11.8.18

Eleições 2018: Padre Paulo Ricardo Detona Marina Silva


Prestem atenção: aborto significa retalhar uma vida indefesa. 

E, vá lá, ainda que não se pudesse dizer com toda certeza se o embrião em desenvolvimento é ou não um ser humano — embora os estudos de embriologia já não manifestem qualquer dúvida sobre a humanidade do feto —, seríamos do mesmo modo obrigados a optar pela via da prudência, isto é, a preservação da vida, pois existiria a possibilidade de se tratar de um ser humano. 

Olavo de Carvalho está certo quando diz: "À luz da razão, nenhum ser humano pode arrogar-se o direito de cometer livremente um ato que ele próprio não sabe dizer, com segurança, se é ou não um homicídio". 



A lei moral exige isso. 

Os defensores do aborto, por outro lado, não só se recusam a admitir um debate franco a respeito do início da vida, mas também, não se sabe com que autoridade, assumem a responsabilidade de escolher quem merece ou não viver. Isso não é diálogo, isso é imposição, como bem observou o editorial do jornal Gazeta do Povo: apesar do título, a campanha da revista pede debate, "mas não dá espaço aos argumentos pró-vida e já indica qual deveria ser o seu resultado: o apoio à descriminalização"

Não é preciso ser nenhum filósofo para perceber a trapaça.

Padre Paulo Ricardo.
Mentiras da Legalização do Aborto
Veja clicando aqui

2 comentários:

  1. Obrigado essa matéria foi esclarecedora vou tomar um 5 engov antes de escolher os candidatos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço sua visita e participação amado amigo bem isso, kkkk tomar um engov antes e outro depois. um forte abraço.

      Excluir

Veja também: