Mostrando postagens com marcador Como fazer. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Como fazer. Mostrar todas as postagens

5.10.22

Aposentadoria por idade: Entenda como funciona e como solicitar


Conforme o tempo passou, foi possível observar muitos mitos sobre a aposentadoria por idade. 


Quando você tem pouco tempo de contribuição, a saída costuma ser a aposentadoria por idade. No geral, o artigo servirá para que você entenda os mitos que rondam a aposentadoria. Como:


  • Salário-mínimo;

  • Reforma;

  • Regra do descarte;

  • Tempo de contribuição;

  • Melhora no valor da aposentadoria. 


Contudo, a grande maioria dos segurados que se enquadram na condição de se aposentar por idade, tem a impressão de que é algo ruim. O fato é que, a aposentadoria por idade carrega consigo uma má fama. 


As chances de você ter um amigo ou familiar que trabalhou em uma consultoria tributária ou qualquer outro segmento, durante um breve tempo na vida, e somou pouco tempo de contribuição, é bastante grande. 


Até a data da Reforma da Previdência (21/11/2019), a aposentadoria por idade não era, de fato, das melhores. 


A maneira em que o cálculo era feito, e o divisor mínimo, faziam com que muitas aposentadorias ficassem no patamar de um salário-mínimo. Entretanto, a Reforma da Previdência mudou todo este cenário. 


Embora exista um novo divisor mínimo e tenha ocorrido alterações na regra de cálculo, ainda assim a aposentadoria por idade não é uma péssima regra.


Tornando-se a melhor opção para pessoas que trabalhavam com assessoria contábil para abertura de empresa e outros segmentos que possuíam salários altos. 


Na realidade, tudo vai depender de caso para caso. Advogados, por exemplo, se depararam com situações em que, se aposentar por idade seria a melhor opção. 


Por esse motivo, você precisa saber que existe uma regra absoluta que é aplicável para todos os segurados, já que cada um possui uma história diferente do outro. 


Considerando que cada indivíduo possui uma carreira diferente do outro, vale a pena consultar uma assistência técnica perícia trabalhista para ter um norte sobre seus direitos que, em algum momento, podem estar sendo prejudicados pela empresa. 


No mais, a aposentadoria por idade será o reflexo da sua história. Por esse motivo, vamos levantar neste artigo, 5 mitos que foram criados sobre esse tipo de aposentadoria. Confira:

1. Aposentadoria é só com salário-mínimo

Muitas pessoas têm em mente que a aposentadoria é sempre com salário-mínimo. Disseminar uma informação dessas, inclusive, é um grande erro. 


Por esse motivo, antes mesmo de você entrar em contato com uma empresa de gestão de documentos, vale a pena se informar sobre o assunto. 


Há chances de que a aposentadoria de um certo indivíduo seja de um salário-mínimo. Por exemplo, você contribuiu por um salário-mínimo a vida inteira. Independentemente da regra com a qual você for se aposentar, o que irá predominar será a sua média integral. 


Inicialmente, é necessário entender que o primeiro passo será verificar qual foi a média dos seus salários de contribuição. Entenda que, todo esse processo é necessário, da mesma forma que uma empresa precisa de um sistema de emissão de nota fiscal, por exemplo. 


Devido ao fato de ocorrer algumas alterações após a Reforma, vamos te explicar ambos os momentos da aposentadoria por idade (antes e depois da Reforma). Para se aposentar por idade antes da Reforma, era necessário seguir ter:


  • Homens: 65 anos de idade;

  • Mulher: 60 anos de idade;

  • Carência: 180 meses de carência (15 anos) para homens e mulheres. 


Um dia antes da Reforma entrar em vigor, em 12 de setembro de 2019, era feita a média das 80% maiores contribuições do segurado, desde julho de 1994. Agora, a aposentadoria por idade após a Reforma ficou dependendo de duas possibilidades, são elas:


  • A regra de transição da aposentadoria por idade;

  • A regra definitiva (aposentadoria programada). 


Cada regra citada acima, possui requisitos diferentes, mas possuem a mesma regra de cálculo. 


A regra de transição da aposentadoria por idade, por exemplo, é para segurados que começaram antes de 13/09/19, mas não preencheram os requisitos para aposentadoria até essa data. 


Quando comparamos a regra de transição da aposentadoria por idade, com a regra antiga, não houve alterações para os homens que já eram contribuintes do INSS. No caso dos homens, as exigências são:


  • Ter 65 anos de idade;

  • 15 anos de carência;

  • 15 anos de contribuição. 


Contudo, para as mulheres, o requisito de idade que antes era de 60 anos, passou a ter um aumento. Entenda: a idade passa a ser de 61 anos e 6 meses de idade. 


Vale a pena pontuar que, desde a Reforma, o aumento da idade da mulher passou a ser de 6 meses a cada ano. Em 2023, por exemplo, o requisito da idade aumentará em 6 meses. 


Outro ponto importante que precisa ser mencionado, é que a idade mínima para as mulheres na Regra de Transição, irá parar em 62 anos. 

2. Aposentadoria por idade era melhor antes da Reforma

Muitas pessoas acreditam que a aposentadoria por idade era melhor. Entretanto, antes da Reforma, o divisor mínimo era péssimo. 


Basta ter um acompanhamento de perto, da mesma forma que um monitoramento ambiental desenvolve seu trabalho, que já é possível perceber que as condições atuais melhoraram.


Antes da Reforma, um homem com 20 anos de contribuição teria um coeficiente de 90%. Agora ele terá um coeficiente de 60%. 


Entretanto, se antes da Reforma boa parte do tempo de contribuição dele fosse anterior a julho de 1994, esse segurado teria um divisor mínimo e o seu benefício cairia. Atualmente, existe um divisor mínimo de 108 meses (9 anos). 


Não vamos esquecer de outra regra existente para a conquista da aposentadoria, trata-se do descarte de salários, uma alternativa para quem já atuou com manutenção de equipamentos de medição e outras funções, pudesse ter uma média maior de salário. 


Após a Reforma, o segurado terá a liberdade de jogar fora alguns meses de salário em que teve remunerações baixas. Dessa forma, o indivíduo poderá fazer com que a sua média aumente. 


Para ficar mais fácil de entender, imagine o seguinte exemplo: existe um grupo de 10 salários com vários picos, onde houve momentos em que a remuneração era alta, e que em outros, era baixas. Ao calcular a média, o resultado encontrado será de um valor mediano. 


Você irá se deparar com pontos para cima, de remunerações altas, e pontos para baixos, com remunerações baixas, o que é comum ver em folha de pagamento de funcionários em empresas grandes de corte e dobra, e outros negócios no geral. 


Neste caso, em específico, a média de todos os 10 salários será de um valor intermediário. Portanto, a pergunta que fica é: qual a utilidade do descarte de salários? É simples, os pontos baixos podem ser descartados. 


Em seguida, você terá uma média feita com pontos mais altos, e dessa forma, a sua média passa a ser maior. 

3. A regra do descarte não é mais possível

Esse terceiro mito, por sua vez, é bem recente. Muitas pessoas perguntam: “a carência da aposentadoria por idade foi reduzida para 108 meses?” sendo bem direto, não. Não houve essa redução.  


Acontece que, com a Lei 14.331/2022, de 5 de maio de 2022, trouxe o divisor mínimo de novo. Quando o cálculo da sua média for feito, e você possuir um número inferior a 108 meses depois de julho de 1994, a soma dos seus salários terá que ser dividida por 108. 

4. Quanto maior for a contribuição, maior o valor da aposentadoria

É muito comum que as pessoas fiquem assustadas com esse quarto mito, mas na verdade, não há motivo para tanto espanto. Como? Existe uma maneira para você calcular e se planejar para conseguir ficar com o melhor valor possível do benefício. 


Atualmente, a regra de cálculo que existe é bem diferente da regra que era usada anos atrás. Voltando alguns longos anos atrás, a média para a aposentadoria considerava os 3 últimos anos de contribuição. 


Quando faltava 3 ou 2 anos para o segurado se aposentar, ele aumentava o valor de contribuição, já que o cálculo considerava apenas os últimos 36 meses (3 anos de contribuição). 


Com a Reforma, a base de cálculo da aposentadoria passou a levar em consideração todos os salários de contribuição, incluindo os mais baixos. 


Se você imaginar um histórico de salários ao longo da sua vida contributiva, poderá haver momentos baixos e altos durante a sua carreira. 


A partir do momento em que a média dos seus salários for calculada, o Teto não adiantará em nada. Em seguida, quando o coeficiente for aplicado haverá uma redução, o Teto também não poderá fazer diferença. 


Portanto, pagar uma contribuição alta para te proporcionar uma aposentadoria alta, é na verdade, um mito. 

5. Não é possível melhorar o valor da aposentadoria

Por fim, temos o mito mais famoso da lista, onde não é possível melhorar o valor da aposentadoria. 


Para ser mais direto, é possível melhorar o valor tanto para quem ainda não se aposentou, quanto para as pessoas que já estão curtindo o benefício. No entanto, a forma de melhoria é distinta para esses dois grupos. 


Inclusive, para as pessoas que ainda não se aposentaram, esse processo é mais fácil, porque esse segurado terá mais vantagens. Como melhorar isso? Basta mexer no valor de contribuição, e planejar a data correta para a aposentadoria. 

Conclusão

Mais precisamente, desde 2019 muitos mitos sobre a aposentadoria por idade começaram a circular entre as pessoas. Felizmente, existe a internet para tirar a limpo algumas dúvidas que, em alguns casos, acabam impedindo as pessoas de conquistar tal benefício. 


Através deste artigo, você pôde se informar sobre os principais mitos desse universo. Considere repassar estas informações, você estará contribuindo para o conhecimento de outras que pretendem, ou já estão aposentados. 


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


Aqui indico ao meu network de amigos diversos produtos interessantes em conteúdo referente ao gosto de meus seguidores.

11.8.22

Saiba limitar conteúdos sensíveis com o novo recurso da plataforma


Você sabe como o
Instagram está funcionando para limitar os conteúdos sensíveis?

Com as novas atualizações, os usuários podem limitar a quantidade de conteúdo sensível que desejam ver em contas que não seguem.


Isso engloba o feed do usuário e as fotos que podem ser encontradas na guia Explorar (na lupinha, como muitos chamam), que é onde o Instagram coloca perfis que têm a ver com os conteúdos que você interage na plataforma.


A partir da nova atualização, o serviço também se expandirá para conteúdo relevante na guia de pesquisa. Com isso, é possível manter esse controle em rolagens, perfis que os usuários já seguem, páginas de hashtags e recomendações de feeds.


Logo, uma produtora de vídeo comercial deve começar a pensar em quais os tipos de conteúdos irá fornecer para suas contas e perfis gerenciados. 


Os controles da plataforma seguirão o padrão de opções existentes: 


  • Ver mais;
  • Ver menos;
  • Padrão;
  • Denunciar;
  • Não tenho interesse.

O primeiro, por exemplo, é aberto apenas a maiores de 18 anos e permite que os internautas visualizem mais contas e conteúdo sensível, enquanto o segundo reduz significativamente as visualizações de página.


O último impede que os usuários vejam algumas contas que produzem tal conteúdo.


Nesta nova atualização, a mesma tecnologia está sendo usada para aplicar diretrizes de recomendação às próprias recomendações do Instagram nas páginas de busca e hashtag, de acordo com o comunicado de imprensa.

O que é conteúdo sensível?

O Instagram considera postagens de conteúdo sensível que não violam as regras da plataforma, mas não atendem às diretrizes de recomendação. Este grupo inclui conteúdo relacionado a tabagismo, violência não explícita e drogas.

Como ativar este recurso?

Qualquer usuário pode habilitar o Controle de Conteúdo Sensível. Atualmente o recurso funciona apenas em guias e perfis do Explore que os usuários não seguem. O processo é bastante simples. Confira:


  • Acessar dados pessoais;

  • Acessar o menu "Configurações" no canto superior direito;

  • Clicar em "Conta";

  • Navegar até "Controle de conteúdo sensível";

  • Escolher entre as opções disponíveis (mais, menos ou padrão).


Mesmo que o recurso esteja ativado, você pode cancelá-lo ou alterar o tipo de controle. A plataforma também oferece opções de controle de comentários, bem como recursos de restrição, bloqueio e silenciamento.

Como funcionam essas diretrizes de restrição?

O Instagram se tornou uma das formas e plataformas mais acessadas e populares, com mais de 1 bilhão de usuários e distribuindo os mais diversos conteúdos e informações por meio desse meio extremamente inovador.


Com um alto investimento em ferramentas e recursos, o Instagram se popularizou cada vez mais, atendendo constantemente a essas inovações que, de fato, rendem facilidades e vantagens únicas.


Nessa plataforma você pode divulgar o seu empreendimento sem pagar por nada, como teria em atividades offline para sua empresa de comunicação visual em acrílico, como banners, flyers e comerciais em televisão ou rádio.


Dessa forma, fica claro que a amplitude e o número dessa ferramenta só vão crescer e se tornar cada vez mais difundida e utilizada por todos, gerando mais informações e interações por meio dessa divulgação e facilidade de uso.


Então, diante dessa situação de crescimento e disseminação de informações, uma das características que devem ser reservadas para esse avanço é a segurança em todo mundo, inclusive de crianças.


Mas não somente isso, o objetivo das diretrizes é também construir tudo de forma leve, segura e permitir que a rede seja agradável e funcional com o que mostra aos usuários, fazendo com que se sintam confortáveis ​​e enfrentem um ambiente favorável ao acesso e todo o consumo.


Por exemplo, por meio dessa plataforma é possível encontrar empresas e instituições para participar de eventos corporativos e confraternizações e conhecer conteúdos relevantes para o dia a dia de todos.

Preocupação do Instagram com os conteúdos

Por todo esse crescimento e disseminação de uma das plataformas mais utilizadas no mundo, uma das principais preocupações e inquietações do Instagram é o conteúdo que desrespeita as diretrizes e tende a ser desconfortável ou até mesmo desencadeante para alguns usuários.


Devido ao alto investimento em inovação, facilidades e atualizações constantes, o foco do Instagram em lidar com essas questões está intimamente ligado à evolução da plataforma e a melhor experiência oferecida por meio da usabilidade.


Assim como o leitor biométrico para controle de acesso é indicado para permitir que somente o dono do aparelho tenha tenha e permita o acesso, o Instagram segue essa rota de monitorar e acompanhar todo conteúdo que entra e sai da plataforma.


Por isso, a atenção e atenção do Instagram no manuseio desse conteúdo é enorme, visando promover cada vez mais sua plataforma e facilidades, garantindo que todos possam ter uma rede de informações segura, sem riscos e transtornos.


Dessa forma, ao eliminar esse conteúdo e ficar de olho nas violações do código, o Instagram só vai crescer e mostrar cada vez mais sua força e eficácia.

Como funciona a ferramenta que limita os conteúdos?

Mas afinal, como o Instagram limita tantos conteúdos assim? De fato, ao usar e acessar o aplicativo, a plataforma lançou uma ferramenta exclusiva e inovadora que gera essa limitação e valoriza conteúdos mais filtrados.


Esse processo é análogo à automação de processos industriais, por exemplo, onde a tecnologia é utilizada para facilitar e aumentar a eficiência de determinadas atividades, bem como o uso da tecnologia para gerar eficácia por meio do monitoramento e filtragem de aplicações.


A plataforma lançou uma ferramenta chamada Controle de Conteúdo Sensível, que permite ajustes e dá às pessoas a opção de ter filtros e níveis de direção aumentados.


Essas opções e níveis são precedidos por abas relacionadas à configuração do aplicativo, acessadas com um clique de uma conta e continuam controlando conteúdos sensíveis com este utilitário e de fácil acesso via busca.


Por exemplo, se você trabalha para uma empresa de componentes elétricos industriais e todos têm acesso ao Instagram, é importante entender essa configuração para filtrar e manter seus funcionários longe de conteúdo potencialmente impróprio.


Dessa forma, continue focando no texto e observe os três níveis citados e as funcionalidades da ferramenta, que podem gerar filtros e melhor usabilidade na plataforma.

Controles de conteúdo sensível

Como mencionado anteriormente, essa ferramenta tende a gerar conveniência e melhor utilidade de serviços para acoplamentos de motores elétricos, empresas de logística, artigos infantis e muito mais.


Com isso, veja o nível de controle desse conteúdo sensível, entenda suas características e lembre-se dessa ferramenta com clareza.

Nível 1

O primeiro nível, conhecido por seu nome "Restrições", é quando você tem mais acesso ao conteúdo, desde informações gerais e fotos até vídeos e muitas vezes conteúdo potencialmente ofensivo e violento.


Então neste nível há um certo grau de liberdade para o possível conteúdo dessas questões, mas não há liberdade total para esses conteúdos e informações.

Nível 2

Este nível tem o nome "Mais restritivo", e neste momento existe um filtro maior que exclui conteúdo com essa temática, e na verdade se vê num contexto onde a informação é mais clara e direta.


Dessa forma, esse nível pode ser uma boa opção para perfis e contas de empresas com máquinas especiais automação, filtrando assim o que chega e controlando quais informações estão relacionadas ao que é utilizado.

Nível 3

Este nível caracteriza-se por "permitido", acesso a todo o tipo de público e informação, sem estas restrições, desde conteúdos com algo sutil até conteúdos em padrões web. Este nível só é possível para adultos.


No entanto, é importante ressaltar que, por mais que esses níveis sejam estabelecidos, os conteúdos relacionados a nudez, situações sexuais, discursos de ódio mencionados no início do texto não são acessíveis.


Dessa forma, para completar o texto e compreender plenamente e se preparar para aplicar esse conhecimento, acompanhe a crescente busca por cibersegurança para oferecer aos usuários e ao público essa prioridade por meio do acesso.

A busca crescente das mídias sociais por segurança

Como mencionado acima, a segurança é fundamental para acessar as redes sociais, construir uma relação de confiança com seu público e de fato criar um ambiente agradável e livre de possíveis riscos.


Com isso, as redes sociais estão cada vez mais conscientes da importância de focar no problema, criar medidas e mostrar de fato que se preocupam com cada foto, imagem e situação.


Dessa forma, o consumo de conteúdo que poderia impactar negativamente seu público pode ser eliminado, criando assim um ambiente de extrema organização e relevância.


Nesse sentido, ao levar isso em consideração e sempre buscar formas de manter essas redes seguras, a prioridade da rede é cada vez mais voltada para seus usuários e para que tenham a melhor experiência com as redes disponibilizadas.


Consequentemente, a divulgação e popularização desses meios tende a aumentar e atingir patamares mais elevados justamente porque estabelecem esses cenários de melhoria e inovação, segurança e evolução geral.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

10.8.22

Dall-e 2 mini: como você pode usar essa Inteligência Artificial para criar qualquer imagem


Conheça todos os detalhes da nova Inteligência Artificial que permite qualquer pessoa criar uma imagem com apenas uma descrição. Além disso, vamos aproveitar para te explicar como você também pode utilizá-lo!


O que é o Dall-e 2?


Dall-e 2 é uma ferramenta de inteligência artificial que permite criar qualquer imagem. Para isso, treinaram o programa com milhões de imagens da internet e suas respectivas descrições. Assim, o usuário escreve uma descrição e essa inteligência, em segundos, recria uma imagem completamente nova.


Dall-e 2 pertence à empresa OpenIA, uma organização sem fins lucrativos que desenvolve projetos de inteligência artificial. Sua ideia é desenvolver a IA de forma comunitária e responsável.


Agora, eles desenvolveram o Dall-e 2 mini, uma ferramenta que pode ser usada por qualquer usuário com um plano de Internet e com a qual eles podem criar suas próprias imagens.


Como são as imagens criadas pelo Dall-e 2 mini?

O bom do Dall-e 2 mini é que com apenas uma descrição o programa gera várias imagens com base em todas as imagens que já processou. Em outras palavras, podemos obter qualquer imagem, mesmo aquelas impossíveis no mundo real.


Sabendo disso, os usuários não demoraram a experimentar esta nova ferramenta e fazer as criações mais originais. Por exemplo, estas são algumas das imagens que nós criámos para ilustrar o artigo:


[INSERIR IMAGENS]


Como podemos ver, as imagens geradas pelo Dall-e 2 mini ainda têm muito a melhorar. Mas, o lado bom da inteligência artificial é justamente que ela melhora à medida que é usada. Ou seja, quanto mais imagens são geradas e processadas, mais o programa é capaz de fazer melhores criações.


Como funciona o Dall-e 2 mini?

Como toda inteligência artificial, Dall-e funciona a partir de algoritmos que agem de acordo com regras de programação. A principal vantagem da inteligência artificial é que o chamado Machine Learning pode ser aplicado a ela.


O que é Machine Learning?

É um ramo da Inteligência Artificial ​​que permite desenvolver técnicas para que algoritmos melhorem ao longo do tempo. Para isso (explicado de forma simplificada), códigos e fórmulas matemáticas são incluídos na IA para permitir encontrar novas respostas para os dados inseridos. Quanto mais dados são despejados, melhores são os resultados que a IA pode oferecer. Ou seja, o próprio algoritmo começa a “pensar por si mesmo”.


Graças a esta capacidade de aprendizagem automática, Dall-e 2 poderá melhorar suas criações ao longo do tempo. Aperfeiçoar esta ferramenta será um grande avanço, pois simplificará muito o processo de criação de ilustrações e terá múltiplas aplicações.


Aqueles que se dedicam à criação de conteúdo digital e precisam usar ferramentas mais complexas, como Photoshop ou After Effects, poderão usar esse tipo de IA para obter as ilustrações. Embora, analisando as imagens criadas até agora, eles ainda terão que esperar por algum tempo.

Como posso usar o Dall-e 2 mini?

É muito fácil usar esta ferramenta gratuita. Só precisará de um plano de celular com internet ou um computador com conexão. Depois, basta pesquisar no google “dall e mini” e clicar no primeiro link dos resultados.


Já no site, basta escrever a descrição da imagem que você quer criar no campo de pesquisa e a ferramenta criará. Infelizmente, a plataforma funciona apenas em inglês, o que também não é um empecilho muito grande, basta traduzir pelo Tradutor online e pronto!


Esperamos que você se divirta muito e liberte sua criatividade!

1.7.22

Como produzir uma festa inesquecível de casamento: 7 dicas


O casamento com certeza é o dia mais especial na vida do casal, por isso é preciso preparar com muito amor e carinho para sair como eles sempre imaginaram. Hoje em dia existem muitas variações de adereços, decorações, serviços, tudo para que o seu dia seja inesquecível.

Para que saia tudo dentro dos conformes, não tente fazer tudo sozinhas, pois isso não é uma boa ideia, você deve contratar um equipe que vá atrás de tudo que for necessário para fazer o casamento acontecer, mas lembre-se de ficar a par de tudo o que está acontecendo e dê sua opinião em tudo que for necessário para que sai do seu jeito. 


Quanto antes o casamento for planejado melhor, você terá tempo de ver tudo com calma e se por ventura venha acontecer imprevistos você terá tempo de consertar tudo com a ajuda da sua equipe. 


Faça uma lista de tudo que você deseja ter no seu casamento e lembre-se o mais importante, você deve realizar um casamento de acordo com seu orçamento, para que no final de tudo não acabe ficando no vermelho.


Então fique conosco até o final deste artigo que vamos te dar dicas sobre tudo, desde brindes para casamento até ajuda com a lista de convidados.

Tenha um orçamento para seu casamento

A primeira coisa que deve se fazer quando começar a planejar seu casamento, é o orçamento, você deve deixar isso muito bem estipulado. O casal pode começar a poupar um pouco por mês e quanto maior for o planejamento financeiro melhor será seu casamento.


Lembre sempre da boa e velha frase “o barato sai caro”, então opte por empresas de respeito que tenham boas recomendações para você não entrar em nenhuma furada e acabar estragando seu casamento.

Faça o planejamento com antecedência

O tempo ideal é que o casal comece a planejar o casamento com ano e meio a dois anos antes da data escolhida pelos noivos. Com isso, vai ter tempo o suficiente para ir atrás de tudo que é necessário para realizar um casamento inesquecível.

Ter tempo de sobra para pesquisar sobre as equipes que farão o casamento, o ideal é que você tenha pelo menos três orçamentos diferentes, com isso você vai poder fechar com o melhor fornecedor e prestadores de serviço de qualidade. 

Tenha uma reserva para emergências

Por mais que você tenha um orçamento planejado com antecedência, é melhor que você ainda tenha uma reserva de emergência, separe cerca de 10% a 20% do seu orçamento para isso. Pois nunca se sabe o que pode acontecer e eventos como casamentos é cheio de imprevistos.

Saiba escolher o mês do casamento

Você sabia que determinados meses podem fazer com que seu casamento aumente ou diminua de valor. Isso mesmo, existem alguns meses que o orçamento do seu casamento pode ficar mais caro ou até mesmo ter um desfalque de convidados. Veja abaixo uma explicação.


  • Janeiro: é o melhor mês para se ter descontos;
  • Fevereiro: não é um bom mês, chove demais e ainda tem carnaval;
  • Maio: as flores aumentam de valor devido ao dia das mães e o proximidade com o dia do namorados;
  • Dezembro: esse é um mês cheio de problemas, pois a maioria das pessoas gastam demais com as festas de fim de ano e planejando suas férias, com isso alguns convidados podem não ir. 


Tenha uma relação de todos os serviços que precisam ser contratados

Anote todos os seus possíveis gastos, com trajes, bebidas, local da cerimônia, dj, atrações musicais, entre muitos outros detalhes que precisam ser lembrados, anote tudo e passe para sua equipe ter uma noção de tudo que você precisa. 


Ter uma equipe para te ajudar conta muito nessas horas, eles não vão deixar nenhum detalhe passar despercebido e com isso ainda sobra tempo para você ir atrás do dia da noiva e noivo no salão e decidir os trajes, como o vestido e terno.

Cuidado com sua lista de convidados

Esse é um detalhe que precisa ser muito bem conversado, pois ela pode interferir diretamente nos gastos com seu casamento. Normalmente a lista costuma ser extensa, pois são muitos amigos e familiares quanto da parte do noivo como da noiva e por muitas vezes o casal acaba convidando pessoas que não tenham vínculos. Em média uma festa de casamento tem 150 convidados, mas também é possível realizar uma cerimônia com 50 convidados.

Dj e/ou atração musical

Com certeza a hora da festa é a mais esperada pelos convidados, é o momento em que todos vão para a pista de dança celebrar esse dia tão especial na vida dos noivos com muita música boa. Por isso escolha um bom DJ ou atração musical e se tiver dentro do orçamento do casal, contrate os dois, com certeza os convidados vão ficar bem surpresos.

29.6.22

Vantagens de começar uma faculdade no meio do ano


Começar a estudar no segundo semestre não é um bicho de sete cabeças: saiba por quê

Quando falamos sobre o ingresso à universidade, é comum que a maioria tenha preferência por iniciar os estudos logo no começo do ano por uma simples questão de familiaridade e logística do ano letivo.

No entanto, por uma série de motivos, às vezes isso nem sempre é possível e o calouro precisa começar um pouco mais tarde, no meio do ano. Diante disso, muita gente torce o nariz, mas a verdade é que não existem motivos para tal.

Veja abaixo algumas vantagens de começar o ensino superior a partir do segundo semestre.

Mensalidades mais em conta

Começando com um grande ponto positivo: a economia.

Por causa da baixa procura, não é difícil que algumas faculdades enxuguem os preços de suas mensalidades no meio do ano, a fim de atrair mais alunos.

Esta é uma ótima oportunidade para quem está com o orçamento apertado, já que o valor mais barato não altera a qualidade do ensino.

É importante lembrar, porém, que nem todas as instituições seguem essa prática, então é preciso fazer uma boa pesquisa para não criar falsas expectativas.

Mais tempo para planejamento

O início da vida universitária é bastante corrido. Além de precisarem se acostumar com a transição drástica da escola para a faculdade, muitos calouros assumem diversos compromissos nesse período para que consigam se preparar para o mercado de trabalho.

Esses seis meses a mais permitem que o aluno possa programar suas atividades com calma, conciliando cursos, emprego, vida pessoal e a própria rotina do ensino superior.

Isso também é positivo para que os estudantes possam “resolver a vida”, honrando possíveis compromissos que devem ser cumpridos nesse espaço de tempo.

Outra vantagem é que esse período extra pode ser muito útil para economizar dinheiro. A organização financeira certamente vai ajudar no pagamento das mensalidades quando os estudos começarem de fato.

Oportunidade para descanso

A rotina de um estudante universitário é atribulada, então a recomendação é que os interessados no ensino superior aproveitem todas as oportunidades para descansar antes de entrarem na sala de aula.

Esses meses são preciosos para que a pessoa possa respirar tranquilamente depois de se dedicar aos estudos do vestibular, para quem acabou de terminar o ensino médio ou simplesmente como um preparo psicológico para iniciar uma jornada intensa de aprendizado que dura, em média, quatro anos.

Experimentar outros cursos

Nos meses antecedentes ao início da faculdade, a pessoa pode experimentar outros cursos. Não é necessário fazer matrícula nenhuma – várias instituições aceitam alunos ouvintes.

Também chamados de alunos especiais, esses estudantes podem assistir às aulas, mas não participam, efetivamente, das atividades. Consequentemente, não são atribuídas notas.

Isso serve para que o indivíduo possa conhecer o ambiente universitário e se prepare para quando for a sua vez de estudar de verdade.

No mais, é uma ótima experiência para se desprender do ensino médio e descobrir os próprios interesses em relação à graduação.

Solução para imprevistos

Às vezes, entrar na faculdade no começo do ano não é uma possibilidade. Seja por uma questão financeira ou burocrática com o vestibular ou bolsa de estudos, muitas coisas podem acontecer.

Ao invés de esperar o próximo ano, os estudantes têm a opção de iniciar os estudos no mesmo calendário anual. Há uma pequena espera, é verdade, mas é melhor aguardar seis meses do que doze.

E se a preocupação for baseada na suposta desvantagem em relação aos alunos que entraram no primeiro semestre, pense desta maneira: quem entra na universidade em julho/agosto já vai estar à frente dos calouros de janeiro/fevereiro do próximo ano.

Oferta de bolsas

Muitos alunos recorrem às bolsas de estudos para entrar na faculdade, mas a maioria deles têm preferência pelo começo do ano letivo.

Isso significa que as vagas para o primeiro semestre acabam rapidamente, motivando universidades a abrir os chamados vestibulares de inverno, no meio do ano, para que todos tenham seus lugares na sala de aula.

Os programas de bolsas e financiamento estudantil também abrem processos para o segundo semestre. O Programa Universidade Para Todos (ProUni), por exemplo, tem as conhecidas vagas remanescentes, que são as oportunidades não preenchidas no processo seletivo regular.

Mediante inscrição e atendimento a alguns critérios, isso possibilita o ingresso à universidade com bolsas parciais ou integrais.

A maioria dos alunos que recorrem a esse tipo de vaga começam a estudar no meio do ano, já que os seis meses anteriores são mais do que suficientes para resolver todas as burocracias.

Orientação escolar

Normalmente, os alunos que começam a estudar no segundo semestre recebem orientação educacional mais próxima. Isso acontece porque o número de candidatos no meio do ano é bem menor do que no início do ano letivo.

Com isso, o corpo docente tem mais espaço para oferecer uma atenção mais personalizada e pessoal a cada estudante.

Menor concorrência

Já deu para perceber que a concorrência para entrar na faculdade no meio do ano é consideravelmente menos agressiva do que no começo.

Nesse sentido, conquistar uma boa posição no vestibular online ou presencial fica mais fácil, o que aumenta as chances de ingresso à universidade e uma bolsa de estudos com maior cobertura.


GeraLinks - Agregador de links