7.10.18

Por que os Católicos rezam pelos mortos? - Oração Pelos falecidos

Jair Nunes de Souza 19/09/1944 - 07/01/2018

Saudações Amados:

Amados como tenho dito nas redes sociais, em nosso grupo oficial no facebook e aqui no SHD: Seja Hoje Diferente o nosso blog não é um blog católico, nossos amigos e visitantes são católicos, evangélicos, espiritas, budistas, entre outros pois, nosso objetivo é buscar um ser humano melhor.

Agregamos em nosso blog textos católicos, evangélicos, espiritas, entre outros com respeito a todas as crenças, estamos aqui para Unir e não Debater.

Respeitando cada um suas crenças.

Na minha religião católica rezamos para nossos falecidos.

Em data de hoje, 07 de outubro de 2018 completa nove meses que meu amado sogro o Sr. Jair Nunes de Souza nos deixou.

Em algumas datas e quando bate a saudade a quem nos acompanha sabe que visitamos seu túmulo para prestar homenagem, rezar e de alguma forma aplicar a caridade, o reconhecimento e agradecimento dado em vida e após vida.

Se Deus permitir ainda hoje estaremos fazendo uma breve visita a seu túmulo já que hoje completa nove meses de chegada ao céu.

Aproveito a oportunidade então para deixar nesse texto a resposta da pergunta que sempre escuto porque rezo pelos mortos, porque os católicos rezam pelos mortos e ao final deixarei uma oração pelos falecidos.

Porque rezo pelos falecidos?


Eu, Alessandro Turci rezo pelos falecidos sejam familiares e amigos mais na gratidão a Deus, agradeço a Deus pelo tempo de vivência com essas pessoas, por elas terem feito parte de minha vida, por elas terem de algum modo ensinado-me algo, ter dado amor, alegria, compreensão e momentos maravilhosos que estão em minha memória. Eu rezo em agradecimento a essas memórias que levarei até o último dia de minha vida e ao final peço pela misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para que estas pessoas sejam salvas.

No que tange ir ao cemitério visitar não tenho vergonha de dizer e assumir que esse comportamento antes do falecimento do meu sogro não existia na minha pessoa ou família, meu sogro faleceu em data em que já estava eu tendo uma visão diferente da vida e, com seu falecimento iniciou-se então esse comportamento na qual vou juntamente com minha família por gratidão e saudades, não como um ato obrigatório. 

Porque os católicos rezam pelos falecidos?


Na doutrina católica para responder essa pergunta transcrevo abaixo um texto que nos responderá e, também irei agregar um vídeo para fortalecer a resposta do por que os católicos rezam pelos mortos.


O livro da Sabedoria assegura: “Os justos vivem para sempre, recebem do Senhor sua recompensa, cuida deles o Altíssimo. Receberão a magnífica coroa real, e das mãos do Senhor, o diadema da beleza.” (Sb 5, 15 e 16).

Mas, e os que não são justos? E os que morreram separados de Deus? Também estes vivem, porém de outro modo. Descrevendo a cidade de Deus onde vivem os justos, São João diz o seguinte no livro do Apocalipse: “Nela jamais entrará algo de imundo, e nem os que praticam abominação e mentira.” (Ap 21, 27).

Portanto, os pecadores, os maus, ali não entram. A morada dos justos é junto de Deus. A morada dos maus é a eterna separação de Deus. Assim se compreende a diferença entre céu e inferno.

A criatura humana é inextinguível, porque é feita à imagem e semelhança de Deus. Sobreviverá, por isso, de modo novo, que não sabemos explicar, após a morte. Este modo será de eterna felicidade junto de Deus para os bons, ou de eterna desgraça pela separação de Deus, para os maus. 

A fé, entretanto, sempre nos levou a crer que muitas pessoas, apesar de imperfeitas e manchadas, não se distanciaram de Deus por uma absoluta prevaricação. 

Estas pessoas, após a morte, devem ser purificadas. Então, haverá pecados que possam ser perdoados, ou de que possamos nos purificar no outro mundo? 

Foi o que ensinou Jesus: “Se alguém disser blasfêmia contra o Espírito Santo, nem neste mundo, nem no outro isto lhe será perdoado.”(Mt 12, 32). Do que inferiu o 1º Concílio de Lião: “disto se dá a entender que certas culpas são perdoadas na presente vida, e outras o são na vida futura, e o Apóstolo disse que a obra de cada um, qual seja, o fogo a provará e aquele cuja obra arder ao fogo, sofrerá; mas ele será salvo, porém, como quem o é através do fogo (I Cor 3, 13 e 15).

Por difícil que pareça o texto do Apóstolo em I Cor 3, 13 e 15, que citamos com a autorizada interpretação do 1º Concílio de Lião, dele fica bem claro que algumas pessoas serão salvas, “porém através do fogo”, que as purificará. 

É este estado após a morte que a doutrina católica sempre denominou Purgatório. Palavra esta, creio eu, salvo melhor juízo, mal traduzida do grego para o latim – onde o vocábulo Purgatorium soa como purgante, pelo que a melhor versão latina seria Purgatio, que em português se deve traduzir por purificação. 

Entende-se pois, a palavra Purgatório, como Purificação, significando aquele estado em que, após a morte, seremos purificados de faltas não mortais, antes de sermos admitidos à luz puríssima de Deus.

É assim, aliás, que o entendeu o novo CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA, ao expor esta matéria: “Os que morrem na graça e na amizade de Deus, mas não estão completamente purificados, embora tenham garantida a sua salvação eterna, passam, após sua morte, por uma purificação, afim de obterem a santidade necessária para entrarem na alegria do Céu.” (nº 1030).

Sempre ensinou também a Igreja Católica que, aos mortos que devem ser purificados, muito ajudam os sufrágios, preces e sacrifícios dos irmãos vivos, visto o imenso tesouro da chamada “comunhão dos santos”. 

Para ensinar esta doutrina, a Igreja sempre se amparou no texto bíblico do 1º Livro dos Macabeus 12, 38-45, que assim conclui: “É, pois, santo e salutar pensamento orar pelos mortos, para que sejam livres dos seus pecados.” Este é o motivo de nossas orações pelos falecidos. Cremos que estão vivos. 

Cremos que a fé em Cristo os salvou. Não esquecemos, porém, que muitas fragilidades humanas talvez impeçam a sua imediata acolhida na visão beatífica. E por eles oferecemos preces e sacrifícios, especialmente no Dia de Finados, para que, quanto antes, lhes resplandeça a luz da bem-aventurança.

Oração Pelos falecidos


Pai Santo, Deus Eterno e Todo-Poderoso,

nós vos pedimos por aqueles

a quem chamastes deste mundo.

Dai-lhes a felicidade, a luz e a paz.

Que eles, tendo passado pela morte,

participem do convívio de vossos santos na luz eterna,

como prometestes a Abraão e à sua descendência.

Que a sua alma nada sofra,

e vos digneis ressuscitá-los com os vossos santos

no dia da ressurreição e da recompensa.

Perdoai-lhes os pecados,

para que alcancem junto a Vós

a vida imortal no Reino eterno.

Por Jesus Cristo, Vosso Filho,

na unidade do Espírito Santo.

Amém.

(Rezar Pai-Nosso e Ave-Maria)

Dai-lhes, Senhor, o repouso eterno

e brilhe para eles a vossa luz! (3 vezes). 

Leia: O Resgate: Bispo Sergio Corrêa 

Saudades, Homenagem e Agradecimento é por isso que vamos ao cemitério e na igreja rezamos para os falecidos.

Um forte abraço        
                                                                               
Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!



Um comentário:

  1. Parabéns pelo artigo pois pra orar pelos mortos e uma forma de respeito aos mesmos que foram um exemplo em nossas vidas. Forte abraço

    ResponderExcluir

Veja também: