11.8.18

Tenha fé e viva com fé na verdadeira fé


Quando Daniel foi jogado na cova dos leões, ele não sabia o final da história. Mas ele creu em Deus e viu um milagre.

Nem sempre conseguimos ver a solução. Não sabemos como nossa história vai terminar mas podemos confiar que Deus está no controle. Quando cremos nele, apesar de nossas circunstâncias, Deus faz milagres!

A fé é um elemento indispensável para quem deseja viver para Deus. A fé torna o cristão mais forte, capacitando-o a suportar as adversidades e equipando-o a viver uma vida que agrada ao Senhor.

A nossa fé aumenta quando lemos a Bíblia e deixamos que a Palavra de Deus tenha influência na nossa vida. E quando a nossa fé aumenta, nós conseguimos ver muito mais além do que é natura: vemos o sobrenatural de Deus em ação.

Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie. 
Efésios 2:8-9

Jesus respondeu: "Eu asseguro que, se vocês tiverem fé e não duvidarem, poderão fazer não somente o que foi feito à figueira, mas também dizer a este monte: 'Levante-se e atire-se no mar', e assim será feito. 
Mateus 21:21

Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam. 
Hebreus 11:6



Há uma noção geral, nos dias de hoje, de que a fé religiosa seria apenas um sentimento. Daí que muitos pregadores, inclusive católicos, se esforcem amiúde para tocar os corações e arrancar lágrimas do público que devotamente acode às suas pregações, à procura de alguma solução para seus problemas, mais temporais que propriamente sagrados: a conta a pagar, o namoro que terminou, a inveja da vizinha, e por aí vai…

Eis aí, portanto, o que devem fomentar os pregadores católicos. Eles devem ensinar os fiéis a pedirem o dom da fé divina, pela qual a experiência concreta com o fundamento de Deus torna-se acessível. É preciso buscar antes o Deus das consolações que as consolações de Deus. Se os santos choravam quando ouviam falar da Paixão de Cristo, não era simplesmente por um sentimento piedoso, mas pelo conhecimento fundamental de que as chicotadas contra o Salvador tinham como causa primeiríssima os pecados da humanidade.

Declaração de Fé Católica 

Eu, Pio, Bispo da Igreja Católica, com fé firme, creio e professo cada um dos artigos contidos na Profissão de Fé que a Santa Igreja Romana emprega, a saber:

Creio em um Deus Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e de tudo o que é visível e invisível. E em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho unigênito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos; Deus de Deus, luz da luz; Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; gerado, não criado; consubstancial ao Pai; por Ele todas as coisas foram feitas; o Qual por nós, homens, e para a nossa salvação, desceu do céu; se encarnou pelo Espírito Santo na Virgem Maria, e Se fez homem; também foi crucificado por nós; padeceu sob Pôncio Pilatos e foi sepultado; ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras. Subiu aos céus e está sentado à direita do Pai; Ele virá novamente com glória para julgar os vivos e os mortos, e seu Reino não terá fim. E [creio] no Espírito Santo, Senhor e dador da vida, o Qual procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado; Ele falou pelos profetas. E [creio] na Igreja una, santa, católica e apostólica; confesso um só batismo para a remissão dos pecados; e espero a ressurreição dos mortos; e a vida do mundo que há de vir. Amém.

Aceito e abraço firmemente as Tradições apostólicas e eclesiásticas, bem como todas as demais observâncias e constituições da mesma Igreja.

Igualmente, aceito a Sagrada Escritura de acordo com aquele sentido que a Santa Madre Igreja sustentou e sustenta, já que é seu direito julgar sobre o verdadeiro sentido e interpretação das Sagradas Escrituras; nãs as receberei e interpretarei senão conforme o consenso unânime dos Padres.

Professo também que existem sete sacramentos da Nova Lei, verdadeiramente e adequadamente conhecidos, instituídos por Nosso Senhor Jesus Cristo e necessários para a salvação, ainda que cada pessoa não precise recebê-los todos. São eles: Batismo, Confirmação, Eucaristia, Penitência, Extrema Unção, Ordem e Matrimônio; eles conferem a graça. Destes, o Batismo, a Confirmação e a Ordem não podem ser repetidos sem que se cometa sacrilégio.

Igualmente, recebo e aceito os ritos da Igreja Católica que foram recebidos e aprovados na solene administração de todos os Sacramentos [acima] mencionados.

Abraço e aceito tudo e cada uma das partes definidas e declaradas pelo Sagrado Concílio de Trento acerca do pecado original e da justificação.

E igualmente:

Professo que na Missa é oferecido a Deus um verdadeiro, apropriado e propiciatório Sacrifício pelos vivos e pelos mortos; e que no Santíssimo Sacramento da Eucaristia estão verdadeira, real e substancialmente o Corpo e o Sangue, juntamente com a Alma e a Divindade, de Nosso Senhor Jesus Cristo; e que ali ocorre a conversão de toda a substância do pão em Seu Corpo e de toda a substância do vinho em Seu Sangue; a esta conversão a Igreja Católica chama “transubstanciação”.

Confesso que sob ambas as espécies, individualmente consideradas, Cristo inteiro, completo e verdadeiro sacramento é recebido.

Firmemente sustento que existo o Purgatório e que as almas ali detidas são ajudadas pelos sufrágios dos fiéis. Da mesma forma, que os Santos, que reinam com Cristo, devem receber honra e orações; e que eles oferecem a Deus orações em nosso benefício; e que suas relíquias devem ser veneradas.

Resolutamente afirmo que as imagens de Cristo e da sempre Virgem Mãe de Deus, bem como aquelas de outros santos, devem ser cuidadas e conservadas; e que se lhes deve prestar a elas a honra e reverência devidas.

Afirmo que o poder das indulgências foi deixado por Cristo na Igreja e que seu uso é eminentemente beneficioso para o povo cristão.

Reconheço na Santa, Católica e Apostólica Igreja Romana, a mãe e mestra de todas as igrejas.

Igualmente, aceito indubitavelmente e professo todas aquelas outras coisas que foram transmitidas, definidas e declaradas pelos sagrados cânones e Concílios Ecumênicos, especialmente pelo Sagrado [Concílio de] Trento; do mesmo modo, também condeno, rejeito e anatematizo qualquer coisa contrária, e qualquer heresia, que foi condenada, rejeitada e anatematizada pela Igreja.

Esta verdadeira Fé Católica, fora da qual ninguém pode se salvar, que eu agora livremente professo e sinceramente sustento, é a que resolutamente devo ser manter e confessar, com o auxílio de Deus, em toda a sua integridade e pureza, até o meu último suspiro; e farei tudo o que puder para assegurar que todos os demais façam o mesmo.

Isto é o que eu mesmo, Pio, prometo, voto e juro. Desta forma, que Deus e seus Santos Evangelhos me ajudem!

PIO - Bispo da Igreja Católica
06.01.1870

E você, vai pôr sua fé em Deus?

2 comentários:

  1. Ana Cristinaagosto 11, 2018

    Maravilhosa mensagem Alessandro. Acompanho seu trabalho na internet desde a escrivaninha do Alessandro lembra? É uma pena que você não tenha dado continuidade naquele blog. Espero que neste maravilhoso que esta fazendo continue cada vez melhor como vem fazendo e por um longo período.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Ana é verdade a Escrivaninha do Alê, nossa que saudade daquela época realmente foi um blog de grande sucesso numa vida curta de 4 anos, infelizmente muitas coisas aconteceram e acabei por abandonar o blog. Agradeço por sua visita, te convido a participar do nosso grupo no facebook e caso queira participar da nossa lista de transmissão no Whatasapp. Obrigado e tenho sim objetivo de levar o SHD como trabalho definitivo por muitos anos a frente se Deus Permitir. Um forte abraço.

      Excluir

Veja também: