24.10.18

Haddad cita versículo inexistente no Roda Viva

Foto divulgação (Foto: Miguel Schincariol / AFP)

O candidato à presidência pelo PT, Fernando Haddad, tem recorrido a um discurso “mais cristão” desde o 12 de outubro, quando participou de uma missã em São Paulo. Contudo, deixa claras evidências que não possui intimidade com esse tipo de questão.

O caso mais recente de seu atrapalho com temas religiosos deu-se durante a entrevista concedida ao programa Roda Viva desta segunda-feira (22). No último bloco, questionado pelo apresentador Ricardo Lessa sobre uma frase que o inspirava, arriscou: “Quem salva uma vida, salva o mundo inteiro”, que segundo ele é bíblica.

Acontece que esse é um ensinamento do Talmude, comentário rabínico de leis e tradições do judaísmo. O petista ainda arriscou que estava “no Torá”, livro da lei judaica que constitui os primeiros livros do Antigo Testamento. O ditado tornou-se popular nos últimos anos por conta de uma das cenas mais emocionantes do filme “A Lista de Schindler”.

Mudança de perfil
Com longa carreira política, o ex-ministro da Educação de Lula e ex-prefeito de São Paulo nunca procurou mostrar-se particularmente devoto. Em meio às mudanças que sua campanha adotou após o primeiro turno, essa foi só mais uma.

Na missa que compareceu no dia 12, Haddad estaca ao lado da esposa e da vice, Manuela D’Ávila (PCdoB). Embora estivesse ali como qualquer outro fiel, aproveitou o momento para passar uma imagem diferente da que cultivara até então.

O padre Jaime Crowe, amigo de Lula, pediu voto no “13” e fez críticas a Jair Bolsonaro (PSL). No final da cerimônia, Haddad discursou na escadaria da igreja no Jardim Ângela. Afirmou então que a candidatura de Bolsonaro seria fruto do “fundamentalismo charlatão do Edir Macedo”, o que lhe rendeu maior antipatia de lideranças evangélicas.

Dias depois reuniu-se com pastores ligados à movimentos de esquerda, onde anunciou mudanças em seu plano de governo, retirando a proposta de legalização das drogas. Também comprometeu-se, caso eleito, em não encaminhar projeto de lei para a legalização do aborto. As pesquisas de intenção de voto mostram que a ação não teve resultado no segmento evangélico do eleitorado.

Tendo reiterado em entrevistas recentes que vem de uma família cristã, Haddad arriscou um “Deus nos abençoe” em programas de seu horário eleitoral. No sábado (20) Haddad envolveu-se em outra polêmica em sua tentativa de mostrar-se uma pessoa religiosa.

O petista ganhou uma Bíblia de presente durante um comício em Fortaleza, mas no dia seguinte o recém-eleito deputado federal pelo PSL do Cerará, André Fernandes gravou um vídeo mostrando que a cópia das Escrituras foi achada no chão, insinuando que Haddad a teria jogado fora.

Leia: Quem será o futuro presidente do Brasil?

O ex-prefeito de São Paulo negou e afirmou que o Bíblia fora furtada juntamente com o celular de um assessor que estava no palanque. Contudo, não mostrou B.O. do ocorrido e só falou sobre o tema após o vídeo de Fernandes viralizar.

Fonte: Noticias Gospel Prime

Sucesso, Saúde, Proteção e Paz!


Inscreva-se no Perfil Oficial do Administrador do SHD no Youtube, Não esqueça de clicar no SININHO para receber notificações de novos vídeos, deixe seu like e junte-se a Nós!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Veja também: