3.8.18

Papa fala sobre fim da pena de morte


"Durante muito tempo, considerou-se o recurso à pena de morte por parte da autoridade legítima, depois de um processo regular, como uma resposta adequada à gravidade de alguns delitos e um meio aceitável, ainda que extremo, para a tutela do bem comum.

Hoje vai-se tornando cada vez mais viva a consciência de que a dignidade da pessoa não se perde, mesmo depois de ter cometido crimes gravíssimos. Além disso, difundiu-se uma nova compreensão do sentido das sanções penais por parte do Estado.

Por fim, foram desenvolvidos sistemas de detenção mais eficazes, que garantem a indispensável defesa dos cidadãos sem, ao mesmo tempo, tirar definitivamente ao réu a possibilidade de se redimir.

Por isso a Igreja ensina, à luz do Evangelho, que «a pena de morte é inadmissível, porque atenta contra a inviolabilidade e dignidade da pessoa», e empenha-se com determinação a favor da sua abolição em todo o mundo". (Papa Francisco)

No Twitter, o assunto figurou entre os mais comentados e as opiniões foram muito diversas.

Católicos elogiaram o posicionamento cristão do pontífice e não católicos também aplaudiram o fato de ele ser um líder que influencia positivamente em algumas decisões no mundo.

Houve também quem dissesse que a decisão de Francisco não alivia os escândalos envolvendo pedofilia entre padres e mesmo que pode se tratar de uma "ação de marketing para tornar o assunto menos penoso para a Igreja Católica" e pessoas favoráveis à pena de morte.

Veja também: