Mostrando postagens com marcador Cristianismo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cristianismo. Mostrar todas as postagens

27.9.21

Luto na igreja católica: Morte sofrível do Cardeal dom José Freire causa comoção


Uma triste notícia abalou os católicos de todo o Brasil, de acordo com as informações repassadas pelo portal de notícias online do jornal Metrópoles, morreu na noite deste último domingo (26), o arcebispo emérito de Brasília, cardeal dom José Freire Falcão.

A confirmação do falecimento do líder religioso, foi dada pela Arquidiocese de Brasília e causou uma grande comoção entre os fiéis, o cardeal dom José Freire Falcão, lutou bravamente contra a Covid-19, ele estava internado no Hospital Santa Lúcia que fica no Distrito Federal, desde o último dia 17 de setembro.

O cardeal dom José Freire Falcão, faleceu aos 95 anos, a maior parte de sua vida ele dedicou a igreja católica, o religioso estava prestes a completar 96 anos, seu aniversário seria comemorado no próximo mês de outubro.

Um homem simples que sempre foi fiel ao lema “In humilitate servire” (Servir na humildade), o líder religioso foi o responsável por aumentar o número de padres em serviço nas paróquias do Distrito Federal.

Dom José Freire Falcão, esteve presente na cerimônia de despedida do Papa João Paulo II e participou do conclave que elegeu o Papa Bento XVI.

O líder religioso nasceu na cidade de Ereré, localizada no interior do estado do Ceará, e segundo conta sua história ele sempre sonhou em servir a igreja.

Ainda não há informações sobre o velório e sepultamento do religioso, por causa dos protocolos da Covid-19 a cerimônia de despedida deve ser restrita.

28.8.21

A Saudade de alguém que partiu


A morte não é nada.

Eu somente passei para o outro lado do caminho.

Eu sou eu, vocês são vocês. O que eu era para vocês, eu continuarei sendo.

Me deem o nome que vocês sempre me deram, falem comigo como vocês sempre fizeram.

Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas, eu estou vivendo no mundo do Criador.

Não utilizem um tom solene ou triste, continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos.

Rezem, sorriam, pensem em mim. Rezem por mim.

Que meu nome seja pronunciado como sempre foi, sem ênfase de nenhum tipo. Sem nenhum traço de sombra ou tristeza.

A vida significa tudo o que ela sempre significou, o fio não foi cortado.

Porque eu estaria fora de seus pensamentos, agora que estou apenas fora de suas vistas?

Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do caminho…
Você que aí ficou, siga em frente, a vida continua, linda e bela como sempre foi.

Santo Agostinho

10.1.21

Nunca é tarde para mudanças

Introdução:

O reinado de Manassés é um dos mais perniciosos de todos os reis de Israel. Ele assumiu o trono quando tinha 12 anos, e daí para a frente seu coração se afastou de Deus e de seus propósitos.

a.     Ele se curvou diante dos deuses da terra que Deus havia expulsado de Canaã, ele ressuscitou velhos hábitos religiosos condenados por Deus (1 Cr 33.2).

b.     Ele reconstruiu altares que o seu piedoso pai, Ezequias, havia derribado (1 Cr 33.3).

c.      Ele se tornou sincrético na sua religiosidade, abarcando vários deuses.

d.     Ele se tornou sacrílego, contaminando o Sagrado templo de Salomão, lugar da habitação de Deus (1 Cr 33.4,11).

e.     Ele sacrificou filhos a Moloque (1 Cr 33.2). Um culto pavoroso, no qual os filhos primogênitos eram atirados vivos a uma fogueira acesa como oferendas a este deus pagão (2 Cr 33.6).

f.      Era místico e esotérico: adivinha pelas nuvens, praticava feitiçarias, consultava com médiuns e necromantes (2 Rs 21.6).

Manassés era espiritualizado. Atraído a todas as formas de cultos pagãos, mas nunca se inclinava ao deus verdadeiro. Comportamento semelhante aos artistas e músicos brasileiros, que se inclinam diante de deuses da umbanda, são dados a cultos da terra, tomam chás alucinógenos em cerimonias religiosas pagãs, mas não se curvam diante do Deus verdadeiro.

Sua influencia trouxe graves problemas para a nação. Sua influencia politica induziu muitos à prática de religiosidade que se distanciava de Deus. Ele se recusou a ouvir o Senhor quando este lhes enviou os profetas (1 Cr 33.10). sua rebelião se tornou oposição a Deus, posteriormente apostasia, trazendo por isto o juízo de Deus.

O julgamento veio de forma severa. (1 Cr 33.11).

A péssima sugestão que Satanás sempre fez à raça humana de que “pode pecar que não há juízo de Deus” (Ml 3.13,14), mas uma vez é desmascarada. O juízo de Deus sobre Manassés trouxe humilhação pública, decadência social e muito sofrimento para o povo. Manassés foi levado para a Babilônia, com ganchos e cadeias. No primeiro caso, o nariz era perfurado, e as pessoas eram levadas como animais, no segundo, eram acorrentados e além do seu peso precisavam carregar as pesadas correntes no severo calor do deserto.

Manassés, convertido?

Na cadeia, o arrogante e místico rei, que desprezou a Deus e recusou ouvir sua voz, passa por uma reviravolta existencial, e tem um encontro com Deus. Manassés se converteu.

O texto narra sua mudança: “Ele, angustiado, suplicou deveras ao Senhor seu Deus, e muito se humilhou perante o Deus de seus pais” (2 Cr 33.12).

Observe os termos descritos aqui:

“Angustiado”. Sabe o que é angústia. É um sentimento profundo de dor, que atinge o peito, consome o ser, e quando o médico pergunta ao paciente o que ele está sentindo ele diz: “Tá doendo, aqui!” e passa a mão no peito. Ele não sabe o que sente, mas o que ele sente é visceral.

“Suplicou”- em geral pensamos que suplica é uma oração. E de fato é. Só que tal oração, é aquela que vem acompanhada de choro e lágrimas profundas. O texto diz que ele “muito se humilhou”. Sua oração veio de dentro da alma. Já oraram assim? Já tiveram uma situação semelhante na qual suas orações não se organizam, mas você está ali orando a Deus, quebrantado e moído? Esta foi a experiência  de Manassés.

“...Muito se humilhou perante o Deus de seus pais”. É muito importante esta menção, porque na verdade ele retorna ao Deus de Israel. Ele não dirige suas preces a Moloque, nem aos deuses de Canaã. “...então, reconheceu Manassés que o Senhor era Deus”.

Certo vez ouvi uma afirmação de que conversão tem muitas fases: a primeira é a conversão dos deuses falsos para o Deus verdadeiro; segundo, do meu egoísmo e vida auto centrada, à obediência e submissão à Palavra de Deus; e terceiro, do bolso, que é o último a se converter e o primeiro a esfriar.

Manassés se converte ao Deus de Israel. Ele percebe a natureza do Deus de seu povo. Ele reconhece que só o Senhor é Deus, e que não há Deus além deste Deus. Yahweh.

Encontrando Deus na Babilônia

A espiritualidade no Antigo testamento é marcada pela centralidade do culto em Jerusalém e no templo. O judeu acreditava (e acredita), que Deus deve ser encontrado em Jerusalém, na terra santa. Alguns cristãos sionistas modernos, lamentavelmente possuem esta visão distorcida da adoração e do tamanho do Deus das Escrituras Sagradas.

Manassés se encontra com Deus na Babilônia.
Ele encontra Deus nos lugares improváveis da vida.

Já leram o livro de Philipe Yancey: “Encontrando Deus nos lugares inesperados”. É onde não se espera que Deus é percebido. Durante anos, Manassés esteve no templo, mas rejeitou a Deus frontalmente e não o discerniu. Agora numa prisão, em terra distante, Deus se revela ao seu coração de forma sobrenatural. “Deus se tornou favorável para com ele” (2 Cr 33.13).

“Deus não frequenta igrejas, apenas corações” (Pe Antonio Vieira).

Tempo de mudanças

A história de Manassés nos revela que nunca é tarde para mudanças.

Revela-nos ainda que não importa o nível de sua decadência moral e falência espiritual, Deus tem poder para mudar sua história.

Se olharmos para o currículo espiritual deste homem, veremos que ele foi rebelde, idolatra, prepotente, arrogante, desobediente, mas ainda assim sua história foi transformada.

É muito importante considerarmos uma história como esta. Muitas vezes achamos que para nós não há mais esperança, que nada pode acontecer por causa dos desvios praticados, mas a história de Manassés vem nos falar do triunfo da graça de Deus sobre o pecador. É sempre possível recomeçar.

É possível que o homem vá para longe demais de Deus, escrevendo uma trajetória de decadência, mas sempre é possível mudar. Nunca é tarde para que a obra de Deus triunfo no coração do pecador.

Comece reconhecendo seu pecado, se humilhando diante de Deus.

Reconheça que ele é realmente Deus...

Não se trata de delação premiada. Um artificio jurídico usado para favorecer o criminoso, que mesmo não tendo arrependimento, resolve contar um pouco dos seus imbróglios e se delatar. Arrependimento não é isto. Trata-se de voltar, de fato, para Deus.

Assim, de forma surpreendente, Manassés é restaurado. E Deus lhe dá uma segunda chance. Miraculosamente, o rei decide enviar-lhe de volta para Jerusalém e reassumir seu reinado. Isto não é um comportamento comum entre imperadores e dominadores. Manasses volta, mas ele é um novo homem. Sua conversão não foi circunstancial e oportunista. Ele decide agora buscar a glória de Deus.

Ao retornar, eis algumas de suas atitudes.

i.                Ele restaura Jerusalém que havia sido destruída pela guerra (2 Cr 33.14). ele restaura tanto os muros quanto o exército.

ii.              Ele restaura o templo. Ele que tanto havia profanado o lugar de Deus, agora decide trazer Deus de volta para o centro de Israel (2 Cr 33.15).

iii.             Ele destrói o que construiu. Nos tempos do seu paganismo, havia construído muitos altares a ídolos e outros deuses, mas agora ele manda destruir. O que ele fez, manda desfazer.

iv.             Ele restaura o culto (2 Cr 33.16). Não apenas o “local do culto”, mas o culto mesmo. Numa linguagem moderna diríamos: “Ele voltou à comunhão do Senhor”.

v.              Ele reconhece que apenas o Senhor era Deus. Até então, ele dividia seu coração a outros deuses e cultos, mas agora ele se quebranta diante do único Deus verdadeiro.

Manassés tem o seu coração mudado.

Deus muda sua condição.

“Se o meu povo, que por mim se chama, com fé se humilhar e orar.
Eu ouvirei as suas preces e sararei sua terra”.

Antes do filho pródigo ser restaurado à condição de vida digna, ele precisa passar pelo momento de dor... “então, caindo em si...

A alma precisa ser tocada para que mudanças surjam. Muitas vezes queremos bençãos de Deus com infidelidade, queremos mudança sem transformação no coração, queremos graça sem arrependimento, perdão sem confissão, misericórdia sem quebrantamento. 

Quando o coração muda, a situação também é tangenciada. E se Deus não mudar a situação, mas se tivermos o coração mudado, teremos condições de enfrentar a calamidade com outros olhos. “Se diante de mim, não se abrir o mar; Deus vai me fazer andar por sobre as águas”.

Pe Antonio Vieira afirma que “arrependimento não é pedir perdão, é se voltar para Deus”. A alma precisa mudar a história ser transformada.

Queremos mudar a situação?
Deus quer mudar o coração.

Mude seu jeito de pensar, de agir, de se comportar. Transforme sua rebeldia em obediência, sua rebelião em submissão, e você vai experimentar uma história com desdobramentos absolutamente diferentes.

Manassés, na cadeia, não tinha mais nada a perder, mas agora tem a Deus.

Conclusão

Com Jesus é sempre fazer o caminho de volta. Deus permite retorno. Há sempre a possibilidade de restauração e mudanças. Ele pode tirar o pecador de sua condenação e dar-lhe absolvição. Foi isto que Jesus fez na cruz. Ele nos resgatou das trevas para sua luz, tirou-nos do tremedal de lama e colocou nossos pés sobre uma rocha.

Tenho encontrado pessoas que parecem ter ido longe demais no seu cinismo, indiferença, chafurdada em pecado, opondo-se a Deus. Temos a tendência de olhar para elas com certo descredito. Haverá ainda esperança? Muitas destas pessoas, por sua vez, desacreditam de si próprias, dominadas pela escravidão do pecado, dos vícios. Aquilo que faziam por prazer agora se tornam seu pesar. Vem a angustia, o vazio da alma, a solidão, a escravidão de um estilo de vida de mentira e engano, de malandragem, esperteza, os laços da iniquidade amarram. Nem ela mesma acredita que ago possa ser feito. O desespero, a dor, a solidão, o descredito.


Deus pode mudar?

Is 1.18 afirma: “Vinde pois e arrazoemos, porque ainda que vossos pecados estejam vermelhos com a escarlate, eles se tornarão brancos como a neve”. Arrazoar é discutir, argumentar. Deus é quem está convidando seu povo para experimentar liberdade e cura, para ser restaurado. Deus convida o seu povo para experimentar a graça da restauração.

Portanto, duas lições profundas podem ser tiradas da vida de Manassés:

Primeiro, independentemente da capacidade de Deus nos amar de forma incondicional, o pecado traz sérias consequências;

Segundo, independentemente da gravidade do pecado, é sempre possível retornar.

2.1.21

Morre Padre Ticão, líder social da Zona Leste de SP, aos 68 anos

Morreu na noite de sexta-feira (1º/1), em São Paulo, Antonio Luiz Marchioni, o Padre Ticão, aos 68 anos. Ele estava internado desde quinta-feira (31/12), por conta de problemas cardíacos.

Padre Ticão estava no Hospital Santa Marcelina, em Itaquera, devido a uma descompensação de insuficiência cardíaca preexistente, que causou redução da oxigenação sanguínea. De acordo com boletim médico de 31 de dezembro, ele estava “estável e monitorizado em UTI”. O quadro, no entanto, apresentou piora na noite de sexta. Ele testou negativo para Covid-19.


Ticão era pároco da Igreja São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo, Zona Leste de São Paulo. Ele era conhecido pelo trabalho social com a comunidade. Por exemplo, articulou a construção do Hospital Municipal Ermelino Matarazzo e a mobilização para instalação da USP Leste, além de apoiar a realização da tradicional Festa das Nações.

Na quinta, o vereador Eduardo Suplicy (PT) publicou, em suas redes sociais, uma mensagem de apoio a possíveis ataques que Padre Ticão vinha sofrendo de grupos conservadores. O pároco defendia o uso da cannabis medicinal para tratamento de doenças e, inclusive, oferecia cursos gratuitos para a comunidade.

Em entrevista no início da pandemia, Padre Ticão encarava com bom humor as críticas que recebia. Na ocasião, ele disse que era visto, segundo seus detratores, como “padre maconheiro”, por defender o uso da planta da maconha.

Reconhecido por luta pelos desfavorecidos, a morte de Ticão repercutiu entre políticos. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), prestou condolências em rede social: “Um guerreiro na luta pela diminuição das desigualdades sociais. Descanse em paz”.


Por outro lado, Suplicy lamentou o falecimento do líder religioso. “Com muita tristeza e forte sentimento de pesar que transmito a toda comunidade da Paróquia de São Francisco, em Ermelino Matarazzo, pelo falecimento do Padre Ticão.”

Enterro do Padre Ticão
O corpo de Padre Ticão está sendo velado na Igreja São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo, até as 14h. O enterro será no Cemitério do Carmo I, na Rua Professor Hassegawa, 725, em Itaquera.

17.12.20

Papa lembra vítimas da pandemia em mensagem pelo Dia Mundial da Paz

Ele pede que as vacinas cheguem também aos países mais pobres

O papa Francisco lembrou (17) hoje as vítimas da pandemia e os que se dedicaram ao cuidado dos doentes, em mensagem pelo Dia Mundial da Paz, e pede que as vacinas cheguem também aos países mais pobres.

Na mensagem pelo 54º Dia Mundial da Paz 2021 (1º de janeiro) com o título "A cultura do cuidado como percurso para a paz", divulgada nesta quinta-feira, ele diz que a pandemia agravou outras crises, como a climática, a alimentar, a econômica e a da migração.


"O ano de 2020 ficou marcado pela grande crise sanitária da covid-19, que se transformou num fenômeno plurissetorial e global, agravando fortemente outras crises interrelacionadas como a climática, alimentar, econômica e migratória, e provocando grandes sofrimentos e incómodos", escreve o papa na mensagem.

Ele lembra ainda os que perderam familiares ou pessoas queridas, os que ficaram sem trabalho e todos os que trabalham na linha da frente.

"Penso, em primeiro lugar, naqueles que perderam um familiar ou uma pessoa querida, mas também em quem ficou sem trabalho. Lembro de modo especial os médicos, enfermeiras e enfermeiros, farmacêuticos, investigadores, voluntários, capelães e funcionários dos hospitais e centros de saúde, que se prodigalizaram - e continuam a fazê-lo -, com grande fadiga e sacrifício, ao ponto de alguns deles morrerem quando procuravam estar perto dos doentes, a fim de aliviar os seus sofrimentos ou salvar-lhes a vida".

O papa também reitera seu apelo "aos políticos e ao setor privado para que adotem as medidas apropriadas, a fim de garantir o acesso às vacinas contra a covid-19 e às tecnologias essenciais necessárias para prestar assistência aos doentes e aos mais pobres e frágeis ".

Algumas organizações não governamentais assinaram recentemente um documento alertando que "nove em cada dez pessoas em países pobres não terão acesso à vacina contra a covid-19 no próximo ano."

O texto adverte também para o ressurgimento de várias formas de "nacionalismo, racismo, xenofobia e também guerras e conflitos", que "semeiam morte e destruição".

"É doloroso constatar que, infelizmente, junto com numerosos testemunhos de caridade e solidariedade, várias formas de nacionalismo, racismo, xenofobia e mesmo guerras e conflitos que semeiam morte e destruição estão a ganhar novo impulso".

Francisco propõe na mensagem "a cultura do cuidado como forma de paz" e "a erradicação da cultura da indiferença, da rejeição e do confronto, que hoje costuma prevalecer".

"Encorajo todos a se tornarem profetas e testemunhas da cultura do cuidado, para preencher tantas desigualdades sociais", afirma.

Ele destaca que "isso só será possível com o papel generalizado da mulher, na família e em todas as esferas sociais, políticas e institucionais".

O papa lamenta que "em muitas regiões e comunidades já não se lembrem de uma época em que viviam em paz e segurança" e denuncia o "desperdício de recursos com armas, em particular com armas nucleares" considerando que os recursos deveriam ser utilizados para prioridades a fim de garantir a segurança das pessoas, como a promoção da paz e do desenvolvimento humano integral, a luta contra a pobreza e a satisfação das necessidades de saúde.

"Que decisão corajosa seria criar um fundo global com o dinheiro usado em armas e outras despesas militares para poder derrotar definitivamente a fome e ajudar o desenvolvimento dos países mais pobres!", defende.

Francisco observa que a educação solidária deve partir da família, "onde se aprende a conviver na relação e no respeito mútuo", mas lembra que é também missão da escola e da universidade e, da mesma forma, em alguns aspectos, da comunicação social ".

Por outro lado, considera que "as religiões em geral, e os líderes religiosos em particular, podem desempenhar papel insubstituível na transmissão aos fiéis e à sociedade dos valores da solidariedade, do respeito pelas diferenças" e do cuidado com os mais frágeis.

Francisco pede a todos que "alcancem o objetivo de uma educação mais aberta e inclusiva, capaz de escuta paciente, diálogo construtivo e compreensão mútua".

O Dia Mundial da Paz foi instituído em 1968 pelo papa Paulo VI (1897-1978) e é celebrado no primeiro dia do ano.

Fonte Agência Brasil

31.8.20

O Senhor esta comigo entre aqueles que me ajudam.


Saudações amados:

Louvai ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua benignidade dura para sempre.

Diga agora Israel que a sua benignidade dura para sempre.

Diga agora a casa de Arão que a sua benignidade dura para sempre.

Digam agora os que temem ao Senhor que a sua benignidade dura para sempre.

Invoquei o Senhor na angústia; o Senhor me ouviu, e me tirou para um lugar largo.

O Senhor está comigo; não temerei o que me pode fazer o homem.



O Senhor está comigo entre aqueles que me ajudam; por isso verei cumprido o meu desejo sobre os que me odeiam.


É melhor confiar no Senhor do que confiar no homem.

É melhor confiar no Senhor do que confiar nos príncipes.

Todas as nações me cercaram, mas no nome do Senhor as despedaçarei.

Cercaram-me, e tornaram a cercar-me; mas no nome do Senhor eu as despedaçarei.

Cercaram-me como abelhas; porém apagaram-se como o fogo de espinhos; pois no nome do Senhor as despedaçarei.

Com força me impeliste para me fazeres cair, porém o Senhor me ajudou.

O Senhor é a minha força e o meu cântico; e se fez a minha salvação.

Nas tendas dos justos há voz de júbilo e de salvação; a destra do Senhor faz proezas.

A destra do Senhor se exalta; a destra do Senhor faz proezas.
Não morrerei, mas viverei; e contarei as obras do Senhor.

O Senhor me castigou muito, mas não me entregou à morte.
Abri-me as portas da justiça; entrarei por elas, e louvarei ao Senhor.

Esta é a porta do Senhor, pela qual os justos entrarão.

Louvar-te-ei, pois me escutaste, e te fizeste a minha salvação.
A pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se a cabeça da esquina.

Da parte do Senhor se fez isto; maravilhoso é aos nossos olhos.

Este é o dia que fez o Senhor; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele.

Salva-nos, agora, te pedimos, ó Senhor; ó Senhor, te pedimos, prospera-nos.

Bendito aquele que vem em nome do Senhor; nós vos bendizemos desde a casa do Senhor.

Deus é o Senhor que nos mostrou a luz; atai a vítima da festa com cordas, até às pontas do altar.

Tu és o meu Deus, e eu te louvarei; tu és o meu Deus, e eu te exaltarei.

Louvai ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.

Salmos 118:1-29

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

13.5.20

A LIDERANÇA CRISTÃ PODE SER DESENVOLVIDA

Divulgação Reprodução

Boas notícias! A liderança cristã é simples!

Isto não significa que seja fácil.

Mesmo que sigamos todos os princípios corretos, as coisas podem sair mal e podem desenvolver situações tensas.

Exercer a liderança cristã pode ser um duro trabalho.

Por simples quero dizer que os princípios essenciais são fáceis de compreender e simples de aplicar se temos a coragem moral para fazê-lo.

A liderança cristã não é algo misterioso para uns poucos escolhidos com um dom especial de sabedoria.

Os princípios estão disponíveis para todos, inclusive para os que não têm o chamado para um oficio bíblico.

Estes princípios influem nos dons das pessoas, com ou sem títulos.

Aos que Deus escolheu para a liderança, Paulo lhes disse:

Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra. (II Tm. 3:16-17).

Em suma: Tudo o que você precisa para ser um líder cristão efetivo está na Bíblia.

Note o que Paulo diz inteiramente preparado.

Você talvez não sabe onde achar um princípio na Bíblia ou reconhecer um quando o vê, mas está lá.

A LIDERANÇA CRISTÃ É FUNDAMENTALMENTE SIMPLES

Os paradigmas administrativos do mundo dos negócios mudam constantemente.

As organizações cristãs com freqüência publicam ou recomendam livros baseados nestes paradigmas. Por que?

Porque os cristãos falham em perceber o paradigma bíblico.

Se você estabelece sua organização ou programa para parecer como os negócios do mundo, se verá obrigado também a aplicar os princípios administrativos do mundo.

Nunca poderá evitá-los completamente.

Abundam os livros que são uma mistura de princípios cristãos e técnicas de administração do mundo secular.

Ler estes livros causa incômodo porque os escritores dão a impressão de que estão tratando de misturar azeite e água; ou seja, misturando a liderança cristã com práticas das corporações do mundo.

O PONTO DE VISTA BÍBLICO DA LIDERANÇA CRISTÃ

A Bíblia ensina a ÚNICA filosofia de liderança cristã, a que Cristo resumiu e moldou em Mateus 20.

Os princípios de serviço e sofrimento são a base da relação do líder com seus subordinados, desde que o líder mostre respeito para com seus colegas de ministério, considerando-os como iguais.

Da Escritura e da experiência sabemos que as hierarquias cristãs geram abuso e resultam na anulação da autoridade espiritual.

A filosofia da liderança cristã no mundo moderno está profundamente afetada pelos atuais paradigmas de administração hierárquica.

Alguns livros sobre a liderança cristã são simples imitações, em linguagem religiosa, dos negócios da cultura americana.

Algumas vezes os cristãos que têm êxito nos negócios imaginam que podem incorporar seu “êxito” à igreja e fazer o Reino de Deus eficiente…Como se a eficiência tivesse um grande valor no Reino de Deus.

Tal procedimento aumentaria realmente a eficiência da igreja, mas produziriam os mesmos abusos que nos negócios do mundo.

Devido a sua mentalidade hierárquica, não se ver o modo em que as pessoas estão afetadas.

As árvores não lhes deixam ver o bosque.

A FILOSOFIA CRISTÃ DA LIDERANÇA

No cenário descrito em Mateus 20, a mãe de Tiago e João, se aproxima de Jesus para pedir-lhe que faça sentar os seus filhos junto a Ele em Seu reino.

Este episódio deu a Jesus a oportunidade de apresentar três atitudes fundamentais na liderança cristã: o sofrimento, a igualdade e o serviço.

O sofrimento: As pressões da liderança são enormes. Um líder deve estar preparado para sofrer, algumas vezes em segredo, para cumprir com seu chamado.

A igualdade: Os ministros são iguais em autoridade no corpo de Cristo.

Eles se relacionam como cavalheiros ao redor de uma mesa redonda e não como soldados de um exército com um sem fim de cargos.

O governo bíblico é uma associação de ministros que trabalham juntos como iguais e que se respeitam mutuamente.

As complexas hierarquias autoritárias não têm lugar no Reino de Deus porque são carnais em sua concepção e nos levam às mesmas coisas, pelas quais Cristo repreendeu aos dois discípulos, em Mateus 20.

O SERVIÇO (LIDERANÇA CRISTÃ)

Os líderes têm uma atitude de servo no lugar de uma atitude de chefe.

Para os líderes, as pessoas são o tudo de seu trabalho e não as ferramentas que podem usar para conseguir seus próprios fins.

O que estavam Tiago e João buscando e como chegaram a isto? Eles buscavam status e honra por meio da manipulação.

Eles pensavam que o Reino de Deus se estabeleceria como qualquer outro governo, com Jesus como governante supremo, seguido por uma série de pessoas ordenadas em cargos.

Note que os dois discípulos não mencionaram nada sobre fazer o trabalho, somente se referiram aos cargos.

Podemos imaginar eles maquinando entre si: Jesus pode ser um pouco duro conosco algumas vezes.

No entanto, Ele é muito gentil com as mulheres. Vejamos se podemos conseguir que mamãe fale com Ele, e talvez ela tenha sucesso e consiga um melhor trato para nós.

Isto é manipulação e politicagem, procedimentos típicos no mundo.

Note que Jesus não os repreende por sua ambição, porque a ambição é uma boa coisa se é para a glória de Deus. Jesus os admoesta contra buscarem a própria honra.

Jesus também esclarece que Ele não está encarregado das promoções no departamento da equipe. O Pai, sim (v.23).

Eles estavam falando com a pessoa errada.
Disto podemos ver uma indicação do primeiro princípio da liderança cristã no Novo Testamento: é um dom de Deus.

Não obstante, estes filhos de Zebedeu tiveram duas boas qualidades, ainda que totalmente mal dirigidas:

A ambição: É uma boa característica para um cristão se está dirigida à glória de Deus e não a seu próprio sentido de automerecimento.

A confiança: Infelizmente, eles confiavam em si mesmos ao invés de confiar em Deus. Eles se consideravam muito “capazes” e disseram: Podemos.

O jardim do Getsemani lhes ensinou a realidade sobre si mesmas quando abandonaram a Jesus e fugiram.

Isto nos conduz a primeira atitude fundamental que Jesus lhes ensinou.

PRIMEIRA ATITUDE FUNDAMENTAL

Uma Disposição Para Abraçar O Sofrimento

Mas Jesus respondeu: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu estou para beber? Responderam-lhe: Podemos (Mat. 20:22)

Um chamado à liderança cristã é um chamado ao sofrimento.

Esse “sofrimento”, especialmente no mundo ocidental, usualmente toma a forma de pressão psicológica e estresse, que outros crentes não suportam nem compreendem.

Com freqüência, as pessoas têm altas expectativas de um líder, as quais ele não pode satisfazer.

Em lugar de buscar a Cristo, as pessoas podem estar buscando um pastor para satisfazer suas necessidades. E quando o pastor falha, consideram-no incompetente.

Algumas pessoas que estejam sob seu cuidado, podem ser rebeldes e somente se submeteram quando são pressionadas.

Algumas vezes o líder deve manter-se na linha dos princípios divinos, com o risco de malentendidos e críticas de outros.

Ocasionalmente, os líderes da igreja devem aplicar a disciplina bíblica a pesar de que não seja popular faze-lo.

Quase sempre, quando se apresenta um caso de disciplina, os líderes não podem revelar o problema a congregação.

Os membros com um conhecimento incompleto do caso podem chegar a conclusões equivocadas sobre as decisões dos líderes e podem pensar que os líderes são muito severos ou muito suaves ao aplicar a disciplina.

Os líderes podem estar sofrendo em silêncio. Deus sabiamente o quis assim.

Os títulos e honras que acompanham o ofício de líder não são suficientes para compensar o estresse.

Aqueles que valorizam os títulos e honras mais que serviço, logo se acharam desiludidos e decepcionados.

De forma semelhante, em seu livro, Irmãos, Não Somos Profissionais, John Piper ataca a atitude de “profissionalismo” do ministério pastoral que não abraça o sofrimento como requisito:

“Nós, pastores, somos assassinados pelo profissionalismo do ministério pastoral.

A mentalidade do profissional não é…a mentalidade do escravo de Cristo.

O profissionalismo nada tem a ver com a essência e o coração do ministério cristão…Porque não há crianças profissionais (Mt. 18:3); não há ternura profissional (Efe. 4:32); não há um clamor profissional (Sal. 42:1)”.9

SEGUNDA ATITUDE FUNDAMENTAL

Então, Jesus, chamando-os, disse: Sabeis que os governadores dos povos os dominam e que os maiorais exercem autoridade sobre eles. Não é assim entre vós; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva;. (Mat. 20:25-26).

Se você trata a um homem como seu igual, se ele for sábio, ele se submeterá a você nas áreas que ele sabe que você é superior.

O autoritarismo e a hierarquia se sustem mutuamente e é difícil dizer qual dos dois sintomas é a força que impulsiona.

As pessoas autoritárias criam as hierarquias? Ou, as hierarquias estimulam o autoritarismo?

O autoritarismo se deriva da arrogância. Com freqüência, as pessoas autoritárias supõem que o ter um ofício superior prova que eles são inerentemente indivíduos superiores.

Esta é razão pela que eles senhoreiam sobre outros. Supõe que tem o direito inerente para fazê-lo.

AS HIERARQUIAS

As hierarquias complexas são inevitáveis no mundo. Os exércitos são hierarquias, com seus generais no cargo superior, seguidos pelos coronéis, majores, capitães, sargentos, até chegar aos soldados rasos.

O presidente está na primeira posição seguida pelos vice-presidentes, chefes de departamentos, até chegar ao sótão onde estão os rapazes do armazém.

As hierarquias são necessárias em tais domínios. Jesus não está ensinando que as hierarquias autoritárias estão erradas.

Ele simplesmente está dizendo: Não assim com vocês.

A frase entre vós não será assim, é literalmente no grego, não assim com vocês. Jesus estava falando em aramaico, um dialeto do hebraico.

Nessa língua, os tempos futuros são usados como imperativos. Provavelmente, Jesus estava dizendo:

Eu, lhes proíbo categoricamente por nos ofícios a pessoas com atitudes e temperamentos autoritários.

Assim, alguns devem ser excluídos dos ofícios cristãos, inclusive se manifestam um talento natural para liderança.

Se forem autocráticos em seu caráter, nunca devem chegar a postos de autoridade na igreja.

Algumas pessoas com tendências naturais para liderança ficam excluídas dos ofícios cristãos.

Pessoas com temperamento autocrático são desqualificadas para a liderança cristã

As organizações cristãs quase sempre passam por alto este princípio. Suponha que chegue um homem com características naturais de liderança. Com certeza ele é um pouquinho arrogante.

Gosta de controlar. Talvez, às vezes, ele exagere um pouco, mas o que é que tem? Ele tem “liderança”.

Deste modo ele obtém autoridade na organização. Resultado: pessoas feridas. Perdem-se boas pessoas que recusam ser o alvo de tal arrogância.

Somente porque um homem tem habilidades de liderança, não significa que ele deve ser um líder em uma organização cristã.

Se ele tende para o autoritarismo e tem atitudes controladoras, ele é a última pessoa para ser qualificada.

Nos postos, nunca se deve permitir que ele esteja acima do último.

Os controladores devem ser controlados.

Isto pode ser o que Jesus quis dizer quando disse: o que quer fazer-se grande entre vós será vosso servidor.

Alguns eruditos interpretaram esta frase assim: -a liderança de servo é a forma para ser promovido no Reino de Deus.

Esta interpretação pode ser válida.

No entanto, considerando o contexto, esta frase parece mais bem uma proibição de colocar pessoas com atitudes autoritárias em postos de liderança.

Em suma: Nem a habilidade natural da liderança nem a experiência nos negócios no exercito, nem os perfis psicológicos, são indicadores finais de que um homem deve ser um candidato para a liderança cristã.

Se ele mantém atitudes autocráticas, pensa hierarquicamente ou tende usar ou abusar das pessoas, ele está desqualificado como candidato, a pesar de outras considerações.

TERCEIRA ATITUDE FUNDAMENTAL

Tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos. (Mat. 20:28).

A liderança cristã enfoca mais em ajudar a outros que em mandar em outros. É uma vida dedicada ao serviço.

A honra que levam os ofícios eclesiásticos atrai a muitos.

Mas se as honras é sua motivação, estas pessoas terminam como líderes negligentes, mais preocupados com seu status que pelo bem-estar das pessoas, ademais do dano que fazem a si mesmos.

… há tempo em que um homem tem domínio sobre outro homem, para arruiná-lo. -Ec. 8:9

A meta de um líder cristão é conseguir que seus seguidores sejam o melhor que eles possam chegar a ser.

De fato, se o líder pode preparar alguém para substituí-lo, este é o melhor líder de todos.

A liderança de servo é essencial no Reino de Deus devido ao produto final. No mundo dos negócios, as pessoas são um recurso para produzir bens materiais.

As pessoas gastam tempo e energia para produzir coisas para o consumo público, tais como automóveis, canetas, ou qualquer outra coisa.

No Reino de Deus usa os recursos materiais para produzir pessoas santificadas.

No mundo considera que isto não é um benefício.

Além do mais, a santificação é difícil de definir, algo que somente Deus pode medir.

Pessoas santificadas, é do que se trata o ministério.

A BÍBLIA ENSINA UMA FILOSOFIA DE LIDERANÇA CRISTÃ

Note que o título deste capítulo é: -A filosofia da liderança cristã, e não Uma filosofia cristã da liderança.

Cristo ensinou A filosofia de liderança.

Ele não disse:

Prove minhas sugestões e se você não gostar, invente seu próprio paradigma.

CONCLUSÃO

A liderança cristã envolve um conjunto de atitudes diferentes do sistema do mundo.

Abraçar o inevitável sofrimento, seja psicológico ou físico, ajuda um líder a colocar seus motivos em perspectivas.

Servir a outros para ajudá-los a alcançar seu potencial total e tratar a seus colegas de ministério como iguais, é mais que meros direitos de um ofício.

É uma forma de vida.

11.4.20

Isaías 33:24 | Na Palavra

Juntos Somos + Fortes e Unidos Somos Melhores!
Seja Hoje Diferente:



Recebido de um amigo do SHD no Whatsapp:

Estou entrando em contato para compartilhar um texto bíblico que tem me ajudado muito nesses dias de pandemia que estamos vivendo. 


O texto é Isaías 33:24 que diz: 

“E nenhum habitante dirá: Estou doente. O povo que mora na terra terá seu erro perdoado.”

Esse texto mostra que em breve, através do Reino de Deus não existirá mais doenças. 

Espero que você tenha gostado.

Visite: Jw.org

9.4.20

Santa Missa de Lava Pés | Paróquia Cristo Redentor Ermelino Matarazzo.

27.3.20

Papa Francisco concede hoje bênção especial Urbi et Orbi

Juntos Somos + Fortes e Unidos Somos Melhores!
Seja Hoje Diferente:

Divulgação Reprodução - Crédito Informações

O papa Francisco concederá hoje (27), às 18h (horário da Itália, 14h no horário de Brasília) a bênção extraordinária de "Urbi et Orbi", normalmente concedida apenas no Natal e na Páscoa. Ele fez o anúncio, esta semana, em sua oração semanal do Angelus, que vem conduzindo de dentro do Vaticano pela internet e pela televisão, em vez de fazê-la diante das multidões na Praça de São Pedro.

Sua decisão de abrir uma exceção e dar uma bênção especial Urbi et Orbi (para a cidade e o mundo) reforça a gravidade da situação global, principalmente na Itália, um dos países mais atingidos pelo surto do novo coronavírus.

O papa disse que nesta sexta-feira (27) concederá a bênção extraordinária diante de uma Praça de São Pedro vazia. O local, parte do Vaticano, foi fechado como parte de um bloqueio na Itália para tentar conter a propagação do vírus.

Os católicos que recebem a bênção, pessoalmente ou por meio das mídias, podem, sob certas condições, receber uma indulgência especial. Uma indulgência é a remissão da punição pelos pecados.

A oração e bênção Urbi et Orbi, que será feita pelo papa na emergência do coronavírus,vai ser transmitida ao vivo pelos canais de notícias do Vaticano. 

Com informações da Agência Brasil

12.1.20

O domingo, Dia do Senhor

Seja Diferente, Junte-se ao Seja Hoje Diferente.

 Domingo do Senhor
Divulgação Reprodução

Na pastoral destes últimos anos, o domingo se converteu em um grave problema, não só nos planos religioso e pastoral, mas também no cultural, social, político e econômico. Quando tentam realizar uma aproximação a este tema, não entram em causa somente a vivência da fé e o compromisso propriamente pastoral, mas sim toda a complexidade da malha social.

Diante de tal panorama nos perguntamos como entender realmente o domingo? O que é? O Catecismo da Igreja Católica nos dirá: "A Igreja, da tradição apostólica que tem sua origem no mesmo dia da ressurreição de Cristo, celebra o mistério pascal a cada oito dias, no dia que se chama com razão "dia do Senhor" ou domingo. O dia da Ressurreição de Cristo é de uma vez o "primeiro dia da semana", memorial do primeiro dia da criação, e o "oitavo dia" em que Cristo, depois de seu "repouso" do grande Sabbat, inaugura o Dia "que faz o Senhor", o "dia que não conhece ocaso". O "banquete do Senhor" é seu centro, porque é aqui onde toda a comunidade dos fiéis encontra o Senhor ressuscitado que os convida a seu banquete... Para os cristãos deve ser o primeiro de todos os dias, a primeira de todas as festas, o dia do Senhor ("Hé kyriaké hémera", "dies dominica"), o "domingo"" (CIC, 1166.2174). É mediante a Ressurreição do Senhor que no domingo é estabelecido como o dia privilegiado, como o dia da Reconciliação.

Apesar disto há quem critique fortemente à Igreja católica por ter trocado o preceito bíblico do descanso sabático, substituindo assim o ensino divino com preceitos humanos, tomando a liberdade de converter o domingo como o Dia dos dias, o Dia principal. Isto é verdade?

Para responder a esta crítica repassemos rapidamente os inícios da história de maneira que possamos entender o significado do sábado: "Deus concluiu no sétimo dia a obra que fizera e no sétimo dia descansou, depois de toda a obra que fizer. Deus abençoou o sétimo dia e o santificou, pois nele descansou depois de toda sua obra de criação..." (Gén 2, 2-3). Este dia, o último dia da criação, onde Deus tinha terminado sua obra criadora foi declarado dia santo e dia de descanso no Monte Sinai; o dia para recordar a aliança de Deus com seu povo. "Recorda o dia do sábado (sabbath = descanso) para santificá-lo. Seis dias trabalhará, mas nos sétimo dia é dia de descanso para Yahvé, seu Deus. Não fará nenhum trabalho..." (Ex 20, 8, 10). Os elementos que podemos extrair do relato da Criação da Sagrada Escritura são os seguintes:

A. Último dia da criação.

O dia do descanso é "abençoado" e "santificado" por Deus, ou seja, separado dos outros dias para ser, entre todos o "dia do Senhor". É um dia para nos ocuparmos das coisas santas e não das profanas, trabalhar seria "profanar" o dia santo.

B. Dia de libertação.

Na sábado se estabelece como lei de libertação no Monte Sinai (ver Dt 5,15). Yahvéh quer que os judeus festejem o dia de sua libertação e do poder de Deus.

C. Dia santo e santificado por Deus.

O dia do descanso é "abençoado" e "santificado" por Deus, ou seja, separado de outros dias para ser, entre todos, o "dia do Senhor". É um dia para nos ocuparmos das coisas santas e não das profanas, trabalhar -para o judeu- seria "profanar" o dia santo

D. Dia consagrado a Yahvé.

O Senhor do sábado é Yahvé, os judeus chamavam de o dia do Yahvé, o dia consagrado a Yahvé (ver Ex 16, 23- 25).

Depois de ter visto tudo isto alguém poderia perguntar: há uma oposição entre o dito no Antigo Testamento e o anúncio do Senhor Jesus? Não há nenhuma oposição, todos os elementos que repassamos encontram sua plenitude com a vinda do Senhor Jesus; analogamente -sendo conscientes da limitação da analogia- é como se primeiro tivesse um televisor branco e preto onde o que se vê é a imagem tal como é mas logo tem um televisor a cores onde o que vê é a mesma imagem mas de maneira mais nítida e mais clara. O Papa João Paulo II menciona na carta apostólica Dies Domini: "no domingo, pois, mais que uma "substituição" do sábado, é sua realização perfeita, e em certo modo sua expansão e sua expressão mais plena, no caminho da história da salvação, que tem seu auge em Cristo... O que Deus obrou na criação e o que fez por seu povo no Êxodo encontrou na morte e ressurreição de Cristo seu cumprimento... É em Cristo que se realiza plenamente o sentido espiritual do sábado, como destaca São Gregório Magno: "Nós consideramos como verdadeiro sábado a pessoa de nosso Redentor, Nosso Senhor Jesus Cristo"" (Dies Domini, 18). Entre os elementos mais importantes sobre este ponto estão:

A. Jesus Cristo é o Senhor do sábado.

Os judeus se zangavam com Jesus porque trabalhava na sábado curando às pessoas. (Ver Mc 3, 1). Jesus se defende afirmando que Ele é "o Senhor do sábado". (ver Mc 2, 23-28). Com seu exemplo, o Senhor nos ensina que no sábado devemos trabalhar fazendo o bem a outros, porque a caridade não tem tempo, está por cima de outros mandamentos.

B. no domingo é o dia da fé, para confessar que "Jesus é o Senhor".

Jesus Cristo ao declarar-se Senhor do sábado, adjudica-se, além disso, um título divino, por isso os fariseus queriam matá-lo. No domingo é o dia em que os cristãos confessam a divindade e o senhorio de Cristo; nesse dia Tomé confessou sua divindade e senhorio: "meu senhor e meu Deus" (ver Jo 20,26-28). Ao trocar o dia de culto, confessamos Jesus como Deus e Senhor do tempo e da história.

C. Deus segue trabalhando.

O Antigo Testamento diz que Yahvé descansou de toda obra criadora, o Novo Testamento nos revela que Deus segue trabalhando (ver Jo 5,17). Se segue trabalhando, quer dizer que a obra de Deus não acabou no sábado. O pecado de Adão introduziu desordem no mundo e era necessário um dia mais de trabalho e um novo dia de descanso.

D. Um novo dia.

Com Cristo se inaugura um tempo novo e definitivo. Ele é o Alfa e o Omega, e como no domingo é o primeiro dia da semana e o último da criação. A Sagrada Escritura o chama e a Igreja o proclama: O dia do Senhor (ver Ap 1, 8.10).

E. Nova Criação.

Já com o profeta Isaías se prediz uma nova criação (ver Is 65,17). E qual é a Nova Criação? A nova criação é a iniciada com a ressurreição de Cristo porque ele é o primeiro nascido dentre os mortos, ele é o princípio dessa nova criação (ver Col 1,18).

Por último deve ficar muito claro que no domingo é "o dia do Senhor, o dia da Ressurreição, o dia dos cristãos, é nosso dia. Por isso é chamado dia do Senhor: porque é neste dia quando o Senhor subiu vitorioso junto ao Pai. Se os pagãos o chamarem dia do sol, também o fazemos com gosto; porque hoje amanheceu a luz do mundo, hoje apareceu o sol de justiça cujos raios trazem a salvação" (CIC, 1166).

Fonte: Acidigital

#sejahojediferente #sejadiferente #correntedobem #heroisdoslacres #sejavoce #fuscadobem #fusquinhadobem #unidosdobem #ermelinomatarazzo

2.1.20

O amor nos torna pacientes, mas às vezes perdemos a paciência

Seja Diferente, Junte-se ao Seja Hoje Diferente.

Divulgação Reprodução

O Menino nascido da Virgem de Nazaré “é a Bênção de Deus para todo homem e mulher, para a grande família humana e para o mundo inteiro. Jesus não tirou o mal do mundo, mas o derrotou na raiz” disse o Papa, explicando:

Sua salvação não é mágica, mas é uma salvação "paciente", isto é, comporta a paciência do amor, que assume a iniquidade e lhe tira o poder. A paciência do amor: o amor nos torna pacientes. Tantas vezes perdemos a paciência; também eu, e peço desculpas pelo mau exemplo de ontem. Por esse motivo, contemplando o Presépio vemos, com os olhos da fé, o mundo renovado, livre do domínio do mal e colocado sob o senhorio real de Cristo, o Menino deitado na manjedoura.

A referência do Papa Francisco e suas palavras de desculpas referem-se ao episódio ocorrido na noite passada durante a visita ao Presépio na Praça de São Pedro, depois da celebração das Vésperas, quando ao saudar os fiéis, foi puxado bruscamente por uma mulher, o que provocou uma forte dor em seu braço, e teve uma reação intempestiva, buscando se livrar das mãos desta pessoa.

“Para este ano de 2020 a mensagem é a esta: a paz é um caminho de esperança, um caminho no qual se avança por meio do diálogo, da reconciliação e da conversão ecológica.”

#sejahojediferente #sejadiferente #correntedobem #heroisdoslacres #sejavoce #fuscadobem #fusquinhadobem #unidosdobem #ermelinomatarazzo

30.12.19

Paróquia Cristo Redentor | Padre José Maria

Seja Diferente, Junte-se ao Seja Hoje Diferente.

Paróquia Cristo Redentor

Saudações amados do seja hoje diferente, como todos sabem o blog/site não possui religião e, em nossa comunidade de amigos do seja hoje diferente há pessoas de diversas religiões em crenças.

Mas eu, Alessandro Turci, sou católico e sempre que tenho uma oportunidade estou falando um pouco sobre a Paróquia Cristo Redentor na qual frequento desde criança.

Neste último domingo do ano, 29 de dezembro de 2019, estive com minha família para a Santa Missa da Famíla, onde agradeci a nosso Senhor por todos que estão envolvidos direta ou indiretamente ao seja hoje diferente independente de religião e crenças.

Aproveito essa oportunidade para arquivar aqui no SHD, essa linda foto abaixo de todos ou quase todos, meus irmãos do Terço dos Homens!


Que foto linda!

Veja mais artigos relacionados a Paróquia clicando aqui.

Um forte abraço!

#sejahojediferente #sejadiferente #correntedobem #heroisdoslacres #sejavoce #fuscadobem #fusquinhadobem #unidosdobem #ermelinomatarazzo

27.11.19

O que é amizade verdadeira segundo a Bíblia?


A amizade verdadeira é baseada no amor de Cristo. Jesus é nosso grande exemplo de amizade. Uma amizade verdadeira é muito valiosa.

Amigos são pessoas que têm coisas em comum e que gostam da companhia um do outro. Podemos ter muitos conhecidos, com quem nos damos bem, mas um amigo verdadeiro é uma pessoa mais chegada (Provérbios 18:24). Nossos amigos nos influenciam. A amizade verdadeira dura, não acaba facilmente.

Algumas caraterísticas da amizade verdadeira segundo a Bíblia são:

Amor – o amor é a chave para qualquer bom relacionamento; a verdadeira amizade é firmada no amor fraternal – Provérbios 17:17

União – os amigos gostam de estar juntos e defendem um ao outro; a partilha de interesses ajuda a ficar mais unidos – Eclesiastes 4:12

Respeito – um amigo não é um meio para atingir um fim, tem valor em si mesmo; a amizade verdadeira respeita o valor da pessoa e procura seu bem – Romanos 12:10

Honestidade – a mentira destrói amizades; o amigo diz a verdade em amor, mesmo quando o outro não vai gostar, para seu bem – Provérbios 27:5-6

Ajuda – o amigo verdadeiro ajuda seu companheiro quando sabe que está passando por dificuldades ou problemas – Provérbios 27:10

Confiança – na amizade verdadeira não há lugar para inveja, fofoca nem traição; um amigo verdadeiro não é perfeito mas é uma pessoa confiável – Provérbios 16:28

Jesus, o amigo verdadeiro

A Bíblia diz que o maior amor é de quem dá sua vida pelos seus amigos (João 15:13). Jesus nos chama de seus amigos e nos ama, mesmo com todos os nossos defeitos. Ele morreu em nosso lugar porque é um verdadeiro amigo.

Por causa do sacrifício de Jesus, nós podemos ser amigos de Deus. O pecado já não separa quem é salvo da amizade com Deus. Isso significa que podemos ter um relacionamento de verdadeira intimidade, união e amor com Deus. Que privilégio!

A amizade com Deus afeta nossas amizades com as outras pessoas. O crente que conhece a verdadeira amizade da Bíblia vai tentar ser um amigo verdadeiro (1 João 3:16-18).

O perigo das amizades falsas

Assim como existem amizades verdadeiras que são uma bênção nas nossas vidas, e servem para nos edificar e nos aproximar de Deus, também existem amizades falsas que podem nos afastar do caminho de Deus.

Esses amigos falsos podem nos corromper através das suas atitudes que vão contra a Palavra de Deus.

Com informações do Respostas Bíblicas

Seja Diferente, Junte-se ao Seja Hoje Diferente. 
#sejahojediferente #sejadiferente #correntedobem #lacredobem #sejavoce

GeraLinks - Agregador de links