste domingo (12), após Max Verstappen, da Red Bull, vencer o Grande Prêmio de Abu Dhabi e derrotar o heptacampeão mundial de Fórmula 1 Lewis Hamilton para conquistar o título de 2021 com uma ultrapassagem na última volta.

A equipe, que garantiu o título de construtores pelo oitavo ano consecutivo, protestou contra duas supostas violações das normas esportivas após o safety car entrar na pista no final da corrida.

Uma declaração dos comissários de prova disse que a Mercedes havia protestado “contra a classificação estabelecida no final da competição”, argumentando que houve uma violação do artigo 48.12.

Verstappen tinha retardatários entre ele e Hamilton após entrar nos boxes com o safety car na pista e o tempo da corrida acabando.

O diretor de prova, Michael Masi, decidiu que apenas cinco retardatários entre os dois rivais na disputa pelo título deveriam ser autorizados a recuperar a volta, ao invés de todos os retardatários, como é o procedimento usual.

Em um segundo protesto, a Mercedes também argumentou que o artigo 48.8 foi violado com o carro da Verstappen ultrapassando Hamilton antes de a corrida ser retomada, à medida que ele esperava impacientemente o retorno da prova.

É ilegal ultrapassar, a menos que autorizado a fazê-lo, enquanto o carro de segurança estiver na pista.

A Mercedes disse que não fará mais comentários antes da audiência sobre o protesto.

10.12.21

Conmebol anuncia datas da Recopa Sul-Americana


Palmeiras e Athletico-PR disputam título continental

A Conmebol divulgou nesta quinta-feira (9) as datas da disputa do título da Recopa Sul-Americana entre o Palmeiras (que conquistou a Libertadores) e Athletico-PR (vencedor da Copa Sul-Americana).

O primeiro jogo da final acontece no dia 23 de fevereiro de 2022 na Arena da Baixada, em Curitiba, enquanto o confronto de volta será em 2 de março em São Paulo.

O atual vencedor da competição é o Defensa y Justicia (Argentina), que superou o Verdão na última decisão.

7.12.21

Pequim tomará medidas contra boicote dos EUA a Jogos de Inverno


O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da República Popular da China disse hoje (7) que o país vai responder com "contramedidas firmes" ao boicote diplomático norte-americano aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, em 2022.

O porta-voz referiu-se a contramedidas, mas não especificou nem forneceu detalhes sobre a eventual resposta da China ao boicote diplomático de Washington.

Os Estados Unidos vão enviar atletas norte-americanos aos Jogos de Inverno 2022, mas as delegações desportivas não vão ser acompanhadas de representantes diplomáticos.

De acordo com a Casa Branca, trata-se de uma posição contra a violação dos direitos humanos na China, sobretudo na província de Xinjiang.

"A tentativa dos Estados Unidos, de perturbar os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, foi tomada com base em preconceitos ideológicos, mentiras e rumores e que vão revelar, aos olhos de todos, as más intenções dos Estados Unidos", disse Zao Lijian.

Entretanto a embaixada de Pequim em Washington disse através de mensagens difundidas pela rede social Twitter que o boicote "só pretende politizar o desporto, criar divisões e provocar o confronto, disse a embaixada.

Estes jogos vão decorrer em fevereiro do próximo ano, em Pequim.

6.12.21

Pandemias futuras podem ser mais mortais e contagiosas, diz cientista


A pesquisadora da vacina da Oxford-AstraZeneca, Sarah Gilbert, disse que "esta não será a última vez que um vírus ameaçará as nossas vidas e os meios de subsistência e pediu mais financiamento para que a ciência esteja melhor preparada. "Os avanços que fizemos e o conhecimento que adquirimos não devem ser perdidos", afirmou.

"Assim como investimos em forças armadas, serviços secretos e diplomacia para nos defendermos de guerras, devemos investir em pessoas, pesquisa, manufatura e instituições para nos defendermos de pandemias", sustentou Sarah Gilbert, citada no jornal britânico The Guardian.

No início de 2020, quando a covid-19 surgiu pela primeira vez na China e a doença se espalhou, Sarah Gilbert, professora de Vacinologia da Universidade de Oxford, e sua equipe criaram uma das vacinas contra o SARS-CoV-2.

Atualmente, a cientista diz que a doença está longe do fim e que a variante Ômicron, altamente mutável, não deverá ser a última. Para ela, o próximo vírus pode ser pior. "Pode ser mais contagioso, ou mais letal, ou ambos". 

"Não podemos permitir uma situação como a que passamos e, depois, descobrimos que as enormes perdas econômicas que sofremos significam que ainda não há financiamento nos prepararmos para uma pandemia", acrescentou. 

"Os avanços que fizemos e o conhecimento que adquirimos não devem ser perdidos", alerta a pesquisadora, chamando a atenção para a necessidade de continuar mantendo o investimento em ciência.

As declarações foram divulgadas depois de o Reino Unido ter registrado, nesse domingo (5), 246 casos da variante Ômicron e quase 44 mil novas infecções diárias, com 54 mortes a cada dia.

Foi descoberto, na variante Ômicron, que a proteína spike contém mutações já conhecidas, responsáveis por aumentar a transmissibilidade do vírus, disse Gilbert. "Mas há mudanças adicionais que podem significar que os anticorpos induzidos pelas vacinas, ou pela infecção com outras variantes, podem ser menos eficazes na prevenção da infecção pela Ômicron. Até sabermos mais, devemos ser cautelosos e tomar medidas para desacelerar a disseminação dessa nova cepa".

Mark Woolhouse, cientista que presta assessoria ao governo do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, afirma, citado pela BBC: "Se as tendências atuais aqui e na África do Sul continuarem nas próximas semanas e meses, a nova Ômicron poderá substituir a Delta como estirpe dominante no mundo".

No fim de semana, o governo britânico anunciou que quem viaja para o Reino Unido tem de fazer teste de covid-19 no local de partida. A Nigéria foi adicionada à lista vermelha dos países potenciais importadores de Ômicron, por estar associada aos novos casos da variante em território britânico.

"Se a Ômicron está aqui no Reino Unido - e certamente está -, se há transmissão comunitária no Reino Unido - e certamente parece que sim -, então é essa transmissão comunitária que impulsionará a próxima onda", disse Woolhouse.

O cientista acrescenta que as novas restrições pecam por serem tardias e são muito tímidas, para fazer face a "uma onda potencial da variante no Reino Unido".

De acordo com o The Guardian, o grande percentual de novos casos, em geral, está relacionado a pacientes não vacinados. O líder trabalhista Keir Starmer, aproveitando essa informação, critica de forma veemente os que resistem à inoculação: "É frustrante e preocupante que os médicos estejam acompanhando muitas camas hospitalares, e os recursos do Serviço Nacional de Saúde estejam sendo usados por aqueles que optaram por não receber a vacina".

24.11.21

Câmara aumenta pena para calúnia em contexto de violência doméstica


A Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei que aumenta a pena dos crimes de calúnia, difamação e injúria cometidos em contexto de violência doméstica e familiar contra a mulher. No caso desses crimes, a pena atual prevista pelo Código Penal é de um mês a dois anos a depender do crime. Pelo projeto, essa pena sofreria um agravante e seria aumentada em um terço. Texto segue para análise do Senado.

O projeto estabelece que os crimes de calúnia, difamação e injúria cometidos no contexto de violência contra a mulher não dependerão mais exclusivamente da queixa da ofendida, podendo o Ministério Público oferecer a denúncia e também não será permitida isenção de pena para os acusados que se retratarem antes da sentença condenatória quando o crime ocorrer nesta situação específica.

Para o crime de ameaça, também abrangida pelo projeto, a pena atual de detenção de um a seis meses ou multa passa para detenção de seis meses a dois anos e multa quando ocorrer no contexto de violência contra a mulher.

O projeto ainda muda o Código do Processo Penal para prever que o juiz determine ao agente preso em flagrante o uso de tornozeleira eletrônica, sem prejuízo de outras medidas cautelares, quando da audiência posterior à prisão em flagrante, quando o crime envolver a prática de violência doméstica e familiar contra a mulher.

Também houve uma mudança na Lei Maria da Penha que permitirá que o delegado de polícia providencie o afastamento imediato do agressor do lar da vítima se verificada a existência de risco atual ou iminente à vida dela ou à sua integridade física ou psicológica ou de seus dependentes.

FMI volta a advertir El Salvador depois de anuncio da Bitcoin City


O Fundo Monetário Internacional (FMI) voltou a atacar a nação da América Central, El Salvador, sobre sua posição e adoção do Bitcoin (BTC).

Assim, o FMI voltou a declarar ser contra o uso de bitcoin como moeda legal devido a vários riscos associados à criptomoeda e destacou que isso pode causar problemas para a nação.

Portanto, o aviso veio um dia depois que o presidente salvadorenho Nayib Bukele anunciou seu plano de construir uma “cidade bitcoin” alimentada por um vulcão e financiada por títulos bitcoin.

Assim El Salvador é o primeiro país do mundo a adotar o bitcoin como moeda corrente ao lado do dólar norte-americano que é usado há duas décadas. A lei de bitcoin do país entrou em vigor em setembro.

Além disso, El Salvador comprou 1.120 BTC , de acordo com o presidente salvadorenho Nayib Bukele.

Portanto, em sua declaração de conclusão do corpo técnico da missão Artigo IV de 2021” para El Salvador, o FMI detalhou que o pais deve deixar de adotar o Bitcoin.

“Dada a alta volatilidade do preço do bitcoin, seu uso como moeda corrente envolve riscos significativos para a proteção do consumidor, integridade financeira e estabilidade financeira. Seu uso também dá origem a passivos contingentes fiscais. Por causa desses riscos, o bitcoin não deve ser usado como moeda com curso legal”, disse.

El Salvador deve desistir do Bitcoin

Assim o FMI pediu que El Salvador desista de seus planos com o Bitcoin e revogue a “lei Bitcoin”.

“Os planos de emitir títulos soberanos e usar os recursos para comprar bitcoins e financiar planos de infraestrutura anunciados em 20 de novembro, ocorreram após a conclusão dos trabalhos técnicos da missão e não foram discutidos com as autoridades”, esclareceu o FMI.

No entanto o presidente de El Salvador, Nayib Bukele, fez pouco das recomendações do FMI e declarou e disse que a nação é soberana para tomar suas decisões.

“Somos soberanos para tomar nossas decições. Embora obviamente não concordemos em algumas coisas, como a adoção do bitcoin, a análise que o FMI faz do nosso país é interessante, mas não temos planos de mudar nada com relação as criptomoedas“, disse.


GeraLinks - Agregador de links