Mostrando postagens com marcador DROPs. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador DROPs. Mostrar todas as postagens

18.9.21

Painéis gigantes em São Paulo celebram a história do grafite



Nascido dentro da cultura hip hop, o grafite conquistou o status de arte e espaço nos museus. 

Mas é na periferia, em sua origem, que essa expressão artística melhor se traduz. 

Nos muros de São Miguel Paulista, um dos bairros mais antigos da Zona Leste paulistana, quatro grafiteiros celebram a história da comunidade em três painéis gigantes.


Show não é mesmo? 

Se você gostou também irá gostar de...


Volte sempre ao Seja Hoje Diferente.

14.9.21

Batman do Brasil | Todos podem fazer a diferença


A história da minha vida começou a ser definida a partir das vivências que tive na infância. Foram muitos traumas e, de cada um deles, veio uma consequência, tais como o terror noturno, a dislalia e a dislexia.

Cresci ouvindo os piores prognósticos de médicos e especialistas a respeito do meu futuro. Por essência, não aceito portas fechadas e, por isso, tomei cada acontecimento como desafio. Contrariando expectativas, formei-me não só na escola, mas na faculdade. Tornei-me empresário e após muito pesquisar, desenvolvi uma modalidade de treinamento físico chamada SuperHero, que veio para aprimorar os resultados de atividades físicas e técnicas de condicionamento muscular e resistência até então conhecidos.

Além de limitações, as minhas vivências me fizeram impor desafios e um deles foi uma promessa de motivar pessoas a continuarem lutando pelas suas vidas. Para tal, utilizaria a roupa que tenho como armadura, do Batman, pois foi ao entender como ele lidava com seus desafios que eu pude lidar com os meus e realizar meus sonhos. Após muito estudo, desenvolvi a Ciência do Batman, cuja aplicação em meu trabalho social tem resultados confirmados por profissionais da área de saúde.

TRABALHO SOCIAL
O trabalho social começou em uma promessa e tomou proporção imensa em minha vida, exigindo cada vez mais preparo emocional e físico e, por isso, busquei a formação como Coach Comportamental e de Inteligência Emocional na SLAC, além de cursos de PNL, Rapport e formação como Analista Comportamental DISC. 


Todos podemos fazer a diferença na vida das pessoas e na nossa, só precisamos de preparo. Assim, decidi dividir a minha experiência de vida e o conhecimento que possa ser útil para o desenvolvimento das pessoas.

Todos podem fazer a diferença.

Batman do Brasil

2.9.21

Capital paulista recebe 11ª Virada Sustentável a partir de hoje


Começa hoje (2), na cidade de São Paulo, a 11ª Virada Sustentável - o maior festival sobre sustentabilidade do país. Nessa edição, o evento focará na mensagem de apoio à construção coletiva no período pós-pandemia de covid-19. Todas as atividades serão gratuitas e ocorrerão no modelo híbrido, com atrações virtuais e presenciais.

“Nessa virada, a cidade é nosso mural. Nosso objetivo é alcançar toda a população com mensagens positivas e de reflexão para que possamos sair da pandemia com um pensamento voltado à sustentabilidade”, destaca um dos fundadores da Virada Sustentável, André Palhano.

Entre os destaques da programação estão os shows de Gal Costa e Lenine, que ocorrerão em formato de live e com público presencial limitado, no Teatro Sérgio Cardoso. Para o público infantil, estão programadas lives dos shows Zozó Zureta, apresentado por Zeca Baleiro e Banda; e Grupo Triii, com a presença da Palhaça Rubra.

A maior parte dos eventos da Virada Sustentável ocorrerá no Centro Cultural São Paulo (CCSP). Serão mais de 50 atividades, como mostras de teatro infantil, circo, dança, performances, música instrumental, contações de história, exposições e iniciativas de promoção de bem-estar. A capacidade de público será condicionada às normas sanitárias vigentes no dia.

Metrô
No metrô Tatuapé, na zona Leste da cidade, a Virada Sustentável exibe a exposição Sem Saída, do cartunista estadunidense Andy Singer. Em seus cartoons, Singer traz uma reflexão sobre a mobilidade urbana. 

Nas estações de metrô ocorrerão ainda ações de coleta de eletrodomésticos. Dez estações (Vila Prudente, Jabaquara, Sé, Tucuruvi, Paraíso, Barra Funda, República, Tatuapé, Clínicas e São Mateus) coletarão eletroeletrônicos e pilhas. A população poderá descartar produtos de pequeno e médio porte como computadores, celulares, cabos, carregadores, pilhas alcalinas, secadores de cabelo, videogame.

Clique aqui, para conferir a programação completa, que vai até o dia 22 de setembro.

1.9.21

Como surgiram os super-heróis japoneses na TV e mangás


CROLOGIA DOS PRINCIPAIS FATOS DA HISTÓRIA DA INDÚSTRIA DOS TOKUSATSU:

1954: Godzilla, da Toho, é criado por Ishiro Honda (diretor), Tomoyuki Tanaka (produtor) e Eiji Tsuburaya (efeitos especiais). Esse é o primeiro tokusatsu de todos

1954: Shotaro Ishinomori inicia sua carreira de mangaká, mudando-se para Tóquio em 1956 e tornando-se assistente de Osamu Tezuka. Ele se tornaria um dos principais nomes da indústria

1957: Estreia Super Giants, série de curtas-metragens para cinema do primeiro super-herói em filme do Japão, o Super Gigante

1958: Gekko Kamen (Máscara Lunar) é criado pela então estreante Toei, como primeiro herói da TV japonesa, pegando carona no sucesso dos filmes de Super Giants e Godzilla

1960: Estreia National Kid, o primeiro tokusatsu exibido no Brasil, no ano de 1964. O herói era apenas mais um dentre os vários que surgiram após o sucesso de Gekko Kamen, fazendo mais sucesso por aqui do que no Japão

1963: Ishinomori lança seu mangá Cyborg 009, a primeira equipe de heróis japoneses. Mais tarde isso vai inspirar a origem dos sentai

1966: Eiji Tsuburaya (cocriador do Godzilla) cria Ultra Q em sua própria  empresa de tokusatsu, a Tsubaraya Productions, que levou a criação de Ultraman

1966: Magma Taishi, conhecido como Goldar e os Vingadores do Espaço no Brasil, estreia como o primeiro tokusatsu colorido da TV japonesa, baseado em um mangá de Osamu Tezuka 

1966: Uma semana após Magma Taishi, estreia Ultraman, segundo tokusatsu colorido e primeiro a virar franquia

1971: Buscando correr atrás do sucesso de Ultraman, a Toei encomenda um novo herói com Ishinomori. Ele cria Kamen Rider, que se torna a segunda franquia de tokusatsu e desencadeia o Henshin Boom, de heróis em tamanho humano que se transformam. Antes, ele ofereceu seu mangá Skullman, mas a Toei achou tenebroso demais e o conceito mudou (depois, essas ideias originais foram usadas no filme Shin Kamen Rider, de 1992). Posteriormente, Ishinomori cria vários outros heróis na Ishinomori Productions, como Android Kikaider e Kikaider 01, Robot Detective, Inazuman e Inazuman Flash, Kaiketsu Zubat e Henshin Ninja Arashi

1971: Alguns meses antes de Kamen Rider estreou Spectreman, de Souji Ushio, com conceitos inovadores e um nome diferente a princípio, mas que foi se adequando para correr atrás do sucesso da Toei. Veio pro Brasil em 1980, onde se tornou um dos tokusatsu de maior sucesso de público

1975: A Toei e Ishinomori criam Himitsu Sentai Gorenger (Esquadrão Secreto Goranger), o primeiro sentai (esquadrão), com cinco personagens coloridos compondo uma equipe

1977: Jakq Dengekitai (Equipe Relâmpago Jacker), o segundo sentai, é criado pela Toei e por Ishinomori 

1979: Estreia Battle Fever J, um sentai que evolui as ideias dos anteriores, com a inclusão de um robô gigante e um golpe final de equipe, e dá origem à franquia Super Sentai. Em 1995, a Toei divulga que as duas séries antecessoras passariam a ser, oficialmente, parte da franquia, apesar de não terem robôs gigantes. Super Sentai é a série de Tokusatsu com mais temporadas, incluindo Flashman, Changeman e Maskman, e foi adaptada no ocidente como Power Rangers

1982: Estreia Uchuu Keiji Gavan (Space Cop), o primeiro tokusatsu da nova franquia da Toei, a Metal Heroes, de heróis em armaduras metálicas

1985: Estreia Jaspion, o quarto herói dos Metal Heroes e o que mais fez sucesso no Brasil

1988: Cybercop, uma equipe de Henshin Heroes, marca o retorno da Toho aos tokusatsu e faz enorme sucesso entre o público brasileiro

1990: Estreia a série da única heroína dos tokusatsu que foi transmitida no Brasil, Bishōjo Kamen Powatorin (Estrela Fascinante Patrine), também criação de Ishinomori

1999: Estreia a última série de TV de Ishinomori, VoiceSlugger (se pronuncia Voislâger, e não é da Toei), que foi lançada postumamente, um ano após sua morte.


Até hoje novas e excelentes produções de tokusatsu são feitas para televisão, todas ainda gerando excelentes mangás, que agora também começam a ser publicados no Brasil.

Links abaixo:

O que temos no Seja Hoje Diferente sobre:

31.8.21

Felipe Massa lamenta ter vendido Bitcoin: “estaria ganhando bastante dinheiro hoje”


O ex-piloto da Fórmula 1 Felipe Massa entrou na lista de investidores que se arrependeram de vender seus Bitcoins no passado.

Em entrevista no último sábado (28) ao podcast “Mesa para quatro”, apresentado pelo ator Dan Stulbach, Massa contou como ele administra o dinheiro conquistado durante a carreira na Fórmula 1.

Entre outras coisas, o ex-piloto destacou que é conservador quando o assunto é finanças. Ou seja, não costuma fazer investimentos arriscados e nunca gasta mais do que ganha.

“Eu nunca entendi nada de financiamento e investimento. Mas eu sempre tentei entender e ter o controle. (…) Sempre entendi o quanto ganho e quando eu gasto, como eu gasto, onde ponho meu dinheiro, como vou fazer pro meu dinheiro render”, disse Massa.

Vendeu Bitcoin na baixa e se arrependeu 
Apesar de hoje ter um perfil conservador, Massa admitiu que, no passado, chegou a comprar Bitcoin.

Contudo, a desvalorização da criptomoeda na época o fez perder dinheiro e ele acabou vendendo os BTC que tinha. De acordo com o ex-piloto, ele não aguentou o medo de perder tudo.

“Investi pouco, mas já perdi dinheiro com criptomoeda. Eu lembro que foi o primeiro momento quando começou a subir, subir, subir. Aí parou de subir. Começou a cair, cair, cair… chegou em uma situação que eu falei ‘ah agora vou comprar, porque já caiu bastante’. Aí eu comprei e dali para frente não parou mais de cair. E eu fui logicamente, apressado, me pegou de surpresa e resolvi vender. Daquilo que eu tinha investido, perdi metade e resolvi vender.”

Hoje, com o preço do Bitcoin em cerca de US$ 50.000, ele se diz arrependido de ter se desfeito da criptomoeda. Afinal, poderia ter tido um lucro substancial se tivesse guardado os Bitcoins:

“Não deveria ter vendido porque hoje estaria ganhando bastante. Mas, no final, eu tenho um pouco de medo…”, lamentou.



Receba em Primeira Mão as Notícias do SHD


GeraLinks - Agregador de links