Blog Diferente Para Ser Diferente
Seja Uma Pessoa Melhor, Diferente Você já é ! - Junte-se ao Grupo de Amigos do Seja Hoje Diferente - Bem Vindo (a).

Divulgação Reprodução - Crédito Fonte

Enquanto há dois meses população é enganada pelos políticos fascistas nas emissoras golpistas, a realidade se impõe nos hospitais, não há testes sequer para os funcionários

De acordo com denúncias recebidas por este jornal que ilustram a real condição da maioria dos Hospitais públicos no país e somente reafirmam o enorme crime cometido contra toda população e os trabalhadores no país.

Na zona leste de São Paulo, no Hospital Municipal de Ermelino Matarazzo, hospital de grande porte e que atende a milhares de pacientes vindos de grande parte da zona leste(São Miguel Paulista, Itaquera, Artur Alvim, Ermelino Matarazzo, AE Carvalho, entre outros), recebemos denúncias de trabalhadores da saúde do município e também de setores terceirizados, quanto ao descaso dos governos, em especial, neste caso, o municipal de São Paulo.

De acordo com uma funcionária da saúde, que não será identificada para que não ocorram perseguições, setores de empresas terceirizadas que realizam parte da assistência em saúde não estão cumprindo os protocolos de segurança no combate à doença. 

Segundo a trabalhadora após o início da pandemia do Covid-19, os setores responsáveis demoraram um mês para entregarem as máscaras N95 (as adequadas na proteção para esse risco de contágio) para enfermeiras, técnicas e auxiliares de enfermagem, que apesar de não atuarem diretamente no combate do Covid 19, estão também expostas ao contágio, visto ser um hospital com enorme circulação de pacientes. Relatos dizem que após contato com pacientes, funcionárias foram impedidas por superiores de trocar a máscara N95 (procedimento adequado ao protocolo de proteção dos funcionários da saúde).

Neste hospital, já são vários os casos de contaminação de funcionários da área da enfermagem e até médicos. E nessa situação vem outro crime contra os trabalhadores, segundo relatos de funcionários públicos e privados do hospital, até hoje, quase dois meses após o início do surto, nenhum dos funcionários de todo o hospital realizou testes para COVID, nem mesmo funcionários que atuam diretamente com pacientes de Covid. Os que estão afastados tiveram que ir atrás de seus próprios convênios, ou em outros hospitais, onde realizaram tomografias para verificação dos pulmões, não podendo assim ter certeza que é o covid, pois a técnica apresenta a inflamação pulmonar, mas não a causa.

Enquanto os golpistas implementam as ações do governo federal para os banqueiros, que há 20 dias determinou a destinação de verbas no montante de 1, 2 Trilhões de reais para os bancos ao mesmo tempo, condenaram trabalhadores a morte ao destinar apenas 100 milhões de reais para a saúde. Enquanto milhares estão sofrendo no Amazonas, Ceará e outros estados sem respiradores, não há testes nem para os funcionários da saúde, que dirá para o povo. Mas dinheiro pros banqueiros têm!

Outra reclamação dos trabalhadores da Saúde naquele hospital é que o sindicato, que antes da pandemia era visto ao menos uma vez por mês, sumiu nos últimos dois meses, justamente, quando era mais necessária sua presença, semanal, ou até mesmo diária, para prestar esclarecimentos e assistência aos trabalhadores, sejam eles funcionários públicos ou privados. Nenhum ato até o momento foi organizado em frente ao hospital, deixando os servidores totalmente órfãos para lutar contra a doença e os governos que estão a condenar estes trabalhadores, também ao sofrimento e a morte.

É necessário que os sindicalistas saiam de seu isolamento, mobilizem suas categorias, contra o crime que os governos fascistas estão cometendo condenando a morte os trabalhadores de várias categorias. Sob a pena, de que a revolta dos trabalhadores contra os governos fascistas se voltem também contra àqueles que capitulam vergonhosamente, ao não defender seus trabalhadores sequer da morte.

Fonte: Causa Operária 

Postagem Anterior Próxima Postagem

Veja abaixo mais um artigo do Seja Hoje Diferente!