Mostrando postagens com marcador Boa Notícia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Boa Notícia. Mostrar todas as postagens

14.9.21

Instituto cultiva horta orgânica para alimentar crianças carentes


Há mais de 100 anos o Instituto Cristóvão Colombo (ICC) vem fazendo um trabalho incrível, atendendo refugiados e imigrantes que chegam em São Paulo.

Agora eles estão ajudando a alimentar crianças carentes e funcionários do instituto através de uma horta orgânica, cultivada na própria sede do ICC.

Segundo a administração do instituto, hoje são mais de 200 pessoas entre crianças, adolescentes e funcionários, que recebem diariamente alimentos frescos e livres de agrotóxicos.

Horta comunitária

A horta do ICC foi implementada como meio educativo e de subsistência. No local, são produzidos alimentos livres de agrotóxicos, que são distribuídos entre funcionários e instituições filantrópicas que ajudam crianças e adolescentes.

Segundo Cléber Pinsetta, responsável pela horta há duas décadas, são plantadas mais de 1.000 mudas por mês. As hortaliças são variadas: tem escarola, repolho, couve, beterraba, alface, mandioca, quiabo e cenoura.

No terreno ele também ajudou a cultivar árvores frutíferas, como mexerica, carambola, amora, banana, maracujá e limão.

Ajuda a refugiados

Como durante esse período da pandemia, os projetos do ICC estiveram parados, a produção foi destinada para a Missão Paz, entidade que atende migrantes e refugiados no bairro do Glicério, no centro de São Paulo.

“Contribuir para tornar a vida dessas crianças e adolescentes migrantes mais justa, mais digna é algo que nos motiva todos os dias a vir trabalhar com um sorriso nos lábios e coração aquecido”, explica Alexandre Nunes, responsável pela administração do ICC.

Conheça mais do trabalho do ICC através do site do instituto!

22.8.21

Brasil envia ajuda humanitária ao Haiti

Trinta e dois bombeiros e um representante do Ministério do Desenvolvimento Regional estão a caminho do Haiti, levando cerca de sete toneladas de materiais e equipamentos de emergência, além de 3,5 toneladas de medicamentos e insumos estratégicos do Ministério da Saúde. A missão tem por objetivo ajudar o Haiti a amenizar os problemas decorrentes de um terremoto que atingiu o país no dia 14 de agosto, resultando em mais de 2 mil mortes e 10 mil feridos.


O avião de transporte KC-390 Millennium decolou da Base Aérea de Brasília na manhã de hoje (22) e a previsão é de que, após paradas para abastecimento em Cachimbo (PA) e em Boa Vista (RR), desembarque às 19h25 (horário de Brasília) em Porto Príncipe, a capital haitiana. O retorno a Brasília está previsto para amanhã (23), às 08h20.

Pouco antes do embarque, em cerimônia na Base Aérea de Brasília, o presidente Jair Bolsonaro lembrou que a solidariedade é uma marca do povo brasileiro. “Recebi o pedido e, com o apoio das Forças Armadas e do corpo diplomático, essa missão foi armada. Esse pequeno contingente terá grande missão e simbolismo”, disse o presidente.

Em meio às 3,5 toneladas de medicamentos e insumos enviados há, segundo o Ministério da Defesa, cinco kits que podem, cada um, atender até 10 mil pessoas em situações de desastre. Também foram enviados materiais de uso hospitalar disponibilizados pela Força Nacional do SUS, como macas, colares cervicais, biombos, além de insulina humana tipo regular, medicamento que tem ação rápida em casos de choque, ocasionado pela diminuição anormal do volume do sangue.

22.1.21

TSE suspende consequências para quem não votou nas eleições de 2020

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, assinou ontem (21) uma resolução suspendendo as consequências legais para quem não votou nas eleições municipais de 2020 e não justificou ou pagou a multa.

Entre suas justificativas, a medida considera “que a persistência e o agravamento da pandemia da Covid-19 no país impõem aos eleitores que não compareceram à votação nas Eleições 2020, sobretudo àqueles em situação de maior vulnerabilidade, obstáculos para realizarem a justificativa eleitoral”.

O texto da resolução sobre o assunto considera ainda a “dificuldade de obtenção de documentação comprobatória do impedimento para votar no caso de ausência às urnas por sintomas da covid-19”.

A norma não estipula prazo para a suspensão das sanções para quem não votou e não justificou ou pagou multa. A medida ficará vigente ao menos até que o plenário do TSE vote se aprova ou não a resolução assinada por Barroso. Isso não deve acontecer antes de fevereiro, devido ao recesso forense.

A resolução destaca que não se trata de uma anistia para quem não votou, pois tal providência somente poderia ser tomada pelo Congresso Nacional, frisa o texto da norma.

O prazo para justificar ausência no primeiro turno encerrou-se em 14 de janeiro. O limite para justificar a falta no segundo turno é 28 de janeiro. Ambas as datas marcam os 60 dias após as votações, que ocorreram em 15 e 29 de novembro.


Pela Constituição, o voto é obrigatório para todos os alfabetizados entre 18 e 70 anos. Em decorrência disso, o artigo 7º do Código Eleitoral prevê uma série de restrições para quem não justificar a ausência na votação ou pagar a multa. Enquanto não regularizar a situação, o eleitor não pode:

– inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública, investir-se ou empossar-se neles;

– receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público, autárquico ou paraestatal, bem como fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades de qualquer natureza, mantidas ou subvencionadas pelo governo ou que exerçam serviço público delegado, correspondentes ao segundo mês subsequente ao da eleição;

– participar de concorrência pública ou administrativa da União, dos estados, dos territórios, do Distrito Federal ou dos municípios, ou das respectivas autarquias;

– obter empréstimos nas autarquias, sociedades de economia mista, caixas econômicas federais ou estaduais, nos institutos e caixas de previdência social, bem como em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo, ou de cuja administração este participe, e com essas entidades celebrar contratos;

– obter passaporte ou carteira de identidade;

– renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo;

– praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda.

Fonte Agência Brasil

8.1.21

SP: Justiça mantém transporte gratuito para idosos a partir de 60 anos

A Justiça paulista concedeu liminar que determina a manutenção da isenção de pagamento de transporte público a maiores de 60 anos. O governo do estado deve voltar a permitir o transporte gratuito para essa parcela da população com a suspensão do Decreto Estadual nº 65.414/20. Cabe recurso da decisão.

Divulgação Reprodução Crédito na Fonte

A decisão corresponde a ação do Sindicato Nacional dos Aposentados, da Confederação Nacional dos Trabalhadores das Indústrias Metalúrgicas e do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas Mecânicas e de Material Elétrico de SP e Mogi das Cruzes, protocolada ontem (6) no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). 

Segundo o juiz Luis Manuel Fonseca Pires, da 3ª Vara da Fazenda Pública Central da Capital, ao publicar decreto que revoga outro que regulamenta disposição de lei que concedia os benefícios, o governo “extrapola sua atribuição na medida em que retira comando expresso na legislação ordinária”.

“Não pode o Poder Executivo utilizar-se de atribuição afeta ao Poder Legislativo sob pena de afrontar o princípio da tripartição dos Poderes, previsto no Artigo 2º da Constituição Federal”, afirmou o magistrado.

7.1.21

Rede cria calcinhas e sutiãs para pessoas com mobilidade reduzida

Moda íntima inclusiva! A rede de lojas Renner desenvolveu calcinhas e sutiãs descomplicados, funcionais e confortáveis para pessoas quem tem mobilidade reduzida.


O sutiã tem fechamento frontal e a calcinha fechamento lateral, para tornar as lingeries mais fáceis de vestir, sem incomodar a mulher.

“As peças são feitas em tecidos macios, com etiquetas facilmente removíveis e características funcionais que facilitam na hora de vestir, como o fechamento lateral na calcinha” explicou a marca em um post no Instagram.

A modelo que aparece nas fotos exibindo as peças é a Fê Barcelos “colaboradora do grupo Renner, [que] participou dessa cocriação”, informa a marca.

Sentada numa cadeira de rodas motorizada, Fê aparece vestindo peças íntimas na cor preta.

45,6 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência, de acordo último Censo Demográfico do IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.



GeraLinks - Agregador de links