24.7.18

Marte em oposição agora só em 2020


A cada 26 meses a Terra passa entre Marte e o Sol. 

Os astrônomos chamam isso de “oposição” porque, visto da Terra, Marte surge no céu do lado oposto ao Sol. Porém, em virtude das órbitas dos planetas não serem circulares e sim elípticas, o tamanho aparente de Marte pode variar bastante de oposição para oposição. 

As oposições mais favoráveis ocorrem quando Marte se encontra no periélio ou em suas vizinhanças. São as chamadas oposições periélicas. Nessas ocasiões a distância Terra-Marte diminui para cerca de 56 milhões de quilômetros (a distância média é de quase 228 milhões de quilômetros). Com isso o diâmetro aparente do planeta atinge o valor máximo: cerca de 25 segundos de arco. 

A Lua Cheia tem cerca de meio grau de diâmetro. Há 60 minutos de arco em um grau e 60 segundos de arco em um minuto, ou seja, a Lua Cheia tem cerca de 1800 segundos de arco. 

Uma boa oposição de Marte faz com que o diâmetro aparente deste planeta fique tão grande quanto o de uma cratera lunar, como a cratera Copérnico.

As oposições periélicas acontecem geralmente nos meses de agosto ou setembro, época em que Marte se encontra próximo do seu periélio. Também existem oposições afélicas (o afélio é o oposto do periélio), quando a distância entre Marte e a Terra fica em torno de 96 milhões de quilômetros. 

O afélio da Terra e de Marte não estão na mesma direção, mas pouco a pouco irão ficar mais próximos. O alinhamento completo, no entanto, levará muito tempo (milhares de anos). 

Atualmente a maior distância entre nós e o planeta vermelho atinge 399 milhões de quilômetros e, neste caso, seu diâmetro aparente se reduz para somente 3,6 segundos de arco.



Próxima oposição de Marte MARTE ESTARÁ EM OPOSIÇÃO AO SOL na noite de 13 de outubro de 2020. Nessa ocasião, Marte brilhará no alto do céu por volta da meia-noite, nascendo à Leste, logo após o pôr do Sol e seu diâmetro aparente será de 22,4 segundos de arco.  

Mesmo a olho nu, é fácil perceber a luminosidade vermelho alaranjada de Marte. Porém, observações mais apuradas sempre vão exigir um lugar longe das luzes urbanas e o uso de um binóculo ou luneta com tripé, pelo menos. 

Apenas os observadores que utilizarem instrumentos com pelo menos 15 cm de abertura (diâmetro da objetiva) estarão em condições de visualizar detalhes da superfície marciana, como as calotas polares ou as tempestades de areia.

Na Fonte de Costa J. R Zenite

Veja também: