22.1.19

Veja os melhores investimentos para iniciantes e comece o ano aplicando seu dinheiro


Independentemente do tamanho, todo mundo tem um objetivo; seja uma viagem, uma casa, ou mesmo um novo negócio, é preciso ter muita dedicação, trabalho e, claro, dinheiro. Mas não é fácil ganhar o primeiro milhão, não é? Então, como é possível estar próximo de realizar um sonho sem condições financeiras favoráveis?

Junto a isso, o salário também não colabora: com todos os gastos, entre despesas, alimentação e lazer, é muito difícil juntar uma quantia suficiente para concretizar as metas. Por isso, é necessária uma forma de multiplicar o patrimônio, e nada melhor do que o investimento.

Existem os mais variados sonhos, mas investir, por mais complexo que possa parecer, é o caminho mais assertivo para que eles se tornem realidade. No entanto, ainda gira em torno dele certo receio e até preconceito, por estar associado a estratégias complexas e prejuízo. Mas, muito pelo contrário, aplicações financeiras podem ser bastante seguras e trazer retornos consideráveis.

Para isso, o mais importante é estar sempre atento ao cenário político-econômico e estudar. Principalmente para investidores de primeira viagem, é bastante comum confundir-se com tantas siglas e regras, por esse motivo é essencial tentar compreender os pontos básicos do mercado financeiro e dar um passo de cada vez.

Então, não vale a pena mergulhar de cabeça no investimento em ações, por exemplo, por serem bastante voláteis e com grande risco de mercado — ou seja, risco de perder dinheiro na compra e venda de ativos —, o ideal a fazer é sempre buscar opções menos complexas, voltadas para investidores iniciantes. Com isso, fica mais fácil aliar bons retornos com segurança.


Quais são os melhores investimentos para iniciantes?


Dentre as opções disponíveis no mercado financeiro, existem algumas que foram pensadas especificamente para pequenos investidores ou mesmo para quem não possui muita experiência em aplicações. De maneira geral, os melhores investimentos são os de renda fixa, por serem calculados de forma mais fácil do que a renda variável.

Isso ocorre porque a renda fixa tem base em uma porcentagem prefixada (por exemplo, determinado título renderá 11% ao ano), ou está atrelado a um índice de referência (por exemplo, um título com rendimento de 110% do CDI). Na prática, faz com que seja possível ter noção parcial ou total da rentabilidade da aplicação no momento de adquiri-la.

Claro, entre os investidores menos experientes, podem ser encontrados perfis mais conservadores ou mais arrojados, isto é, que estão mais ou menos avessos a riscos. Por esse motivo, nem sempre a renda fixa é a aplicação mais indicada; ainda assim, é preciso sempre ponderar o nível de experiência e compreender que é possível escolher opções mais agressivas sem, necessariamente, optar pelas mais complexas.

Para os mais diferentes estilos de investimento, existem aquelas aplicações-chave que aliam segurança, rendimento e ainda trazem mais prática a quem ainda está só começando. Dentre elas, uma boa dica é escolher algumas opções, de diferentes origens, para diversificar os investimentos.


Fundos de investimentos

Talvez seja a alternativa mais versátil e, portanto, mais indicada para iniciantes, os fundos de investimentos são aplicações que nascem da união de diferentes investidores, cujos patrimônios são administrados por um gestor. Como resultado, além de se ter, na prática, uma quantidade maior de recurso financeiro — e mais oportunidades de investimento —, ainda é possível ter o respaldo de um especialista.

A versatilidade é uma característica intrínseca aos fundos, pois eles nada mais são do que aplicações que investem em outros ativos do mercado. Então, é possível encontrar fundos que investem em ações, em renda fixa, ou em multimercados; assim, são indicados para todas as estratégias e perfis.

Letras de Crédito - Imobiliário (LCI) e do Agronegócio (LCA)
Títulos públicos de renda fixa, as Letras de Crédito funcionam como um empréstimo a instituições financeiras, a fim de que elas arrecadem recursos para investir em setores específicos da economia (imobiliário e do agronegócio, como os nomes indicam). Em troca, ao fim desse prazo, a instituição retorna o valor acrescido de juros, o que caracteriza a rentabilidade do investimento.

As Letras de Crédito são um exemplo de títulos de renda fixa que estão atrelados a um índice, o CDI, fazendo com que possuam bons retornos, acima da inflação, aliado à segurança. Além disso, não incidem sobre elas o Imposto de Renda, comumente cobrado em outras aplicações.

Tesouro Direto
Uma das opções mais populares entre os brasileiros, o Tesouro Direto foi pensado para pequenos investidores. Com aplicação mínima de apenas R$30, já é possível adquirir um título do Tesouro Nacional. As vantagens só aumentam por se tratar de um dia investimentos mais seguros do país.

Isso ocorre porque ele está associado diretamente a uma entidade pública. Assim como as Letras de Crédito, o Tesouro funciona como um empréstimo, mas para o Governo; no vencimento da aplicação, é ele quem deverá reembolsar o valor investido mais os juros. Na prática, o risco de crédito (ou calote) é quase inexistente, pois é preciso que o país quebre para ele não cumprir com suas obrigações financeiras.

É possível notar que todas as aplicações comentadas são viáveis para iniciantes. Não possuem complexidade estratégica e são formas de se entender o funcionamento do mercado financeiro de maneira mais simples. Lembre-se de que o mais importante é começar a investir! Por isso, avalie as opções e monte a carteira ideal para realizar seus sonhos.

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário